quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

PASTORES E LÍDERES, BUSQUEMOS A RECONCILIAÇÃO






Amados pastores e líderes, as ofensas que sofremos podem produzir em nós o ressentimento, a mágoa e o ódio. O antídoto para neutralizar os efeitos destes males é o perdão e a reconciliação. 

Pastores e líderes precisam exercitar o perdão e a reconciliação. Nosso orgulho, que impede muitas vezes de perdoar ou de buscar o perdão, precisa se submeter à Palavra de Deus. A vontade de Deus é o perdão e a reconciliação. 

Não há perdão e reconciliação sem iniciativa:

Portanto, se trouxeres a tua oferta ao altar e aí te lembrares de que teu irmão tem alguma coisa contra ti, deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão, e depois vem, e apresenta a tua oferta. (Mt 5.23-24)

Ofensores e ofendidos, busquemos a reconciliação. 

Deus foi ofendido por todos nós, mas ofereceu um meio que possibilitou a nossa reconciliação com Ele:

E tudo isso provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo e nos deu o ministério da reconciliação, isto é, Deus estava em Cristo reconciliando consigo o mundo, não lhe imputando os seus pecados, e pôs em nós o ministério da reconciliação. (2 Co 5.18-19)

Sigamos o exemplo do Pai celestial, e busquemos meios de oferecer a reconciliação para aqueles que nos ofenderam.

Nós que recebemos o ministério da reconciliação, precisamos nos reconciliar uns com os outros. A reconciliação que pregamos nos púlpitos precisa ser vista em nós. Quando não perdoamos ou não buscamos o perdão, alimentamos e potencializamos as guerras, rixas e contendas interpessoais, ministeriais e institucionais. 

Quem começou a contenda, ou quem ofendeu primeiro, isso não importa. O que Deus pede de nós é que nos reconciliemos, e que busquemos a paz com todos: “Segui a paz com todos [...]” (Hb 12.14). 

Pastores e líderes que se recusam a perdoar ou a se reconciliar, que guardam ressentimento, rancor e ódio, como poderão liderar,  presidir e pastorear? Que exemplo tais líderes darão? Como poderão tratar daqueles que precisam se reconciliar? Como poderão mediar conflitos entre outros líderes e entre liderados, se não conseguem tratar dos próprios conflitos, se não buscam a reconciliação? 

O perdão e a reconciliação fortalecem a unidade e a comunhão entre pastores e líderes, ao mesmo tempo em que enfraquecem o partidarismo e as facções no ministério e na igreja. 

Pastores e líderes, busquemos a reconciliação para o nosso próprio bem, para o bem da igreja, e acima de tudo, para a glória de Deus.

Nenhum comentário: