sexta-feira, 30 de julho de 2010

VIII ESBOM - A DOUTRINA DA REGENERAÇÃO E DA SANTIFICAÇÃO E SUAS IMPLICAÇÕES PARA A VIDA DO OBREIRO (3)


O CONCEITO DE SANTIFICAÇÃO

O termo “santo” deriva-se do hebraico qadosh,que nos transmiste a idéia de “santidade”, ou seja, a natureza essencial daquilo que pertence ao domínio do sagrado e que, por esse motivo, difere daquilo que é comum ou profano (HARRIS; ARCHER; WALTKE, 1998, p. 1990). No grego, o termo utilizado é hagios, que significa basicamente “separado” (entre os gregos, dedicado aos deuses), e por conseguinte, nas Escrituras, em seu significado moral e espiritual, separado do pecado e, portanto, consagrado a Deus, sagrado (VINE, 2003, p. 970).

Observemos, dessa forma, alguns conceitos sobre santificação:

Falando de modo geral, portanto, podemos definir santificação como separação para Deus, imputação de Cristo como nossa santidade, purificação do mal moral, e conformidade com a imagem de Cristo.” (THIESSEN, 1987, p. 270)

A Obra da livre graça de Deus, pela qual somos renovados em todo o nosso ser, segundo a imagem de Deus, e habilitados a morrer mais e mais para o pecado e a viver para a justiça.” (HODGE, 2001, p. 1182)

É a operação contínua do Espírito Santo, pela qual a santa disposição concedida na regeneração mantém-se e se fortalece.” (STRONG, 2003, p. 605)

A santificação pode ser entendida como um ato imediato ou posicional (1 Co 1.2; Ef 1.1; Cl 1.2; Hb 10.10) e um processo que continua por toda a vida (2 Co 7.1; Hb 12.14,23).

OS MEIOS DE SANTIFICAÇÃO

Em termos de santificação posicional, tal condição é possibilitada pela vontade e graça de Deus (Hb 13.12; Fl 2.13). Como processo, na busca da santidade, o homem dispõe dos seguintes meios:

- O sangue de Cristo (1 Jo 1.7)
- O Espírito Santo (1 Co 6.11; ; 1 Pe 1.1-2)
- A Palavra de Deus (Jo 171.17; Ef 5.26)

A Santificação não se trata da erradicação absoluta do pecado (1 Jo 1.8-10), de alguma forma de legalismo (Mc 7.5-13) ou ascetismo (tentativa de subjugar a carne e alcançar a santidade por meio de privações e sofrimentos).

AS IMPLICAÇÕES PRÁTICAS DA DOUTRINA DA SANTIFICAÇÃO NA VIDA DO OBREIRO

A santificação na vida do obreiro implica:

- Na separação do profissionalismo ministerial que faz da igreja uma empresa, do Evangelho um negócio (2 Co 2.17)

- Na separação dos modismos e ventos de doutrina (Ef 4.14)

- Na separação dos modismos litúrgicos (contextualização x secularização; essência x estética)

- Na separação do formalismo acadêmico

- Na separação do anti-academicismo

- Na separação do abuso dos dons espirituais (1 Co 14.37-40)

- Na separação do partidarismo ministerial (1 Co 3.1-8)

- Na separação da politicagem eclesiástica (At 1.15-26)

- Na separação do autoritarismo na liderança e no governo da igreja (Mt 18.1-3; 23-35)

- Na separação da rebelião (Nm 16.1-3 ss)

- Na separação da coisificação e do ativismo ministerial (Jo 21.17; At 6.1-6; Ef 4.11-12; 1 Pe 5.1-4)

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

HARRIS, R. Laird; ARCHER Jr., Gleason L.; WALTKE, Bruce K. Dicionário Internacional de Teologia do Antigo Testamento. São Paulo: Vida Nova, 1998.
HODGE, Charles. Teologia Sistemática. São Paulo: Hagnos, 2001.
PEARLMAN, Myer. Conhecendo as doutrinas da Bíblia. Miami, Flórida: Editora Vida, 1970.
THIESSEN, Henry Clarence. Palestras introdutórias à Teologia Sistemática. São Paulo: IBR, 1987.
STRONG, Augustus Hopkins. Teologia Sistemática. São Paulo: Hagnos, 2003.
VINE, W. E.; UNGER, Merril F.; WHITE Jr., William. Dicionário Vine. Rio de Janeiro: CPAD, 2003.

4º CONGRESSO DE EBD NA AD EM CAMAÇARI-BA

VIII ESBOM: A DOUTRINA DA REGENERAÇÃO E DA SANTIFICAÇÃO E SUAS IMPLICAÇÕES PARA A VIDA DO OBREIRO (2)


O conceito de Regeneração


A Doutrina da Regeneração, dentro da Teologia Sistemática, está classificada no campo da Soteriologia (estudo sobre a salvação), e já foi conceituada das seguintes formas:


A regeneração é a comunicação da vida divina à alma (Jo 3.5; 10.10, 28; 1 Jo 5.11, 12), como a consessão de uma nova natureza (II Pe 1.4) ou coração (Jr 24.7; Ez 11.19; 36.26), e a produção de uma nova criação (II Co 5.17; Ef 2.10; 4.24)”. (THIESSEN, 1987, p. 263)


Portanto, regeneração é uma ressurreição espiritual: o começo de uma nova vida. Às vezes a palavra expressa o ato de Deus. Deus regenera. Às vezes designa o efeito subjetivo de seu ato. O pecador é regenerado. Ele se torna uma nova criatura. Renasce. E isso é sua regeneração. Essas duas aplicações da palavra estão tão estreitamente interligadas que não produzem confusão.” (HODGE, 2001, p. 1031)


A regeneração é o ato de Deus pelo qual a disposição governante da alma se torna santa e pela qual, através da verdade, assegura-se o primeiro exercício dessa disposição santa. A regeneração, ou o novo nascimento, é o lado divino da mudança do coração que, vista do lado humano, chamamos conversão. É Deus voltando a alma para ele mesmo; enquanto a conversão é a volta da alma para Deus, a qual é tanto a conseqüência como a causa.” (STRONG, 2003, p. 518)


Os conceitos acima expressam a opinião quase universal dos teólogos acerca da regeneração, reproduzida nos tratados de Teologia Sistemática mais atuais, como no caso de Grudem (1999, p. 584), que define regeneração como: “Regeneração é um ato secreto de Deus pelo qual ele nos concede nova vida espiritual. Isso é às vezes chamado de “nascer de novo (na linguagem de Jo 3.3-8).


A NATUREZA DA REGENERAÇÃO


Hodge (Idem, p. 1053), ao falar da natureza da regeneração, afirma que “a mudança não se dá nem na substância nem nos meros exercícios da alma, mas naquelas disposições, princípios, gostos ou hábitos imanentes que subjazem a todos os exercícios conscientes, e determinam o caráter do homem e de todas as suas ações”.


Grudem (Idem, p. 586) declara que a regeneração nos afeta como pessoas integrais, ou seja, cada parte de nós é afetada pela regeneração (2 Co 5.17).


A regeneração é um evento único e instantâneo (GRUDEM, Ibdem). É uma mudança instantânea operada secretamente por Deus em nós, e só se conhece em seus resultados (STRONG, Idem, p. 522).


AS IMPLICAÇÕES PRÁTICAS DA DOUTRINA DA REGENERAÇÃO NA VIDA DO LÍDER E OBREIRO


É preciso entender que algumas condições ou práticas não sinalizam, nem garantem a realidade da regeneração na vida do crente e do obreiro:


- Nascer num lar cristão

- Ter uma linguagem e uma conduta moral íntegra

- Ter conhecimento bíblico teológico

- Ter uma boa habilidade de comunicação e oratória

- Ter habilidades de liderança e administração

- Saber pregar ou ensinar

- Falar em outras línguas

- Promover ou contribuir para o crescimento da igreja, de uma congregação, de um órgão ou departamento


A regeneração deve ser uma experiência vivenciada por aqueles que almejam ou já exercem o santo ministério. As implicações práticas da regeneração na vida do obreiro se manifestam da seguinte forma:



- A regeneração é o primeiro requisito para ser obreiro, visto que para ser obreiro é preciso antes ser um cristão autêntico, nascido de novo (Jo 3.3)


- A regeneração é uma experiência pessoal e sobrenatural com Deus, como muitas que o obreiro deve ter em sua trajetória ministerial (Lc 3.22; At 9.1-9)


- A regeneração possibilita a habitação do Espírito Santo na vida do obreiro, lhe proporcionando consolo, socorro, direção, etc. (Jo 14.16-17)


- A regeneração possibilita o revestimento de poder, necessário para potencialização de nossas realizações (Lc 4.14; 24.49; At 1.8; 10.38)


- A regeneração possibilita a concessão dos dons necessários para o exercício do santo ministério (Rm 12.1-8; 1 Co 12.11; Ef 4.11; 2 Tm1.6-11)


- A regeneração possibilita o desenvolvimento e manifestação do fruto do Espírito na vida e ministério do líder e obreiro cristão (Gl 5.22-25)


- A regeneração possibilita para o líder e obreiro cristão um viver cheio do Espírito Santos (Lc 4.1; Ef 5.18)


REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS


HODGE, Charles. Teologia Sistemática. São Paulo: Hagnos, 2001.

THIESSEN, Henry Clarence. Palestras introdutórias à Teologia Sistemática. São Paulo: IBR, 1987.

STRONG, Augustus Hopkins. Teologia Sistemática. São Paulo: Hagnos, 2003.

Continua...

quinta-feira, 29 de julho de 2010

VIII ESBOM: A DOUTRINA DA REGENERAÇÃO E DA SANTIFICAÇÃO E SUAS IMPLICAÇÕES PARA A VIDA DO OBREIRO (1)


Amados leitores, publicarei em três posts o esboço das aulas que ministrarei na VIII ESBOM - Escola Bíblica para Obreiros em Mossoró-RN, que teve como tema específico "A Doutrina da Regeneração e da Santificação e suas Implicações para a Vida do Obreiro".

Tema Geral: O obreiro e o cuidado com a doutrina, a liturgia e os bons costumes.

Texto Bíblico: Filipenses 4.9

"O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso praticai; e o Deus da paz será convosco."

Introdução:

O termo "doutrina" deriva-se do grego didache, e pode significar o ato de ensinar ou o conteúdo do ensino. Na atualidade, podemos definir "doutrina" como: O conjunto de verdades fundamentais das Sagradas Escrituras, organizadas de forma sistemática ou metódica.

Conforme o texto de Filipenses 4.9:

- A doutrina (conjunto de saberes) é algo para ser aprendido, recebido e ouvido (aspectos teóricos ou conceituais), através do estudo informal (leituras, cultos ou reuniões de ensino, etc.) ou formal (cursos bíblicos ou teológicos em seus diversos níveis) da Bíblia sagrada.

- A doutrina é algo para ser visto em quem ensina e praticado por quem aprende (aspectos práticos ou vivenciais)

Observemos o texto abaixo:

"E desceu a Cafarnaum, cidade da Galiléia, e os ensinava. E muitos se maravilhavam de sua doutrina, porque a sua palavra era com autoridade." (Lucas 4.31-32)

Desta narrativa aprendemos que:

- O ensino da doutrina com poder, graça, clareza e profundidade fará com que os aprendentes se maravilhem.

- A vivência ou a prática da doutrina outorgará reconhecimento e autoridade aos ensinantes.

O valor da doutrina pode ser percebido:

- Em sua função de declaração da verdade bíblica revelada

- Em sua função apologética

- Em sua função evangelística

- Em sua função discipuladora
Mossoró-RN, 29/07/2010

Continua...

quarta-feira, 28 de julho de 2010

MOBILIZAÇÃO SOCIAL PELA EDUCAÇÃO: NOVA CARTILHA


O Blog da Mobilização Social pela Educação torna disponível, nesta terça-feira, 27 de julho, o arquivo digital da cartilha Famílias, acompanhem a vida escolar dos seus filhos. O material poderá ser utilizado por mobilizadores de todo o país em atividades direcionadas à conscientização dos pais sobre a importância da participação na trajetória de formação dos alunos das escolas públicas e os reflexos desse comportamento para a garantia do aprendizado.

O arquivo é disponibilizado em baixa resolução, de modo a facilitar a exibição de seu conteúdo em apresentações de slides, em exposições que reúnam famílias, profissionais da educação, membros da comunidade escolar, representantes de segmentos organizados da sociedade que atuem em prol da qualidade da educação, além de gestores e integrantes de órgãos públicos que lidem com temas relacionados à educação.

Outra versão do arquivo da cartilha possibilita a impressão da publicação. Assim, os mobilizadores podem buscar parcerias junto a órgãos públicos como secretarias municipais de educação, além de empresas, organizações religiosas e não governamentais, com o objetivo de que custeiem a reprodução em gráfica da cartilha, de modo que possa ser utilizada em ações junto às famílias.

Na última página da cartilha, o arquivo para impressão também oferece espaço para inserção da logomarca do parceiro patrocinador da reprodução da publicação.

Acesse o link abaixo para ter acesso a cartilha:

Fonte: Blog da Mobilização

terça-feira, 27 de julho de 2010

PELO RETORNO À PALAVRA


"Enquanto aguardam a liberação de uma sala para a entrevista, Antônio Gilberto e o repórter conversam sobre a Igreja Evangélica e assuntos relativos à fé cristã no Brasil. O pastor folheia um exemplar de CRISTIANISMO HOJE. “Não há mais muito temor a Deus”, comenta, a respeito do conteúdo de uma reportagem. Ele dá uma olhada pela janela e balbucia, como se falasse consigo mesmo: “Quem de nós tem buscado ao Senhor em espírito e em verdade?”. Em dado momento, a secretária lhe traz as informações que solicitou sobre um evento. A procura não é tão grande como o esperado. “É impressionante, irmão”, diz. “Antigamente, eram comuns campanhas de oração de uma semana, cultos de consagração que duravam um dia inteiro. Agora, o pessoal não quer orar nem por cinco minutos.”

Leia em Cristianismo Hoje a entrevista completa com o pastor Antônio Gilberto.

A AUTENTICIDADE DA PROFECIA. Subsídio para Lição Bíblica

A lição 5 da CPAD destaca o fato de que a autenticidade da profecia pode ser algo confirmado através daquilo que foi predito nas Escrituras, e que já teve o seu cumprimento no curso da história, produzindo desta forma a confiança de que as coisas que ainda não aconteceram, no devido tempo acontecerão.

Mais uma vez, apenas indicarei sites onde recursos visuais e textuais poderão ser encontrados, visto que continuo com muitos compromissos na preparação de materiais para conferências, palestras, seminários e escolas bíblicas. Segue abaixo algumas dicas:

Gráficos Sobre o Cumprimento profético

- Teologia Básica
- Perspectiva Profética

Textos sobre Escatologia Bíblica e Cumprimento Profético

- monergismo.com
- chamada.com
- ebdweb.com
- ensinodominical.com

Neste final de semana estarei ministrando na VIII ESBOM - Escola Bíblica de Obreiros em Mossoró (29 e 30/07) e no 4º Congresso de Escola Dominical em Camaçari-BA (31/07 e 01/08).

Abraços!

ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL: ENSINANDO PARA PROMOVER VIDA ESPIRITUAL

IMAGEM: ebenezerpentecostal.wordpress.com

Promover vida possui como prerrogativa ter vida. Para que a Escola Bíblica Dominical alcance os seus ideais de agência de ensino promotora de vida, torna-se necessário que aqueles que a fazem busquem, desfrutem, gozem, demonstrem e promovam vida.


A vida da qual falamos pode ser definida como vida integral, pois envolve o aspecto ou dimensão espiritual, moral e social do homem. Para uma tomada de consciência por parte dos professores da ED, se faz necessário entender ou rever algumas questões básicas em termos de vida espiritual.


1. A Escola Bíblica Dominical como Agência Promotora de Vida Espiritual


O maior pedagogo e professor de todos os tempos, Jesus, resumiu o objetivo geral de seu Projeto Político Pedagógico da seguinte forma:


“[...] eu vim para que tenham vida (zoen) e a tenham em abundância (perisson)”. (Jo 10.10b, ARA)


O termo grego zoe (vida), possui uma variedade de significados, trazendo no presente contexto a idéia de “o tipo de vida que Deus tem, que deu ao Filho (Jo 5.26) e que foi manifesta ao mundo (1 Jo 1.2), possibilitando ao homem ser dela participante pela fé (Jo 3.15). Já o termo perisson, traduzido no versículo citado por “abundância”, significa plenitude, demasia, mais do que realmente necessário, medida excedente, algo acima do usual.


Uma vida espiritual nestes níveis implica em:


- Conhecer a Deus abundantemente;

- Relacionar-se com Deus abundantemente;

- Fazer para Deus abundantemente


CONHECENDO E SE RELACIONANDO COM DEUS ABUNDANTEMENTE


O termo hebraico geralmente utilizado no A.T. para “conhecimento” é yada. Já no N.T., temos a palavra grega ginosko. Tanto uma, como a outra, podem ser traduzidas, dependendo do contexto, por: notar, perceber, entender, compreender, distinguir, saber, conhecer.


Mas não são nos sentidos acima descritos, que “conhecer” ganha aqui importância. “Conhecer”, em termos bíblicos, pode ser algo mais do que um simples conhecimento sensitivo ou intelectual, pode significar ainda:


- Conhecer de modo pessoal

- Um relacionamento de confiança entre pessoas

- Um relacionamento de amizade

- Um relacionamento de intimidade

- Um relacionamento sincero

- Um relacionamento transparente


É neste sentido que devemos entender as seguintes passagens:


Foi também congregada a seus pais toda aquela geração; e outra geração após eles se levantou, que não conhecia o SENHOR, nem tampouco as obras que fizera a Israel.” (Jz 2.10)


Gerações inteiras podem, através do conhecimento de Deus, desfrutar da fidelidade, do companheirismo e da proteção do Senhor, como também, podem se privar destas benesses, caso negligenciem tal conhecimento.


Eu te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos te vêem.” (Jó 42.5)


Jó evoluiu do conhecimento teórico, para o conhecimento pessoal.


Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade.” (Mt 7.21-23)


O Senhor sabe quem são aqueles que falsamente declaram que estão debaixo do seu senhorio. Estes, não gozam do privilégio de terem Deus como amigo, não desfrutam de sua confiança.


Eu sou o bom pastor; conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem a mim,” (Jo 10.14)


Os homens por vezes, apenas sabem coisas ao teu, e ao nosso respeito, mas somente Deus nos conhece plenamente e integralmente.


Quando conhecemos realmente a Deus, e por ele somos conhecidos, uma relação pessoal, de amizade, íntima, aberta e estável deve estar em evidência nas nossas vidas. Dessa forma, como professores de ED poderemos influenciar positivamente os nossos alunos para buscarem e experienciarem uma dimensão mais íntima e profunda com Deus, nosso Pai.


FAZENDO OU REALIZANDO PARA DEUS ABUNDANTEMENTE


O ensino na Escola Bíblica Dominical possui também como objetivo a capacitação e a realização de obras por parte dos alunos. Jesus nos deixou claro que a sua tarefa pedagógica deveria habilitar os seus discípulos (gr. mathetes, aprendiz, imitador, aquele que se esforça para seguir os ensinamentos e os exemplos de alguém) para a produção de frutos (gr. karpos, metaforicamente obras ou ações, ):


“Não fostes vós que me escolhestes a mim; pelo contrário, eu vos escolhi a vós outros e vos designei para que vades e deis fruto (karpon), e o vosso fruto permaneça;[...]” (Jo 15.16)


Professores que intentam alcançar tais objetivos precisam demonstrar aplicação, devoção e excelência naquilo que fazem como atividade pedagógica e docente professores, e em outras tarefas na igreja.


Em se tratando de atividades relacionadas com a tarefa do professor, o mínimo que se espera dele é:


- Formação e qualificação continuada em termos de Educação Cristã (formal ou informal)

- Dedicação na pesquisa em torno do tema da lição;

- Elaboração de um Plano de Aula (Conteúdo, objetivos, método de ensino, recursos didáticos, avaliação);

- Clareza e objetividade na fala (preparo homilético)

- Oração (preparo espiritual)


O texto de Romanos 12.7b é claro e direto:


“[...] o que ensina esmere-se no fazê-lo;”


Na medida em que professor da ED cresce em termos de vida espiritual, considerando a necessidade de conhecer mais, se relacionar melhor e fazer mais e melhor para o Senhor, estará apto para promover a vida que o ensino bíblico-cristão possibilita, e que foi tão evidenciada pelo Senhor Jesus, nosso supremo mestre e grande referencial docente.


segunda-feira, 26 de julho de 2010

2ª CONFERÊNCIA DE EDUCAÇÃO TEOLÓGICA (CEC-CGADB/CPAD)

LOCAL DO EVENTO


A 2ª Conferência de Educação Teológica coordenada pelo Conselho de Educação e Cultura da CGADB será realizada nos dias 6 à 8 de Agosto do corrente ano em Teresina – PI.


O Evento é alusivo a celebração do Centenário das Assembléias de Deus no Brasil. A Primeira Conferência aconteceu em Santos – SP (Região Sudeste) e agora chegou a vez de Teresina – PI (Região Nordeste).


Trata-se de um encontro de Diretores, Professores, Estudantes de Teologia, Obreiros e Esposas em Geral.

A Conferência acontecerá no Centro de Convenções da CEADP (Convenção Estadual das Assembléias de Deus do Piauí).


O Centro de Convenções está localizado na Rua Jacob Martins, 791 – Parque São João (próximo a Estação CHESF) em Teresina – PI.


Os temas e os preletores para a 2ª Conferência de Educação Teológica são os seguintes:


a) Teoria do Método Teológico (Pr. Jesiel Padilha - SP);

b) Antropologia Bíblica e suas Implicações (Pr. Elienai Cabral - DF);

c) Princípios Teológicos da Reforma Protestante (Pr. Altair Germano);

d) Modismos Teológicos da Pós-Modernidade (Pr. Esequias Soares - SP);

e) Pressupostos Hermenêuticos da Teologia Contemporânea (Pr. Esdras Bentho - RJ)

f) Exegese Bíblica do Novo Testamento (Pr. Douglas Baptista - DF).


A mensagem do culto de abertura será ministrada pelo Pr. José Wellington Bezerra da Costa (Presidente da CGADB). Os devocionais serão realizados pelos Pastores: José Gonçalves (Teresina-PI) e Eliezer Moraes (Porto Alegre-RS).


Inscrição e maiores informações no site da CPAD:


http://www.cpad.com.br/2conf_educacaoteologica/

PREGADORES, ENSINADORES, CONVITES E IGREJAS

Os pregadores e ensinadores que você convida, identifica o tipo de crentes, igreja e obreiros que você deseja formar.

domingo, 25 de julho de 2010

8ª ESCOLA BÍBLICA DA AD EM AMERICANA-SP: IMAGENS


A 8ª Escola Bíblica da AD em Americana-SP, presidida pelo pastor Antonio Munhoz, foi realizada no período de 20 a 24/07, e teve como tema "Fazendo de coração a vontade de Deus" (Ef 6.6).

Obreiros de várias cidades e estados, missionários em outros países, juntamente com a igreja local, se alimentaram dos estudos bíblicos e das pregações ministradas no evento. No sábado à tarde houve a separação e consagração de obreiros.

A 8ª EBA teve a coordenação do pastor Domingos Ferreira (1º Secretário da Igreja e Diretor do CETAD), e teve a participação dos seguintes preletores:

- Pr. Antonio Munhoz (Americana-SP)
- Pr. José Wellington B. da Costa (Belenzinho-SP)
- Pr. José Antonio dos Santos (Maceió-AL)
- Pr. Altair Germano (Abreu e Lima-PE)
- Pr. José Gonçalves (Teresina-PI)
- Pr. Paulo Herculano (Aguaí-SP)
- Pr. Raul Carlos (Oswaldo Cruz-SP)
- Pr. Ângelo Galvão (Campinas-SP)

Agradeço a Deus pelo privilégio de poder cooperar com este grande trabalho, como também pelo convite já recebido para a 9ª EBA, no próximo ano.

Nossa gratidão também a todos aqueles que nos deram assistência, entre eles o pastor Wilhans Alvarenga e esposa.

Que o Senhor Jesus continue abençoando aos que fazem a AD em Americana-SP.

Assista os vídeos da 8ª EBA AQUI

quarta-feira, 21 de julho de 2010

PROFECIA E MISTICISMO. Subsídio para Lição Bíblica


Amados leitores, em virtude dos muitos compromissos e agendas desta semana, não tive condições de preparar o subsídio para a 4ª Lição Bíblica deste trimestre.

Apesar disso, gostaria de contribuir mediante a indicação de um livro que servirá de fonte de pesquisa para esta e outras lições, cujo "ministério profético" seja o tema principal ou secundário. Trata-se da obra de John Bevere, intitulada "Assim diz o Senhor?: como saber quando Deus está falando com você através de alguém.", publicado no Brasil pela CPAD.

Boa leitura e aula!

8ª ESCOLA BÍBLICA DA AD EM AMERICANA-SP: TRANSMISSÕES AO VIVO


Estarei de 22 a 24/07 participando da 8ª Escola Bíblica de Americana-SP como um dos preletores, e quero convidar aos leitores deste blog para acompanherem as transmissões ao vivo conforme dias e horários abaixo especificados:

Horários das transmissões:

- Dias 20 à 24 - Noite: 19h às 21h
- Dias 21 à 24 - Manhã: 8h30 à 13h

Para assistir as transmissões acesse o site www.adamericana.com.br ou acesse o link na bara lateral deste blog.

terça-feira, 20 de julho de 2010

6º CONGRESSO DE MULHERES DA AD EM ABREU E LIMA-PE: IMAGENS

Irmã Iraci Soares (Coordenadora da UEMADALPE) e irmã Lourdes Gonzaga (Vice-Coordenadora)

Irmã Samira Santos (sentada à esquerda) e irmã Helena Raquel (sentada à direita)

Congressistas louvando a Deus

Grande Coral de Mulheres

Cerca de 3.000 mulheres participaram do primeiro dia de palestras do 6º Congresso de Mulheres da AD em Abreu e Lima-Pe.

No período da manhã as palestras foram ministradas pelos pastores José Ferreira (PE) e Marcos Gonçalves (PE). Pela tarde, ministrei a primeira aula, onde falei da necessidade atual do preparo teológico para a mulher cristã do século XXI, em face aos novos espaços ocupados na igreja, e aos novos desafios e necessidades provenientes desta realidade. A segunda palestra ficou por conta da irmã Helena Raquel (SP), que enfatizou a necessidade da mulher cristã não sair da vontade de Deus, buscando se humilhar em face às adversidades da vida. Amanhã se alternarão nas palestras as irmãs Samira Santos (RN) e Helena Raquel (SP).

A irmã Iraci Soares, Coordenadora Geral da UEMADALPE e esposa do pastor Roberto José, (Presidente da Igreja e da UMADALPE) demonstrou grande satisfação com o mover de Deus nesses momentos iniciais do trabalho.

O Congresso segue conforme a programação abaixo:

4ª e 5ª Feira (Diurno)

1ª Aula - 09h30
2ª Aula - 10h45
3ª Aula - 14h30
4ª Aula - 15h45

3ª, 4ª e 5ª (Noturno)

19h00 - Palestras para Casais com o pastor Josué Gonçalves (RJ)

6ª Feira (Diurno)
08h00 às 17h00 - Aniversário da UEMADALPE (União de Ministros das Assembleias de
Deus em Abreu e Lima-PE) e do Círculo de Oração.

Domingo (Noturno)

19h00 - Encerramento das Festividades

A programação está sendo transmitida ao vivo pela Rádio Web e TV Web Novas de Paz, conforme link abaixo (e acima, na barra lateral deste blog)

TV WEB NOVAS DE PAZ

Em breve estarei publicando os esboços das aulas que ministrei na 2ª Conferência de EBD de Natal e do 6º Congresso de Mulheres da AD em Abreu e Lima-PE.

segunda-feira, 19 de julho de 2010

2ª CONFERÊNCIA DE EBD EM NATAL-RN: IMAGENS

Pastor Presidente, membros da Diretoria da Igreja, organizadores e palestrantes

Equipe de recepção e apoio com os palestrantes e organizadores do evento

Pastor Antônio Oliveira, que em 1995 me apresentou para Auxiliar Oficial da Congregação em Pirangi (Natal-RN)

Conferencistas no Templo Central da AD em Natal-RN

A 2ª Conferência Estadual de EBD realizada na Assembleia de Deus em Natal-RN, no período de 16 a 18/07, teve a participação de 570 professores e superintendentes inscritos, sendo considerada um sucesso pelos seus organizadores.

Entre os temas abordados tivemos:

- Ensinar e aprender: Espaços Relacionais de Saberes e Constituição de Si, do Outro, de nós (Profª Márcia Braz - RN)
- A Relevância da EBD para a Igreja na Pós-Modernidade (Pr. César Moisés - RJ)
- A Escola Dominical como promotora de vida espiritual, moral e social (Pr. Altair Germano - PE)
- O conhecimento da Palavra de Deus na vida do adorador (Pr. Klauber Maia - RN)
- Avivados pelo ensino bíblico (Pr. Kleber Maia - RN)

A conferência foi coordenada pelo pastor Emmanuel (Superintendente da EBD), tendo o apoio do Presidente da Igreja, pastor Raimundo Santana, Diretoria e Ministério.

6º CONGRESSO DE MULHERES DA AD EM ABREU E LIMA-PE


Começa hoje, às 18h00, no templo central da AD em Abreu e Lima-PE, o 6º Congresso de mulheres, onde se estima uma frequência média diária de 2.500 mulheres. Entre os palestrantes estão:

- Pr. Roberto José (Presidente da AD em Abreu e Lima-PE)
- Pr. Altair Germano (PE)
- Pr. José Ferreira (PE)
- Pr. Marcos Gonçalves (PE)
- Pr. Elson de Assis (RJ)
- Pr. Genival Bento (AL)
- Ir. Samira Santos (RN)
- Ir. Alena Raquel (SP)

As aulas serão ministradas de segunda a sexta das 9h00 às 12h00 e das 14h00 às 17h00. De terça a quinta, às 19hoo haverá palestra para casais com o pastor Josué Gonçalves.

Para maiores informações ligue (81) 3542 1030.

Assista o Congresso através do link abaixo:

CONGRESSO DE MULHERES NA TV WEB

sexta-feira, 16 de julho de 2010

8ª ESCOLA BÍBLICA DA AD EM AMERICANA-SP


A Igreja Evangélica Assembléia de Deus Ministério Belém Campo de Americana realizará de 20 a 24 de julho de 2010, a 8ª Escola Bíblica de Americana, (8ª EBA) no novo templo sede, situado a Rua 1º de Maio, 40 Bairro Cordenonsi, Americana-SP.

O tema está baseado na epistola do apóstolo Paulo aos Efésios 6.6: “Fazendo de coração a vontade de Deus”. Ministrarão a palavra de Deus os pastores, Antônio Munhoz, presidente do campo de Americana e 3º vice-presidente da Confradesp (Convenção Fraternal Interestadual das Assembléias de Deus do Ministério Belém estado de São Paulo), José Wellington Bezerra da Costa, presidente da C.G.A.D.B (Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil) e Confradesp. E ainda os pastores Pr. Paulo Herculano, José Antônio Neco, Altair Germano, Ângelo Galvão, José Gonçalves e Raul Carlos Martins.

O objetivo da Escola Bíblica e transmitir o ensino da palavra de Deus, pois os crentes em Cristo Jesus estão cercados de grandes desafios, que “só serão vencidos se nós buscarmos a Deus e estivermos firmes na sua palavra”. Destacou o pastor presidente Antônio Munhoz.

A Escola Bíblica trabalha dois processos na vida espiritual da igreja, ela desperta os crentes para estudarem acerca de um assunto especifico e após a ministração dos ensinos os participantes terem argumentos para discutirem, acerca do tema apresentado, e em seguida despertar nas pessoas, o interesse pelo aprofundamento do conhecimento da palavra de Deus.

A relevância da Escola Bíblica é porque ela serve de base, de fundamentação, para defesa da fé, por um bom tempo se negligenciou o ensino sistemático da palavra de Deus, ou seja, do conhecimento profundo da Bíblia, se dando mais ênfase ao poder, a graça e aos dons, sem cuidar de ensinar e de até como desfrutar dessa graça, desse poder e desses dons com mais perfeição e glória, mas de alguns anos para cá tem se vivido um despertamento nesse sentido de maneira que hoje se tem escolas teológicas na maioria das igrejas e dos campos de trabalho.

Programação

20/07 – Terça-feira - 19h - Culto Abertura
Preletor: Pr. José Wellington B. Costa
Participação: ORQUESTRA REGIONAL e USADAM, CORAL REGIONAL.

21/07 – Quarta-feira - Manhã
8h30 às 9h30 - Devocional
9h30 às 10h30 – Preletor: Pr Antônio Munhoz
10h45 às 11h45 - Preletor: Pr. Raul Carlos Martins
12h00 às 13h00 - Preletor: Pr. Angelo Galvão
Noite 19h
Preletor: Pr. Raul Carlos Martins
Participação: CORAL JD. SÃ0 JORGE, CORAL JD. MOLLON, ORQUESTRA SÃO JERONIMO.

22/07 – Quinta-feira - Manhã
8h30 às 9h30 - Devocional
9h30 às 10h30 - Preletor: Pr. Paulo Herculano
10h45 às 11h45 - Preletor: Pr. Altair Germano
12h00 às 13h00 - Preletor: Pr. José Antonio

Noite 19h
Preletor: Pr. José Antonio
Participação: UNADICAM, CORAL CIDADE JARDIM, ORQUESTRA BELA VISTA.

23/07 - Sexta – Feira - Manhã
8h30 às 9h30 - Devocional
9h30 às 10h30 - Preletor: Pr. José Gonçalves
10h45 às 11h45 - Preletor: Pr. José Antonio
12h00 às 13h00 - Preletor: Pr. Altair Germano

Noite 19h
Preletor: Preletor: Pr. Altair Germano
Participação: ORQUESTRA VALE DAS NOGUEIRA, CORAL JARDIM ADÉLIA, CORAL CIDADE NOVA.

24/07 – Sábado – Manhã
8h30 às 9h30 - Devocional
9h30 às 10h30 - Preletor: Pr. José Gonçalves
10h45 às 11h45 - Preletor: Pr. Altair Germano
12h00 às 13h00 - Preletor: Pr. Munhoz
Participação: Espaço Jovem (Umadame), Consagração de Obreiros

Noite 19h
Culto de Encerramento / Agradecimentos
Preletor: Pr. José Gonçalves
Participação:UMADAME, CORAL DA SEDE, ORQUESTRA REGIONAL

Fonte: Site da AD em Americana-SP

quinta-feira, 15 de julho de 2010

II CONFERÊNCIA ESTADUAL DE ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL DA AD EM NATAL-RN


A Assembleia de Deus em Natal-RN realizará de 16 a 18/07, a sua II Conferência Estadual de Escola Bíblica Dominical, que terá como tema "Escola Bíblica Dominical: ensinando para promover vida".

As inscrições serão abertas a partir do dia 07/07, tendo como público alvo os superintendentes e professores de Escola Bíblica Dominical do Rio Grande do Norte. Maiores informações devem ser buscadas no templo central (Rua Manoel Miranda, 251, Alecrim - Natal-RN, Fone: (84) 33114605) ou nas igrejas pólos dos setores.

Para conferir a programação, click no link abaixo:

II CONFERÊNCIA ESTADUAL DE EBD

Abraços!

ESBOÇO BÍBLICO: SETE ATITUDES QUE PROMOVERÃO EM NOSSAS VIDAS UM CONTÍNUO E VERDADEIRO AVIVAMENTO ATÉ AO FIM


Texto: Daniel 12.13a

"E você, Daniel, continue firme até o fim." (NTLH)

Introdução:

Daniel é um claro exemplo de uma vida que experienciou um contínuo e verdadeiro avivamento. A ideia de avivamente disseminada por muitos em nossos dias precisa ser revista.

Muito daquilo que chamam de avivamento na atualidade não passa de momentos emotivos e pontuais.

As sete atitudes que aprendemos com o profeta Daniel, que possibilita e identifica um avivamento contínuo e verdadeiro em nossas vidas são:

1ª) Receber uma boa fundamentação espiritual, fruto do aprendizado equlibrado e sério dos rudimentos da fé. Como filho de Judeus ele certamente recebeu isso em seu lar (Dt 6.1-9), pois caso contrário, teria socumbido na fé em face as calamidades que enfrentou ainda muito jovem, chegando ao ponto de ser levado cativo para a Babilônia (Dn 1.1-6).

2ª) Tomar decisões dirigidas por princípios, e não pelas circunstâncias. Com o propósito de levar vantagens ou de não ser sofrer perdas ou danos, muitos tomam decisões relativizando os princípios espirituais, morais e éticos das Sagradas Escrituras (Dn 1.8).

3ª) Ter convicção daquilo (dons, talentos, habilidades e etc) que recebeu do Senhor, para que possa reconhecer os próprios limites e possibilidades como escolhido de Deus para um propósito específico (Dn 1.17).

4ª) Manter-se simples e humilde diante do crescimento, do sucesso e da projeção acadêmica, profissional,, ministerial e etc., não se tornando arrogante e prepotente (Dn 2.48-49).

5ª) Manter a regularidade e a disciplina na prática devocional da oração (Dn 6.10).

6ª) Ser um assíduo leitor e estudante das Sagradas Escrituras (Dn 9.1-2).

7ª) Desejar, buscar e crescer em experiências pessoais e sobrenaturais com Deus e na realização de sua obra (sonhos, visões, iluminação das verdades bíblicas, pregação e ensino com autoridade e poder, intervenções do Senhor no curso da história, sabedoria e conhecimento vindos do Senhor e etc. (Dn 2.19; 4.19; 5.24-31; 7.1; 8.1; 9.21; 10.1 ss).

Conclusão:

Siga o exemplo de Daniel para não apenas começar bem a sua trajetória de fé e serviço, mas viver plenamente, continuamente e verdadeiramente um avivamento até ao fim.

2º CONGRESSO DE JOVENS DA UMADALPE EM J. PAULISTA BAIXO


FOTOS: Blog da UMADALPE de J. Paulista Baixo

Preguei ontem à noite no 2º Congresso de Jovens da União de Mocidade da Assembleia de Deus em J. Paulista Baixo, onde destaquei a importância de se buscar um contínuo e verdadeiro avivamento, com base no texto de Daniel 12.13a e em sua trajetória de vida.

Saiba mais sobre o Congresso no Blog da UMADALPE de J. Paulista Baixo.

quarta-feira, 14 de julho de 2010

AGENDA: PRÓXIMOS EVENTOS



MINHA AGENDA 2010/2011 ATUALIZADA

JULHO
  • 14/07 - Congresso de Jovens na AD em J. Paulista Baixo (Paulista-PE)
  • 16 a 18/07 - Congresso Estadual de Escola Dominical na AD Natal-RN (EBD: Ensinando para Promover Vida)
  • 20/07 - Congresso para Mulheres na AD em Abreu e Lima-PE
  • 21 a 24/07 - Escola Bíblica na AD em Americana-SP
  • 28/07 - Reunião do Diretório Estadual da SBB em Recife-PE às 14h00
  • 29 e 30/07 - Escola Bíblica de Obreiros (ESBOM) na AD em Mossoró-RN
  • 31/07 - 4º Congresso de Escola Bíblica Dominical na AD em Camaçari-BA (O Professor da EBD e o Manejo Estrutural, Exegético e Homilético da Bíblia)
AGOSTO
  • 01/08 - Culto Missionário na AD em Camaçari-BA
  • 06 a 08/08 - 2ª Conferência de Educação Teológica (CEC/CGADB, CPAD) na cidade de Teresina-PI
  • 13 a 15/08 - Conferência Missionária da UMADET na AD em Turilândia-MA
  • 21/08 - Encontro de Líderes na AD em Petrolina-PE (COMADALPE)
  • 27 a 29/08 - Congresso de Jovens na IB EBENÉZER em Brasília-DF
SETEMBRO
  • 04/09 - Encontro de Líderes na AD em Caetés 1 (Abreu e Lima-PE, COMADALPE)
  • 05/09 - Comentário da Lição Bíblica na EBD da AD em Abreu e Lima-PE
  • 11 e 12/09 - Congresso de Jovens na AD em Conjunto Soledade II (Natal-RN)
  • 17 a 19/09 - 2ª Conferência de Escola Dominical na AD em Itapajé-CE
  • 23 e 24/09 - Semana Pentecostal na AD em Paranaguá-PR
  • 25 e 26/09 - Congresso de Jovens na AD em Ceilândia-DF (Jovens, Desperta-te. Uma geração lá fora clama por vós)
OUTUBRO
  • 09/10 - 1º Simpósio de EBD na AD em Maranguape 1 (Paulista-PE) às 9h00
  • 09/10 - Encontro de Líderes na AD em Abreu e Lima-PE (COMADALPE) às 14h00
  • 14 a 16/10 - Encontro de Escola Dominical na AD em Joinvile-SC
NOVEMBRO
  • 05 e 06/11 - Seminário de Ciências Bíblicas da Sociedade Bíblica do Brasil em Tucuruí-PA
  • 12 a 15/11 - 2º Congresso de EBD na AD em Canaã dos Carajás-PA (COMIEADEPA)
  • 19 e 20/11 - Seminário de Ciências Bíblicas da Sociedade Bíblica do Brasil em Vitória da Conquista-BA
  • 27/11 - Encontro de Líderes na AD em Cabo-PE (COMADALPE)
DEZEMBRO
  • 03 a 05/12 - 1º Congresso da Família do Setor 5 (Aracajú-SE)
  • 10 a 12/12 - 2º Seminário de Escola Dominical da Assembleia de Deus "Um Novo Viver" em Brasília-DF
AGENDA 2011

JANEIRO
  • 27 a 30/01 - Aniversário da AD em Apucarana-PR
ABRIL
  • 16 e 17/04 - 3ª Escola Bíblica da AD em Samambaia-DF
  • 20 a 24/04 - 4ª Escola Bíblica da AD em Carapina (Serra-ES)
MAIO
  • 15 a 22/05 - Escola Bíblica de Obreiros na AD em Abreu e Lima-PE
SETEMBRO
  • 19/09 a 02/10 - Escola Bíblica de Obreiros no Equador (COMADALPE)

2º CONGRESSO UNIFICADO DA AD EM RIO BRANCO-AC

O Calçadão da Gameleira foi tomado por uma grande multidão

Vários pastores e obreiros estiveram presentes no culto de abertura

A mensagem foi pregada com base em 2 Pe 3.17-18 (texto tema do Congresso)

Ao lado do pastor Luiz Gonzaga (Presidente da AD em Rio Branco-AC)

Tive a honra de pregar na abertura do 2º Congresso Unificado da Assembleia de Deus em Rio Branco-AC, presidida pelo pastor Luiz Gonzaga.

O culto de abertura foi celebrado ao ar livre no calçadão da Gameleira, onde uma multidão de pessoas fluíram e lá foram impactadas com o mover do Espírito, adorando a Deus e sendo por Ele ministradas por sua Palavra.

O evento acontece de 10 a 19 de Julho, tendo este ano o tema "Crescendo na graça e no conhecimento de Cristo para influenciar a presente geração". 2 Pe 3.18

Que o Senhor em tudo continue abençoando a todos que fazem a Assembleia de Deus em Rio Branco-AC.

terça-feira, 13 de julho de 2010

AS FUNÇÕES SOCIAIS E POLÍTICAS DA PROFECIA (2). Observações sobre erro encontrado no comentário da Lição

Fui abordado ontem, após o término da Santa Ceia no Templo Central da AD em Abreu e Lima-PE, pelo pastor João Barbosa, que me informou de um possível erro no comentário da Lição 3 da CPAD deste trimestre. Ao chegar em casa fui conferir, e realmente confirmei o equívoco.

Em minhas investigações, acabei por encontrar uma dificuldade bíblica, que sobre ela comentarei na sequência deste post.

O PROBLEMA NO COMENTÁRIO DA LIÇÃO

No segundo ponto da lição, intitulado "O PROFETA É ENVIADO AO REI", lemos:

"Como vimos na leitura bíblica, embora tenha jurado lealdade e obediência aos babilônicos (2 Cr 36.11-14) e, por isso, reinado onze anos em Jerusalém, o rei Joaquim (que teve o seu nome mudado pelo rei da babilônia, o qual passou a chamá-lo de Zedequias) rebelou0se contra o rei dos caldeus no oitavo ano de seu reinado (2 Rs 24.8-17). Mesmo já estando Judá sob o domíno babilônio, tal postura ocasionou a destituição do rei Joaquim por Nabucodonosor em 598 a.C., que mandou levá-lo para a capital do Império e colocou seu tio, Matanias em seu lugar."

O problema está no fato de que não foi Joaquim que teve o nome mudado pelo rei da Babilônia, mas sim Matanias, o seu tio e sucessor, que passou a ser chamado de Zedequias:

"E o rei de Babilônia estabeleceu rei, em lugar de Joaquim, ao tio deste, Matanias, e lhe mudou o nome {para} Zedequias." (2 Rs 24. 17, ARC)

"O rei da Babilônia estabeleceu rei, em lugar de Joaquim, ao tio paterno deste, Matanias, de quem mudou o nome para Zedequias." (2 Rs 24.17, ARA)

"Fez Matanias, tio de Joaquim, reinar em seu lugar, e mudou seu nome para Zedequias." (2 Rs 24.17, NVI)

"Nabucodonosor colocou Matanias, o tio de Joaquim, como rei de Judá e mudou o nome dele para Zedequias." (2 Rs 24.17, NTLH)

Fica claro então, que quem teve o nome mudado para Zedequias foi Matanias, e não Joaquim. A mudança de nome tinha como uma das principais funções a demonstração de poder do rei conquistador sobre o rei conquistado.

A DIFICULDADE BÍBLICA

Quando comparamos a narrativa dos fatos de 2 Rs 24.17 com 2 Crônicas 36.9-10, vamos observar o seguinte:

- ALMEIDA REVISTA E CORRIGIDA (ARC)

"9 {Era} Joaquim da idade de oito anos quando começou a reinar e três meses e dez dias reinou em Jerusalém; e fez o {que era} mau aos olhos do SENHOR.

10 E, no decurso de um ano, o rei Nabucodonosor mandou que o levassem à Babilônia, com também os mais preciosos utensílios da Casa do SENHOR, e pôs a Zedequias, seu irmão, rei sobre Judá e Jerusalém."

- ALMEIDA REVISTA E ATUALIZADA (ARA)

"9 Tinha Joaquim dezoito anos quando começou a reinar e reinou três meses e dez dias em Jerusalém. Fez ele o que era mau perante o SENHOR.

10 Na primavera do ano, mandou o rei Nabucodonosor levá-lo à Babilônia, com os mais preciosos utensílios da Casa do SENHOR; e estabeleceu a Zedequias, seu irmão, rei sobre Judá e Jerusalém."

- NOVA VERSÃO INTERNACIONAL (NVI)

"9 Joaquim tinha dezoito anos de idade quando começou a reinar; e reinou três meses e dez dias em Jerusalém. Ele fez o que o Senhor reprova.

10 Na primavera o rei Nabucodonosor mandou levá-lo para a Babilônia, junto com objetos de valor retirados do templo do Senhor, e proclamou Zedequias, tio de Joaquim, rei sobre Judá e sobre Jerusalém."

- NOVA TRADUÇÃO NA LINGUAGEM DE HOJE (NTLH)

"9 Joaquim tinha dezoito anos de idade quando se tornou rei de Judá. Ele governou três meses e dez dias em Jerusalém. Joaquim fez coisas erradas, que não agradam a Deus, o SENHOR.

10 Na primavera daquele ano, o rei Nabucodonosor mandou prendê-lo e levá-lo como prisioneiro para a Babilônia, levando também os objetos mais valiosos que havia no Templo. E Nabucodonosor colocou Zedequias, tio de Joaquim, como rei de Judá e de Jerusalém."

Perceba que enquanto em 2 Rs 24.17 Zedequias é identificado como tio de Joaquim, em 2 Cr 36.10, nas versões ARC e ARA ele é identificado como irmão de Joaquim.

Já as versões NVI e NTLH identificam Zedequias em 2 Cr 36.10 como tio de Joaquim, como se encontra em 2 Rs 24.17.

Fui conferir na Bíblica Hebraica Sttutgartensia os textos acima, e lá temos o seguinte:

- 2 Rs 24.17: mataniah dhodho (Matanias tio)

- 2 Cr 36.10: tsideqiyah 'ahim (Zedequias irmão)

Dessa forma, entendemos que para conciliar o problema do texto hebraico (onde as versões ARC e ARA foram fiéis ao texto hebraico) as versões NVI e NTLH preferiram modificar 2 Cr 36.10 trocando o termo "irmão" para "tio".

A Bíblia de Jerusalém traduziu o texto de 2 Cr 36.9-10 da seguinte forma:

"9 Joaquin tinha dezoito anos quando começou a reinar e reinou três meses e dez dias em Jerusalém; fez mal aos olhos de Iahweh.

10 No fim do ano, o rei Nabucodonosor mandou prendê-lo e conduzi-lo a Babilônia junto com os objetos preciosos do Templo de Iahweh, e constituiu Sedecias, seu irmão, como rei de Judá e Jerusalém."

Na nota de rodapé da referida Bíblia, ao tratar sobre o texto acima lemos:

"De fato, era tio (2 Rs 14.17). Mas 1 Cr 3.15-16 distingue dois Sedecias, um tio e um irmão de Joaquin."

Podemos entender a dificuldade no texto hebraico, e consequentemente nas versões ARC e ARA como um erro do copista.

Tais erros podem ser encontrados em outros locais, como no exemplo abaixo:

"Tinha Joaquim dezoito anos de idade quando começou a reinar e reinou três meses em Jerusalém; e {era} o nome de sua mãe Neústa, filha de Elnatã, de Jerusalém." (2 Rr 24.8, ARC)

"{Era} Joaquim da idade de oito anos quando começou a reinar e três meses e dez dias reinou em Jerusalém; e fez o {que era} mau aos olhos do SENHOR." (2 Cr 36.9, ARC)

Nas versões abaixo o texto de 2 Cr 36.9 foi corrigido:

"Tinha Joaquim dezoito anos quando começou a reinar e reinou três meses e dez dias em Jerusalém. Fez ele o que era mau perante o SENHOR." (ARA)

"Joaquim tinha dezoito anos de idade quando começou a reinar; e reinou três meses e dez dias em Jerusalém. Ele fez o que o Senhor reprova." (NVI)

"Joaquim tinha dezoito anos de idade quando se tornou rei de Judá. Ele governou três meses e dez dias em Jerusalém. Joaquim fez coisas erradas, que não agradam a Deus, o SENHOR." (NTLH)

No texto hebraico temos:

- 2 Rs 24.8: shemoneh 'esreh shanah (dezoito anos de idade)

- 2 Cr 36.9: shemoneh shanim (oito anos)

Apesar de tais dificuldades existirem, elas em nada comprometem a credibilidade da Bíblia quanto a sua inspiração.

É bom lembrar que estas pequenas discrepâncias fazem parte das cópias em hebraico, e não dos originais que saíram das mãos dos escritores bíblicos (até então não encontrados).

Termino aqui este post, contando com qualquer ajuda que venha a esclarecer os fatos aqui narrados, pois como qualquer outro posso estar equivocado em minhas colocações, não tendo problema algum em me retratar ou corrigir algum comentário feito.