segunda-feira, 5 de julho de 2010

DE DENÚNCIA EM DENÚNCIA, DE PROCESSO EM PROCESSO E DE LIMINAR EM LIMINAR, RUMO AO CENTENÁRIO


De denúncia em denúncia, de processo em processo e de liminar em liminar, é assim que infelizmente e vergonhosamente caminha a nossa denominação rumo ao seu centenário.

As notícias da posse do pastor Oscar Domingos de Moura (CADEESO) na 1ª vice-presidência da CGADB através de liminar da justiça (Leia AQUI), e a ação judicial movida por um grupo de pastores contra a CGADB (Leia AQUI), são fatos que continuam promovendo constrangimentos para pastores e membros de igrejas, que precisam a todo instante responder aos questionamentos dos de "fora".

Ao comentar neste blog em 16/05 sobre a renúncia do pastor Silas Malafaia do cargo de 1º vice-presidente da CGADB, escrevi o seguinte:

"O fato aqui em evidência é apenas mais um tumor de muitos que ainda vão estourar num corpo enfermo (Is1.5-6) de uma denominação com uma história tão cheia de conquistas. Os macro-males denominacionais são resultados dos micro-males regionais, estaduais e locais."

Mantenho o que escrevi. O tempo confirmou e ainda continuará confirmando as minhas lúcidas previsões.

Meus comentários buscam cooperar para uma tomada de consciência sobre a gravidade dos fatos, e para mudanças sensatas em algumas posturas e atitudes pessoais e administrativas, que não se sustentam, nem são toleráveis à luz da Bíblia, à luz da ética e da moral, numa sociedade em construção onde o esclarecimento, a capacidade crítica, o desenvolvmento cultural de seus membros e a livre circulação de informações é uma realidade crescente e indiscutível.

Vamos esperar o desenrolar e o desfecho de todos os acontecimentos, onde tenho a certeza de que a verdade virá à luz, que grandes reformas internas acontecerão, possibilitando e contribuindo para que as gerações futuras não repitam os erros do presente.

Por belas e arrojadas que possam vir a ser as várias (e divididas) festividades em torno do Centenário das Assembleias de Deus no Brasil, tais eventos não apagarão essa triste e lamentável mácula em nossa história.

Nenhum comentário: