quinta-feira, 22 de agosto de 2013

O CUIDADO COM A HORA DE DEIXAR O CARGO

Muito embora já tenha escrito sobre o assunto em meus livros sobre liderança cristã, sempre é bom fazer citações daqueles que agregam valor ao tema. Dessa forma, para provocar algumas reflexões, segue abaixo parte de um texto escrito por Henry & Richard Blackaby sobre a hora de deixar o cargo (passar o bastão, o volante, o cajado, etc.):

O problema de alguns líderes é que eles passam a ver sua identidade intrinsecamente ligada ao cargo que ocupam. Eles gostam do respeito e da influência inerente à condição de chefe. Como resultado, hesitam em passar o bastão para um líder mais jovem, mesmo quando se torna evidente para todos que uma mudança na organização é necessária. O líder pode tornar-se cego para a realidade de que já não é tão eficaz no desempenho de sua função. Por ter sido bem-sucedido um dia, ele acredita que ainda é o mais indicado para o trabalho. Infelizmente, o líder que age assim acaba anulando boa parte da contribuição positiva que deu à organização em seus melhores anos, porque se recusa a abrir espaço para a próxima geração de líderes. Em vez disso, ele impede o avanço do trabalho, pela relutância em deixar o caminho livre. É patético o líder que comandou heroicamente sua organização para o sucesso em anos passados, mas que há muito tempo se tornou ineficaz ao envelhecer e recusar-se a deixar o cargo. [...] Ele pode argumentar que deseja o melhor para a organização, e talvez seja verdade, mas sem dúvida também está relutante em deixar o prestígio, o poder e os benefícios financeiros advindos do cargo. O líder íntegro reconhece que já deu sua contribuição mais importante e tranquilamente passa o poder para a geração seguinte." (A Liderança eficaz: desenvolvendo líderes para novos tempos. São Paulo: Life Way CLC, 2011, p. 294-295)

Ao passar da hora de sair, o líder pode comprometer tudo o que construiu.

7 comentários:

Daladier Lima disse...

Prezado Pr. Altair, lembrei de uma entrevista que li há alguns anos com o então chefão da CNN. Ele presidia o conselho quando foi convidado a se afastar por seus subordinados. Olhou para aquelas pessoas e pensou: Se eu escolhi todos eles é porque são bons o suficiente para gerir meus negócios. Relutante, abandonou o cargo e viu sua empresa dobrar de tamanho!

Abraços!

Carlos Roberto Silva, Pr. disse...

Caro amigo e pastor Altair Germano,

Que o Senhor nos ajude nessa tomada de decisão no tempo correto.

Nota dez!

Parabéns pela postagem, necessária e pertinente!

Pr. Carlos Roberto
Point Rhema

ALTAIR GERMANO, disse...

Nobre amigo e pastor Daladier, eis um homem de visão e humilde no exemplo citado.

Abraços.

ALTAIR GERMANO, disse...

Amigo e pastor Carlos Roberto, precisamos sim da ajuda do Senhor!

Abraços.

Juber Donizete Gonçalves disse...

Prezado Pr. Altair Germano,

Muito oportuna essa postagem. Que bom seria que a nossa AD no Brasil levasse isso a sério. Está se tornando exceção, líderes que sabem a hora de passar o cajado.

Só para registrar, sua participação conosco na Escola Bíblica da COMADETRIM fui uma benção e um prazer lhe apertar a mão pessoalmente.

Abraço.

Djanicy Braga disse...

Nada mais relevante para o momento...
Mas, parece que os líderes, entre o óbvio bom senso da saída e a necessidade de poder, não hesitam pela segunda opção. Infelizmente, me parece que os líderes jovens não tem espaço diante da "tradição"...

Pastor Emerson Gomes disse...

Pastor Altair Germano

Caro amigo,considero oportuna está postagem pelo fato de vivermos dias tão difíceis e trabalhosos que se referiu o Apostolo Paulo;a onde os homens amam mais a si mesmos, do que a Deus que os criou e cuidaram deles durante todo esse tempo.

Que preferem comprometer todo o caminho que um dia percorreram...

Preferem que tudo se perca e seja sepultado com eles ao invés de entenderem que passou da hora...preciso passar o "cajado a outro".
Que o Senhor nos ajude!
Pr.Emerson Gomes