domingo, 8 de junho de 2014

O PRESBÍTERO, BISPO OU ANCIÃO


Uma exposição sobre o tema aqui presente você pode encontrar nos links abaixo:


Como tenho comentado em algumas Escolas Bíblicas de Obreiros, a falta de uniformidade nas Assembleias de Deus em sua Teologia Ministerial, se dá pelo fato das influências doutrinárias que o movimento pentecostal no Brasil sofreu em seu início e formação, oriundas das diversas denominações aqui já estabelecidas (Batistas, Presbiterianos, Luteranos, Metodistas, etc.).

Não temos, talvez para desilusão de muitos, um modelo de governo eclesial assembleiano padronizado (aliás, diversidade é a nossa regra geral). Cada Convenção ou Ministério dita as suas próprias normas.

3 comentários:

Valdir E. Santo disse...

Graça e paz no Amado!
Concordo contigo querido pastor. Como assembleiano nato, tenho me deparado com esta versatilidade dos nossos ou melhor, de alguns líderes, em estarem criando títulos e deveres para "diferenciarem" de outros.
Por estes tempos, fiquei pasmo com a ousadia de um, que "consagrou" para seu campo de trabalho a "figura de presbítera"; deveras me levou a rir, pois na idade que tenho se chorar, vão dizer que é de alegria ou velhice.

Roberto Romas Gomes dos Santos disse...

A Paz do Senhor Pastor Altair Germano.
Parabéns pelo estudo esclarecedor, me ajudou muito.
Gostaria de sugerir um estudo da sua parte sobre a escala hierárquica de obreiros e ministros, ou seja, pelo que entendo para ser presbítero, biblicamente falando, entendo que não precisava ser diácono e para ser pastor, não precisava ser evangelista.

Grato,

Robert Romas

Roberto Romas Gomes dos Santos disse...

A Paz do Senhor Pastor Altair,
Parabéns pelo estudo, me ajudou muito.
Sugiro um estudo sobre a sequencia de separação de obreiros e ministros atual na Assembléia de Deus a luz da Bíblia, uma vez que entendo que na Igreja Primitiva não era assim. Ou seja, não precisava ser diácono para ser presbítero e evangelista para ser pastor.
Vai me ajudar muito.

Grato,

Pb. Roberto Romas