segunda-feira, 14 de junho de 2010

A MULHER E A LIDERANÇA SERVIDORA


É cada vez mais notório o fato de que a mulher vem ocupando a liderança em vários departamentos da igreja, cooperando de forma singular com os diversos ministérios (pregação, ensino, oração, evangelização, música, administração etc).


Diante desta realidade, entender o conceito e as características de uma liderança fundamenta no modelo de Jesus é extremamente necessário para o contínuo sucesso da mulher neste serviço.


1. O CONCEITO DE LIDERANÇA


"Liderança é influência, isto é, a habilidade de uma pessoa influenciar a outros" (SANDERS, 1985, p. 20). Sanders baseia esta definição de liderança em outros conceitos, como, por exemplo:


"Liderança pode ser definida como sendo aquela qualidade, num homem (mulher), que inspira suficiente confiança a seus subordinados de modo a aceitarem suas idéias e obedecerem a seu comando."(Almirante Nimitz)


"Há apenas três tipos de pessoas no mundo: aquelas que não se mexem, as que são movíveis, e as que movem os outros." (Li Hung Chang)


Em termos de liderança espiritual, a influência é resultado não apenas da personalidade do líder, mas, também, da ação do Espírito Santo em sua vida (Idem, p. 21).


Concordando com Sanders, Maxwell (2003, p. 63) afirma que “A verdadeira medida da liderança é a influência - nada mais, nada menos”. Se não tiver influência, nunca será capaz de liderar outros.

Em seus livros "Segredos da Liderança: o que todo líder precisa saber" e "Como tornar-se uma pessoa de influência", Maxwell fala-nos dos níveis de liderança (influência) e de como aumentar e desenvolver a nossa liderança. Ele, resumindo afirma (Idem, p. 73-79) que:


- No primeiro nível as pessoas seguem você porque têm de fazê-lo (Influência baseada no título ou cargo que você ocupa);


- No segundo nível as pessoas seguem você porque é o que desejam (Influência baseada num bom relacionamento com as pessoas);


- No terceiro nível as pessoas seguem você em razão daquilo que fez pela organização (Influência baseada nos bons resultados alcançados pela organização);


- No quarto nível as pessoas seguem você em razão daquilo que fez por elas (Influência baseada na habilidade de capacitar e conduzir outros ao crescimento e ao sucesso pessoal, profissional ou ministerial);


- No quinto nível as pessoas seguem você em razão de quem é e do que representa (Influência baseada em anos promovendo o crescimento de pessoas e organizações).

A liderança não deve ser confundida com a posição ou cargo que se ocupa. É possível ter um cargo e não ser líder, ou seja, não exercer influência positiva.

2. A LIDERANÇA SERVIDORA


"Liderança Servidora" é um conceito extraído do tipo de liderança enfatizada e demonstrada por Jesus:


"Então, Jesus, chamando-os, disse: Sabeis que os governadores dos povos os dominam e que os maiorais exercem autoridade sobre eles. Não é assim entre vós; pelo contrário, quem quiser tornar-se grande entre vós, será esse o que vos sirva; e quem quiser ser o primeiro entre vós será vosso servo; tal como o Filho do Homem, que não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida em resgate por muito." (Mt 20.25-28, ARA)


A Bíblia da Liderança Cristã (SBB, p. 2007, p. 832), em seu comentário sobre o texto acima afirma que: "Jesus lhes falou abertamente que seu estilo de liderança está em completo contraste com o do mundo. Ele ensinou que o maior deve ser o que serve. A responsabilidade cresce e os direitos diminuem".


Sanders (Ibdem, p. 9) declara que:


"No início de qualquer estudo de liderança espiritual, é essencial que o princípio mestre, enunciado por Deus, seja compreendido com clareza e obedecido com fidelidade. A verdadeira grandeza, a verdadeira liderança, não é alcançada conseguindo a sujeição das pessoas ao nosso serviço, mas mediante nossa consagração ao serviço às pessoas. Isto nunca acontecerá sem que haja um preço a ser pago. Envolve a necessidade de beber o cálice amargo e experimentar o doloroso batismo do sofrimento. O verdadeiro líder espiritual está infinitamente mais interessado no serviço que ele pode prestar a Deus, e a seus companheiros, do que nos benefícios e prazeres que ele poderia extrair da vida. Seu objetivo é servir á vida, e não aproveitar-se dela."


E ainda:


"Ao declarar que a primazia na liderança advém pela primazia no serviço, jesus não tinha em mente meros atos de serviço, porquanto estes podem ser desempenhados por motivos duvidosos. Cristo tinha em mente o espírito de servitude, como quando ele declarou 'Pois, no meio de vós, eu sou como quem serve´(Lc 22.27)." (Ibdem , p. 17)


Na obra "O Último Degrau da Liderança: descobrindo os segredos da liderança de Jesus", (Wilkes, 1999, p. 22, 30) comenta:


"Para Jesus, o modelo de liderança era o serviço. Ele jamais serviu a si mesmo. Num primeiro momento, liderou como servo do Pai celestial, o qual lhe dera a missão. Se observarmos a vida de Jesus de um nível mais elevado, veremos que tudo o que ele fazia estava a serviço de sua missão. Sua missão pessoal era servir, não à sua própria vontade, mas à vontade do Pai. [...] Servo e líder destacam como modelo para aqueles a quem foi confiado o bem-estar de um grupo. Os líderes que seguem o exemplo e os ensinamentos de Jesus liderarão primeiro como servos."


Colocando em prática tais princípios, as “mulheres-líderes” serão:

- Essencialmente servas

- Inalteravelmente servas

- Honrosamente servas

- Humildemente servas


Um comentário:

Francikley Vito disse...

Querido Pr. Germano, a Paz do Senhor. Quero, em primeiro lugar, parabenizá-lo pelo belo artigo; e gostaria de indicar aos leitores do seu blog um artigo que publicamos em nosso espaço (www.vosbi.blogspot.com), com sua permissão.Em gratidão, um abraço!

http://vosbi.blogspot.com/2010/06/o-pentecostalismo-e-emancipacao-das.html