terça-feira, 10 de março de 2020

Novas Editoras e Novos Autores

Há uma crítica de que a multiplicação de editoras evangélicas no Brasil comprometeu a qualidade das obras publicadas. Eis as minhas considerações:

1. Mesmo nas grandes e tradicionais editoras evangélicas, a qualidade das obras publicadas  nunca foi uma garantia. Para isso basta olhar o catálogo atual, e observar também que muitas das obras publicadas não conseguiram vender nem a primeira tiragem;

2. Mesmo que em alguns casos tenha que praticamente pagar para a publicação de seus livros, os novos escritores estão diante de oportunidades que não tinham antes, principalmente em razão de processos antigos intermináveis de análise de originais, que por vezes deixaram de ser publicados apenas por questões de política interna, e não pela qualidade da obra;

3. O papel das grandes editoras continua sendo relevante, e o potencial de distribuição das mesmas é indiscutível. Contudo, isso não é garantia que o livro será vendido, e que você será bem sucedido como escritor;

4. Com o advento das redes sociais, e da possibilidade de divulgação e vendas online por parte das editoras e dos escritores, as boas produções, em muitos casos, vendem mais nestes espaços virtuais do que nas lojas físicas;

5. Se você já tem uma agenda como pregador, palestrante etc., os eventos que você participa são excelentes lugares e oportunidades para apresentação e venda dos livros de sua autoria; 

6. O melhor marketing e a melhor propaganda de seus livros serão feitos pelos leitores;

7. Algumas perguntas precisam ser feitas antes de escrever e publicar um livro. São elas:

- A abordagem é nova?
- O tema é relevante?
- O quanto há sobre o assunto já publicado?
- Eu não estarei apenas copiando e colando o que já foi escrito?
- Algum conhecimento mais amplo sobre o tema será promovido?
- Qual o meu real interesse em escrever? 

8. Não publique pela vaidade de ser reconhecido como escritor. Isso pode resultar apenas em perda de tempo, e em prejuízos financeiros;

9. Sempre que puder, e entender ser necessário (no caso de publicação independente), submeta o seu texto à análise de um amigo ou alguém mais experiente na área, que tenha tal disponibilidade;

10. Não desanime diante de um retorno (aprovação, aceitação e vendas) aquém do esperado. Não é fácil ser escritor no Brasil. Se esta for de fato uma vocação sua, a prática trará o aperfeiçoamento, e a cada obra publicada você aprenderá com os erros, e se aperfeiçoará na arte de escrever.

As novas editoras, por outro lado, devem ser criteriosas com o que irão publicar. Não coloque o lucro acima da qualidade. Não se tornem meras prestadoras de serviços. Não banalize a sua marca.

Vivemos um novo tempo, de maior democratização na publicação de livros. Ganham com isso os escritores e os leitores.

Nenhum comentário: