terça-feira, 10 de abril de 2012

ORDENAÇÃO DE MULHERES NAS ASSEMBLEIAS DE DEUS NO BRASIL: FORTALECIMENTO DA ORTODOXIA BÍBLICA OU RENDIÇÃO AO LIBERALISMO TEOLÓGICO?


Amados leitores, tendo em vista os últimos fatos relacionados à ordenação de mulheres realizada por uma convenção de ministros filiada à Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil – CGADB, publicarei neste blog uma série de estudos com o tema Ordenação de Mulheres nas Assembleias de Deus no Brasil: Fortalecimento da ortodoxia bíblica ou rendição ao liberalismo teológico?”.

Desde já conto com as vossas orações.

12 comentários:

Sergiano Reis - EBDicas disse...

Que bom Pr. Altair.
Será muito bom com certeza.

tadeu disse...

A Paz do Senhor! Em minha opinião, é rendição ao liberalismo. Não se questiona a competência das mulheres em diversas áreas. No vídeo, o pastor do DF destacou que as mulheres tem sido eficientes nos governos de diversas instituições; isso é verdade. Entretanto, NÃO EXISTE Nenhum texto, nem no A.T e N.T, que autorize a ordenação de: Sacerdotizas,anciãns, apóstolas, pastoras, evangelistas, presbíteras. Na Antiga e Nova haviam profetisas, mas existe uma parêntese. Os profetas eram chamados; os sacerdotes, ordenados. As filhas de Filipe profetizavam, mas filipe era "ordenado" evangelista. Portanto, a ordenação de pastoras é uma reinterpretação das Escrituras baseada na cultura, no subjetivismo, na "achologia" e não na ORTODOXIA.

klebersantos disse...

A Paz do Senhor Jesus Pastor Altair!
Olha Pr.Altair, sinceramente eu não sei o que vai ser no futuro se essa decisão for adotada pela CGADB. o seu artigo anteriormente foi esclarecedor, porém eu vejo que é muito delicado esse assunto. É preciso ser analisado com cuidado. porque?, se já são ordenados alguns homens que na maioria dos casos eles nem se enquadram no perfil de um obreiro aprovado, imagine por exemplo como vai ser a ordenação das mulheres dos pastores. Não quero dizer com isso que não tenha mulheres que são bem mais estruída do quê certos homens não.
No meu ponto de vista, pode ocorrer uma banalização nas consagrações das mulheres. Pastor Altair!, já estar banalizado essa consagração em algumas igrejas pelo Brasil afora (...)é MÃEPOSTOLA ,BISPA FULANA ,PROFETIZA FULANA.....

É só o meu pensamento pastor Altair (...),com muito respeito.

Um Abraço meu Pastor!
Em Cristo Jesus
Kleber Santos

Xavier Campos Joaquim disse...

Estaremos esperando ansiosos.
Graça e paz!

Rosana disse...

A Paz do senhor pastor! Já estamos orando, tenho certeza que Deus te usará com muita autoridade, pois, já passou da hora das mulheres somarem suas forças nesta jornada, fazendo a diferença neste novo tempo , pois as mulheres são dotadas de vários talentos, que podem completar e somar esta obra grandiosa do nosso Deus! Abraços das irmãs de Araçatuba!
Graça e Paz!
Rosana Costa

Vandim disse...

Oro para que permaneça na ortodoxia bíblica e histórica. No Antigo Testamento mulheres eram profetizas, mas não oficiavam sacrifícios no período patriarcal nem serviam como sacerdotisas. Na igreja no Novo Testamento elas serviam em diversos ministérios, mas não como presbiteras-pastoras-bispas. Na História da igreja elas serviram como Diaconisas, Missionárias e na liderança Ordens Religiosas e Sociedades de Mulheres, mas não participaram dos ofícios de autoridade da igreja. Por isso entendo que a ordenação de mulheres como pastoras é uma ruptura com o cristianismo bíblico e histórico, pois o termo pastor significa tanto cuidado como autoridade.

ETERNYZANTE disse...

SEM RESPALDO BIBLICO !!! ENTÃO QUAL SERIA A POSTURA DO "PASTOR","LIDER"?
"SE" FOSSE PREZADA AS ESCRITURAS DIRIAM:
FORA DE COGITAÇÃO..!!!!

MAS COMO VIVEMOS EM TEMPOS DE DESVIOS DOUTRINARIOS E ANATEMAS...

É DE SE ESPERAR ISSO...E MUUUITO MAIS AINDA!!!

Maravilho-me de que tão depressa passásseis daquele que vos chamou à graça de Cristo para OUTRO EVANGELHO;
O qual não é outro, mas há alguns que vos inquietam e querem TRANSTORNAR O EVANGELHO DE CRISTO.
Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja ANATEMA.
Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja ANATEMA.
Porque, persuado eu agora a homens ou a Deus? ou procuro agradar a homens? Se estivesse ainda agradando aos homens, não seria servo de Cristo.
Gálatas 1:6-10

SOLI DEO GLORIA....SOLA SCRIPTURA

RUTH ROSSINI

Eliseu Antonio Gomes disse...

Caro Pastor Altair.

Sou paulista, paulistano. Porém, a minha origem também está em Pernambuco. O pai é de Jaboatão dos Guararapes e a mãe de Recife.

E por este detalhe, tive a oportunidade de conhecer uma senhora, que no começo de 2012 partiu para a glória perto dos 90 anos. Chamava-se Percides. Era amiga dos meus pais, me viu crescer. Ela também era pernambucana. Gostava de visitar minha casa, moro perto do templo, então, aos domingos chegava quase três horas antes do culto iniciar para conversar, tomar refrigerante ou cafezinho. Eu, acompanhado da minha esposa, ficava na sala conversando muito sobre a Assembleia de Deus das décadas de 1940/50, época em que ela era jovem e morava no nordeste. Segundo ela, uma época de milagres e conversões impactantes.

A irmã Percides dizia que evangelizava muito, abria pontos de pregações em locais que não haviam chegado nenhuma missão assembleiana. Seu ministério começava ao ar livre, até alguém se converter e ceder a casa para cultos, e ali o número de membros crescia. Ela pregava, cantava, visitava enfermos e orava por eles e eram curados. Praticamente, tudo funcionava por ministério feminino, sendo ela a líder. Dia que quando o ponto de pregação prosperava, chegavam os pastores e o local era oficializado como uma congregação da Assembleia de Deus. Então, ela começava tudo outra vez, do zero... E foi assim até que viesse com o marido para São Paulo.

Aqui na capital paulista, por muitos anos ele ocupou o posto de dirigente de Círculo de Oração e de professora de escola dominical. Gostava de evangelizar as pessoas mais duras de coração, como os ateus. Os convertidos tinham sua atenção, ela fazia discipulado dos neófitos com paciência e longanimidade. Por intermédio da dedicação dela em consagrar-se ao Senhor, os sinais do poder de Deus a seguiram. Sou testemunha ocular de pessoas abençoadas através do ministério cristão exercido por ela.

A irmã Percides, que era alguém que amava as almas com bastante intensidade, era extrovertida, falante, de riso largo. Era casada com um homem de pouca conversa, porém cristão exemplar. Ele a apoiava em seus trabalhos da igreja. Ela nunca reivindicou o título eclesiástico, mas tenho a convicção que era uma pastora, pois sentia enorme satisfação em cuidar bem das ovelhas de Cristo.

Quem é contra mulheres no pastorado, não cogita que Deus nos dá o livre arbítrio. Note outras questões, como a escravatura. Existiam escravos na época da Igreja Primitiva e não há nenhum texto neotestamentário condenando essa questão. Pelo contrário, Paulo recomenda ao escravo Onésimo, aparentemente foragido, que retorne ao seu “dono”, Filemon. Por conta dessa passagem, por muitos anos muitos cristãos defenderam atividades escravagistas, como se elas tivessem o aval de Deus. Tanto Paulo como Pedro, nunca pediram alforria de escravos, apenas que os seus “senhores” os tratassem bem. O cerne da questão é que não há apoio bíblico para escravizar o ser humano, apenas o relato da situação aviltante existente nos tempos dos apóstolos.

Voltando para o assunto do pastorado feminino: não existe um só texto bíblico condenando o pastorado da mulher. Se o Espírito não quisesse mulheres pastoreando, não existiria gente crente como a irmã Percides. O vento sopra forte por meio de mulheres!

Penso que a mentalidade de quem proíbe mulheres pastoreando se equivoca com a função ministerial. Ser ministro significa ser aquele que serve, não é posto para ser servido. As mulheres são servidoras natas, é natural a elas serem assim.

Termino dizendo que sou partidário daqueles que pensam que uma mulher deve receber o título de pastora. Pessoas, como a irmã Percides, não deveriam ser vítimas do machismo por homens que se consideram servos do Deus que não discrimina ninguém.

Abraço.

E.A.G.
http://belverede.blogspot.com/

Valdomiro Filho disse...

Eliseu, Paz!

Entendo teu ponto de vista, mas devemos reconhecer que houveram outra mulheres de destaque também nas Escrituras, mas não havia nenhum sentimento de preterização nem da parte dos "cabeças" e nem da parte delas no fato de elas não serem pastoras, bispas ou coisas do gênero: "Vinde e vede um homem que me disse tudo quanto tenho feito. Porventura não é esse o Cristo?" (Aquela mulher simplesmente evangelizou).
O fato de haver escravos na época de Paulo e Pedro, apenas prova que CRISTIANISMO não é religião nem política, mas modo de vida: "Não já como escravo, antes, mais do que escravo, como irmão amado, particularmente de mim, e quanto mais de ti, assim na carne como no Senhor".
Acredito que quanto mais próximos estivermos das práticas e concepções cristãs do primeiro século, melhores cristãos seremos.

Vandim disse...

Eu participo de uma igreja local que foi plantada com os perseverantes esforços de uma missionária. Ela msm nunca quis ser pastora, apesar de ter formação teológica e ser em tempo integral, pois conhecia os ensinos bíblicos sobre a liderança masculina na família e na igreja. Existe uma diferença entre ministério feminino e pastorado feminino. Quanto a escravos, eles existiam, mas não temos nenhuma restrição à participação deles na igreja. Onde está escrito algo do tipo: “E não permito que escravo ensine, nem exerça autoridade de homem livre; esteja, porém, em silêncio”??????? (1 Timóteo 2:12).

jailson disse...

caros irmãos,a bíblia reconhece o trabalho das irmãs que, diga-se de passagem, está nos evangelhos e nas cartas doutrinárias, más, em nenhum lugar da bíblia se vê a ordenação delas! e a meu vê, esse é o assunto!portanto sejamos honestos:ordenar pastoras é liberalísmo teológico.

jailson disse...

caros irmãos,o assunto é: ordenação de pastoras, e não o reconhecimento do trabalho feminino;essa convenção que aderiu à essa prática, a muito vem demonstrando que teológicamente é liberal, os fatos por si provam.isso é apenas uma consequencia!