domingo, 17 de junho de 2018

O Calvinismo na CPAD - Os Tesouros de Davi

Não tive acesso a esta obra "Os Tesouros de Davi", pois já me encontrava aqui na Itália quando foi publicada no Brasil, mas graças a um caríssimo irmão, me chegou às mãos informações, e excelentes análises de cunho doutrinário e teológico acerca da mesma.
Na apresentação da edição brasileira se lê:
"Nossa missão (da CPAD) é divulgar o Evangelho de Jesus Cristo através da página impressa e oferecer ao povo de Deus o que de melhor já se produziu pelos autores cristãos, desde os dias apostólicos. Logo, somos herdeiros não apenas de Myer Pearlman e Stanley Horton, mas também de Tertuliano, Atanásio, Lutero, Wesley e Spurgeon."
No início da apresentação da obra, os nossos referenciais antigos da teologia pentecostal são associados com outros escritores de diversas linhas, inclusive calvinista.
Deveria ter citado abertamente Agostinho e Calvino, mas não teve tanta coragem para isso. Pelo menos, ainda não.
Em seguida lemos:
"Isso não significa que estejamos de pleno acordo com todos os pontos doutrinais expostos por esses mestres e doutores. Aqui e ali, pode haver alguma divergência. Se esta não ferir os pontos centrais de nossa fé, por que não publicar esses doutores e mestres?"
Vou responder a pergunta do apresentador da obra.
Em primeiro lugar, não é "aqui e ali", e não são apenas "algumas divergências doutrinais". O próprio Charles Spurgeon, autor da obra, chegou a declarar que o deus dos arminianos (nós assembleianos somos soteriologicamente armínio-wesleyanos) não era, nem nunca seria o seu Deus.
Em segundo lugar, de fato, os pontos centrais da nossa fé não são feridos, mas a nossa Declaração de Fé é destruída e desmoralizada com tais publicações.
Vou finalizar esta introdução com uma afirmação direta e objetiva. Está muito claro que a CPAD rompeu com a sua antiga missão exclusivamente confessional. Agora ela é aberta, modernizou-se, contextualizou-se, comercializou-se. Esta é a realidade.
Sendo assim, se para os líderes assembleianos em todo o Brasil está tudo certo, se este é o caminho que a Casa deve seguir, aqui me calo sobre o assunto, mas não me calo no sentido em que já me comprometi, ou seja, vou refutar junto com alguns colaboradores que já se dispuseram, cada obra já publicada, e as que serão publicadas pela CPAD, com qualquer linha teológica e doutrinária que não considere a nossa Declaração de Fé, que inclusive, foi publicada pela própria CPAD.
À partir de amanhã, começo a escrever aqui sobre a teologia calvinista na obra "Os Tesouros de Davi".

Nenhum comentário: