segunda-feira, 30 de agosto de 2010

1º SIMPÓSIO DE EDUCAÇÃO TEOLÓGICA DO CEC EM NATAL-RN


O Conselho de Educação e Cultura da CGADB, em parceria com o CETAD - Centro de Educação Teológico da Assembleia de Deus-RN, realizará o seu 1º Simpósio de Educação Teológica, conforme informações e programação abaixo:

Período: 18 a 21 de Outubro de 2010

Local: Templo Central da Assembléia de Deus – Natal - RN

Endereço: Rua Manoel Miranda, 251 – Alecrim – Natal – RN

Maiores Informações: (84) 3223-1203

Site: www. adnatal.org.br

Valor da Inscrição: R$ 15,00

Promoção: CEC - Conselho de Educação e Cultura da CGADB
CETAD - Centro de Educação
Teológica da Assembléia de Deus - RN

Apoio: CPAD e IEADERN - Igreja Evangélica Assembléia de Deus no RN
Tema: Educação Teológica: gerando uma Igreja Eficaz


Programação:


Dia 18 - 19h00 - Abertura - Pr. Raimundo João de Santana
Dia 18 - 19h30 - 1ª Plenária - Pr. Douglas Roberto Baptista - Pregando a Palavra com Eficácia (Homilética)
Dia 19 - 19h00 - 2ª Plenária - Pr. Douglas Roberto Baptista - Interpretando a Bíblia com Eficácia (Exegese)

Dia 20 - 19h00 - 3ª Plenária - Pr. Altair Germano - Administrando e Liderando na Igreja com Eficácia (Parte 1)

Dia 21 - 19h00 - 4ª Plenária - Pr. Altair Germano - Administrando e Liderando na Igreja com Eficácia (Parte 2)


Ore, divulgue e participe.

Conheça o novo site do CEC-CGADB: www.e-cgadb.com.br

A EDUCAÇÃO TEOLÓGICA NAS ASSEMBLEIAS DE DEUS NO BRASIL: RESISTÊNCIA E ASCENSÃO (1)


Estamos às vésperas das comemorações do centenário das Assembleias de Deus no Brasil, e percebo ser este um momento oportuno para revermos alguns aspectos desta história, marcada por grandes desafios e conquistas.

Uma das áreas que merece uma atenção especial nesse resgate histórico, diz respeito ao desenvolvimento da educação teológica formal, marcada por muita resistência em seus primórdios.

É importante nesta empreitada, analisar alguns fatores que contribuíram para que somente após 47 anos de fundação das Assembleias de Deus, o primeiro instituto bíblico fosse criado, e mesmo assim, sem a aprovação da maior parte da liderança nacional da denominação.

A PERSPECTIVA DOS MISSIONÁRIOS SUECOS SOBRE O PREPARO E A FORMAÇÃO DE OBREIROS

Os primeiros 50 anos da Assembleia de Deus no Brasil foram marcados pelo forte trabalho e presença dos missionários de origem sueca (ou escandinava).

Os pioneiros do trabalho no Brasil foram os missionários Gunnar Vingren e Daniel Berg, que aportaram em terras brasileiras em 19 de novembro de 1910. Eles vieram dos Estados Unidos com o propósito de pregarem a mensagem pentecostal. Não intencionavam abrir igrejas. O desejo dos missionários era que a mensagem pentecostal, com ênfase no batismo com Espírito Santo evidenciado pela manifestação do falar em outras línguas, fosse recebida pelas igrejas no Brasil, proporcionando dessa forma um grande despertamento espiritual.

O projeto dos missionários enfrentou uma tão grande resistência, que acabou promovendo uma divisão na Primeira Igreja Batista do Pará, vindo este fato a contribuir para o surgimento daquela que se tornaria a maior denominação pentecostal do mundo na atualidade, a Assembleia de Deus.

A data de 18 de junho de 1911, é tida como a data oficial da fundação da igreja, que inicialmente foi chamada de "Missão da Fé Apostólica". Em 11 d janeiro de 1918, Gunnar Vingren registrou em cartório a "Sociedade Evangélica Assembléia de Deus".

Dos dois missionários pioneiros, apenas Gunnar Vingren tinha formação teológica. Ele realizou seus estudos na Faculty of the Divinity School, de 1904 a 1909, sendo diplomado pela Swedish Theological Seminary, da University of Chicago (USA).

Com o passar dos anos, outros missionários suecos vieram para o Brasil, no sentido de cooperar com a evangelização da nação. Entre estes podemos citar, por ordem de chegada: Otto Nelson (25/10/1914), Samuel Nyström (18/08/1916), Joel Carlson (12/01/1918), Nils Kastberg (07/06/1928), Gustav Bergstrom (11/1933).

O preparo teológico dos missionários suecos acontecia em escola bíblicas, que duravam três meses, num curso intensivo que objetivava a formação de pregadores pentecostais, onde recebiam ao final um certificado de participação, e o título de "evangelistas". O curso era de caráter informal, mais servia de pré-requisito para a ordenação ao ministério ou para o envio ao campo missionário, como era o caso dos obreiros filiados à Igreja Filadélfia, liderada pelo pastor Lewi Petrus. Na Suécia, eram também realizadas conferências anuais, tidas como importantes para a formação dos obreiros, que duravam uma semana.

Um sistema similar de preparo informal para obreiros foi sugerido durante a Convenção Geral de 1935, para ser implantado no Brasil a partir de 1936, onde deveria acontecer anualmente três grandes Escolas Bíblicas de Obreiros das Assembleias de Deus no Brasil, sendo uma no Norte, outra no Nordeste e outra no Sul (Sul-Sudeste). A decisão não foi levada adiante, voltando a ser discutida em 1937, por ocasião da Convenção Geral em São Paulo. Neste ano, o missionário Gustav Bergström pediu a criação de uma Escola Bíblica anual, com duração mínima de dois meses, para todos os obreiros do Brasil e aspirantes ao ministério. Foi resolvido diante do pedido, que a Assembleia de Deus no Rio de Janeiro, liderada por Nils Kastberg, realizaria essa primeira Escola Bíblica especial, que deveria durar um mês ou, no mínimo, 15 dias. As igrejas custeariam as passagens despesas dos alunos, que deveriam ser irmãos vocacionados e desejosos de aprender. A proposta foi aprovada por unanimidade.

A CHEGADA DOS MISSIONÁRIOS NORTE-AMERICANOS, COM UMA OUTRA PERSPECTIVA SOBRE O PREPARO E A FORMAÇÃO DE OBREIROS

Com a perspectiva escandinava de formação de obreiros, a ideia da criação de institutos bíblicos para a educação teológica formal nas Assembleias de Deus só começou a ser discutida após a chegada dos primeiros missionários norte-americanos, entre os anos 30 e 40. Dentre eles, podemos destacar John Peter Kolenda, formado pelo Instituto Bíblico em Pasedena, Califórnia, que chegou ao Brasil em outubro/1930, e Lawrence Olson, formado pelo Central Bible College, Springfield, Missouri, que aportou em terra brasileiras em 07 de setembro de 1938.

Os missionários norte-americanos, diferentemente dos escandinavos, optavam pela criação de institutos bíblicos, caracterizados pelo ensino formal das Escrituras, através de cursos de longa duração. Nos EUA, era comum o fato de um obreiro precisar se submeter, antes da sua ordenação, a um preparo médio de quatro anos em um instituto bíblico.

Em 1943, na 4ª Semana Bíblica das Assembleias de Deus no Brasil, realizada em São Cristovão-RJ, surge os primeiros debates convencionais sobre o ensino teológico formal, tendo como apresentador do assunto o pastor e missionário norte-americano John Peter Kolenda. Na discussão sobre o tema, o pastor Paulo Leivas Macalão falou da possibilidade de se criar uma escola bíblica noturna para obreiros, com aulas semanais fixas nos dias em que os obreiros tivessem as noites livres dos cultos principais. Um plano de estudo por correspondência foi também apresentado. O missionário norte-americano Lawrense Olson foi mais além, propondo que as Assembleias de Deus no Brasil abrissem institutos bíblicos, escolas teológicas e seminários pelo país. A proposta encontrou forte resistência, tendo em vista a forte influência da perspectiva escandinava de formação de obreiros, herdada pelos obreiros nacionais dos primeiros missionários.

Rompendo com a tradição escandinava, e a contra-gosto da Convenção Geral, os missionários João Kolenda Lemos (sobrinho de J. P. Kolenda) e sua esposa, Ruth Doris Lemos, fundam no dia 15 de outubro de 1958, na cidade de Pindamonhangaba-SP, o IBAD (Instituto Bíblico das Assembleias de Deus. O IBAD adotou o regime de aulas presenciais e o regime de internato, com uma grande ênfase missionária. Em 18 de março de 1959 as aulas foram iniciadas.

Dois anos após a criação do IBAD, seguindo na mesma direção, o missionário norte-americano Lawrence Olson, auxiliado pelo pastor Gilberto Gonçalves Malafaia, fundam em 4 de dezembro de 1961, na cidade do Rio de Janeiro, o IBP (Instituto Bíblico Pentecostal). A primeira turma tinha 90 alunos, dos quais 62 concluíram o curso, participando assim da primeira formatura, em 5 de dezembro de 1964, na Assembleia de Deus da Penha. As aulas funcionavam à noite para pastores, obreiros em geral e jovens. os primeiros professores foram os missionários N. Lawrense Olson e Alice Olson, Gilberto Malafaia, João Farias da Silva, Maria Aparecida, Adalberto Arraes e Antonio Gilberto da Silva. O pastor Antonio Gilberto me relatou, que por ocasião da aceitação do convite para ensinar no IBP, quase foi excluído da igreja onde na época servia.

Após os fatos acima citados, somente no ano de 1973, durante a Convenção Geral em Natal-RN, é que o IBAD passa a ser reconhecido oficialmente pela CGADB. Em 1975, na Convenção Geral em Santo André-SP, o mesmo acontece com o IBP.

Continua...

Leia também: BREVE CRONOLOGIA E HISTÓRIA DO DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO TEOLÓGICAS NAS ASSEMBLEIAS DE DEUS NO BRASIL

CASO SERRAMBI: COBERTURA DO JULGAMENTO AO VIVO


O "Caso Serrambi" diz respeito a um dos mais polêmicos crimes ocorridos aqui no estado de Pernambuco, onde uma série de dúvidas e questões continuam em aberto em torno de sua autoria.

Conheça todo o caso, e acompanhe a cobertura ao vivo do julgamento, acessando o link abaixo:

CASO SERRAMBI - COBERTURA AO VIVO (DIÁRIO DE PERNAMBUCO)

domingo, 29 de agosto de 2010

SEMINÁRIO DE CIÊNCIAS BÍBLICAS DA SBB NO RIO DE JANEIRO


Uma nova edição do Seminário de Ciências Bíblicas será realizada nos dias 01 e 02 de setembro, no Rio de Janeiro (RJ). Iniciativa da Sociedade Bíblica do Brasil (SBB), o evento tem como objetivo transmitir às igrejas, lideranças cristãs e comunidade universitária um pouco do conhecimento envolvido na arte de traduzir a Bíblia Sagrada e difundir os seus ensinamentos a todas as pessoas. Realizados desde ano 2000, esses encontros já alcançaram milhares de pastores, líderes cristãos, obreiros, professores de escola bíblica e seminaristas. Para celebrar esta primeira década de existência, a SBB promoverá diversas edições do evento ao longo de 2010, com palestras diferenciadas. A edição do Rio de Janeiro terá dois painéis, além de espaço para uma sessão de perguntas e respostas.

As palestras serão realizadas na Capela da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), no Campus Maracanã. O moderador do evento será o Pastor Dr. Maurício Price, presidente do Diretório Estadual da SBB no Rio de Janeiro. Haverá também apresentações musicais do Coral Altivoz da UERJ, Coral Corporativo da Petrobras e Coral Arthur Lackschevitz. A entrada é franca. Inscrições podem ser feitas no dia e no local. Serão fornecidos certificados de freqüência aos participantes. Mais informações pelos telefones (21) 2221-9883 Ramal. 463 www.sbb.org.br.

Coordenação Geral: Pr. Dr. Mauricio Price www.mprice.com.br

Confira, a seguir, a programação completa do evento:

01 de setembro – das 19h30 às 22h30

- Os desafios e perspectivas da obra bíblica no mundo – Paulo Teixeira: A palestra traça um panorama dos maiores desafios para o desenvolvimento da obra bíblica no mundo. Tem como enfoque principal a tradução e publicação das Escrituras Sagradas, a partir das diretrizes da Assembleia Mundial das Sociedades Bíblicas Unidas, realizada em Newport, País de Gales, em 2004.

Paulo Teixeira: É teólogo e lingüista, especialista em Língua e Literatura Hebraicas e secretário de Tradução e Publicações da SBB.


02 de setembro – Das 19h30 às 22h30

- Interpretação da Bíblia para o homem de hoje – Lécio Domas: A interpretação da Bíblia deve levar em consideração as distâncias cronológica, geográfica e cultural. É preciso atender a alguns requisitos como, por exemplo, crer que a Bíblia é a Palavra de Deus. Faz-se necessário, também, que sejam atendidos determinados princípios: contexto; histórico, gramatical, teológico e prático.

Lécio Domas: É especialista em Educação Religiosa, escritor com 15 obras publicadas e professor de Teologia do Antigo Testamento, Liderança e Métodos de Estudos Bíblicos há 20 anos. Membro da Diretoria Nacional da SBB e do Conselho Geral da Convenção Batista Brasileira, é docente nacional e credenciador de docentes do Instituto Haggai do Brasil e pastor batista há 21 anos, atualmente pastoreando a Igreja Batista Dois de Julho, em Salvador (BA).

Sobre o moderador Maurício Price: Pastor e pregador avivalista, é presidente do Diretório Estadual no RJ e Conselheiro Nacional da Sociedade Bíblica do Brasil. É membro da Academia Evangélica de Letras do Brasil e coordenador da Capelania Universitária Evangélica. Graduado em Medicina na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), é ainda radialista e evangelista, escritor e colunista de vários jornais e revistas cristãs.

Seminário de Ciências Bíblicas no Rio de Janeiro

Data: 01 e 02 de Setembro de 2010
Horário: Das 19h30 às 22h00
Local: Capela da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ)
Endereço: Rua São Francisco Xavier, 524 – Campus Maracanã - Rio de Janeiro (estacionamento no local)

Inscrição: Gratuita
Informações: (21) 2221-9883 Ramal 463 / 2101-1300

GRATIDÃO A DEUS E AO AMIGO E PASTOR EVERALDO LOPES

Ontem, durante as festividades de encerramento da 87ª EBO da COMADAL, tive a alegria de poder rever meu nobre companheiro e amigo, pastor Everaldo Lopes de Souza, que atualmente é missionário em Munique, na Alemanha.

No ano de 1996, por ocasião de minhas atividades profissionais, passei uma temporada residindo na cidade de Fortaleza-CE, e congregando na AD da Varjota, onde por ocasião de uma visita, conheci o pastor Everaldo Lopes.

Posteriormente, preguei na igreja pastoreada pelo amado companheiro. Na ocasião eu servia à igreja do Senhor em Fortaleza como diácono.

Retornei para Pernambuco, e anos depois recebi a notícia, e posteriormente a visita do pastor Everaldo em minha residência, informando de seu chamado para a Alemanha, confirmado pelas bênçãos que o Senhor tem lá derramado.

Sou grato ao nobre companheiro pela acolhida que me deu em Fortaleza, quando na ocasião eu servia à igreja como diácono.

A gratidão a Deus, e aos que por Ele são movidos para nos abençoarem, nunca deve ser esquecida.

Que o Senhor continue abençoando o pastor Everaldo, sua família e toda a igreja na Alemanha.

"Quando o SENHOR restaurou a sorte de Sião, ficamos como quem sonha. Então, a nossa boca se encheu de riso, e a nossa língua, de júbilo; então, entre as nações se dizia: Grandes coisas o SENHOR tem feito por eles. Com efeito, grandes coisas fez o SENHOR por nós; por isso estamos alegres." (Salmos 126.1-30)

Site da Igreja: missoesnaalemanha.ning.com

COMADAL ORDENA PASTORES E EVANGELISTAS NO ENCERRAMENTO DA 87ª EBO E CONVENÇÃO ESTADUAL

A igreja compareceu em massa para o encerramento das festividades

Pastores e evangelistas foram ordenados ao santo ministério

Tive o privilégio de participar ontem do encerramento da 87ª Escola Bíblica de Obreiros e Convenção Estadual da Convenção de Ministros da Assembleia de Deus em Alagoas, presidida pelo pastor José Neco, onde 20 pastores e 41 evangelistas foram ordenados ao santo ministério.

A pregação da palavra ficou por conta do pastor Josué Brandão (BA).

Na ocasião tive a alegria de poder rever irmãos e amigos amados de vários estados do Brasil, dentre os quais Rio Grande do Norte, Pernambuco, Alagoas, Sergipe, Bahia e São Paulo.

Que o Senhor continue abençoando a todos que fazem esta abençoada igreja e convenção!

Saiba mais sobre as festividades através do portal AD ALAGOAS.

sexta-feira, 27 de agosto de 2010

CULTO DE DOUTRINA DA AD EM ABREU E LIMA-PE


Estarei logo mais, a partir da 19h00, ministrando no Culto de Doutrina da Assembleia de Deus em Abreu e Lima-PE, onde sirvo ao Senhor como pastor auxiliar. A igreja é presidida pelo pastor Roberto José dos Santos (5º Secretário da Mesa Diretora da CGADB).

O culto pode ser assistido pela TV Web e Rádio Web (links na barra lateral deste blog), ou pela Rádio Chama Viva FM 94,7 (no grande Recife).

Conto com as vossas orações!

O MINISTÉRIO PROFÉTICO NO NOVO TESTAMENTO. Subsídio para Lição Bíblica da CPAD

Diferente daquilo que muitos pensam e ensinam, o ministério profético não deixou de existir com o advento do Novo Testamento.

"A Lei e os Profetas duraram até João; desde então, é anunciado o Reino de Deus, e todo homem emprega força para entrar nele". (Lc 16.16, grifo nosso)

O texto acima costuma ser interpretado como o final do ministério profético no Novo Testamento, quando na realidade, os termos Lei e Profeta nos falam da totalidade do Antigo Testamento, que não seria mais a mensagem central "anunciada" na Nova Aliança. Os princípios do Evangelho do Reino é que passariam a reger a vida dos discípulos de Jesus, que deveriam proclamá-los e ensiná-los a todas as pessoas, em todos os lugares (Mt 4.23; 24.14). Morris (1983, 236) afirma: "A vinda de Jesus marcava uma linha divisória. Até então, a revelação de Deus tinha sido feita na lei (a rigor: os livros de Gênesis até Deuteronômio) e os profetas. A expressão combinada representa a totalidade do Antigo Testamento."

O Comentário Bíblico Pentecostal do Novo Testamento (2003, p. 426, CPAD), sobre o presente versículo especifica que:

"Reconhecendo o desafio à sua autoridade, Jesus passa a traçar a origem de sua autoridade e a delinear sua devoção superior à lei. Ele apresenta 'a Lei e os Profetas' (i.e., o Antigo Testamento) e a pregação de João Batista como unidade (v. 16). João anunciou a vinda de uma nova era e participou dela. É 'desde então' (v.16), quer dizer, começando com João, que o Reino de Deus é pregado. O ponto que Jesus deseja chegar é que nem João nem os profetas do Antigo Testamento são necessários para confirmar o outro, mas que ambos servem de precursores, levando à pregação de Jesus acerca das boas novas do Reino de Deus."

Observe que o comentarista expressa que o texto de Lc 16.16 não declara o fim do ministério profético, mas sim, o início da pregação do Evangelho do Reino. A Lei e os Profetas representam o Antigo Testamento.

Na versão da Bíblia Almeida e Atualizada (ARA), Lc 16.16 foi traduzido da seguinte forma: "A Lei e os Profetas vigoraram até João; desde esse tempo , vem sendo anunciado o evangelho do reino de Deus, e todo homem se esforça para entrar nele. (grifo nosso)"

Observe que o verbo "duraram" da Almeida Revista e Corrigida (ARC), foi substituído por "vigoraram" na ARA, deixando mais clara a alusão ao texto do Antigo Testamento (Lei e Profetas).

O texto de Mateus 11.13, na ARC declara: "Porque todos os profetas e a lei profetizaram até João."

O mesmo texto na ARA está escrito da seguinte forma: "Porque todos os Profetas e a Lei profetizaram até João."

Aparentemente parece uma bobagem, mas perceba que na ARC os termos "profetas" e "lei" estão escritos com iniciais minúsculas, enquanto na ARA, com maiúsculas. Isso faz uma grande diferença, pois os termos com iniciais maiúsculas identificam uma forma específica de entender "Profetas e Lei", e essa forma nos fala exatamente do sentido real da expressão, no que diz respeito à totalidade das escrituras do Antigo Testamento.

O Comentário Bíblico Pentecostal do Novo Testamento(Idem, p. 81), diz sobre o versículo acima que: "Mateus viu que a divisão entre a velha era e a nova era um acontecimento que se deu ao término do ministério de João Batista e começo do ministério de Jesus."

Perceba no versículo que "os profetas e a lei profetizaram", é uma clara alusão à totalidade do Antigo Testamento enquanto texto sagrado, que até então era a base e o referencial de toda mensagem profética.

Tanto em Mateus 11.13, como em Lc 16.16, os termos gregos para profetas é prophetai, e para lei, nómos.

De forma clara e objetiva, o que fica aqui evidente, é que o ministério profético foi uma realidade presente nas narrativas e ensinos do Novo Testamento, e ainda continua sendo uma realidade em nossos dias (não se encerrou com João Batista). A prova disto?

- O próprio Jesus continuou exercendo o ministério profético após João Batista, falando em nome do Pai (Jo 4.34; 5.30; 6.38; 14.24). Um claro exemplo de mensagem profética no Novo Testamento são as cartas às sete igrejas em Apocalipse 2 e 3, marcadas por denúncias, alertas, advertências e um convite ao arrependimento, para se livrar do juízo iminente.

- O livro de Atos nos apresenta profetas: "Naqueles dias, desceram profetas de Jerusalém para Antioquia. E levantando-se um deles, por nome Ágabo, dava a entender, pelo Espírito, que haveria uma grande fome em todo o mundo, e isso aconteceu no tempo de Claúdio César." (At 11.27-28, ARC). E ainda: "E, demorando-nos ali por muitos dias, chegou da Judéia um profeta, por nome Ágabo; e vindo ter conosco, tomou a cinta de Paulo e, ligando-se os seus próprios pés e mãos, disse: Isto diz o Espírito Santo: Assim ligarão os judeus, em Jerusalém, o varão de quem é esta cinta e o entregarão nas mãos dos gentios." (At 21.10-11).

- "Na igreja que estava em Antioquia havia alguns profetas (prophetai) e doutores (didaskaloi) [...]." (At 13.1, ARC)

- O ministério profético foi manifesto na vida de Paulo (At 20.29-30; 1 Tm 4.1; 1 Ts 4.13-17).

- O ministério profético foi evidenciado nos escritos de Pedro(2 Pe 2.1-3; 3.3,4, 7-18).

- Entre os chamados dons ministeriais de Efésios 4.11, está o de profeta (gr. prophetas)

A Bíblia de Estudo Pentecostal (1995, p. 1814-1815, CPAD), em seu estudo doutrinário sobre o ministério de profeta (Ef 4.11), sustenta a atualidade deste na igreja, fazendo as seguintes afirmações:

- Os profetas eram homens que falavam sob o impulso direto do Espírito Santo, e cuja motivação e interesses principais eram a vida espiritual e pureza da igreja. Sob o novo concerto, foram levantados pelo Espírito Santo e revestidos pelo seu poder para trazerem uma mensagem da parte de Deus ao seu povo (At 2.17; 4.8; 21.4).

- O ministério profético do AT ajuda-nos a compreender o do NT. A missão principal dos profetas do AT era transmitir a mensagem divina através do Espírito, para encorajar o povo de Deus e permanecer fiel, conforme os preceitos da antiga aliança. Às vezes eles também prediziam o futuro conforme o Espírito lhes revelava [...]. Cristo e os apóstolos são um exemplo do ideal do AT (At 3.22, 23; 13.1,2).

- A função do profeta na igreja incluía o seguinte: (a) Proclamava e interpretava, cheio do Espírito Santo, a Palavra de Deus, por chamada divina. Sua mensagem visava admoestar exortar, animar, consolar e edificar (At 2.14-36; 3.12-26; 1 Co 12.10; 14.3). (b) Devia exercer o dom de profecia [...]. (c) às vezes, ele era vidente (cf. 1 Cr 20.29), predizendo o futuro (At 11.28; 21.10,11). (d) Era dever do profeta do NT, assim como para o AT, desmascarar o pecado, proclamar a justiça, advertir do juízo vindouro e combater o mundanismo e frieza espiritual entre o povo de Deus (Lc 1.14-17). Por causa da sua mensagem de justiça, o profeta pode esperar ser rejeitado por muitos nas igrejas, em tempos de mornidão e apostasia.

- A mensagem do profeta atual não deve ser considerada infalível. Ela está sujeita ao julgamento da igreja, doutros profetas e da Palavra de Deus. A congregação tem o dever de discernir e julgar o conteúdo da mensagem profética, se ela é de Deus (1 Co 14.29-33; 1 Jo 4.1).

- Os profetas continuam sendo imprescindíveis ao propósito de Deus para a igreja. A igreja que rejeitar os profetas de Deus caminhará para a decadência, desviando-se para o mundanismo e o liberalismo quanto aos ensinos da Bíblia (1 Co 14.3; cf. Mt 23.31-38; Lv 11.49; At 7.51,52). [...] a igreja com os seus dirigentes, tendo a mensagem dos profetas de Deus, será impulsionada à renovação espiritual. O pecado será abandonado, a presença e a santidade do Espírito serão evidentes entre os fiéis (1 Co 14.3; 1 Ts 5.19-21; Ap 3.20-22).

Em seu livro "A Igreja e as Sete Colunas da Sabedoria", publicado atualmente pela CPAD, o pastor Severino Pedro, escrevendo sobre o ministério profético na atualidade, relata que:

"João Batista o último profeta da Dispensação da Lei, entra em o Novo Testamento como profeta de grande poder. Porém, nele é, sem dúvida encerrado este ofício de acordo com o estilo e norma da Antiga Aliança. Jesus disse: 'A lei e os profetas duraram até João...' (Lc 16.16). Agora em Jesus e através de Jesus, se inicia uma 'Nova Ordem Ministerial', composta pelos profetas do Ministério do Espírito Santo'".

Fundamentado na exposição que fiz no início deste subsídio, e nas citações da Bíblia de Estudo Pentecostal, discordo parcialmente e respeitosamente da citação acima, visto entender que a diferença entre o ministério profético do AT e do NT não está na mudança de "estilo" e da "norma" da Antiga Aliança, ou seja, não se encontra na práxis, ou na característica da atividade do profeta enquanto estilo e forma de ser, mas, na mudança do conteúdo prioritário e referencial de sua mensagem, que deixa de ser a Lei e os Profetas (Antiga Aliança), para ser norteada pelo ensino e pregação de Jesus sobre o Evangelho do Reino (Nova Aliança), mensagem e ensinos estes expandidos em Atos e nas epístolas pelos escritores do Novo Testamento.

Dessa forma, concluímos que o ministério profético na igreja, não é apenas uma realidade atual, mas, acima de tudo, uma extrema e vital necessidade nestes tempos trabalhosos ou difíceis (gr. kairoí chalepoí, 2 Tm 3.1).

Que o Senhor:

" [...] vos conceda espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dele,iluminados os olhos do vosso coração, para saberdes qual é a esperança do seu chamamento, qual a riqueza da glória da sua herança nos santos e qual a suprema grandeza do seu poder para com os que cremos, segundo a eficácia da força do seu poder;" (Ef 1.17-19)

REFERÊNCIAS

- A Igreja e as Sete Colunas da Sabedoria, Severino Pedro.
- Assim diz o Senhor? Como saber quando Deus está falando com você através de alguém, John Bevere.
- Bíblia de Estudo Pentecostal, CPAD.
- Bíblia de Estudo Almeida, SBB.
- Comentário Bíblico Pentecostal Novo Testamento, L. Arrington e Roger Stronstad.
- Novo Testamento Interlinear, Vilson Scholz.
- Lições Bíblicas, 3º Trimestre de 2010, CPAD.
- Lucas: Introdução e comentário, Leon L. Morris.

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

JESUS - O CUMPRIMENTO PROFÉTICO DO ANTIGO PACTO. Subsídio para Lição Bíblica da CPAD

A lição desta semana, em seus pontos I e II trata sobre tipos ou símbolos de Jesus Cristo no Antigo Testamento, designados pelo comentarista de "Figuras Proféticas" e "Instituições Proféticas".

Vou me valer da obra intitulada "Sombras, Tipos e Mistérios da Bíblia", de Joel Leitão de Melo, publicada pela CPAD, para escrever acerca deste tema.

TIPOS (OU SÍMBOLOS) NÃO HUMANOS DE JESUS

Segue abaixo uma sequência de tipos ou símbolos não humanos de Jesus, com as devidas referências bíblicas:

1. A Luz (Gn 1.3-5; Is 9.2a; Mt 4.12-16; Jo 9.5; 12.35, 46). Jesus é a luz do mundo.

2. A Arca de Noé (Gn 6-8; 1 Pe 3.20a, 21; Lc 17.26). A arca era o único meio de escapar do juízo divino. Jesus é único meio de salvação para os perdidos pecadores.

3. A Escada de Jacó (Gn 28.10-17). A escada é tipo de Jesus Cristo pois faz ligação entre o homem e Deus.

4. O Cordeiro Pascoal (Êx 12.3-14; 1 Co 5.7-8). Jesus é o nosso cordeiro pascoal, por meio do qual temos proteção, livramento e salvação.

5. A Coluna de Fogo (Êx 13.21; Jo 10.4). A coluna de fogo representa Jesus Cristo como aquele que vai adiante de nós, nos dando direção e conforto em meio às frias noites.

6. A Rocha de Horebe (Êx 17.6; Jo 14.4a; 1 Co 10.4). Jesus é a rocha que foi ferida e que sacia a nossa sede espiritual.

7. A Serpente de Metal (Nm 21.4-9; Jo 3.14-15). Ao olharmos para aquele que se fez maldição por nós (Gl 3.13) somos resgatados da maldição do pecado.

8. A Estrela (Nm 24.17; 2 Pe 1.19b). A estrela é Jesus Cristo em sua manifestação aos crentes, que se revela nos corações.

9. O Tabernáculo (Êx 25.8, 9; Jo 1.14). O tabernáculo representava a presença de Deus habitando entre o povo. Jesus é Deus habitando entre os homens.

10. O Sacerdócio (Êx 28-29; Hb 5.1-6). Como sumo sacerdote ele nos possibilita a graça e o socorro em tempo oportuno.

11. As ofertas de Levíticos (Lv 1-7). O holocausto (Lv 1.1-17 e 6.8-13), a oferta de manjares (Lv 2. 1-16 e 6.14-23), a oferta pacífica (Lv 3.1-17; 7.11-34; 19.5-8; 22.21-25), a oferta pelo pecado (Lv 4.1-35 e 6.24-30) e a oferta pela culpa (5.14-19 e 7.1-17), falam da obra expiatória de Jesus e dos benefícios nos proporcionados (perdão, comunhão, reconciliação, expiação, redenção, restituição etc.)

AS PROFECIAS MESSIÂNICAS E SEUS CUMPRIMENTOS

Para auxílio nos pontos III e IV da lição, consulte os links abaixo, que nos apresentam algumas profecias no Antigo Testamento sobre a vida e a obra de Jesus:

- Profecias Messiânicas (sugiro a reprodução do quadro deste link na sala de aula)

ELEIÇÕES 2010: OS MEUS CANDIDATOS

Sou político.

Nasci, fui educado, trabalho, tenho direitos e deveres na pólis.

Sou co-responsável pelo destino da minha cidade, do meu estado e do meu país.

Sou cidadão.

Entre os meus direitos e deveres como cidadão da pólis, estão o de votar e ser votado.

Voto.

Apesar de falho (como todo sistema político), o sistema democrático me concede a liberdade de escolha. Esta liberdade procuro exercer com consciência e inteligência.

Tenho candidatos.

Os meus candidatos são de preferência cristãos. Cristãos de verdade, e não meramente nominais ou circunstanciais. Quando não, devem pelo menos pensar e agir sob princípios cristãos.

Os meus candidatos possuem um mínimo de competência para exercerem o cargo e o mandato que pleiteiam.

Os meus candidatos não são aqueles que me oferecem mais dinheiro ou favores, são os que me apresentam as melhores idéias, prospostas e projetos.

Os meus candidatos não são aqueles que tentam me impor, são aquele de quem me convencem com argumentos sólidos, consistentes.

Os meus candidatos não são perfeitos, mas procuram ser íntegros, transparentes e confiáveis.

Os meus candidatos não apoiam, nem aprovam leis que banalizam a vida, agridem a família e relativizam a moral.

Os meus candidatos são comprometidos com os princípios inegociáveis da Bíblia Sagrada.

Quando não percebo numa eleição candidatos com o perfil e as qualidades acima descritas, simplesmente fico sem candidatos e apresento a Deus em oração o destino do meu povo, de minha gente, de minha nação.

Não voto contra a minha consciência. Não a vendo, nem a negocio.

"Bem-aventurada é a nação cujo Deus é o SENHOR, e o povo ao qual escolheu para sua herança." (Salmo 33.12)

segunda-feira, 23 de agosto de 2010

OS GRANDES PENSADORES SOBRE "EDUCAÇÃO"

"Fundador do protestantismo foi também um dos responsáveis por formular o sistema de ensino público que serviu de modelo para a escola moderna no Ocidente [...] A idéia da escola pública e para todos, organizada em três grandes ciclos (fundamental, médio e superior) e voltada para o saber útil nasce do projeto educacional de Lutero."

Conheça os grandes pensadores sobre educação, e suas ideias, no link abaixo:

Revista Escola - Grandes Pensadores

IDEIAS E AÇÕES PARA INCENTIVAR O HÁBITO DE LEITURA NA ESCOLA

"Garantir acesso a bons livros e criar um ambiente em que a leitura é rotina são maneiras eficazes de formar leitores de literatura." (Revista Escola)

Os princípios e orientações sugeridas na revista, podem, com as devidas adaptações, ser aplicados à Escola Dominical.

Superintendentes, dirigentes, professores e alunos de todas as faixas etárias, seriam das mais diversas maneiras, favorecidos e enriquecidos com o desenvolvimento do hábito de leitura.

Leia as dicas AQUI.

ANIVERSÁRIO DO CORAL FONTE CARMESIM (AD EM MARAGOGI-AL) : IMAGENS

Coral Fonte Carmesim formando no estudo bíblico realizado ontem à tarde na AD em Maragogi-AL
Um maravilhoso mover do Espírito envolveu a vida de todos os presentes no estudo bíblico

O pastor Ednilson (Presidente da Igreja) orando pelos que manifestaram o desejo de um renovo espiritual em suas vidas

O templo da AD em Maragogi-AL ficou lotado no culto de celebração realizado à noite

Seis pessoas receberam Jesus como Senhor e Salvador, e outras vieram à frente buscando cura e libertação

Na cidade paradisíaca do litoral norte alagoano, Maragogi, a igreja Assembleia de Deus esteve em festa no domingo passado. Na direção do pastor Ednilson Barbosa, foi comemorado o jubileu de ouro do Coral Fonte Carmesim, no templo-sede da cidade.

A bênção começou pela manhã, como uma consagração especial ao Senhor. À tarde a igreja teve acesso a um estudo bíblico, na preleção do Pr. Altair Germano, de Abreu e Lima-PE. No louvor, o coral aniversariante e também a União de Senhoras de Maragogi. O pastor Altair pregou no tema da festa, em SL 146.2.

“Foi uma tarde maravilhosa onde sentimos o poder de Deus na mensagem trazida pelo pastor, o mover de Deus encheu o templo e começou no púlpito; os músicos tocavam e choravam cheios da graça”, disse Dc. Gedilson Oliveira, correspondente do portal AD Alagoas e dirigente da congregação do Conjunto Deda Paes.

Na abertura da festa à noite, o culto começou com o Pb. Ivanilton, integrante do coral, atuando no baixo. Durante a cerimônia, a história do coral foi contada desde o início. Segundo o correspondente Dc. Gedilson, foi lindo ver o sorriso estampado no rosto de cada irmão. “Eu participei do coral em 2007 e foi uma bênção deixar meu nome na história deste conjunto abençoado, confesso que senti saudades, mas o chamado para a obra de Deus nos faz olhar um pouco mais para frente”, relatou o diácono.

Durante a festa, o coral Saltério Divino (Tabuleiro do Martins, Maceió) se apresentou. A festa estava cheia da glória de Deus, quando o Pr. Ednilson Barbosa pediu que os dois corais cantassem juntos. A mensagem ficou por conta do Pr. Altair Germano. No final, seis pessoas aceitaram a Cristo.

A coordenadora do grupo, irmã Nancy, homenageou alguns coristas mais antigos, inclusive os fundadores. A irmã Lea Barros, filha do pastor Lourival Sérgio, um dos ex-dirigente em Maragogi, também foi homenageada.

Fonte: Portal AD ALAGOAS

ANIVERSÁRIO DO CORAL FONTE CARMESIM (AD EM MARAGOGI-AL)


A festividade 50º aniversário do Coral Fonte Carmesim, da Assembleia de Deus em Maragogi-AL, realizada ontem, foi marcada pela presença maravilhosa do Senhor, numa atmosfera de adoração e louvor, com renovação espiritual e salvação de vidas.

"No salmo 148, podemos ler o seguinte: louvai ao Senhor desde os céus, louvai-o nas alturas.

Louvai-o todos os seus anjos, louvai-o todos os seus exércitos.Sol, Lua, estrelas, céus águas, baleias, saraiva, neves, ventos, montes, outeiros, árvores, animais quadrúpedes, répteis e aves, reis e povos, rapazes e donzelas, velos e crianças, louvai ao Senhor!

Consciente deste dever, é que alguns irmãos se uniram com o objetivo de exaltar, através do louvor, aquele que é digno de toda honra e de toda glória. No dia 12 de junho de 1960, foi inaugurado na Igreja Evangélica Assembléia de Deus o Coral Fonte Carmesim, tendo como seu primeiro maestro o irmão Severino Miguel do campo de Barreiros-Pe, que devido a vários compromissos e dificuldades de deslocamento, afastou-se, deixando como seu sucessor o irmão Gabriel: a estes sucederam os maestros Severino Olegário (também de Barreiros-Pe) José Henrique, Severino Gonçalves, Gilson, Mauro Pereira e Elias Gomes, tendo sido estes citados maestros auxiliados pelo componente João Pedro de Lima que tornou também dirigente do mesmo, durante muitos anos, pois mesmo não tendo teoria musical conduzia o Coral nos períodos em que o mesmo não contava com um maestro na regência. Cumprindo-se porém a chamada de Deus ao irmão João Pedro para o Ministério, este passou a dividir seu tempo com o campo que lhe foi confiado e os ensaios do Coral.Neste tempo contou com o auxílio da componente Maria José (Zuzu) e depois o irmão Isaias de Lima.Entre os anos de 1989 e 1990, este Órgão esteve sob a regência do maestro Arquilino Maximiano de Barreiros-Pe. No ano de 1994 aproximadamente o Coral Fonte Carmesim passou a ter como regente, uma maestrina a irmã Lea Barros, filha do Pastor Lourival Sérgio, que com dedicação, sabedoria e talento escreveu uma bela página na história deste Coral. Precisando se ausentar de Maragogi, indo morar em Maceió, passou para o irmão Tewerson, essa grande responsabilidade e pediu para que a irmã Nancy o ajudasse. Hoje mais uma vez o coral está sobre a regência da Irmã Lea Barros, comemorando 50 ano “Jubileu de Ouro

Informações históricas: Dc. Gedilson Oliveira

sábado, 21 de agosto de 2010

FESTIVIDADES NA AD EM MARAGOGI-AL

Maragogi é uma das belas cidades do litoral alagoano

Se Deus quiser, ministrarei amanhã, no período da tarde e noite, na Assembleia de Deus em Maragogi-AL, pastoreada pelo nobre companheiro Ednilson Barbosa, por ocasião das festividades de aniversário do coral da igreja.

A Assembleia de Deus em Maragogi-AL fica localizada na Rua Pedro de Melo, s/n, Centro.

NOVO ENDEREÇO DO BLOG DO PR. MARCELO OLIVEIRA


O meu amigo e pastor Marcelo Oliveira, editor do blog "Davar Elohim - A Supremacia das Escrituras", avisa que está de endereço novo.

Acesse o www.davarelohim.com.br e confira as novidades!

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

DICA LITERÁRIA: Mal-estar na atualidade - A psicanálise e as novas formas de subjetivação (Joel Birman)


SINOPSE

A necessidade de repensar os fundamentos da leitura da subjetividade constitui a motivação central deste livro e o fio condutor que articula os diversos capítulos que o compõem. Trata-se para o autor de um empreendimento urgente, na medida em que, na sua compreensão, é pela intermediação do conceito de subjetividade que é possível pensar tanto o mal-estar na sociedade contemporânea quanto o mal-estar na psicanálise. Trata-se, pois, de pensar dos destinos do desejo na atualidade, já que esse destino nos permitem captar o que se passa nas subjetividades. O rastreamento de alguns destes destinos nos possibilita uma leitura acurada das subjetividades. Com isso podemos nos aproximar do que há de sofrente nas novas formas de subjetivação da atualidade, circunscrevendo então o campo do mal-estar contemporâneo.

Temas como "A cultura do narcisismo e do espetáculo" são abordados nesta obra de Joel Birman, nos proporcionando um entendimento sob a perspectiva psicanílitica de alguns fenômenos na cultura, que também influenciam o comportamento no meio evangélico, onde destaco, por exemplo:

- A forte e atual ênfase no estético (parecer), em detrimento da essência (ser);

- A clara tendência evangélica na estetização dos templos e da liturgia;

- O alto valor dado a perfomance pelos pregadores, que não se cansam de buscar "a exaltação gloriosa do próprio eu" nos palcos (ou púlpitos) das igrejas;

- Na primazia da pregação pseudopentecostal, cujo ruído (ou barulho) promove fascínio e poder, alimentando dessa maneira o "santo" narcisismo.

Em termos bíblicos, podemos afirmar que uma exagerada emergência e valorização da estética (do parecer) em questões espirituais, é um claro sinal de enfraquecimento, da falência ou de uma deficiência na essência do ser (Mt 23.27). Um certo tipo de compensação insconsciente.

Um conhecimento básico sobre a psicanálise é pré-requisito para leitura da obra.

quinta-feira, 19 de agosto de 2010

TWEETS



A atmosfera espiritual na adoração não se produz por meio de artifícios litúrgicos e humanos.


***

A política eclesiástica continua causando muitos males em nosso meio, promovendo desgastes e divisões.

***

Deus escolhe, Deus capacita, Deus apresenta, Deus usa!

***

Se você não perceber os limites, poderá morrer na subida.

***

A visão divina pode se transformar em sonho de Ícaro se for norteada por um desejo descontrolado e por uma atitude imprudente.

***

A leitura da Bíblia antes da pregação já não possui valor para alguns pregadores e ensinadores, visto que logo dela se afastam.

***

Pare e reflita um pouco sobre o seu ministério. Você pode estar desperdiçando tempo, talento, energia e dinheiro em futilidades.

***

Em nossos dias há pastores fazendo o papel de diáconos e diáconos fazendo o papel de pastores (Atos 6.1-6). Inversão de responsabilidades.

***

Demasiadamente ocupados, sem tempo para Deus. Eis a realidade na vida de muitas lideranças e liderados na igreja.

***

Priorizar e multiplicar as atividades sociais para atrair ou manter os jovens na igreja não passa de paliativo e método meramente humano.

***

A Palavra pregada e ensinada no poder do Espírito, e a oportunidade para desenvolver dons e talentos atrai e mantém os jovens na igreja.

***

Os modismos teológicos e eclesiológicos da atualidade não passam de velhas ideias vestidas com uma nova roupagem.

***

Nossa ação missionária será mais relevante quando os nossos eventos intitulados de missionários tratarem realmente sobre missões.

***

Apenas uma idéia bíblica sobre missões poderá promover uma ação missionária verdadeiramente bíblica.

***

Quando alguns eventos ditos missionários deixarem de ser meramente palco de apresentação para pregadores, algo de grande Deus realizará!

***

Nunca tente ocupar o lugar de Deus na pregação da Palavra. Simplesmente pregue.

***

O Evangelho da Prosperidade e da Vitória Financeira continua seduzindo e enganando a muitos.

***

O despreparo bíblico e teológico, e a ingenuidade de alguns pastores e ovelhas, favorecem a Teologia da Prosperidade no Brasil.

***

Muitos profetas da Teologia da Prosperidade e da Vitória Financeira perderam a noção do erro que propagam. Acreditam estar fazendo um bem.

***

A prosperidade que a Bíblia ensina, nada tem a ver com os princípios avarentos e materialistas da Teologia da Prosperidade.

***

Loucas e desesperadas invencionices se multiplicam em reuniões e cultos evangélicos em nosso pais. O místico toma o lugar do bíblico.

***

Alguns segmentos da igreja evangélica no Brasil encontram-se doentes. A Igreja de Jesus no Brasil goza de plena saúde!

***

A pregação autêntica e ungida, e não o conforto dos templos, manterá a frequência de pessoas famintas da Palavra de Deus em nossos cultos.

***

Pregar não significa simplesmente comunicar uma mensagem sobre Deus. Pregar significa comunicar uma mensagem vinda de Deus.

***

Ideologia, propostas, capacidade e caráter devem ser analisados pelo cristão na hora de escolher seu candidato.

***

Pregadores devem promover vida e não entretenimento.

***

Muitos jovens nos dias atuais desejam ser pregadores pelos mesmos motivo que outros desejam ser jogadores de futebol: fama e dinheiro.

***

Os 'astros' da pregação atual influenciaram negativamente uma boa parte da nova geração de pregadores no Brasil.


SIGA-ME NO TWITTTER

LANÇAMENTO E NOVA EDIÇÃO DOS LIVROS DO PASTOR ALTAIR GERMANO


Se o Senhor me permitir, no mês de setembro/2010 publicarei a segunda edição revista e corrigida do livro "Reflexões: por uma prática cristã autêntica e transformadora", e lançarei em outubro/2010 a obra "Estudos Bíblicos & Escritos".

Assim que a gráfica me entregar o material, divulgarei aqui no blog.

Abraços!

JOÃO BATISTA - O ÚLTIMO PROFETA DO ANTIGO PACTO. Subsídio para Lição Bíblica da CPAD

A lição 8 deste trimestre nos permite, mais uma vez, discorrer sobre o ministério de João Batista.

Sobre a vida e ministério de João Batista, recomendo os links abaixo, sempre alertando para uma leitura crítica:





A Missão de João Batista no Contexto Profético

Ao afirmar que a missão de João Batista "era converter os filhos de Israel a Deus e preparar ao Senhor um povo bem disposto (Lc 1.16-17)", o comentarista da lição corrobora com a essência da missão do ministério profético, que é o de buscar a conversão dos corações ao Senhor:

"Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível dia do SENHOR;E ele converterá o coração dos pais aos filhos, e o coração dos filhos a seus pais; para que eu não venha, e fira a terra com maldição." (Ml 4.5-6)

"Então falou Samuel a toda a casa de Israel, dizendo: Se com todo o vosso coração vos converterdes ao SENHOR, tirai dentre vós os deuses estranhos e os astarotes, e preparai o vosso coração ao SENHOR, e servi a ele só, e vos livrará da mão dos filisteus." (1 Sm 7.3)

"Se voltares, ó Israel, diz o SENHOR, volta para mim; se removeres as tuas abominações de diante de mim, não mais andarás vagueando;" (Jr 4.1)

"Vinde, e tornemos ao SENHOR, porque ele despedaçou, e nos sarará; feriu, e nos atará a ferida." (Os 6.1)

"Ainda assim, agora mesmo diz o SENHOR: Convertei-vos a mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, e com choro, e com pranto." (Jl 2.12)

"Portanto, dize-lhes: Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Tornai-vos para mim, diz o SENHOR dos Exércitos, e eu me tornarei para vós outros, diz o SENHOR dos Exércitos." (Zc 1.3)

"Desde os dias de vossos pais, vos desviastes dos meus estatutos e não os guardastes; tornai-vos para mim, e eu me tornarei para vós outros, diz o SENHOR dos Exércitos; mas vós dizeis: Em que havemos de tornar?" (Ml 3.7)

João Batista, um Homem Destemido e Cheio do Espírito Santo

João Batista foi cheio do Espírito Santo desde o ventre de sua mãe (Lc 1.15). Quando iniciou seu ministério, sua voz ecou em pleno deserto com poder e unção.

O deserto foi um lugar estratégico para o ministério de João Batista. O sistema e as instituições religiosas em Isarel estavam falidas. Desde o período pós-cativeiro algumas insitituições se multiplicaram e se fortaleceram, como no caso da sinagoga, e juntamente com elas um grupo de especialista e doutores da Lei se formou, os escribas, que logo ocuparam o papel dos sacerdotes na interpretação e ensino das Sagradas Escrituras.

Associado a esta nova realidade, o templo rescontruído por Herodes era puro explendor, com suas cerimônias e rituais marcados por uma liturgia rígida e formal.

Tínhamos dessa forma novos espaços para o ensino da Escrituras, tínhamos também especialistas, mestres e doutores, e um belo templo. Mas, em todas estas novas realidades que passaram a fazer parte da vida da nação, não havia a presença real e poderosa de Deus. Não havia a unção do Espírito sobre os ministros religiosos.

Foi neste contexto que João começou estrategicamente a pregar no deserto da Judéia (Mt 3.1; Lc 3.3). O povo que afluia para a cidade, no sentido de cumprir suas obrigações e tradições religiosas, eram impactadas com as palavras de poder do simples e rude homem do deserto.

Um fenômeno aconteceu. O povo começou a sair de Jerusalém (centro da religião oficial) e das demais cidades da Judéia, e de toda circunvizinhança do Jordão (Mt 3.5) para ouvir João Batista. Temos aqui uma clara manifestação da insatisfação do povo com sistema falido, associado a fome e a sede de ouvir a voz de Deus tocando a sua alma.

Esses fatos inquietaram os líderes e autoridades religiosas, que logo começaram a ir aos locais onde João pregava para se certicarem do que de fato acontecia (Mt 3.7). Isso não o intimidou. Cada vez mais, com a autoridade e o poder lhe outorgado, convidava a todos ao arrependimento (Mt 3.8-12).

Nestes dias de pregadores formais, profissionais, atores, animadores de auditório e mercenários da Palavra de Deus, precisamos de homens como João Batista, que na sua simplicidade e verdadeiro compromisso com Deus, era cheios do Espírito Santo, compromissado e fiel aos princípios do Reino de Deus.

João Batista, um Homem que não Temia as Ameaças dos Poderosos

Rei, Sumo sacerdote, sacerdote, escriba, fariseu, saduceu, não importava. João não se intimidava com os poderosos e influentes de sua época. Ele não se intimidava, pelo menos, pelas seguintes razões:

- Não tinha conchavo político (secular ou religioso) com ninguém. Muitos pregadores hoje se acovardam, silenciando diante dos pecados da liderança e da igreja, com medo de perderem cargos em igrejas e convenções, ou por terem "rabo preso" em torno destas questões. João não tinha cargos ou títulos a perder. Ele simplesmente era a "voz" (Mt 3.3; Mc 1.3; Lc 3.4; Jo 1.23).

- Não tinha medo de perder o "emprego". Uma outra razão do fracasso da pregação nos dias atuais é o medo de se perder cargos remunerados, e empregos nos setores administrativos das igrejas, das convenções e de outras organizações ligadas a estas instituições. João Batista não tinha emprego, mas tinha fé num Deus que garante e cuida de seus profetas (1 Rs 17.1-16; Mt 6.25-34). Enquanto houver rios e corvos, não faltará sustento e proteção para o profeta de Deus. Enquanto houver viúvas com um pouco de farinha e azeite, não faltará sustento e proteção para o profeta de Deus. Enquanto houver gafanhoto, mel silvestre e pêlos de camelo, não faltará sustento e proteção para o profeta de Deus.

- Não tinha medo de perder "agendas". Uma miséria aconteceu nos últimos anos no Brasil, alimentada e sustentada por muitos pastores, líderes e igreja. Trata-se de um grupo pregadores mercenários, sem compromisso com a mensagem autêntica, verdadeira e necessária da Palavra de Deus. Pregam por conveniência. Suas mensagens são para provocar agrados e fortes emoções em seus ouvintes. Distorcem a interpretação e o texto bíblico com mensagens absurdas, sem nenhum temor a Deus, diante do que fazem. Se o pastor da igreja é contra o uso de televisão, tendo uma postura mais tradicional quanto aos usos e costumes, prega contra a televisão e contra a liberação de alguns usos e costumes. Se vai noutra igreja onde o pastor é a favor do uso da televisão, e favorável a abolição de alguns usos e costumes, prega favoravelmente. Tais pregadores são verdadeiros hipócritas. Fazem estas coisas, e muito mais, para garantirem o retorno àquela igreja, garantirem uma nova "agenda" e um novo "cachê", que inclusive, por alguns é até "tabelado". Esses pregadores prestarão contas diante de Deus por suas posturas e práticas. Precisam aprender com João Batista.

Por sua postura íntegra, por sua vida reta e sincera diante de Deus, por sua fidelidade à missão lhe confiada, João Batista foi honrado por Jesus (Mt 11.7-11). Todos que seguirem o exemplo de João Batista, com certeza, serão da mesma maneira honrados pelo Senhor.

Siga-me no TWITTER

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

IGREJA BATISTA NACIONAL DO BEQUIMÃO EM SÃO LUIZ-MA: CULTO DA RESTITUIÇÃO

Grupo de pastores da Igreja Batista Nacional do Bequimão (pastor José Luis, Presidente da Igreja, o primeiro à direita)

Meu amigo, o diácono Ronaldo

O templo da igreja no Culto da Restituição

A Igreja Batista Nacional do Bequimão (São Luis-MA), presidida pelo pastor José Luis (capelão evangélico da Polícia Militar no Estado do Maranhão), realiza toda terça-feira o Culto da Restituição, um trabalho marcado por milagres, curas e libertações.
Ontem ministrei sobre a restituição no nível da família, destacando que a sedução do mundo (Lc 15.17-24), a ação demoníaca (Mc 5.1-19), as doenças e enfermidades (Lc 7.11-35) podem tirar, roubar ou afastar nossos amados, comprometendo e frustrando os planos em família, a alegria e a harmonia da convivência, mas, o Senhor, por seu poder, graça e misericórdia pode agir em suas vidas, intervindo sobrenaturalmente e promovendo a restituição dos mesmos à convivência em família.

Deixo aqui meu abraço fraterno a todos que fazem esta abençoada igreja.

terça-feira, 17 de agosto de 2010

PUBLICAÇÃO DO SUBSÍDIO PARA LIÇÃO 08 DA CPAD

Me encontro ainda na cidade de São Luis-MA, e já estou trabalhando no subsídio para a lição 08 da CPAD, intitulada: João Batista - O Último Profeta do Antigo Pacto.

Espero, no mais tardar, publicá-lo na quinta-feira pela manhã, quando já estarei de retorno em Pernambuco, onde acrescentarei ao texto que já escrevi, algumas citações e comentários.

Hoje, a partir das 19h00, pregarei na Igreja Batista do Bequimão, pastoreada pelo Rev. José Luis, capelão evangélico da Polícia Militar no Estado do Maranhão.

Continuo contando com a vossas orações.

Abraços!

São Luis-MA, 17/08/2010

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

CONFERÊNCIA MISSIONÁRIA EM TURILÂNDIA-MA: ESBOÇO DE MINHAS PALESTRAS


Tema: Missão e a Expansão do Reino

Texto: Atos 1.8

Introdução: Eventos missionários oferecem sempre uma oportunidade para refletirmos acerca:

- Do quanto estamos interessados por Missões

- Do quanto sabemos sobre Missões

- Do quanto estamos conscientizados sobre a necessidade e prioridade de se fazer Missão

- Do quanto estamos envolvidos com Missão

1. O conceito de Reino de Deus

-Em seu aspecto ou manifestação presente o Reino de Deus pode ser definido como o domínio, o governo e o poder de Deus que conquista o território de Satanás libertando vidas de seu domínio (Mt 4.23-25; Lc 4.16-21; 11.20-22; Rm 14.17)

- É o estabelecimento da vontade de Deus no coração dos homens, que livremente se submetem à sua Palavra e vontade (Mt 6.10; Lc 17.20-21)

- O Reino de Deus é algo que nos foi confiado (Lc 22.29)

2. O conceito de Missão

- Missão pode ser definida como o ensino, a pregação e o testemunho do Evangelho do Reino, a todas as pessoas, de todos os povos, em todas as nações, no poder do Espírito (Mt 28.18-20; Mc 16.15).

- A principal e primordial tarefa da Igreja é a pregação e o ensino da Palavra de Deus, do Evangelho de Jesus (Ef 3.10; 1 Tm 3.14-15; 1 Pe 2.9)

3. O Método da Missão

A Missão pode ser realizada através:

- Do discipulado e do ensino (Mt 28.18-20)

- Da proclamação (Mc 16.15-18)

- Do anúncio (At 4.2)

- Da pregação (At 15.35)

- Do testemunho (At 1.8)

4. O Campo Missionário

A Missão, em termos de local pode ser classificada como:

- Domiciliar (Mc 5.18-20)

- Urbana (At 5.12-16)

- Transcultural (Mt 24.19; At 8.4-8)

- Transnacional (At 16.6-10)

5. A Mensagem da Missão

- A mensagem da Missão diz respeito a todas as coisas que o Senhor Jesus ordenou (Mt 28.20)

- A mensagem da Missão é o Evangelho de Jesus (Mc 16.15)

- A mensagem da Missão são as insondáveis riquezas de Cristo (Ef 3.8)

- A mensagem da Missão são as virtudes de Deus (1 Pe 1.9)

- A mensagem da Missão é o evangelho da graça de Deus (At 20.24)

- A mensagem da Missão não pode ser outro evangelho (Gl 1.6-9). Não pode ser o evangelho da Lei, da graça banalizada ou da prosperidade.

6. Os Agentes Humanos da Missão

- Por sua graça e misericórdia o Senhor nos escolheu para sermos agentes e cooperadores com Ele na Missão (Jo 15.16; 1 Co 3.9)

Conclusão

Apenas com uma plena compreensão acerca das várias questões que envolve a Missão, é que poderemos entender Missão e nos entender na missão.

Missão não é algo apenas ser compreendido. Missão é algo acima de tudo para ser executado.