domingo, 15 de dezembro de 2013

SOBRE IGREJA E POLÍTICA


Quem acompanha minhas publicações no blog, ou quem já leu meus livros "Uma Igreja com Saúde" e "Uma Liderança com Saúde", conhece bem meu posicionamento sobre a relação "Igreja e Política".

Sou contra o extremismo da alienação que demoniza a política e os políticos, e contra o envolvimento da igreja com a corrupção política que a desmoraliza.

Sendo assim, só há duas maneiras de se sentir incomodado ou desconfortável com a minha postura e mensagem em relação ao assunto, que é vivendo uma destas realidades aqui citadas.

No demais, que a nossa vida e postura política seja para a glória de Deus!


3 comentários:

Discussão AD São Luís disse...

Caro Pr Altair Germano
Considero muito importante posicionar-se ante as demandas da sociedade - e da igreja, por extensão. O homem é político por natureza. Cabe a nós, como cristãos, nos posicionarmos pelo bem comum, sem transigirmos com os princípios cristãos que carregamos. O que é triste é ver tanta gente - líderes, inclusive -, descambando em defesas de interesses pessoais mesquinhos e em detrimento dos valores do Reino de Deus.
Na paz de Cristo
José Filho/São Luís/MA

T.Mendes disse...

Paz,
realidade em meu estado em todos os governos anteriores - igrejas sedes, nos púlpitos especificadamente, viram palanque eleitoral e nada fazem os pastores presidentes.
Mas se política é isso, "ceder" para conseguir algo em troca, não sei se é saudável a prática dentro da congregação.
2º) Pastor que é ganancioso não deve participar de eleição, certamente participará de fraudes em licitações e outros.
ter representantes até certo ponto é bom mas não dependente afinal somos cristãos e aprendemos a depender do Senhor para as coisas e se a sociedade ficará mais complexa e caótica não será surpresas profética.

Marcos Andre - Professor disse...

Também tenho essa opinião pastor, gostei, virei aqui mais vezes.
Paz.

Te convido também a visitar o CLUBE DA TEOLOGIA
http://marcosandreclubdateologia.blogspot.com.br/