quinta-feira, 5 de junho de 2014

COMPROMISSO COM A PALAVRA DA VERDADE


Se a Bíblia diz que homossexualismo, adultério e práticas sexuais fora do casamento são pecados, por qual razão, na condição de pregador e ensinador da Palavra eu diria o contrário ou me omitiria diante de qualquer tipo de pressão cultural e social?

Se a Bíblia reprova a consulta aos mortos, a crença na reencarnação, o culto aos demônios, a feitiçaria, a idolatria e a hipocrisia religiosa, como posso me silenciar deixando de alertar e confrontar os que tais coisas praticam?

Se a Bíblia diz que somente a fé em Jesus salva o homem da condenação eterna, como posso apresentar outras alternativas?

Se a Bíblia condena a corrupção política, o roubo, a exploração econômica e a injustiça social, como fechar os olhos e não denunciar tais pecados?

Não tenho medo de ser tachado de intolerante pelos homens, de ser injuriado ou perseguido. Tenho, é receio de ser considerado por meu Senhor um ministro infiel para com a sua Palavra.

Dessa forma, quando as ditas "minorias" gritarem contra a verdade das Escrituras, eu gritarei mais alto proclamando-a, com o coração repleto de compaixão pelos perdidos pecadores, e cheio de zelo de pela Santa Palavra de Deus. 


"Se o mundo os odeia, tenham em mente que antes odiou a mim. Se vocês pertencessem ao mundo, ele os amaria como se fossem dele. Todavia, vocês não são do mundo, mas eu os escolhi, tirando-os do mundo; por isso o mundo os odeia. Lembrem-se das palavras que eu lhes disse: nenhum escravo é maior do que o seu senhor. Se me perseguiram, também perseguirão vocês. Se obedeceram à minha palavra, também obedecerão à de vocês. Tratarão assim vocês por causa do meu nome, pois não conhecem aquele que me enviou." (João 15:18-21, NVI)

Nenhum comentário: