domingo, 2 de dezembro de 2018

Considerações Sobre o Significado de ὑπηρέτης (huperetes) no Comentário de 1 Coríntios 4.1 Feito por Hernandes Dias Lopes




Em seu comentário sobre o texto de 1 Coríntios 4.1, o Rev. Hernandes Dias Lopes faz a seguinte declaração:
"A palavra grega usada é huperetes, que significa um remador de galés. Essa palavra era utilizada para a classe mais simples de servos. Os ministros são meros servos de Cristo. Eles não têm autoridade procedente deles mesmos. A palavra huperetes só aparece aqui em todo o Novo Testamento. Nos grandes navios romanos existiam galés, que eram porões onde trabalhavam os escravos sentenciados à morte. [...] O obreiro da igreja é um escravo já sentenciado à morte, que deve obedecer as ordens do capitão do navio, o Senhor Jesus Cristo." (p. 70-71)
Em primeiro lugar, é importante ressaltar que a palavra grega huperetes não aparece no Novo Testamento apenas em 1 Coríntios 4.1. Ela é usada por Paulo somente aqui (cf. Morris, p. 59), mas aparece também em Mateus 5.25; 26.18; Marcos 14.54, 65; Lucas 1.2; 4;20; João 7.32, 45, 46; 18.3, 12, 18, 22, 36; 19.6; Atos 5.22, 26; 13.5; 26.16). Nos referidos textos, a palavra é utilizada para fazer referência a vários tipos de servos, como, por exemplo, funcionários da corte de um rei, oficiais do Sinédrio, assistentes das sinagogas, assistentes de magistrados, guardas, obreiros (ministros) e seus auxiliares.
Em segundo lugar, afirmar categoricamente que o sentido de huperetes em 1 Coríntios 4.1 provém de "remador de galés" (cf. A.T. Robertson, William Barclay, Leon Morris, W.C. Taylor, W. E. Vine, David Prior, Thomas R. Hoover, etc.) é algo discutível. Para Kistemaker (p. 185), no século primeiro a palavra assumiu um sentido mais amplo (servos sob seu senhor, um trabalhador doméstico). Conforme D. A. Carson, que cita J, P. Louw (p. 27), huperetes nunca é aplicado a "remador" na literatura clássica e certamente não é empregado assim no Novo Testamento, tendo o seu significado praticamente igual ao termo diákonos.
No contexto dos púlpitos assembleianos, a ideia de huperetes com o sentido de "remador das partes mais baixas" em 1 Coríntios 4.1 se reproduz acriticamente. Na realidade, a ideia suscita nos ouvintes uma boa reação (o que agrada os pregadores e ensinadores), mas que deve, no meu entendimento, ser apresentada como uma possibilidade de interpretação do texto, e não como uma exegese do mesmo incontestável.
Ficam assim colocadas as minhas respeitosas observações e considerações sobre o citado comentário e texto, esperando dessa forma contribuir para uma melhor compreensão e exposição das Sagradas Escrituras.
Referências Bibliográficas:
BARCLAY, William. Comentario al Nuevo Testamento. Barcelona: Editora CLIE, 2006.
BRAKEMEIER, Gottfried. A primeira carta do apóstolo Paulo à comunidade de Corinto: um comentário exegético-teológico. São Leopoldo: EST/SINODAL, 2008.
CARSON, D.A. Os perigos da interpretação bíblica. São Paulo: Vida Nova, 2001.
Concordância Fiel do Novo Testamento. São José dos Campos-SP: Editora Fiel, 1994.
HOOVER, Thomas Reginald. 1 e 2 Coríntios: comentário bíblico. Rio de Janeiro: CPAD, 1999.
KISTEMAKER, Simon. 1 Coríntios. São Paulo: Cultura Cristã, 2004.
LOPES, Hernandes Dias. 1 Coríntios: como resolver conflitos na igreja. São Paulo: Hagnos, 2008.
LOUW, Johannes; NIDA, Eugene. Léxico grego-português do Novo Testamento: baseado em domínios semânticos. Barueri-SP: Sociedade Bíblica do Brasil, 2013.
MORRIS, Leon. 1 Coríntios: introdução e comentário. São Paulo: Vida Nova, 1981.
PRIOR, David. A mensagem de 1 Coríntios: a vida na igreja local. São Paulo: ABU Editora, 2001.

TAYLOR, W.C. Dicionário do N.T. grego. Rio de Janeiro: JUERPE, 1991.
VINE, W. E.; UNGER, Merril F.; WHITE JR., William. Dicionário Vine: o siginificado exegético e expositivo das palavras do Antigo e do Novo Testamento.Rio de Janeiro: CPAD, 2003.

Nenhum comentário: