sábado, 2 de outubro de 2010

O QUE É ORAÇÃO. Subsídio para Lições Bíblicas da CPAD

Neste último trimeste de 2010 o tema oração será abordado nas Lições Bíblicas da CPAD.

Esperamos em Deus, poder continuar publicando semanalmente os nossos subsídios. Continuo contando com as vossas orações.

Iniciarei este texto, com algumas belas frases sobre o valor da oração:

"A oração é o ato onipotente que coloca as forças do céu à disposição dos homens." (Henri Lacordaire)

"Eu creio que sou incapaz de odiar. Através de uma disciplina baseada na oração, faz pelo menos quarenta anos que procuro amar todos."(Mahatma Gandhi)

"A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos." (Tiago)

"Não há homem que, orando de todo coração, não aprenda alguma coisa." (Ralph Waldo Emerson)

"A oração é a irmã trêmula do amor." (Vítor Hugo)

"Na oração, é melhor ter um coração sem palavras do que palavras sem um coração.” (John Bunyan)

Segundo Thiessen, ninguém poder ler a Bíblia sem ficar impressionado com a importância do lugar dado à oração em suas páginas. Começando com a conversa entre Deus e Adão, e por todo o Antigo e Novo Testamento, temos exemplos de homens que oravam. A oração, segundo nos apresentada nas escrituras, vai além de um privilégio, ela é uma ordem (Gn 18.22-23; II Rs 19.15; Sl 5.2; 32.6; I Sm 12.23; Jr 29.7; Mt 5.44; 26.41; Lc 18.1; 21.36; Ef 6.18; I Ts 5.17, 25; I Tm 2.8; Tg 5.13-16).

- Esdras entendia que a oração era mais importante que um exército (Ed 8.21-23);
- Jesus a julgava mais necessária que o alimento e o sono (Mt 4.2; Mc 1.35; Lc 6.12);
- Os apóstolos a colocavam antes da pregação (At 6.4).

A NATUREZA DA ORAÇÃO

A oração tem sido definida como a “conversa da alma com Deus”. Orar é falar com Deus. A oração bíblica possui algumas características que passaremos a abordá-las;

a) Confissão. Chegar-se diante de Deus com consciência de nossas falhas e fraqueza humana, expressando um profundo desejo de melhor servi-lo e agradar-lhe, é fator fundamental na oração, como pode ser visto nos textos que se seguem (I Rs 8.47; Ed 9.5-10; Ne 1.6,7; 9.33-35; Dn 9.3-15; Lc 18.9.14);

b) Adoração. Adorar é reverenciar, louvar, reconhecer a majestade e a soberania de Deus. É amá-lo por aquilo que Ele é. (Sl 45.1-8; Is 6.1-4; Hc 3.17-19; Mt 14.33; 15.25; 28.9; Ap 4.11);

c) Comunhão. Do grego koinonia, fala do relacionamento que o crente passa a manter com Deus, mediante o sacrifício de Cristo Jesus no calvário. Nesta condição, pode dirigir-se a Deus, chamando-o de Pai (Mt 6.9; Rm 8.15);

d) Ação de graças. Temos vários exemplos desta prática na oração: A canção de Miriã (Êx 15), A canção de Débora (Jz 5) e A canção de Davi (II Sm 23). As Escrituras são repletas de exortações para que sejam dadas ações de graças (Fl 4.6; Cl 4.2; Ef 5.20; Sl 95.2; 100.4).

e) Petição. É somente depois de termos glorificado a Deus em nossa oração que estamos prontos a pensar em nós mesmos. A petição é o ato de tornar conhecidos os nossos pedidos. É verdade que antes mesmo de expressar nossas necessidades e desejos, Deus já as conhece. Contudo Ele tem prazer de conosco se comunicar através da oração (Dn 2.17, 18; 9.16-19;Mt 7.7-12; Jo 11.22; Atos 4.29, 30; Fl 4.6).

f) Súplica. Suplicar é simplesmente insistir em nosso pedido;

- Daniel fez petição e súplicas a Deus (Dn 6.11);
- O espírito de súplicas será derramado sobre Israel (Zc 12.10);
- A mulher siro-fenícia suplicou e seu pedido foi ouvido (Mt 15.22-28);
- Os eleitos que clamam a Deus dia e noite serão ouvidos com presteza (Lc 18.1-8);
- Paulo nos exorta a suplicar (Ef 6.18; I Tm 2.10).

g) Intercessão. Do latim intercessionem, é súplica em favor de outrem. A intercessão pressupõe sofrer com os que sofrem; chorar com os que choram; e, tomar, como se fossem nossas, as dores alheias. É dizer a Deus que nos importamos com o sofrimento e as necessidades do próximo.

- Deus procura intercessores (Is 59.16);
- Devemos interceder em favor de todos os homens (I Tm 2.1);
- Por todos quanto ocupam posição de autoridade (I Tm 2.2);
- Pelos ministros (II Co 1.11; Fl 1.29);
- Por todos os santos (Ef 6.18);
- Pelos patrões (Gn 24.12-14);
- Pelos servos (Lc 7.2, 3);
- Pelas crianças (Mt 15.22);
- Pelos enfermos (Tg 5.14);
- Pelos que nos perseguem (Mt 5.44);
- Por nossos inimigos (Jr 29.7);
- Pelos que nos invejam (Nm 12.13);
- É um pecado neglicenciarmos a oração intercessória ( I Sm 12.23);
- A oração intercessória beneficia o próprio intercessor (Jó 42.10).

O MÉTODO E A MANEIRA DE ORAR

Apesar de ser uma tendência natural e universal, o homem precisa aprender a orar (Lc 11.1; Rm 8.26). Com base nos princípios e natureza da oração aqui já aprendidos, Jesus deixou um modelo para nossas orações, designada “O Pai nosso” (Mt 6.9-13). Consideremos, então, o método e modo bíblico de orar.

- A posição de orar. As Escrituras não prescrevem nenhuma posição em particular, mas ilustram e ensinam todas elas:

- Em pé (Mc 11.25; Lc 18.13; Jo 17.1);
- Ajoelhado (Lc 22.41; I Rs 8.54; Ef 3.14; At 20.36);
- Prostrado no chão (Mt 26.39);
- Deitado na cama (Sl 63.6);
- Assentado (I Rs 18.42);
- Pendurado na cruz (Lc 23.42).

Tudo isto indica que não é a postura do corpo que importa, mas, sim, a atitude do coração (Jo 15.17a). Há, contudo, mais indicações de que as pessoas ou se postaram de pé ou se ajoelharam para orar quando se aproximaram de Deus, do que qualquer outra posição.

- A hora de orar. As escrituras ensinam que devemos orar sempre (Lc 18.1; Ef 6.18); mas ensinam também que devemos ter horários estabelecidos para a oração (Sl 55.17; Dn 6.10; At 3.1). É verdade que todos esses são exemplos do que os outros fizeram, e não preceitos acerca da oração, mas pelo menos indicam que a regularidade em orar é desejável. Não há, portanto, uma hora especial para podermos Ter uma audiência com Deus, mas todo momento é igualmente aceitável para Ele.

- O lugar de orar. Percebemos que a Bíblia encoraja a oração secreta, no quarto, longe de todos os elementos ao nosso derredor que nos podem perturbar (M t 6.6; Dn 6.10; Mc 1.35; Mt 14.23). Há também exemplos de oração na prisão (At 16.25), como em vários outros lugares públicos. Paulo nos admoesta a orar “em todo o lugar” (I Tm 2.8).

A disciplina da oração é profundamente necessária na vida devocional do cristão, juntamente com a leitura da Palavra de Deus. Devemos sempre lembrar que a nossa oração precisa estar totalmente em linha e alicerçada por esta Palavra (Jo 15.7).

Siga-me no TWITTER

Conheça o meu canal no YouTube

7 comentários:

Presb. Fabio Scofield disse...

Olá! Pr. Altair, Graça e Paz...

Parabéns por divulgar este tão importante trabalho da CPAD, que tem em primeiro lugar trazer ao povo de Deus um conhecimento, não apenas teológico, mas o devocional, e nesta revista que se trata da oração, o grande instrumento, ou melhor, o segundo caminho para o homem se aproximar de Deus.Com certeza nos vamos aprender muito sobre este caminho da oração neste trimestre. Não só aprender como orar, mas buscar um coração puro para poder orar, sem impedimento diante do nosso Deus. (Mc-11:22-26).
Sou seguidor do seu blog, quando desejar visite também o meu humilde trabalho, para mim será uma grande honra.
Deus abençoe sua vida, sua família e seu ministério...

Elisomar disse...

A lição do próximo trimestre vem com um tema importantíssimo! No entanto e infelizmente os comentarista não despertaram ainda para perceberem que uma das funções da igreja, é de disciplinar.
Há tantas lacunas dentro da igreja por falta de doutrina em asuntos diversos, que os lobos estão encontrando lugar para lançar
suas sementes que só darão frutos ruins.
E a gente se depara com uma lição, que traz durante tres meses, o mesmo assunto.
Por favor me tolerem, mas não dá para aplaudir a falta de visão que está existindo.

www.gloriosojesusblogger disse...

Muito edificante! E parabéns pelos mais de 1000 amigos aqui conquistados.Paz

laeudson disse...

Pastor Altair Germano que a graça e a paz do Senhor inundem sempre o teu coração!
Com respeito ao artigo e como aluno da E.B.D. Percebo uma enorme preocupação de nossa casa publicadora que chama nos ao resgate das praticas básicas da fé cristã autêntica e genuina.O que parece ser muto facil(falar de oração)é pratica distante no cotidiano de muitos cristãos.Infelizmente muitas pessoas não desfrutam ainda dos intimos,profundos e marcantes momentos de confissão,adoração,reflexão,submissão e comunhão com os céus através da oração.Só sabe o valor e poder da oração aquele que ora.Quem ja falou com Deus um dia e sentiu na alma o gozo da sua presença,nuca mais o deixará de fazer.Louvo a Deus por esta lição,pela vida do pastor Eliezer,pela existência da CPAD,e pela vida do pastor Altair Germano a quem adimiro pela inteligência que tem.GLÓRIA A DEUS! Esta e a primeira de muitas postagens que farei em respeito ao seu trabalho cristão.Parabéns pelo comentario feito sobre a oração!

laeudson disse...

Sim,será um prazer a mim, receber comentários do Pastor Altair Germano!

laeudson disse...

CONFIRMO A INSCRIÇÃO!

Jefferson Sales disse...

Coloquei em meu blog seu artigo para a série de mensagem sobre oracao.

http://segredodedavi.blogspot.com/search/label/oracao