domingo, 12 de fevereiro de 2012

QUEBRANDO PARADIGMAS DA PREGAÇÃO PENTECOSTAL CONTEMPORÂNEA

Em todas as épocas a exposição bíblica sofreu influência do seu contexto imediato. Quando Jesus ensinava nas sinagogas seguia o modelo e o estilo vigentes (Lc 4.16.21). Não foi diferente com Pedro no dia de Pentecostes (At 2.1-36), com Paulo em Atenas (At 17.2231), nem com qualquer outro grande pregador da história da igreja.

Não há nada de errado no fato de pregadores adotarem um estilo contemporâneo no ato de expor a Palavra, desde que o referente estilo não fira alguns princípios ministeriais, espirituais, éticos e morais da vida cristã.

O meu desejo é que este texto promova algumas reflexões e transformações sobre a crise na pregação vivenciada no seio do pentecostalismo brasileiro, de forma mais especifica, nas Assembleias de Deus no Brasil, a maior denominação pentecostal de nosso país.

DIRETO AO PONTO: OS SINTOMAS

Passarei a narrar experiências vividas que me provocaram, e que ainda me provocam algumas preocupações com a formação de uma nova geração de pregadores.

Cheguei para ministrar numa Escola Bíblica de Obreiros numa cidade do interior de São Paulo, e logo fui conduzido ao hotel por um obreiro que cuidaria de meu traslado. Ao buscar-me para o culto, aquele obreiro perguntou-me se as instalações estavam boas. Respondi que sim, e que não tinha nada que reclamar. Para minha surpresa, aquele obreiro informou-me que ao conduzir certo pregador para o mesmo hotel onde fiquei, foi indagado pelo mesmo se era naquela “espelunca” que ficaria hospedado. O hotel, onde frequentemente os pregadores e mestres ficam hospedados, podem acreditar, oferece as condições necessárias para trabalho e repouso.

Numa outra igreja, quando retornava do evento para o aeroporto, o obreiro que me dava assistência perguntou-me se a oferta que recebi estava a contento, o que de pronto respondi que sim. Deus conhecia as minhas necessidades e as condições da igreja que me convidara. Diante de minha resposta fui informado que ao receber igual oferta, um outro preletor afirmou que a mesma não condizia com o sua “estirpe”, estando muito abaixo do seu “nível”.

Aqui em Pernambuco, um pregador já costumeiramente convidado por certa igreja, sempre adotou, e ainda adota uma postura arrogante, e por que não dizer profissional. Sempre com um mau humor crônico, o referido pregador costuma tratar com indiferença os irmãos que lhe dão assistência, onde nem um “muito obrigado” sobra para os mesmos. Geralmente, após terminar o seu compromisso, vai embora com a mesma arrogância que sempre chega. Ao ser questionado certa vez sobre a postura deste pregador, o pastor que sempre o convida respondeu: - isso é negócio de pregador, não devemos nos importar! É claro que não concordei esta afirmativa. Para mim, caráter e carisma devem andar juntos. Não pode haver dicotomia entre a vida do pregador e do mestre no púlpito, de sua vida fora dele.

Estive em Alagoas faz pouco tempo, e o pastor de um campo me disse que ao convidar um preletor para um congresso de jovens, o tal preletor lhe perguntou se a mensagem seria do tipo avivada, se era para pregar sobre batismo com o Espírito Santo, sobre cura, etc., pois o “cachê” que cobraria dependeria daquilo que o pastor desejaria para o congresso.

Recebi certa vez a ligação de um pregador, que me pediu informações sobre a igreja em que pregaria. Ele queria saber se a mesma era do tipo “avivada” ou do tipo “reflexiva”. Quando questionei sobre o motivo de estar querendo tais informações, o pregador me disse que era para adequar o seu estilo de pregação com o da igreja, pois desta forma garantiria novas agendas e o seu retorno naquele lugar.

Depois de pregar para um grande e “seleto” público, ao sentar-se do meu lado, o preletor me perguntou: - Fui bem? Fiquei a pensar no sentido de sua pergunta, e entendi que o que ele queria saber era sobre a sua performance, e não sobre a eficácia da mensagem pregada.

OS PARADIGMAS EQUIVOCADOS DA PREGAÇÃO PENTECOSTAL ASSEMBLEIANA CONTEMPORÂNEA

Diante dos relatos aqui citados, e de outros que poderiam ser aqui expostos, temos a clareza de que os paradigmas que norteiam boa parte da pregação e do ensino pentecostal na atualidade estão fundamentos nos seguintes pressupostos:

- No profissionalismo ministerial. Para muitos pregadores e ensinadores o que importa é “dar o recado” e receber o pagamento por isso.

- No estrelismo ministerial. Nunca o desejo pela fama foi tão buscado por pregadores e ensinadores. O princípio do “importa que Ele (Jesus) cresça e que eu diminua” nunca foi tão negligenciado.

- No exibicionismo ministerial. A performance, ou o desempenho artístico na pregação contemporânea, com todos os seus “truques” de oratória, deixaria envergonhado o mais notável sofista (mestre na arte de persuadir por meio da palavra oralizada).

- No mecanicismo ministerial. Há pregadores e ensinadores tão mecanizados em seus ministérios, que não oram mais pela iluminação do Espírito sobre os seus estudos e preparo de mensagens. Contentam-se com alimentos enlatados e congelados, que de acordo com a conveniência são abertos e aquecidos nos fornos de microondas da razão, das técnicas e do cinismo na pregação e no ensino da Palavra.

A LIDERANÇA PENTECOSTAL ASSEMBLEIANA DIANTE DOS PARADIGMAS EQUIVOCADOS DA PREGAÇÃO PENTECOSTAL CONTEMPORÂNEA

Esta é a parte mais delicada deste breve texto, pois nada disto estaria acontecendo, e com tanta frequência (pois eliminar totalmente tais paradigmas é algo praticamente impossível), se não fosse pela conivência de alguns pastores e líderes pentecostais assembleianos da atualidade.

Quando confrontados com esta realidade, para tentar justificar a gravidade de suas ações, alegam somente se rendendo aos paradigmas aqui expostos é que conseguem manter os “cultos” atrativos e a “casa cheia”, e com isso levantar boas ofertas para pagar os altos aluguéis e compromissos da igreja. Fico assombrado com argumentações deste tipo.

Tenho perguntado em algumas Escolas Bíblicas para Obreiros, e também em conversas pessoais, que tipo de pregadores e ensinadores queremos formar nas novas gerações. Se quisermos resgatar a pregação e o ensino bíblicos, se desejarmos formar pregadores e ensinadores que em tudo glorifiquem a Deus é preciso uma tomada de consciência que promova uma mudança de paradigmas, e que consequentemente produza uma nova atitude diante da realidade nua e crua aqui exposta.

Qual o legado e herança que estamos deixando para os nossos jovens obreiros?

Qual o futuro que estamos traçando para as Assembleias de Deus no Brasil?

Como a presente geração de obreiros pentecostais assembleianos será lembrada na história?

Permaneceremos ignorando os nossos desvios da Palavra quanto à pregação e ensino, ou para ela nos voltaremos urgentemente e arrependidos?

Manteremos o silêncio “oficial” total ou parcial sobre tais questões, ou assumiremos de fato a nossa responsabilidade institucional, que em nada deve ser desassociada de nossa responsabilidade ministerial, espiritual, ética e moral?

Romperemos com os paradigmas que prevalecem hoje na pregação e no ensino pentecostal assembleiano, ou seremos seus perpetuadores?

A decisão nos pertence, e precisa ser tomada agora!

9 comentários:

Jailson Ferreira disse...

Pr. Altair, tenho acompanhado seu blog, e seu o quanto Deus te usa. Concordo com sua pregação, tbm vejo que líderes preocupados deveriam nortear seus obreiros quando da iniciação como futuros pregadores, voltando ensino expecífico para os mesmo. Seria uma tratativa para esse mal abrangente em nosso meio. Visite meu blog: jailson-ferreira.blogspot.com >>A PAZ DO SENHOR<< Mossoró-RN

wellington disse...

A paz do Senhor pastor Altair, penso realmente que muito do que está acontecendo tem boa doze de sua culpa nos pastores que convidam tais pregadores. Este pregadores são verdadeiros mercenários, hipócritas, vendedores de mensagens que não estão preocupados com os crentes,e sim, com suas contas. O que muita das vezes me deixa triste é saber o dinheiro que foi gasto com estes falsos mestres poderia ser direcionado aos pobres de nossas igrejas, ou mesmo na reciclagem de nosso professores de EDBs eu como superintendente que sou fico super chateado com isto. O pior é muitas igrejas só vivem deste tipo de trabalhos contratando os que se dizem "avivalistas" que eu pensava que era o Espírito Santo.

Newton Carpintero, pr. e servo disse...

Prezamado pr. altair Germano,

A paz amado!

Necessitamos com o máximo de urgência, iniciar um processo de evangelismo aos responsáveis ou líderes das Assembléias de Deus.

É triste verificarmos na internet o que passa bem a frente de nossos olhos como algo comum e proveniente de Deus.

A covardia, extrapolou e muitos mantém sua bocas fechadas como se fosse um túmulo.

Nunca se verificou a tanta exquisitice com o nome de poder, e pior, muitos dos que profanam a igreja são velhos conhecidos que eram mestres. Triste!

Voltemos ao correto. Parabéns por sua matéria. Quem tem ouvidos ouça!

O Senhor seja a tua força!

O menor de todos os menores. Um Tradicional Pentecostal.

CRISTO BREVE VOLTARÁ disse...

Pastor Altair, a paz do Senhor.

Sei o quanto é urgente os líderes olharem com amor para o futuro da obra de Deus, pois o que vemos na atualidade é essa realidade citada nessa matéria nua e crua.
O fato é: Dizem eles: Esta tudo bem! Sabe porque? Estão fazendo do ministério, um cargo profissional, e parece-me sentirem-se ameaçados com os obreiros que poderiam formar, até porque os mesmos teriam as mesmas caracteristas de seus formadores, pois certamente ensinariam aos seus dicípulos aquilo que eles mesmos praticam....
Como pode por exemplo, um obreiro fracassado formar obreiros vencedores? Nós vemos nos nossoa pulpitos cópias de líderes, sem experiências, exaltados, e fadados ao fracasso como seus discipuladores.
Tudo começa da líderança, pois líderes quem tem compromisso com a obra de Deus, se preocupa com o futuro da obra, quem vai sussede-lo,na sua ausência que assumeria e etc.

Pb. João Pedro - Carpina - PE

Pr. Alessandro Garcia disse...

A paz do Senhor.

É lamentável esta triste realidade. Há muitas razões para que isto aconteça. Primeiro, porque há uma permissão e incentivo por parte de alguns pastores. Segundo, porque muitos pastores não pregam a Palavra dos seus pulpitos e por isso têem que viver às custas destes lobos devoradores.
O pastor que busca em Deus a mensagem para o rebanho e se dedica naquilo que faz, não precisa ceder à pressão do povão para convidar esses mercenários da fé, pois tem a mensagem de Deus para o seu povo. Sou pastor e nunca acertei nenhum cachê com nenhum pregador para vir em nossa igreja. Todas as ofertas que damos são voluntárias e de acordo com a nossa realidade ministerial. Deus honra o obreiro que se compromete em pregar a palavra de Deus com precisão e unção. No dia em que houver esta compreensão, esse profissionalismo cessará, pois não haverá mais espaço para eles. As igreja serão alimentadas pelos seus próprios pastores e quando for convidado algum pregador de fora, este virá por amor à obra e compromisso em pregar a Palavra e alimentar o rebanho.

Obede da Silva Alves disse...

PASTOR ALTAIR GERMANO A PAZ DO SENHOR!

CONCORDO COM O SENHOR ESTAMOS PRECISANDO DE VERDADES COMO ESSAS SOU PROFESSOR DE EBD A 19 ANOS E SOU PENTECOSTAL GRAÇAS A DEUS, MAS A VERDADE É QUE A ASSEMBLEIA DE DEUS OU SEJA OS LIDERES MAIORES TEM PERDIDO O RUMO POR QUE DEIXARAM A DIREÇÃO DO ESPIRITO SANTO DE DEUS E ABRIRAM AS PORTAS E ENTREGARAM OS SEUS PUPITOS PARA ESSES PROFISSIONAIS. NA MAIORIA DE NOSSA IGREJAS NO CULTO EM QUE NÃO SE ESCUTA UM RECEBA, OU QUE NÃO TENHA ASSIANTURA DE DOCUMENTO, ENTRGA DE CHAVE OU UMA ANJO PASSEANDO TEM MUITOS QUE DIZEM QUE O CULTO FOI FRIO. COBRA-SE UM ABSURDO PARA PREGAR UMA HORA E MEIA. ESTAVA VENDO AS CONDIÇÕES QUE UM DOS "GRANDES" PREGADORES DO NOSSO PAIS PARA ATENDER UM CONVITE: VOCE TEM QUE DEPOSITAR PELO MENOS 20% DO VALOR ACERTADO A PASSAGEM TEM QUE SER DO LUGAR QUE ELE ESTIVER E SE CASO NÃO DER PARA CUMPRIR O COMPROMISSO VOCE PERDE OS 20% QUE VOCE DEPOSITOU É ESSA REALIDADE QUE VIVEMOS. MAS PODEMOS SIM FAZER A DIFERENÇA ALERTANDO O NOSSO POVO CONTRA ESSES ASSALTANTES. NÃO SOU LOUCO DE NÃO RECONHECER QUE UM PREGADOR QUE CONVIDAMOS TIRAMOS ELE DO SEU SOSSEGO NÃO SEJA DIGNO DE UM LUGAR DECENTE PARA FICAR , TEMOS QUE ARCAR COM DESPESSAS DE VIAGEM SIM E É NOSSO DEVER DOARMOS UMA OFERTA DE AMOR PARA AJUDARMOS A SE MANTER A SERVIÇO DA OBRA DO SENHOR, MAS O QUE TEMOS VISTO É UM ABSURDO TREMENDO. MEU AMADO DOU GRAÇAS A DEUS POR QUE VEJO QUE DEUS TEM UM REMANESCENTE FIEL DEFENDENDO A SÃ DOUTRINA AINDA EXISTE UM EXERCITO QUE NÃO SE CORROMPEU E NEM SE VENDEU QUE MUITAS VEZES É SUFOCADO QUEREM IMPEDIR DELES FALAREM MAS A DEFESSA DA VERDADEIRA FÉ VAI SENDO FEITA UNES FALAM MAIS ALTO OUTROS FALAM EM TOM MAIS BAIXO MAS VAMOS FAZENDO A PROPAGAÇÃO DO EVANGELHO GENUÍNO ATÉ A VOLTA DO SENHOR JESUS . A PAZ DO SENHOR

Pr. Jose Santana disse...

A Paz do Senhor estimado pastor.
Verdadeiramente és usado por Deus, para trazer sentimentos reflexivos, no meio assembleiano e das demais denominações que estiverem infectadas, pelo vírus do modernismo irresponsável e interesseiro. O que estão ensinando nas doutrinas e nas EBs neste Brasil afora? Com quais exemplos estão forjando os futuros obreiros? Qual a bigorna utilizada? É a da Palavra meditada e orada ou do imediatismo dos DVDs ? Existe uma classe lembrada fora de tempo e outra esquecida fora de hora. Uma certa ocasião ouvi um líder, que se achava sábio e poderoso, dizer na forma eloquente no discurso da sua posse, a seguinte frase: "Não se preoculpem tratarei todos por igual, serei transparente e nenhum de vocês serão descartáveis como um copo qualquer", passaram-se os anos e a memória desse sábio foi engodada pela sede do poder, assim tantos outros líderes, estão pondo em derrocada conceitos assembleianos sadios, benéficos para a comunidade cristã, em virtude de consagrarem obreiros imaturos, gritadores, distribuidores de promessas, vazios na concepção divina. Qual o motivo de concebermos a idéia de que os líderes são culpados? Devido a conivência, se tivessem cortado o mal no início, o estrago seria menor e o conserto menos trabalhoso, mas não, o que vemos são elogios e convites para os animadores de púlpitos, desprezando-se até os pioneiros, salvo os que de uma forma ou de outra, sejam úteis ao grupo dominante, esta é a minha realidade até seja provado o contrário. Saudações. Pr. José Santana.

Jônatas O. D. disse...

Olá Pastor Altair Germano, meu nome é Jônatas, gostaria de iniciar meu discurso lhe dando meus parabéns pela vossa coragem em discursar contra as bizarrices do meio assembleiano. Diante das tais, às vezes me pergunto, para onde vai nossa amada Assembléia de Deus?!
Concordo com o Pastor Newton Carpintero, quando diz que isto tudo é fruto da COVARDIA daqueles que vêem o erro, e ainda assim estão se prostituindo, por mero conformismo ou medo de retaliações.
Fico muito preocupado com tais coisas e peço que a Força do Senhor nos revista, para que possamos combater tais desvios da sagrada escritura.
Muitos hoje, estão tão viciados com esta "porcaria de comida estragada" dos pseudo-pregadores, que já estão rejeitando o verdadeiro alimento da Exposição Bíblica Pura e Genuína!
Hoje em dia "bom pregador" não prega a palavra, "bom pregador", usa jargões heréticos, dá golpe de Kung Fu, sobe pelas paredes, fala mais linguas estranhas(com certeza sem interpretação) do que a própria língua dos ouvintes, conta anedotas, faz de tudo! SÓ NÃO PREGA A PALAVRA DE DEUS! Vivemos um tempo semelhante ao dos profetas do pré-exílio; denunciamos o erro e conclamamos o povo ao arrependimento e ainda somos chamados de traidores e até mesmo de agentes de satanás!
Que o Senhor Deus possa continuar lhe abençoando grandemente, para que continue escrevendo texto como estes, que nos despertam para a verdadeira Palavra de Deus!

Estarei orando pelo senhor!

A Paz do Senhor Jesus Cristo!

Jônatas O. Duarte

Livro Cristão disse...

QUE DEUS TE ABENCOE SEMPRE AMADO E SIGA EM FRENTE NO QUE DEUS TEM PARA TI EU SEU IRMAO EM CRISTO JOAO CARLOS DA COMUNIDADE CRISTA DE SAO PEDRO