quinta-feira, 12 de junho de 2014

ANÁLISE CRÍTICA E COMPARATIVA DE ALGUMAS VARIAÇÕES TEXTUAIS DO NOVO TESTAMENTO NAS VERSÕES ALMEIDA REVISTA E CORRIGIDA (ARC) E ALMEIDA REVISTA E ATUALIZADA (ARA) - DIVERSOS CASOS


Seguiremos em nossa abordagem apresentando outras diferenças entre as versões ARC e ARA, e explicando a razão de existirem. Insisto na necessidade de trazer o assunto à tona, pois muitos obreiros e professores ficam em dificuldades na hora em que membros e alunos buscam explicações para tal fenômeno, pois compreendem que as traduções da Bíblia são “perfeitas” em questões textuais, quando sabemos que perfeição textual só existe nos autógrafos, ou seja, no texto que saiu diretamente das mãos dos escritores do Novo Testamento. Analise os exemplos abaixo:

Mateus 21.29

Ele, porém, respondendo, disse: Não quero. Mas, depois, arrependendo-se, foi. (ARC)

Ele respondeu: Sim, senhor; porém não foi. (ARA)

Além das questões do texto grego, temos aqui favorável a ARA o fato de fazer sentido, no momento em que o primeiro filho “não vai”, o pai ter pedido ao segundo filho para que fosse.

Lucas 1.28b

E, entrando o anjo onde ela estava, disse: Salve, agraciada; o Senhor é contigo; bendita és tu entre as mulheres. (ARC)

E, entrando o anjo aonde ela estava, disse: Alegra-te, muito favorecida! O Senhor é contigo. (ARA)

O final do v. 28 εὐλογημένη σὺ ἐν γυναιξίν (bendita é tu entre as mulheres) não aparece no Texto Crítico, e consequentemente foi omitido na ARA. Se a presença do final aqui citado fosse original, não teria como ser explicada ao certo a razão de alguns copistas terem sido levados a omiti-lo em uma grande diversidade de manuscritos antigos. O texto foi provavelmente inserido com base no v. 42.

Lucas 14.5

E disse-lhes: Qual será de vós o que, caindo-lhe num poço, em dia de sábado, o jumento ou o boi, o não tire logo? (ARC)

A seguir, lhes perguntou: Qual de vós, se o filho ou o boi cair num poço, não o tirará logo, mesmo em dia de sábado? (ARA)

No Texto Recebido lemos ὄνος ἢ βοῦς (jumento e boi), enquanto no Texto Crítico lemos  υἱὸς βος (filho e boi).

Visto que ficava estranho associar “filho” com “boi”, alguns copistas teriam trocado υἱὸς (huiós) por ὄνος (ónos).[1]

João 8.9

Quando ouviram isso, saíram um a um, a começar pelos mais velhos até aos últimos; ficaram só Jesus e a mulher, que estava no meio. (ARC)

Mas, ouvindo eles esta resposta e acusados pela própria consciência, foram-se retirando um por um, a começar pelos mais velhos até aos últimos, ficando só Jesus e a mulher no meio onde estava. (ARA)

Aqui a ARC não segue o Texto Recebido, omitindo “e acusados pela própria consciência”, enquanto a ARA mantém a frase.

Percebe-se aqui, que a ARC não mantém absoluta fidelidade ao Texto Recebido, e nem a ARA ao Texto Crítico, embora cada um dos textos gregos, de forma geral seja a base de cada uma das versões.

Romanos 8.1

Portanto, agora, nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o espírito. (ARC)

Agora, pois, já nenhuma condenação há para os que estão em Cristo Jesus. (ARA)

Manuscritos copiados mais recentemente introduziram no texto de Romanos 8.1 palavras tiradas de Romanos 8.4 μὴ κατὰ σάρκα περιπατοῦσιν, ἀλλὰ κατὰ πνεῦμα (que não andam segundo a carne, mas segundo o espírito). O texto mais breve tem sólido apoio nos melhores e mais antigos manuscritos.[2]

Apocalipse 1.5

e da parte de Jesus Cristo, que é a fiel testemunha, o primogênito dos mortos e o príncipe dos reis da terra. Àquele que nos ama, e em seu sangue nos lavou dos nossos pecados, (ARC)

e da parte de Jesus Cristo, a Fiel Testemunha, o Primogênito dos mortos e o Soberano dos reis da terra. Àquele que nos ama, e, pelo seu sangue, nos libertou dos nossos pecados, (ARA)

No Texto Recebido (ARC) temos λούσαντι (lavou) enquanto no Texto Crítico (ARA) λσαντι (libertou).

Deve-se preferir a leitura λσαντι (libertou) porque tem apoio nos melhores manuscritos, porque concorda com a linguagem do AT (Is 40.2 LXX), e porque combina melhor com a ideia expressa no v. 6a, ou seja, ela nos “liberta” e nos constitui “reino”.[3]

É claro que o sangue de Jesus nos “lava” e “liberta”, mas na hora da elaboração de uma mensagem, seguir uma das duas opções conduzirá o pregador e ensinador para abordagens diferentes.

Longe de querer “descartar” a ARC, o propósito aqui é o de dar condições aos que se instrumentalizam da Bíblia, para que possam entende e considerar de forma crítica as diferenças entre as versões ARC e ARA, para com isso terem a autonomia de poder optar por aquela versão que se aproxima mais do que há de melhor em termos de texto grego na atualidade, e que no meu entendimento é o Texto Crítico, e consequentemente a versão ARA.

Sou plenamente a favor de que a Casa Publicadora das Assembleias de Deus disponibilize Bíblias nas duas versões, e que breve tempo uma nova discussão sobre uma "versão oficial" venha a tona nas assembleias da CGADB.

Continuaremos a escrever sobre o assunto, e a levantar outras questões sobre os textos e versões aqui comparadas.

Segue abaixo os links onde os amados leitores podem ter acesso aos textos gregos aqui citados e comparados:







[1] OMANSON, Roger L. Variantes textuais do Novo Testamento: análise e avaliação do aparato crítico de “O Novo Testamento Grego”. Barueri-SP: Sociedade Bíblica do Brasil, 2010, p. 138.
[2] Ibid., p. 307.
[3] Ibid., p. 547.

3 comentários:

eliezer da gama disse...

e o texto de marcos 16; 9-20. tem que ser desconsiderado também?

João Paulo Souza disse...

Pastor Altair, paz do Senhor!

Em Atos 10.19, na ARA, está escrito que apenas "dois homens" da parte de Cornélio chegaram à casa em que Pedro estava. Ao passo que, no versículo 7, o texto afirma que foram "três" os enviados pelo centurião. Como resolver esse aparente problema?

João Paulo Souza disse...

Pastor Altair, procurando a resposta acerca de minha dúvida sobre Atos 10.19, acho que encontrei uma possível saída para o aparente problema.

O Comentário Bíblico Beacon, volume 7 (João e Atos), em sua página 441, referência 67, diz o seguinte: "O manuscrito grego mais antigo do NT, Vaticanus (séc.IV), diz 'dois'. Se esta leitura (adotada por Nestle) for correta, ela se refere aos dois criados, e neste caso o soldado atuava como guarda".

Acredito que alcancei uma resposta satisfatória. Por isso, coloquei-a aqui para mostra uma alternativa coerente para o versículo em tela.

Abraço!

João Paulo Souza