sábado, 28 de janeiro de 2012

O CONTÍNUO CRESCIMENTO MINISTERIAL DO OBREIRO

Crescer continuamente é uma prerrogativa indispensável para a continuidade da relevância do ministério cristão. Pastores, mestres, pregadores e todos aqueles que desenvolvem um ministério na igreja precisam estar conscientes desta necessidade.

O processo de crescimento ministerial do obreiro se inicia com a sua chamada:

E disse-lhes: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens. (Mt 4.19, ARA)

Mas o Senhor lhe disse: Vai, porque este é para mim um instrumento escolhido para levar o meu nome perante os gentios e reis, bem como perante os filhos de Israel; (At 9.15)

O crescimento ministerial dos Doze se deu através da capacitação sobrenatural (Mt 10.1; Lc 24.49; At 1.5, 8), do ensino (Mt 16.13-28 ss) e do treinamento (Mt 10.5-42; Mc 6.7-11; Lc 9.1-5).

Com a sua partida se aproximando, o Mestre deixou claro que o crescimento ministerial dos seus discípulos continuaria através do ensino advindo do Espírito Santo:

Isto vos tenho dito, estando ainda convosco; mas o Consolador, o Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará todas as coisas e vos fará lembrar de tudo que vos tenho dito. (Jo 14.25-26, ARA)

Paulo, escrevendo a Timóteo, destaca a importância do aproveitamento, progresso e avanço ministerial (gr. prokotê) do obreiro, que deve ser visível, notório, conhecido, manifesto a todos (gr. phanera):

Não te faças negligente para com o dom que há em ti, o qual foi concedido mediante profecia, com a imposição das mãos do presbitério. Medita estas coisas e nelas sê diligente, para que o teu progresso a todos seja manifesto. (1 Tm 4.14-15, ARA)

O crescimento ministerial do obreiro acontece na medida em que ele observa, estuda e trabalha.

O obreiro aprende e cresce continuamente enquanto observa como as coisas são feitas pelos outros, principalmente pelos mais antigos e experientes, sempre considerando a necessidade de contextualizar os processos, métodos, etc. A essência permanece, as aparências mudam. O princípio é imutável, as formas são alteráveis.

O obreiro aprende e cresce continuamente mediante os seus estudos. O estudo do obreiro envolve tanto os aspectos bíblicos, quanto os de conhecimentos gerais. Dentro das possibilidades, e buscando extrair o máximo de si mesmo, o obreiro deve crescer em conhecimento. O estudo do obreiro pode acontecer informalmente através do desenvolvimento do hábito da leitura (da Bíblia e de outros livros devidamente selecionados), da participação em escolas bíblicas, em treinamentos para liderança, seminários, conferências, etc. O autodidatismo não deve ser uma regra, mas uma exceção para o obreiro. O estudo do obreiro pode acontecer formalmente através do seu ingresso em instituições escolares, seminários, faculdades, universidades, etc. O conhecimento teológico e geral obtido nos cursos formais (institucionais, sistematizados, organizados, oficiais, livres, etc.) é de uma riqueza singular para o crescimento ministerial do obreiro.

O obreiro aprende e cresce continuamente enquanto faz. Por mais eficaz que tenha sido a aprendizagem teórica através do autodidatismo, em cursos informais ou formais, por mais detalhada que tenha sido a observação feita do trabalho alheio, é no ato de fazer que o ministério cristão experimenta os mais altos picos de excelência e crescimento. Enquanto faz, o obreiro se depara com situações e circunstâncias concretas e complexas, algumas delas jamais observadas ou estudadas por ele, onde a dependência de Deus será fator fundamental para a aquisição de direção, orientação e solução para os problemas. Tudo isto resultará em experiência, aprendizado e crescimento ministerial.

Quando o assunto é crescimento ministerial contínuo, precisamos lembrar que só poderemos conduzir outros ao crescimento até onde nós mesmos chegamos:

E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres. [...] Mas, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo [...] (Ef 4.11, 15)

Das dimensões da nossa estatura espiritual, profundidade bíblica, capacidade de liderança e outras qualidades, dependem aqueles que são diretamente ou indiretamente influenciados, ensinados ou cuidados por nós. Perceba que o apóstolo Paulo usa o verbo crescer (gr.auksêsomen) no plural, incluindo a si próprio.

O crescimento ministerial contínuo do obreiro, longe de promover qualquer tipo de vaidade ou orgulho pessoal, deve acontecer na graça de Jesus e para a glória de Deus.

Abraços,

Nenhum comentário: