sexta-feira, 26 de março de 2010

SOLENES ADVERTÊNCIAS PASTORAIS. Subsídio e Plano de Aula para Lição Bíblica

IMAGEM: ENOMIR SANTOS (ANANINDEUA-PA)

Chegamos a última lição do 1º trimestre de 2010, onde o tema "Disciplina na Igreja" ganha destaque.


PLANO DE AULA


1. OBJETIVOS DA LIÇÃO

-Compreender que o objetivo da disciplina na igreja é edificar moral e espiritualmente as pessoas, e não destruí-las. (Extraído da Lição Bíblica)

2. CONTEÚDO

Texto Bíblico: 2 Co 12.19-21; 13.5, 8-11

O CONCEITO DE DISCIPLINA

O termo disciplina se origina do latim "disciplina", que significa "ensino", "educação". Essa palavra se relaciona com "discípulo" (gr. mathetes).

Champlin (2001, p. 178) apresenta alguns usos específicos para o termo:

a. A manutenção de certas normas e requisitos por parte de seguidores de grupos e ideologias específicas;

b. Aponta para qualquer sistema ascético e de mortificação do corpo;

c. Está relacionado com a idéia de açoite, principalmente no contexto da vida monástica;

d. Trata dos métodos mediante os quais um modo de vida é posto em execução, bem como as penas aplicadas aos que erram;

e. O treinamento sistemático que prepara uma pessoa para alguma tarefa específica;

f. Aponta para uma matéria específica na educação formal.


Shedd (2002, p. 13-35) identifica os seguintes termos para "disciplina" no Novo Testamento:

a. Ensino (didaskalia), conforme Mt 28.20;

b. Exortação (paraklesis), conforme 1 Tm 4.13;

c. Educação (paideia), conforme Hb 12.4-11;

d. Admoestação (nouthesia), conforme 1 Co 4.14;

e. Repreensão e Convicção (elegxis; elegchos; elegmos; "expor à luz", "convencer", "punir"), conforme Jo 16.8;

f. Correção (orthos, "reto"; epannothosin "correção", etc.), conforme 2 Tm 3.15-17 e Ef 4.12.

Conforme Andrade (1998, p. 123-124):

"[...] A correção é a essência da disciplina; o amor, a alma da correção, pois o Senhor Deus castiga a todos quanto ama, e aqueles a quem toma por filho. [...] Disciplinar não é banir; é ensinar tendo como base o amor, a justiça, a santidade e a sabedoria; é tornar o santo mais santo".


COMO DISCIPLINAR

A maneira de aplicar a disciplina pode colaborar com a restauração ou com a destruição do disciplinado. Algumas questões são dignas de consideração:

- A padronização da disciplina. Não existe um padrão único de disciplina. Erram os que estabelecem um único padrão de disciplina (forma, tempo etc.) para cada tipo de erro ou pecado, sem considerar as pessoas e as circunstâncias envolvidas. O pecado de Davi era para morte (Lv 20.10), mas Deus através do profeta disse "não morrerás" (2 Sm 12.13). Uma disciplina alternativa lhe foi imposta (2 Sm 12.14).

- A sadimização da disciplina. Muitos sentem prazer na tristeza, sofrimento ou desgraça alheia. Disciplinam com sadismo (Rm 12.15);

- A omissão da disciplina. Não disciplinar é uma postura irresponsável e diretamente contrária ao que recomenda a Bíblia Sagrada (Hb 12.11). A omissão da disciplina acontece por vezes motivado por amizade, parentesco, favorecimentos e etc;

- A parcialização da disciplina. Pelos mesmos motivos acima citados, em alguns litígios, a parte culpada é absolvida e a inocente tida como culpada e em seguida disciplinada (punida, castigada).

- A banalização da disciplina. A banalização da disciplina acontece quando mesmo sem nenhum sinal de arrependimento ou contrição, o pecador é recebido ou integrado novamente.


EXEMPLOS DE DISCIPLINA NO NOVO TESTAMENTO

Por seu caráter corretivo, e não por seus efeitos, Shedd (Idem, p. 53-67) chama os exemplos abaixo de disciplina negativa:

1. O homem que cometeu incesto (1 Co 5.1-8);

2. A igreja de Corinto (1 Co 11.30-32);

3. Ananias e Safira (At 5.1-11);

4. Simão, o mágico (At 8);

5. Himineu e Alexandre (2 Co 2.17-18; 1 Tm 1.20);

6. Os hereges (Gl 1.9);

7. Os que pecam para a morte (1 Jo 5.16-17)

A Bíblia de Estudo Pentecostal em sua nota de rodapé de Hb 12.5 diz que:

"A disciplina do Senhor tem dois propósitos: (a) que não sejamos, por fim, condenados com o mundo (1 Co 11.31-32), e (b) que compartilhemos da santidade de Deus e continuemos a viver uma vida santificada, sem a qual nunca veremos o Senhor (vv. 10, 11, 14)."

Estes são alguns dos motivos que devem nortear a disciplina na igreja.

A Bíblia de Estudo Dake, em sua nota sobre Hb 12.6a, aponta 8 razões do quando e do porquê da correção de Deus:

1. Quando os homens se recusam a ouvir (Jó 33);

2. Quando eles cometem iniquidade (2 Sm 7.14);

3. Quando os homens provocam a Deus (Sl 6.1; 38.1);

4. Quando os homens se esquecem de Deus (Sl 89.30-32);

5. Quando os homens se recusam a julgar a si mesmos (1 Co 11.32);

6. Quando os homens se rebelam (Dt 11.2-6; Lv 23, 14.31; Nm 14);

7. Quando os homens semeiam na carne (Gl 6.7-8);

8. Quando seus filhos precisam de instrução e correção (Hb 12.5-10; Ap 3.19)


Citamos mais uma vez Shedd (Ibidem, p. 10) na conclusão deste subsídio, que declara:

"Concluímos que não disciplinar os errados significa correr o risco de cair na posição de confudir a Igreja com o mundo e vice-versa. Mas a disciplina rigorosa incorre num perigo igualmente sério de cisma, dividindo irmãos e destruindo o 1santuário de Deus' (i.e. a Igreja 1 Co 3.16)."


3. MÉTODOS E ESTRATÉGIAS DE ENSINO

Converse com os seus alunos sobre as suas experiências pessoais de disciplina como filhos de seus pais humanos e como filhos de Deus. Pergunte ainda sobre a opinião deles acerca da forma da disciplina usada na igreja à luz da Bíblia.

4. RECURSOS DIDÁTICOS

Quadro, cartolina, pincel ou giz, etc.

5. SUGESTÕES BIBLIOGRÁFICAS

- Bíblia de Estudo Pentecostal, CPAD.
- Bíblia de Estudo Dake, CPAD.
- Dicionário Teológico, CPAD.
- Dicionário Vine, CPAD.
- Disciplina na Igreja, VIDA NOVA.
- Depois do Sacrifício: estudo prático da carta aos hebreus, VIDA.
- Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia, HAGNOS.
- Vocabulário Latino,LIVRARIA GARNIER.

Desejo a todos uma excelente aula para a glória de Deus!

Nenhum comentário: