domingo, 30 de dezembro de 2018

Profetas Denunciadores ou Promotores Escarnecedores?

Na Bíblia os pecados do povo de Deus do Antigo Testamento e do Novo Testamento são encontrados e expostos publicamente, e isso com o propósito de denunciar os erros, nos alertar quanto aos erros, nos ensinar com os erros, e nos levar ao arrependimento dos erros.

Desobediência, embriaguez, mentira, adultério, idolatria, opressão, injustiça, falsidade, apostasia, homicídio, hipocrisia, nepotismo, traição, partidarismo, desavenças, divisões, etc., tudo foi exposto pelos motivos acima citados. 

Os contemporâneos dos tempos bíblicos tomaram conhecimento de tais fatos através do ministério literário e kerigmático dos profetas e dos apóstolos.

Ao longo da história sucedeu o mesmo. Os pré-reformadores (Huss, Savonarola, etc.) e os reformadores (Lutero, Calvino, etc.) pregaram e escreveram sobre os pecados na Igreja, principalmente os do baixo e alto clero, chamando todos ao arrependimento, e anunciando o juízo de Deus.

Em tempos mais recentes, como não citar, dentre outros, o saudoso pastor americano David Wilkerson, incisivo em suas denúncias pregadas nos púlpitos, publicadas em seus livros e em seus canais de comunicação, dos males presentes na Igreja, de sua indiferença, desvios e secularização?

Há pelo menos dois tipos de pessoas que abordam tais questões. 

O primeiro tipo são os profetas, pregadores e ensinadores que ousados e usados por Deus, movidos pelo Espírito, denunciam o erro, confrontam o sistema, e convoca ao arrependimento e conversão por todos os meios de comunicação possíveis. Eles fazem o mundo perceber que ainda há na Igreja um povo inconformado e que teme a Deus, apesar de tantos escândalos e desvios, impossíveis de não serem notados e conhecidos pelos de fora.

O segundo tipo de pessoas são os meros promotores, escarnecedores e reprodutores de notícias e fatos negativos da vida da igreja. O propósito destes diverge dos profetas, pregadores e ensinadores usados por Deus, pois não falam movidos pelo Espírito, e não pregam ou estão interessados no arrependimento e na conversão dos faltosos. São instrumentos do diabo, cuja motivação é apenas se autopromover, denegrir a imagem da igreja e desacreditar o evangelho.

Os profetas são zelosos, enquanto os promotores são inescrupulosos. 

Os profetas são fiéis, enquanto os promotores são cruéis.

Que o Senhor nos ajude a discernir quem são os profetas ungidos usados por Deus, e quem são os promotores escarnecedores usados pelo diabo em nossos dias.

Um comentário:

josé roberto da rocha disse...

É que o sal tá perdendo o sabor,e o próprio jesus falou que quando isto acontecesse,o sal seria pisado pelos homens, e quando os homens pisam,pisam sem dó! É um escândalo atrás do outro, e os "ungidos" tão perdendo a vergonha na cara! Profetas??!!! Estão todos vendidos e profetizando por um bom pedaço de churrasco (os altos cachês). Miqueias 3:5