terça-feira, 5 de setembro de 2017

A Obra da Salvação - Correção na Lição Bíblica


IMAGEM: Tiago Rosas

No dia 1/9 o irmão Tiago Rosas chamou a atenção em seu perfil no Facebook para uma declaração feita na próxima lição bíblica da CPAD, que segundo ele necessitava de uma correção:


Ao ter conhecimento do fato, tomei a iniciativa de compartilhar e comentar o post do irmão Tiago Rosas em meu perfil, ao mesmo tempo em que entrei em contato com o comentarista da lição, o pastor Claiton Pommerening:


O pastor Claiton me respondeu, alegando que a lição fora escrita para irmãos simples da igreja os quais essas informações poderiam ser confusas, e por isso simplificou a Teologia de Armínio na lição, mas que no livro publicado para dar suporte à lição tudo estaria explicado mais detalhadamente. Afirmou ainda que o livro teria que ser lido, pois lá ele cita Armínio, a obra dele lançada pela CPAD e trás alguns esclarecimentos breves, dada a limitação de espaço no livro.

Agradeci a resposta, e como não tenho o livro (estou na Itália), e muitos professores e alunos também não terão acesso ao mesmo, o problema com a declaração feita na lição continua, pois colocada como está (simplificada) não expressa o objetivo principal do Arminianismo.

No dia 4/9 um amigo me enviou o vídeo do professor Gunar Berg defendendo a afirmação do comentarista, cujo argumentos não me convenceram:


Tanto na Declaração de Sentimentos de Armínio, como no documento elaborado pelos Remonstrantes em 1610 (Os Cinco Artigos), e em sua obra de forma  geral, é a graça de Deus, e a sua ação na obra salvífica que ganham destaque, e de onde emanam as principais discussões e proposições, inclusive as que concernem ao livre-arbítrio humano.

Se quisermos sustentar a hipótese de alguma defesa do livre-arbítrio humano em Armínio, tal defesa precisa ser compreendida como a correção de certas ideias equivocadas e difundidas a seu respeito.

Em Armínio o livre-arbítrio humano é incapaz de iniciar ou aperfeiçoar qualquer ação que busque obedecer ou agradar a Deus.

Em Armínio, somente a graça divina (precedente ou preveniente) possibilita ao homem ter livre exercício de vontade para crer ou resistir, para corresponder livremente com arrependimento e fé, e responder positivamente ao chamado divino.

Em Armínio o livre-arbítrio humano para as coisas de Deus precisa ser liberto pela graça precedente e preveniente.

Em Armínio a capacidade humana de exercer o livre-arbítrio para com as coisas de Deus precisa ser restaurada pela graça precedente e preveniente.

Em Armínio os efeitos da depravação total sobre o livre-arbítrio humano para com as coisas de Deus precisam ser suspensos pela graça precedente ou preveniente.

Em Armínio o livre-arbítrio humano para com as coisas de  Deus não é ignorado, nem tampouco exaltado, é sim, exposto e colocado em seu devido lugar na "mecânica da salvação", à luz da graça, da justiça e do amor de Deus, segundo as Escrituras.

Isto posto, é preciso deixar claro que:

1. Erros como este já aconteceram em outras lições bíblicas da CPAD;

2. Tais erros podem decorrer do pouco espaço que a lição tem para que uma ideia seja devidamente exposta, ou de um problema na hora da edição da mesma;

3. O erro não desqualifica a Editora, nem tampouco o comentarista, nem ainda os consultores teológicos, bastando apenas um maior cuidado diante das limitações editoriais de uma lição bíblica;

4. Na minha vida ministerial já fiz afirmações equivocadas, ou não muito claras, e precisei corrigi-las ou esclarecê-las. Isso, no meu entendimento, é um gesto nobre.

A todos envolvidos na questão e aqui citados, fica o meu sincero respeito e a minha admiração, mesmo não concordando com o meu posicionamento teológico.

Teologia sem discussão é mera imposição argumentativa, ou reprodução acrítica de ideias.

No amor de Cristo,

Pr. Altair Germano

Imagem: Tiago Rosas

Um comentário: