terça-feira, 8 de maio de 2018

O Pentecostalismo Pragmático

O pragmatismo é um pensamento filosófico criado no fim do século XIX pelo filósofo americano Charles Sanders Peirce (1839-1914), pelo psicólogo William James (1844-1910) e pelo jurista Oliver Wendell Holmes Jr. (1841-1935), que opondo-se ao intelectualismo, considera o valor prático como critério da verdade.

É exatamente o pensamento pragmático de boa parte da liderança e de igrejas pentecostais, que aprova e reproduz acriticamente alguns ensinos e práticas não bíblicos, pelo simples fato de "darem certo" ou "funcionarem" segundo os objetivos desejados.

No Pentecostalismo Pragmático a mensagem e ortodoxia bíblica, a análise teológica e a fundamentação doutrinária não são prioridades. Tais questões possuem pouco ou nenhum valor . 

No Pentecostalismo Pragmático, regra geral o que importa é se o povo vai se agradar,  se o templo vai encher, se a igreja vai crescer, se a oferta vai ser boa e se a manutenção do cargo com os seus benefícios está segura e garantida.

O Pentecostalismo Pragmático é o responsável por tanta confusão e absurdos vistos e ouvidos em nossos púlpitos, templos e cultos, bem diante do olhar de muitos líderes coniventes e também pragmáticos.

O Pentecostalismo Pragmático tenta de todas as formas e maneiras sufocar e desprezar o pentecostalismo bíblico, equilibrado e genuinamente frutífero. 

O Pentecostalismo Pragmático rotula o crente pentecostal bíblico de frio, cru, indiferente, formal, carnal, desviado, não convertido, tradicional, sem "visão", insensível ao "mover" do Espírito e aos "mistérios" de Deus, etc.

O Pentecostalismo Pragmático é consequência também de anos de resistência a uma educação teológica formal e de qualidade no contexto do pentecostalismo clássico brasileiro, com a sua maior expressão nas Assembleias de Deus. 

O Pentecostalismo Pragmático se multiplica e se reinventa, conquista novos espaços, divide igrejas e cria novas denominações  no evangelicalismo brasileiro.

O Pentecostalismo Pragmático está cada vez mais atraente e menos bíblico. A doutrina não importa, a ética muito menos, o que importa é o milagre, a cura, a prosperidade, a sensação boa, a emoção gostosa, o êxtase. Sim, o que importa são os resultados.

O Pentecostalismo é um movimento do Espírito, fundamentado nas Escrituras, centrado em Cristo e para a glória de Deus Pai. 

O Pentecostalismo Pragmático é um movimento do homem, fundamentado nos resultados práticos, centrado na conveniência e para a glória da criatura.

Nenhum comentário: