quinta-feira, 21 de fevereiro de 2019

CGADB, União Estável e Batismo em Águas

"O batismo em águas. É um ato importante e repleto de significados espirituais, que é administrado pela igreja ao crente, mediante arrependimento e confissão de fé [...] O batismo é uma ordenança divina; é, em si, um ato de compromisso e profissão de fé; é um ato público em confirmação daquilo que já possuímos - a salvação pela fé em Jesus." (Declaração de Fé das Assembleias de Deus no Brasil, pg. 127, 129)

Um dos temas que será tratado na próxima AGO da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil - CGADB, que será  realizada em Belém do Pará, de 8 a 12/4, é sobre a possibilidade de em alguns casos específicos um crente poder ser batizado em águas sem ser casado civilmente, vivendo em união estável.

Não são poucos os casos onde ao se converter, em razão do seu parceiro(a)  não concordar em regularizar a situação civil através do casamento, o crente fica privado do batismo em águas.

Muitos destes crentes não batizados em águas, mas regenerados e salvos em Cristo Jesus, ocupam funções em algumas igrejas, tais como ensinar na Escola Dominical, líderar órgãos e departamentos, etc.

Em diversos lugares já há casos onde após análise do ministério local, alguns nesta situação de espera por uma regularização de sua condição civil através do casamento, são batizados em águas.

Os debates prometem ser intensos, pois de um lado estão os pastores que rejeitam plenamente o batismo de crentes nestas condições (mesmo em casos específicos e devidamente analisados), e de outro lado estão os pastores que compreendem ser possível uma análise caso a caso por parte dos ministérios locais.

A questão envolve, acima de tudo, uma discussão  doutrinária e teológica: além da fé e do arrependimento, algum outro pré-requisito seria necessário para o batismo em águas? Se alguns destes crentes já foram batizados inclusive no Espírito Santo, como negar a eles as águas? O que significa e o que representa o batismo em águas?

Oremos para que o Senhor nos dê a sabedoria necessária para julgar e decidir sobre tal questão.

Nenhum comentário: