quinta-feira, 26 de maio de 2011

A PROIBIÇÃO OFICIAL DO KIT GAY FOI RESULTADO DE BARGANHA FEITA PELA BANCADA EVANGÉLICA?


"Líder da Frente Parlamentar Evangélica, o deputado João Campos (PSDB - CE) confessa que o apoio ao ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, foi usado como moeda de barganha pelos religiosos contra o kit anti-homofobia do Ministério da Educação." (Leia AQUI a matéria complea do Jornal do Brasil)

Se a notícia acima procede, penso que a bancada evangélica deve explicações, justificativas convincentes ou esclarecimentos à igreja no Brasil.

Saiba mais sobre o caso envolvendo o ministro chefe da Casa Civil AQUI.

Ficamos no aguardo.

11 comentários:

Matias Borba disse...

"Não precisa" uma comprovação, isto está explicito!
Em nome de uma pseudo-religiosidade vamos deixar, ou roubarem nosso país, ou desviarem dinheiro público ou enrriquecerem com procedimentos duvidosos.

Ainda bem, estamos no Brasil1

Abraços!

Luciano de Paula Lourenço disse...

Neste momento de degradação moral das famílias, quero parabenizar a atitude dos políticos que evitaram que esse LIXO chegasse às escolas públicas, e, com certeza, à maioria dos lares brasileiros.
Se foi “barganha”, “moeda de troca”, “moeda podre”, não importa. Neste momento tão difícil porque passa a sociedade brasileira, prefiro ver um político corrupto, a ver as famílias sem detratadas por segmentos da sociedade que se mobilizam com todas as armas advindas de Satanás para destruição da família(obra prima de Deus).
Um abraço!

Eliseu Antonio Gomes disse...

Caro Pr. Altair.

Se houve ou não troca de favores entre a Bancada Evangélica, penso que dificilmente saberemos com certeza absoluta.

Mas, sabemos que, infelizmente, a ação política no Brasil é assim: toma lá da cá.

Cabe aos parlamentares cristãos e aos que entraram em postos do Poder Executivo não venderem suas almas!

Abraço.

audenize engracia disse...

Apesar de toto esse levante contra os evangélicos, era de se esperar que a Dilma não concordasse, esse "kit gay", ou melhor, que qualquer pessoa se sã conciência não concordase, é um completo absurdo!!! Ensinar as crianças que devemos respeitar e amar uns aos outros é uma coisa, mas bombardeá-las com informações inapropriadas que desrespeitam a faixa etária delas é demais. Isso vai além de religião, esse projeto foi uma insanidade e incoerência total, investir 3 milhões com apoio e dinheiro público para fazer lavagem cerebral, paciência!

http://audenizeengracia.blogspot.com/

Matias Borba disse...

É...

Kity gay e corrupção são a mesma coisa para Deus, um erro não invalida o outro, pelo contrário, pioram as coisas!

evangelistajoaquim disse...

voces são os verdadeiros falsos, na proxima eleição daremos o troco.

Booth disse...

Pr. Altair, eu fico admirado com um comentário que exalta Maquiavel, dizendo que os fins justificam os meios. A corrupção é responsável pela morte de milhares de pessoas todos os anos, o desvio de dinheiro favorece a falta de equipamento nos hospitais, infra-estrutura nas estradas e a baixa qualidade de ensino nas escolas. O homossexual só interfere na vida dele e ninguém morre por causa da homossexualidade do individuo.

Eliabe Maciel disse...

A igreja do Senhor deve estar atenta e pronta para combater todo tipo de corrupção, seja moral, econômica ou política, o que a igreja não pode, é ser massa de manipulação da mídia.
Referente à matéria jornalística publicada no Jornal do Brasil, o povo de Deus deve
formular algumas perguntas fundamentais;

Qual a diferença entre fato e versão?

O jornal do Brasil é isento?

A quem interessa a matéria, a igreja ou a outros grupos que se levantam contra ela?

VAMOS AO FATO E A VERSÃO

A bancada Evangélica no congresso conseguiu suspender temporariamente a distribuição do “KIT GAY”, isto é fato e deve ter o apoio de todos nós.
A matéria que o jornal publicou é uma versão, para ser fato é necessário ser comprovada.

Esses grandes veículos de comunicação como: O GLOBO, JORNAL DO BRASIL, FOLHA DE SÃO PAULO e tantos outros, sempre se posicionam, quando o assunto é a igreja, de maneira tendenciosa. Seus jornalistas tem toda liberdade quando a pauta é contra a igreja, dificilmente iremos ler uma matéria jornalística informando a quantidade de pessoas libertas pelo Senhor Jesus em nossas igrejas , jamais seus analistas econômicos irão avaliar o quanto o Estado economiza por mês quando um detento se converte verdadeiramente, deixando de ser um problema social e econômico.

Os defensores do “KIT GAY” estão unidos e com apoio da grande mídia, e nós estamos unidos?

Esses mesmos grupos são os que produzem as novelas, “big brothers”, agendando nossas conversas, formulando novos conceitos de família. O povo de Deus deve estar atento ao discurso da grande imprensa e a quem ela representa.

Esses veículos sabem que é mais fácil derrotar uma casa dividida, acredito que eles saibam que somos bons em dar ouvidos a Estórias bem contadas, agendando assim nossas conversas, desviando nossa atenção, dividindo nossas resistências contra tudo que se levanta contra igreja do Senhor.


Eliabe Maciel
ASSEMBLEIA DE DEUS - AMAZONAS.

Eliabe Maciel disse...

A igreja do Senhor deve estar atenta e pronta para combater todo tipo de corrupção, seja moral, econômica ou política, o que a igreja não pode, é ser massa de manipulação da mídia.
Referente à matéria jornalística publicada no Jornal do Brasil, o povo de Deus deve
formular algumas perguntas fundamentais;

Qual a diferença entre fato e versão?

O jornal do Brasil é isento?

A quem interessa a matéria, a igreja ou a outros grupos que se levantam contra ela?

VAMOS AO FATO E A VERSÃO

A bancada Evangélica no congresso conseguiu suspender temporariamente a distribuição do “KIT GAY”, isto é fato e deve ter o apoio de todos nós.
A matéria que o jornal publicou é uma versão, para ser fato é necessário ser comprovada.

Esses grandes veículos de comunicação como: O GLOBO, JORNAL DO BRASIL, FOLHA DE SÃO PAULO e tantos outros, sempre se posicionam, quando o assunto é a igreja, de maneira tendenciosa. Seus jornalistas tem toda liberdade quando a pauta é contra a igreja, dificilmente iremos ler uma matéria jornalística informando a quantidade de pessoas libertas pelo Senhor Jesus em nossas igrejas , jamais seus analistas econômicos irão avaliar o quanto o Estado economiza por mês quando um detento se converte verdadeiramente, deixando de ser um problema social e econômico.

Os defensores do “KIT GAY” estão unidos e com apoio da grande mídia, e nós estamos unidos?

Esses mesmos grupos são os que produzem as novelas, “big brothers”, agendando nossas conversas, formulando novos conceitos de família. O povo de Deus deve estar atento ao discurso da grande imprensa e a quem ela representa.

Esses veículos sabem que é mais fácil derrotar uma casa dividida, acredito que eles saibam que somos bons em dar ouvidos a Estórias bem contadas, agendando assim nossas conversas, desviando nossa atenção, dividindo nossas resistências contra tudo que se levanta contra igreja do Senhor.


Eliabe Maciel
ASSEMBLEIA DE DEUS - AMAZONAS.

Maciel, Silas disse...

Caros irmãos, saúdo-vos com a paz do nosso Senhor.

Gostaria de também manifestar a minha visão sobre tudo, os fatos, as versões e tudo o que foi comentado aqui até este momento.

Primeiramente concordo com as palavras acima do Eliabe, e quanto ao comentário anterior do Sr. “Booth”, gostaria muito de dizer que Niccoló Machiavelli ou simplesmente MAQUIAVEL, é muito mais do que se costuma concluir. Em sua obra a Lorenzo de Médici encontrada sob o nome de O PRÍNCIPE, Maquiavel envereda-se em uma jornada nacionalista, através das suas cartas ao duque, com conselhos e instruções de estratégia, ele desejava o que não pôde ver em vida, o sonho da região itálica unificada. No tempo de Maquiavel existia apenas uma força central na região que hoje conhecemos por Itália, que à época era fragmentada em cidades autônomas, e o nome desta força central era a remanescência religiosa do Sacro Império Romano-Germânico, ou seja, a igreja católica. Apesar dos seus esforços em vários campos da filosofia e da política, a Itália só passou a existir como estado nacional séculos depois, pelas ações, principalmente, de Giuseppe Garibaldi e de Camillo di Cavour.

Quanto ao tão falado “Kit-gay”, lembro-me que ainda esta manhã, no caminho para o trabalho refletia a este respeito, senhores, se observarmos esta questão do ângulo religioso ou do ângulo Psico-atropológico, convergeremos para um ponto fundamental; A proliferação de tal intento seria transformadora, agindo contundentemente sobre a nossa sociedade que, para os atropólogos e herdeira da moral Judaica, e para os crentes da moral cristã.

Mais cedo, preso no congestionamento, eu pensava sobre a nossa sociedade, e nosso modo de produção. Tenho convicção de que nenhum ser humano não homossexual desejaria ter um filho em tal condição, seja qual for a sua casta ou classe social, com isso em mente, pensava no quanto são imprudentes os nossos “agentes” transformadores, os homens que, com as suas manobras tocam o mundo contemporâneo à seu modo de produção, pessoas que com tamanha falta de temor ao Senhor e ao mundo espiritual agem tão desrespeitosamente com a sociedade, por achar que eles são “o pior” que pode haver. Assim meus irmãos somos bombardeados ininterruptamente pela promoção de idéias de toda sorte, lançadas ao interesse alheio e à nossa revelia, e quase todas elas discordam dos nossos preceitos e da moral cristã.

Imaginei que estes mesmos homens, reponsáveis pelo nosso mundo, pela nossa economia especulativa, pelo nosso mercado On Demand, absurdamente supervalorizado e marginalizante, que estes homens não imaginavam que estariam causando o colapso de uma organização social, quase contida.

Hoje meus irmãos, os frutos que colhemos são a inércia intelectual de uma sociedade laica e massificada ao extremo, são pessoas que não conseguem mais exercitar o pensamento, como quem não consegue mais se movimentar após uma atrofia patológica, compram idéias prontas, aceitam facilmente e pagam um altíssimo preço. O pior de tudo é que isso também se estende aos nossos irmãos na fé.

Nossa bancada evangélica conseguiu sim, vetar até agora a distribuição desses “kits”, e apenas Deus e muitos deles, sabem quais foram os caminhos para tal fim, sendo assim, comemoremos tal vitória, oremos por aqueles homens e procuremos nos informar meus irmão, saber quem são os jogadores que estão em campo, quais são os seus interesses, sejamos luz. Finalizando meu discurso que já por demais se estende, lembremo-nos que quem cuida da igreja é o Senhor, absolutamente sim, nos entanto, somos parte desta sociedade, parte que pensa diferente e que tem boca para dizer ao mundo que Jesus é o SENHOR que Ele salva e que é sim pecado a homossexualidade, e aborrece ao SENHOR. De maneira nenhuma venhamos a ferir outro homem por sua sexualidade, seu credo nem sua cor, mas falemos alto e claramente aquilo em que acreditamos. Fiquem todos na paz do Senhor.

Silas Maciel – Manaus, 03 de Junho de 2011

ALTAIR GERMANO, disse...

Amados, sou grato pela participação de todos.

Ainda espero (e se alguiém souber se foi feito nos informe), o pronunciamento da bancada evangélica sobre a acusação da barganha feita.

Em questões como esta se espera transparência e clareza de quem milita pela bandeira do Evangelho.

Abraços,