domingo, 21 de março de 2010

1ª CONFERÊNCIA DE EDUCAÇÃO TEOLÓGICA: PLENÁRIAS

Participantes das Plenárias da Conferência de Educação Teológica
Pastor Douglas Roberto: Legislação do Ensino Teológico no Brasil
Dr. Paulo Wollinger: Legislação do Ensino Teológico no Brasil
Pastor Esdras Bentho: Pressupostos Hermenêuticos da Teologia Contemporânea
Pastor Altair Germano: Princípios Teológicos da Reforma Protestante
Pastor Jesiel Padilha (Presidente da AD Santos Ministério do Belém) recebendo o certificado de participação no evento das mãos do pastor Douglas Roberto (Presidente do CEC/CGADB)

A 1ª Conferência de Educação Teológica e Encontro de Diretores, Professores e Estudantes de Teologia realizada pelo Conselho de Educação da CGADB, com o apoio do Conselho de Doutrina, da Comissão de Apologética e da Casa Publicadora das Assembleias de Deus - CPAD, alcançou êxito e contribuiu para o fortalecimento da educação teológica dentro da denominação.

Além da abordagem de temas teológicos, a Conferência contribuiu para a elucidação de algumas questões que surgiram com o reconhecimento do Curso de Bacharel em Teologia pelo Ministério de Educação.

Dentre as questões abordadas e informações passadas pelo Dr. Paulo Wollinger (Diretor de Regulação e Supervisão do MEC), destacamos as seguintes:

1. Credenciamento de instituições de ensino teológico junto ao MEC

Para iniciar suas atividades, as instituições de educação teológica que desejam se credenciar junto ao MEC devem solicitar a devida autorização e observar os parâmetros e exigências estabelecidos pelo referido processo. De acordo com sua organização acadêmica, as instituições de educação superior são credenciadas como: faculdades, centros universitários e universidades.

2. O uso do termo "faculdade", "centro universitário" ou "universidade" por instituições de educação teológica não credenciadas pelo MEC

A utilização dos termos "faculdade", "centro universitário" ou "universidade" é prerrogativa exclusiva de instituições devidamente credenciadas pelo MEC. Termos como "instituto" ou "escola" poderão ser utilizados.

3. O uso dos termos "Curso de Bacharel em Teologia", "Mestrado em Teologia" e "Doutorado em Teologia"

Os termos acima poderão ser usados apenas em cursos devidamente autorizados ou reconhecidos pelo MEC ou pela CAPES. Os cursos livres (sem regulamentação do Estado) de Teologia não podem utilizá-los.

4. O exercício da atividade de teólogo

A atividade de teólogo pode ser exercida por qualquer pessoa que fez o curso de teologia numa faculdade credenciada pelo MEC ou num curso livre de teologia oferecido por uma instituição religiosa.

5. Sobre "Conselho Federal de Teólogos"

"É impertinente e absolutamente ilegal a existência de Conselho Federal de Teólogos. O MEC e o Estado brasileiro não reconhece tal Conselho". O exercício das atividades dos Conselhos Federais constitui delegação de competência do poder público nos limites estabelecidos pela legislação que criou a entidade.

A próxima Conferência de Educação Teológica promovida pelo CEC/CGADB e apoio do Conselho de Doutrina, Comissão de Apologética e da CPAD já está agendada para os dias 24, 25 e 26/09, na cidade de Teresina-PI, dentro do calendário das comemorações do centenário das Assembleias de Deus no Brasil.

5 comentários:

hildebrando disse...

Parabéns Pastor Altair nossa conversão esta sendo muito bem representada a Deus seja a glória parabéns

hildebrando disse...

Parabéns Pastor Altair, nossa Igreja em Abreu e lima foi muito bem representada gostaria também dar parabéns a cgadb por essa iniciativa tão nobre de abordar assuntos tão relevantes para a Igreja

Willyelda disse...

Pr Altair
Parabéns!!!

Faço minha as palavras do Pofessor Hildebrando...Abreu e Lima foi muito bem representada na conferência. Honra e glória pra Jsus!!!

Pastor Geremias Couto disse...

Caro pastor Altair Germano:

Esterei amanhã em Brasília representando o pastor José Weelington numa conferência sobre Direitos Humanos promovidfa pela Frente Parlamentar Evangélica.

Um dos assuntos que vou mencionar é esse tal de Conselho Federal de Teólogos. Estou plena e inflexivelmente de acordo com a posição apresentada, no entanto, existe um projeto de lei em tramitação já aprovado no Senado (se não me engano), de autoria do senador Crivella, instituindo o tal órgão.

Não bastaa agora declarar sua inconsticucionalidade. É preciso mobilizar a Câmara para não aprovar tal anomalia. Espero ser uma voz nesse sentido amanhã em Brasília.

Abraços!

Ricardo oliveira disse...

Paz do senhor querido.
Gostaria que comentasse em seu blog algo a respeito dos dons espirituais, pois nas lições das cartas de 1 e 2 coríntios pode observar que alguns professores se preocuparam muito em falar contra os dons, até mesmo quando o tópico que falava de sua atualidade, lembrando que sou contra a falta de ordem e de decência e também de alguns movimentos ditos pentecostais, mas será que somos tão diferentes da igreja de corintos? Acredito que Paulo escreveria uma carta semelhante para nós no tange aos problemas da igreja, exceto ao elogio de que: nenhum dom vos falta (I Co 1.7).