sábado, 5 de janeiro de 2019

A Evolução do Uso da Exegese pelos Obreiros Assembleianos Brasileiros no Preparo de Mensagens Bíblicas


Segue abaixo um breve relato de como os obreiros assembleianos brasileiros (pastores, evangelistas, presbíteros, etc.) passaram a utilizar os recursos exegéticos na elaboração e preparo da pregação e do ensino bíblico.
1. Ler apenas a Bíblia e pregar de improviso é indicador de um alto nível de espiritualidade. Só é necessário ler a Bíblia e contar com o auxílio do Espírito Santo na pregação e no ensino (Dos primórdios até a década de 80).
2. Breves anotações passam a ser feitas nas margens da Bíblia. As Bíblias de estudo começam a ser usadas como fonte de auxílio no preparo das mensagens (De 1980 a 1990).
3. Surgimento das primeiras “colas” (anotações feitas em pequenos pedaços de papel) colocadas discretamente dentro da Bíblia. Os dicionários bíblicos são usados como fonte de auxílio no preparo das mensagens (De 1990 a 2000).
4. Utilização dos primeiros esboços bíblicos nos púlpitos. Os comentários bíblicos e outros recursos literários passam a ser usados como fonte de auxílio no preparo das mensagens (De 2000 a 2010).
5. Os léxicos, gramáticas e outros recursos exegéticos de hebraico-português e grego-português são agregados aos demais recursos e fontes de auxílio para o preparo de mensagens (Após 2010).
Esse é um panorama geral da evolução da relação do obreiro assembleiano com o uso dos recursos exegéticos para a elaboração de mensagens bíblicas (pregação e ensino), que se relaciona diretamente com o desenvolvimento da educação teológica no contexto denominacional.
Durante todo esse período, muitos obreiros estiveram à frente do seu tempo, fazendo uso de recursos exegéticos que só viriam a se tornar comuns e populares em anos posteriores.
Vale salientar, que mesmo sem utilizar os recursos exegéticos que hoje dispomos e utilizamos, muitos dos nossos pioneiros e antecedentes, com sinceridade e fervor espiritual, foram usados poderosamente por Deus nos púlpitos, nos deixando a grande responsabilidade de manter a chama pentecostal acessa no preparo e na exposição da mensagem bíblica.
Eles tinham uma grande preocupação em não cair no formalismo acadêmico, e no mero preparo intelectual de mensagens, destituídas da iluminação e da unção do Espírito.
Hoje temos mais recursos exegéticos e acessibilidade aos mesmos. Seremos mais cobrados por isso.

Nenhum comentário: