sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

ESBOÇO DA AULA MINISTRADA NA 79ª CONEADESE

IMAGEM: ebiblicadominical.blogspot.com

Tema: Aprendendo com a vida de José lições para o exercício do ministério cristão
Texto: Gn 37.1-11

1. Aprendendo a lidar com as informações no ministério (Gn 37.1-2)

"Habitou Jacó na terra das peregrinações de seu pai, na terra de Canaã. Esta é a história de Jacó. Tendo José dezessete anos, apascentava os rebanhos com seus irmãos; sendo ainda jovem, acompanhava os filhos de Bila e os filhos de Zilpa, mulheres de seu pai; e trazia más notícias deles a seu pai."

1.1 Há obreiros em todos os níveis ministeriais especializados em trazer notícias más;
1.2 Estes obreiros não conseguem perceber as qualidades, virtudes e as boas realizações de seus companheiros de ministério;
1.3 Sempre que houver a necessidade de se dar uma má notícia, uma motivação certa deve norteá-la.

2. Aprendendo a lidar com os sentimentos no ministério (Gn 37.3-4)

"Ora, Israel amava mais a José que a todos os seus filhos, porque era filho da sua velhice; e fez-lhe uma túnica talar de mangas compridas. Vendo, pois, seus irmãos que o pai o amava mais que a todos os outros filhos, odiaram-no e já não lhe podiam falar pacificamente."

2.1 Por uma série de fatores objetivos e subjetivos, somos inclinados a amar mais algumas pessoas do que a outras;
2.2 O preferencialismo de Jacó por José era notório e materializou-se na túnica de mangas compridas ou colorida;
2.3 Reclamamos e murmuramos das preferências alheias, mas temos também os nossos preferidos;
2.4 Tal sentimento não pode ser inibido, mas pode ser melhor administrado;
2.5 O nosso amor demasiado por alguém no ministério, ou mal administrado, pode suscitar, promover ou fermentar o ódio de outros contra a pessoa que é o alvo do amor;
2.6 O nosso amor demasiado por alguém, ou mal administrado, pode provocar na pessoa que amamos um certo orgulho, um postura arrogante ou um sentimento de superioridade em relação aos demais obreiros;
2.7 Aquele que é amado precisar ser prudente em sua postura e fala, para não agregar mais ódio por meio de atitudes presunçosas e arrogantes.
2.8 Ame e sinta-se amado com sabedoria.

3. Aprendendo a lidar com os sonhos proféticos (Gn 37.5-11)

"Teve José um sonho e o relatou a seus irmãos; por isso, o odiaram ainda mais. Pois lhes disse: Rogo-vos, ouvi este sonho que tive: Atávamos feixes no campo, e eis que o meu feixe se levantou e ficou em pé; e os vossos feixes o rodeavam e se inclinavam perante o meu. Então, lhe disseram seus irmãos: Reinarás, com efeito, sobre nós? E sobre nós dominarás realmente? E com isso tanto mais o odiavam, por causa dos seus sonhos e de suas palavras. Teve ainda outro sonho e o referiu a seus irmãos, dizendo: Sonhei também que o sol, a lua e onze estrelas se inclinavam perante mim. Contando-o a seu pai e a seus irmãos, repreendeu-o o pai e lhe disse: Que sonho é esse que tiveste? Acaso, viremos, eu e tua mãe e teus irmãos, a inclinar-nos perante ti em terra? Seus irmãos lhe tinham ciúmes; o pai, no entanto, considerava o caso consigo mesmo."

3.1 Os sonhos de José não foram causados, como poderia diagnosticar a psicanálise, por um impulso inconsciente, refletindo desejos impossíveis de serem alcançados e vivenciados dentro aa realidade;
3.2 Deus foi agente causador dos sonhos de José, comunicando através deles a sua soberana e graciosa vontade;
3.3 A vontade de Deus nem sempre se alinha com a lógica e raciocínio humano;
3.4 A vontade de Deus nem sempre considera e respeita as nossas regras, regimentos, regulamentos, estatutos ou tradições. Isso não é anarquia ou antinomia, é soberania. Ele pode, ele faz;
3.5 É preciso ter cuidado sobre com quem compartilhamos os sonhos proféticos;
3.6 É preciso ter cuidado sobre quando compartilhar os sonhos proféticos;
3.7 É preciso ter cuidado sobre a forma ou maneira de compartilharmos os sonhos proféticos;
3.8 Se for o caso, guarde o sonho profético consigo mesmo;
3.9 É preciso ter cuidado para não ficarmos aquém, nem desejarmos além do que nos foi revelado nos sonhos proféticos;
3.10 Os sonhos proféticos nos revelam muitas coisas, mas não revelam todo o plano de Deus para nós, nem os sofrimentos neles implicados.
3.11 Não queime etapas no caminhar em direção a concretização dos sonhos proféticos;
3.12 O Senhor nos faz lembrar e reafirma os sonhos proféticos;
3.13 Ele cumprirá os sonhos proféticos que nos deu.

Glória a Deus!

Aracajú, 17/02/2011


5 comentários:

мαηυєłα sσυzα disse...

Olá querido pastor!
Graça e paz,
tive a oportunidade de no ultimo dia 17/02 a tarde vê o senhor ministrar a palavra de Deus na convenção estadual de Sergipe.
Fiquei maravilhada, que palavra gloriosa.
Que o Senhor Jesus continue te abençoando.
um forte abraço.

Rinaldo Santana disse...

Graça e paz, foi maravilha pastor o Estudo sobre a vida de José. Otimo para o Exercicio do Ministerio que Deus O abençõe grandimente.

Em Cristo
Rinaldo Santana

ALTAIR GERMANO, disse...

Prezada Manuela,

o Senhor foi bastante generoso para conosco.

Conto com as vossas orações.

Paz do Senhor.

ALTAIR GERMANO, disse...

Amado companheiro Rinaldo,

participar desta 79ª CONEADESE e das celebrações do aniversário da igreja em Sergipe foi uma honra e um grande privilégio para mim.

Deus abençoe os amados obreiros e irmãos desta dinâmica igreja.

Paz do Senhor.

Elisomar disse...

Muito boa essa aula!

Estou esperando usufruir da realidade do meu sonho profético.