terça-feira, 4 de setembro de 2012

A LIDERANÇA EVANGÉLICA BRASILEIRA E A AREIA MOVEDIÇA DA POLÍTICA SECULAR

O envolvimento direto de pastores e outros líderes com a política secular, atividade no Brasil marcada pela corrupção, pela trapaça, pela traição e outros males, é como cair em areia movediça, ou seja, quanto mais ativismo, mais se afunda, e quando se consegue sair, geralmente sai sujo, manchado e marcado.

Dessa maneira, na grande maioria dos casos, o melhor a fazer é não se envolver, nem envolver a igreja, que na maioria das vezes é contra tal envolvimento, mas não é ouvida, nem considerada.

A política secular na igreja divide pastores, líderes e membros, promovendo facções, porfias, inimizades e partidarismo.

A política secular não apenas divide, mas une também. As uniões são as mais bizarras possíveis, ao ponto de inimigos políticos se aliarem. As ideologias caem por terra, os valores são pisados, as contradições são escandalosas.

Só quem de fato não quer ver, é que não perceber isso.

Sinceramente, não consigo acreditar no que contemplo a cada pleito, e na repetição cada vez mais grave dos mesmos erros.

Nobres pastores e amigos, em nome de Jesus, façam o que o Senhor da Igreja vos chamou a fazer. Cuidem do rebanho, e não se envolvam com aquilo que não edifica.

Cuidado com a areia movediça da política secular.

A igreja está olhando para nós!

4 comentários:

Rogerio Brum disse...

Meu Pastor, nós precisamos no minímo orar para que esta situação mude, Deus pode chamar homens integors para pastorear e homens justos para governar, é hora de orar!!!

ALTAIR GERMANO, disse...

Amado Rogério, é tempo de orar e denunciar as mazelas.

Abraços!

João Paulo M. de Souza disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Nilson Queirós disse...

É lamentável que mesmo com todas as demonstrações de prejuízo a igreja muitos líderes não consigam enxergar que igreja e política tenha uma relação complexa, precisando de análise máxima sobre o envolvimento de ambas, mas ponderemos que muitos fazem vista grossa justamentos por conta dos benefícios pessoais que isso pode proporcionar, logo ovelhas seram apenas as próximas vítimas do matadouro eclesiártico eleitoral.