domingo, 24 de março de 2013

TENDE BOM ÂNIMO!


Tenho-vos dito isso, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo; eu venci o mundo. (Jo 16.33)

As aflições da vida são inevitáveis. O termo grego para “aflição” é thlípsis, que pode significar angústia, pressão, sobrecarga, problema, tribulação, dificuldade, calamidade. Literalmente aponta para a condição de alguém que se sente comprimido por uma carga pesada de adversidades e males.

As aflições da vida promovem desconforto emocional, mas são necessárias para o nosso crescimento como pessoas e filhos de Deus. As aflições modelam o nosso caráter, aperfeiçoam nosso ministério, nos aproximam mais do Senhor, aguçam e refinam a nossa percepção da existência, da vida e do próximo, produz a paciência.

As aflições produzem dor, lágrimas e desespero. O apóstolo Paulo chegou a afirmar que em algumas situações o sofrimento por ele vivenciado estava num nível acima do humanamente suportável (2 Co 1.8). No mesmo contexto, ele afirma que tais circunstâncias colaboraram para que não confiasse em si mesmo, e dependesse totalmente de Deus, que é capaz de ressuscitar mortos e prover grandes livramentos (2 Co 1.9-10).

As aflições da vida são suportáveis, na medida em que buscamos e recebemos o consolo do Deus de toda consolação, que nos consola em toda a nossa tribulação (1 Co 1.3-4). A consolação que recebemos nos habilita a consolar os que também passam por tribulações.

O Senhor Jesus não deseja que as aflições nos imobilizem, nos fazendo desistir de viver e de servi-lo. É possível e necessário superar o desânimo que as aflições produzem. Para isso Ele nos motiva com o seu exemplo e com as suas palavras de encorajamento: “mas tende bom ânimo; eu venci o mundo”.

Sim, Ele também sofreu, chorou e angustiou-se, mas superou e venceu todas as coisas. É nele que podemos ter a paz que excede todo o nosso entendimento, que guarda nossos corações e sentimentos (Fl 4.6-7), e é sobre ele que somos convidados a lançar toda a nossa ansiedade (1 Pe 5.7).

Tenhamos bom ânimo, Ele venceu!

Um comentário:

Elisomar disse...

Ainda bem,né? Ja pensou se tivéssemos de lutar sozinhos?
penso que eu ja teria sucumbido.