sábado, 13 de fevereiro de 2010

ENSINAR É UMA ATIVIDADE INVESTIGATIVA

IMAGEM: http://thumbs.dreamstime.com

O educador cristão não é um mero "ledor de revista".

Ensinar na Escola Dominical exige pesquisa.

A mediocridade, a inconsistência, a falta de profundidade de algumas aulas é decorrente do comodismo de muitos professores que não "mergulham" nos livros, ou em outras fontes de informação e de conhecimento no preparo de suas aulas.

Comparo a pesquisa com a prática do arqueólogo, do garimpeiro e com todas as demais atividades que objetivam a descoberta de coisas preciosas. O conhecimento é algo de grande valor. A pesquisa é uma importante fonte de conhecimento pois envolve a leitura.

Não dá para ser professor sem ser um pesquisador.

Os professores que se satisfazem em reproduzir em sua aula o ensino do estudo prévio para professores, ou o conteúdo do primeiro subsídio que encontram na internet, certamente falharão na sua missão de professor-pesquisador.

A pesquisa exige dedicação. A Bíblia nos ensina que a dedicação é parte da atividade docente:

"[...] ou o que ensina esmere-se no fazê-lo." (Rm 12.7)

Professores de Escola Dominical que não se dedicam ao ensino, ou não foram vocacionados por Deus ou estão negligenciando a sua vocação.

A pesquisa exige determinação e paciência. Nem sempre encontraremos com facilidade os textos que enriquecerão os conteúdos a serem ensinados. Quem disse que a tarefa de pesquisar é coisa fácil? Facilidade é uma palavra que não combina com professores. Quando iniciar uma pesquisa não descanse enquanto não alcançar os seus objetivos.

A pesquisa exige tempo e disciplina. O problema de muitos professores não é a falta de tempo, antes, é a falta de uma boa administração de seu tempo. Reserve semanalmente um tempo necessário para as suas pesquisas. Não negocie esse tempo. Uma boa aula requer um bom investimento de tempo em pesquisa.

A pesquisa exige organização. Se o professor possui uma biblioteca pessoal e nela encontram-se os livros para a sua pesquisa, essa biblioteca deve estar organizada de uma forma que o professor não precise perder tempo procurando estas obras. No caso da pesquisa na internet, o professor deve antecipadamente ter uma lista dos sites ou blogs que acessará. No caso da pesquisa em buscadores (como o Google), as palavras-chave devem estar relacionadas para facilitar a busca.

A pesquisa exige criticidade. Os livros e textos pesquisados não podem ser lidos mecanicamente e passivamente. Não é apenas o quanto eu leio, mas, como leio. Não é apenas a quantidade de obras e textos lidos que vão lhe conduzir ao sucesso na pesquisa. Em certas situações, muitas leituras até atrapalham. Na leitura crítica estão envolvidos a seleção de boas obras, sites, blogs etc., e também a capacidade de examinar tudo e reter o que é bom (At 17.11; 1 Ts5.21).

A pesquisa exige sintetização das informações e dos conhecimentos adquiridos. Nem tudo que foi pesquisado será apresentado ou discutido. O professor deve ter o bom senso de levar para a sala de aula aquilo que em oração entender como de suma importância para os seus alunos. As demais informações e conhecimentos adquiridos darão a segurança necessária diante da classe, além de poderem ser aproveitados em outras circunstâncias ou situações.

Ensino e pesquisa são atividades inseparáveis.

Professores pesquisadores possuem os melhores e mais atrativos conteúdos.

9 comentários:

Thiago A. Silveira disse...

Excelente post pr. Germano! Como professor de escola de dominical desde os meus 17 anos, esforço-me ao máximo para comunicar a lição, gastanto horas na preparação e enriquecimento da matéria a ser ministrada, porém, infelizmente,
a maioria dos professores falha na preparação da lição, não há "profundidade", não há pesquisa, não há "conteúdo"; muitos
professores contentam-se em simplesmente ler a revista! Certa vez um professor ficou bravo com meu pai, pois ele havia comprado uma revista do mestre, e o professor objetava que dessa forma ele ficaria sem conteúdo "extra" para ministrar a lição!Que professor é esse que se contenta com os singelos subsídios da revista! Meu amigo pr. Bento, da AD de Sapucaia do Sul-RS, sempre dizia que quando um obreiro "não é bom", ele é colocado de recepcionista da igreja ou de professor da escola dominical, sendo que, na verdade, em ambos os lugares precisa-se de pessoas qualificadas para essas funções. Mas que Deus desperte nossos professores. Abraço!

zwinglio rodrigues disse...

Pr. Germano, paz!

Não dá para ser um professor-pesquisador se não tiver as ferramentas teórico-metodológicas...
*
A meu ver, o grande problema é a falta de critérios corretos na seleção daqueles que irão lecionar nas EBD, EL... e também a falta de oportuinidade para uma formação continuada dos docentes... resumindo: o problema está nas lideranças e estruturas que não encaram o ensino de maneira adequada...
*
De qualquer sorte, aí está algumas dicas importantes que o colega apresenta-nos.
*
Abraços!

Alessandro Cristian disse...

Amém, prezado pastor.
Acabo de colocar seu banner em meu blog. Deus continue abençoando sua vida.

MARANATAS disse...

exlente as suas palavras,pastor eu sou professor da escola biblíca,estou,agradecido por suas explicações.eu sou fruto da escola biblíca,hoje ao ler este post.sobre o ensino,percebo que estou no caminho certo.muito obrigado jesus cristo abençõe o seu ministério.

ALTAIR GERMANO, disse...

Prezado Thiago,

a qualificação em todos os sentidos é fator primordial para realizarmos a obra de Deus com excelência.

Abraços.

ALTAIR GERMANO, disse...

Nobre Zwínglio,

a persistência na falta de critérios e na formação continuada do professor da ED, não esquecendo de considera as diversas realidades regionais, certamente prejudicará em muito o processo ensino-aprendizagem.

Abraços.

ALTAIR GERMANO, disse...

Amém Alessandro,

conto com as vossas contínuas orações.

Paz do Senhor.

ALTAIR GERMANO, disse...

Maranata,

mantenha-se firme neste caminho, pois durante e ao final dele há recompensas maravilhosas da parte de nosso Deus e Pai.

Abraços.

Moacir R. S. Junior disse...

Interessante. Recentemene alguém afirmou que um estudante da Bíblia é como um detetive investigando um mistério. Vejam, por exemplo, um estudo (em slides power point),intitulado: UM DETETIVE INVESTIGA A BÍBLIA. Para baixar o arquivo acesse o link abaixo (vai abrir uma pasta com vários slides e arquivos pdfs. O estudo mencionado acima é o slide de número 47):
http://cid-d2396f04ab689fc6.skydrive.live.com/browse.aspx/.res/D2396F04AB689FC6!130

Se o link não conduzir diretamente à página indicada, copie e cole na barra de endereço.