domingo, 24 de fevereiro de 2013

A FORMAÇÃO DE UM LÍDER



Muito já se escreveu sobre liderança, e com bastante propriedade. Charles Swindoll, Oswald Sanders, John Maxwell e Rick Warren, são alguns exemplos destes notáveis escritores. Contudo, entendo que nunca é demais difundir por meio da escrita os princípios que norteiam uma liderança eficaz, e que em tudo busca a glória de Deus. Pela bondade de Deus já temos duas obras publicadas sobre o tema: O Líder Cristão e o Hábito de Leitura (CPAD) e O Perfil de Sete Líderes (Arte Editorial). No livro Uma Igreja com Saúde, a segunda parte é dedicada ao tema liderança. Há um novo projeto literário já encaminhado para a editora, e enquanto escreve estas linhas penso numa nova publicação, abordando alguns aspectos da liderança que ainda não abordados nas obras anteriores, ou abordando-os de outras perspectivas. Espero em Deus, com a continuidade da publicação de posts sobre o tema liderança, poder continuar cooperando para o desenvolvimento dos atuais e futuros líderes cristãos, para o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério, para a edificação do corpo de Cristo (Ef 4.11-12).

A FORMAÇÃO DE UM LÍDER

A liderança é inata ou adquirida? As pessoas nascem já inclinadas à liderança ou aprendem a liderar? Não há unanimidade sobre a questão, mas tenho a  minha opinião sobre o assunto, e acredito fundamentar-se biblicamente. Creio, numa perspectiva bíblica, que a liderança é inata, mas que pode e deve ser desenvolvida através de vários meios e recursos. 

Ao afirmar que a liderança é inata, declaro que Deus decide em sua soberania e graça os que serão líderes, ou seja, eles já nascem com as caraterísticas próprias de um líder, vocacionados para a liderança, precisando apenas desenvolver estas habilidades e vocação. No Reino de Deus os líderes não são forjados em instituições acadêmicas, através de cursos e treinamentos específicos, ou de qualquer outro meio, pois tais recursos servem apenas para aperfeiçoar aqueles que já são vocacionados para a liderança, em seus vários níveis e segmentos.

A soberania de Deus na vocação de líderes é comprovada claramente na Bíblia, através vida daqueles que foram chamados para liderar. Adão foi criado e estabelecido por Deus como o primeiro líder dentre os homens. A ele foi delegada a responsabilidade de lavrar e guardar o jardim do Éden (Gn 2.15). O termo hebraico para “guardar” é shamar, que pode ser traduzido por proteger, cuidar, preservar, que são características próprias de um líder. Na condição de líder, coube a Adão a responsabilidade de dar nomes às aves e os animais (Gn 2.19-20), e também a sua mulher (Gn 3.20). Quando a mulher comeu do fruto da árvore que estava no meio do jardim, desobedecendo às ordens de Deus, para em seguida dar ao seu marido, Adão foi responsabilizado por isso, pois era o líder no Éden (Gn 3.9-19).

A soberania de Deus na escolha de líderes é claramente evidenciada na vida de Noé (Gn 6.13-22), Abraão (Gn 12.1-4),  Isaque (Gn 17.19); Jacó (Gn 25.23; 28.10-15); José (Gn 37.5-11; 41.38-44), Moisés (Êx 3.1-10), Josué (Js 1.1-9), Gideão (Jz 6.11-16), Davi (1 Sm 15.28; 16.1-13); Jeremias (1.4-10), Neemias (Ne 2.4-12); Pedro, André, Tiago e João (Mt 4.18-22), e de Paulo (At 9.11-16; Gl 1.15; 1 Tm 1.12-16; 2 Tm 1.8-11). Estes servos de Deus desenvolveram suas lideranças através do aprendizado que a vida oferece, mas já nasceram vocacionados por Deus, e com  características inatas, próprias dos verdadeiros líderes. 

LIDERANÇA É INFLUÊNCIA

A verdadeira liderança não se fundamenta na força do cargo que alguém ocupa. O líder autêntico é seguido por aquilo que ele é, pela confiança que passa, pela credibilidade que possui, pelas habilidades demonstradas, pela maneira como trata e considera as pessoas, e não por títulos ou posições hierárquicas que venha a conquistar.

Ninguém é líder sem seguidores voluntários, que decidiram seguir apenas pela força de atração do líder, por sua capacidade de influenciar. 

A verdadeira liderança não se fundamenta nas qualidades carismáticas. A verdadeira liderança se estabelece pela força do caráter. Há muitos líderes carismáticos, mas sem caráter. A liderança que tenta se estabelecer apenas sobre o carisma logo ruirá. O caráter é a força que dá sustentação ao líder. A verdadeira liderança necessita do elemento credibilidade, e não há credibilidade sem caráter, sem integridade.

Um chefe, gerente, presidente ou diretor, pode passar muito tempo no comando de uma instituição ou organização, pois há vários artifícios e mecanismos capazes de mantê-lo ali. Um líder, só conseguirá manter-se na condição de líder através do exemplo positivo, de uma vida inspiradora, da conquista e manutenção da confiança, do poder da influência. 

Conheço vários chefes que não são líderes, nunca foram e nunca serão. Falo de gente que compra gente e que manipula situações para conquistar ou manter-se no cargo. O verdadeiro líder é escolhido por Deus e reconhecido pelo povo. O verdadeiro líder busca o bem do povo e a glória de Deus.

Antes de avançar no propósito de liderar o povo de Deus, de desenvolver-se como líder, busque a certeza em Deus de vossa vocação à liderança. A liderança cristã é para os vocacionados, para os chamados, para os escolhidos por Ele, mediante sua soberania e graça (Mt 20.23; Mc 3.13-14; Hb 5.4).

Nenhum comentário: