quarta-feira, 23 de maio de 2018

Embriaguez Ministerial


"E começou Noé a cultivar a terra e plantou uma vinha. Bebeu do vinho, e embriagou-se; e achava-se nu dentro da sua tenda." (Gn 9.20-21)

Todos nós, líderes, pastores, pregadores e ensinadores, investidos de autoridade espiritual para o exercício do ministério, podemos cometer erros.

O ministério que recebemos do Senhor é algo que devemos cultivar, cuidar e zelar. Através dele somos também abençoados, e desfrutamos da graça generosa de Deus que nos sustenta com dignidade.

Assim como Noé e a sua vinha, podemos nos embriagar com aquilo que cultivamos. No ministério cristão, podemos nos embriagar com a sede de poder, com a ganância e a avareza, com a busca por popularidade e reconhecimento, com o orgulho e a vaidade, e com outros males.

Precisamos cultivar e desfrutar das responsabilidades e privilégios do ministério com bom senso, equilíbrio, prudência e temperança. 

Nada de exageros, pois o beber do vinho em excesso embriaga, e pode nos expor a situações de extrema vergonha. Podemos inclusive cair no descrédito, promover escândalos e deixarmos de ser referência para as novas gerações.

Aprendamos com os princípios extraídos da experiência de Noé, para que possamos, para a glória de Deus, continuar cuidando com diligência e sabedoria do ministério que Ele nos concedeu.

Nenhum comentário: