terça-feira, 27 de janeiro de 2015

O CALVINISMO E A SUA ATUAL INFLUÊNCIA NO PENTECOSTALISMO ASSEMBLEIANO BRASILEIRO

Ao longo da História da Igreja alguns esquemas teológicos foram elaborados com o propósito de sistematizar e preservar a sã doutrina, defendendo-a assim das heresias.

Em se tratando da doutrina da salvação, dois arcabouços teológicos ganham destaque: o arminianismo e o calvinismo. O calvinismo é a tradição teológica da qual o reformador protestante João Calvino (1509-1564) é o proponente mais famoso. Já o arminianismo clássico é oriundo do movimento de oposição à perspectiva de salvação dos reformados calvinistas, que foi iniciado pelo teólogo e pastor Holandês Jacó Armínio (1569-1609).

A doutrina da salvação adotada pelas Assembleias de Deus no Brasil e pelas Igrejas Batistas é basicamente arminiana. O calvinismo é adotado principalmente pelas Igrejas Presbiterianas e Congregacionais.

Nos últimos anos a teologia reformada calvinista ganhou espaço e notoriedade no cenário nacional. Destaco particularmente, dentre tantas, as seguintes razões:

- A Publicação de excelentes livros no campo da teologia em geral (é importante salientar que em vários pontos a teologia reformada calvinista concorda com outros sistemas teológicos)

- A Publicação de diversos livros propagando a teologia reformada calvinista

- A Organização de eventos de grande impacto e público com a participação de teólogos e pastores reformados calvinistas

- A relevância nacional das instituições de ensino superior e teológico das igrejas reformadas

- A propagação do calvinismo nas redes sociais e internet em geral

- O surgimento no Brasil de excelentes expositores da Palavra dentre as igrejas reformadas calvinistas

- A falta de posicionamento da liderança pentecostal assembleiana nacional em relação à teologia reformada calvinista

- A falta de conhecimento entre os pentecostais assembleianos dos fundamentos da teologia arminiana

- A falta de publicação e escassez de obras com conteúdo teológico arminiano

Diante dos fatos aqui exposto, em se tratando da doutrina da salvação (soteriologia), obreiros e irmãos pentecostais assembleianos estão absorvendo e adotando a teologia calvinista. Diversos deles já me confessaram isso pessoalmente, enquanto outros passaram a congregar em igrejas reformadas.

Os órgãos oficiais das Assembleias de Deus no Brasil, juntamente com a liderança nacional e regional da igreja, precisam dar uma resposta diante do atual cenário, para que a razão de ser de nosso sistema doutrinário e teológico seja amplamente conhecido de todos os membros e congregados da denominação.

Em suas publicações literárias, nas Escolas Bíblicas de Obreiros e Jovens, na Escola Bíblica Dominical, nos cultos de ensino regulares, nas Escolas Teológicas, em todos os demais eventos e espaços educativos, nas redes sociais, blogs e sites, o conteúdo e os fundamentos da nossa teologia da salvação precisam ser difundidos.


Tenhamos cuidado com os ventos de doutrina, e sigamos a verdade em amor (Ef 4.11-16).

Altair Germano – Pastor, teólogo, pedagogo, escritor e conferencista. Atualmente é o 1º Vice-Presidente da Assembleia de Deus em Abreu e Lima-PE (COMADALPE), Vice-Presidente do Conselho de Educação e Cultura da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil – CGADB.

14 comentários:

Douglas Ferreira da Silva disse...

Pr. Graça e Paz.

O Sr. conseguiu sintetizar os motivos pelas as quais a AD está sendo tomada pelo calvinismo.
Sua conclusão é melhor ainda. De fato, é necessário uma resposta oficial e um plano de ação para recuperar o tempo perdido com a alienação teológica. A CPAD precisa fazer a vez da denominação, e publicar livros arminianos de autores pentecostais.

Giulliano Caiana disse...

Creio que o seu posicionamento será de grande importância para o posicionamento dos demais teólogos assembleianos. O arminianismo deve ser esclarecido no meio pentecostal, para que o semi-pelagianismo seja extirpado de nosso meio, bem como a doutrina calvinista não abarque alguns que queiram seguir uma linha teológica a qual faça de Deus o autor e consumador da salvação.

Muitos dos jovens que estão deixando as assembleias estão agindo dessa maneira unicamente por entender que a doutrina da igreja ensina que o homem pode buscar a Deus primeiramente.

Moisés Jacob disse...

Pastor Altair Germano Parabéns pelo artigo, muitos dos nossos irmãos assembleianos não sabe que o Livre Arbítrio é uma linha teológica defendida por Jacob Arminio, logo somos Arminianos. Já ouvi pastor assembleiano defender o Livre Arbítrio, mas negar ser um Arminiano. Como o senhor citou no texto: "falta de conhecimento entre os pentecostais assembleianos dos fundamentos da teologia arminiana" Isto pastor me parece que nunca foi a preocupação da nossa igreja, infelizmente.

Messias disse...

Paz do senhor meu pastor! Quero parabenizá-lo pelos ótimos artigos que vem escrevendo sobre o tema!

Dario Rodrigues disse...

É pr.Altair, até mesmo a sua pessoa me deixava uma dúvida quanto ao posicionamento com relação as duas corrente teológica pois sempre ouve um silêncio de sua parte, Pelo menos no seu blog.

João Marcos disse...

Sou calvinista(ou monergista) e ainda faço parte da AD. Mas algo realmente preocupante está invadindo não só a AD, mas todas as igrejas tradicionais, é a ''Teologia da Prosperidade'' e a ''Confissão Positiva'', e nós, tanto calvinistas e arminianos, precisamos combater essa heresia.

Luciana disse...

Creio que ainda faltou alguns pontos. Mais simples e práticos.
Nas assembleias, se prendem muito à formalidades vazias. Cheios de congressos, festividades, aniversario de pastor, aniversario da congregação, etc...tudo isso onde odos os grupos da igreja tem que cantar. Mulheres, crianças, jovens, grupo de louvor, louvores da harpa, adolescentes,e os avulsos. Cheguei a participar devarias Santa Ceias com 14, 16 e 17 musicas...congressos idem...Palavra?? 10 minutos, 15 minutos e até um culto que não teve Palavra. Hoje, na igreja reformada, pode ser a data que for, comemoração que for. Meia hora de louvor (5 musicas), cantadas por quem na igreja foi chamado para isso, no caso o grupo de louvor. Depois vem as crianças que recitam os versiculos que decoraram, oramos por elas e PALAVRAAA...40 minutos,45 minutos, 50 minutos de Boa Palavra!!!...simples assim.Não se perde tempo em horarias humanas...não enchem o ego de ninguem. Depois do culto, ai sim...vem a festa, as comemorações e pronto.

Marcos David Muhlpointner disse...

Acho que uma primeira ação que deveria ser tomada seria a CPAD não publicar livros de autores reformados.

É no mínimo cômico que a editora das Assembleias de Deus publique livros de autores como Jonathan Edwards!!!!!

Outra coisa é o fato de irmãos da AD procurarem a doutrina calvinista. Isso acontece mesmo, principalmente com um corpo doutrinário não responde a questões muito simples.

Querem um exemplo? Como se pode dizer em liberdade da vontade se o próprio Jesus Cristo afirmou que as pessoas são "escravas do pecado"? Que liberdade é essa se a minha natureza é inimiga de Deus e se inclina contra Deus?!?!?!

Até mais, Marcos.

Instituto Edificar disse...

Respeito sua convicção teológica, mas acredito que a doutrina calvinista, ou seja, a doutrina da preservação dos salvos, é amplamente respaldada nas Escrituras.
Na verdade, todo cristão, quando em pé, é arminiano (vou orar, vou jejuar, vou lutar, etc) e de joelhos é calvinista( Senhor , eu te agradeço por me salvar, por me escolher etc).
Embora essas doutrinas aparentemente se contradigam (em nossa mente seja inconcebível), no nosso espírito esse antinomio se desfaz e percebemos que ambas são parte de uma única verdade.


Abraços

De um ex-assembleiano

clima eletrico disse...

Graça e Paz

pastor tenho uma duvida...

Se A doutrina calvinista ainda era mais rígida do que a luterana, pois não admitia que seus adeptos ostentassem luxo ou riqueza, jogassem cartas ou dançassem em bailes. Também deveriam se vestir com moderação e sobriedade.
por que em meio a uma "Sociedade" "Arminiana" não vemos sempre o calvinismos literário?

Gilson Barbosa disse...

Graça e paz pastor Altair!

Com todo o respeito, não creio que a grande massa dos irmãos assembleianos possuem condições de entender o significado "de ser" um arminiano, semipelagiano ou calvinista. Como em outros assuntos, é bem capaz de que os teólogos arminianos se reunirão em salas fechadas e determinarão a grande massa pentecostal como devem pensar. Isso não é nada bom.

A discussão do assunto deveriam conter opiniões dos dois lados: arminianos convictos e simpatizantes calvinistas. Contudo, creio que isso não vai acontecer. O fato é que se isso não acontecer não haverá definição séria alguma do que é ser arminiano, semipelagiano ou calvinista.

Conheço vários pastores teólogos da denominação que estão mais para calvinistas do que para arminianos.

Como já disse em outros blogs (teologia pentecostal e blog do pastor Ciro) não é ético taxar nenhum dos lados como demoníaco, sectário, frio ou fanático. Isso só seria suscitar a ira e não colabora em nada.

Grande abraço.

Em amor,

Carlos Roberto Silva, Pr. disse...

Caro amigo e pastor Altair Germano,

Seu texto é conciso, pertinente e necessário. Postei um link no Point Rhema, enviando meus poucos leitores para cá.

Em suma, o fato de nós assembleianos, consequentemente arminianos, não termos dado a importância devida, popularizando os tratados teológicos que norteiam a interpretação das Escrituras acerca da nossa fé, com o advento da internet, não ficamos livres de faze-lo agora, ainda que tardiamente.

Parabéns!

José Rubens Medeiros disse...

Em primeira abordagem, Calvinismo, a rigor, NÃO EXISTE. Aliás, a rigor ou sem rigor, Calvinismo NÃO EXISTE. E não existe porque o próprio francês Calvino CONFESSA em seu ajuntamento de palavras chamado 'Institutas' que ele ESCREVEU BASEANDO-SE INTEIRAMENTE NOS "ENSINAMENTOS"(sic) de um Padre Católico-Romano conhecido como Agostinho de Hipona. Aliás, Calvino faz as maiores mesuras em relação a esse Padre Agostinho, chamando-o por adjetivos como "SANTO", "SANTO HOMEM" etc. etc. Portanto, Calvino, não teve nem mesmo originalidade, eis que "sua doutrina" não é sua doutrina, mas doutrina ou tese do Padre Agostinho. Segue-se que, por maiúscula lógica, as pessoas que se rotulam de "calvinistas" deveriam rotular-se (considerando que apreciam tanto esses rótulos) de "AGOSTINIANISTAS" ou algo símile. E uma curiosidade impressionante: O gaulês João Calvino (aquele mesmo que, "piedosamente", queimou vivo Miguel Serveto), não obstante "inspirando-se" nos escritos do Padre Católico-Romano Agostinho, apregoa em grandes letras no livro 'Institutas' que a Organização Religiosa Católico-Romana representa, entre outros adjetivos por ele utilizados, ASQUEROSA MERETRIZ.

José Rubens Medeiros disse...

Com relação à SALVAÇÃO (ao mistério da salvação), para se saber como ela se processa, não entendo por que as pessoas se enveredam por "teses matemáticas", fórmulas de pretensiosa "erudição" etc., se a Palavra de Deus torna tudo claro aos olhos da criatura, imagem e semelhança d'Ele. Há inúmeras passagens bíblicas (não apenas essa citada pelo autor do vídeo em Efésios) segundo as quais para alcançar a salvação é necessário CRER NO SENHOR JESUS. Portanto, "CRÊ NO SENHOR JESUS E SERÁS SALVO, TU E TUA CASA". Nem vou citar os inúmeros outros versículos e pergunto: NÃO BASTA CRER NO SENHOR JESUS? Seria necessária essa "sanha" de paráfrases audaciosamente feitas com a Bíblia? Não é maravilhosamente sensato cumprir o que na Bíblia está determinado por Deus, por Jesus, pelo Espírito Santo? Outro exemplo: "IDE POR TODO O MUNDO E PREGAI O EVANGELHO A TODA CRIATURA. QUEM CRER, SERÁ SALVO..." Ou, como néscios, enveredaríamos por cidades e países "missionarescamente"(sic) pregando NÃO O EVANGELHO, mas "PREGANDO A PREDESTINAÇÃO CALVINISTA, DIGO, AGOSTINIANISTA"?!