segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

PUBLICAR OU NÃO PUBLICAR? EIS A QUESTÃO (3)


O Pastor Mauricio Brito, pedagogo, psicopedagogo, especialista em educação, assembleiano de Jaru-RO, comentando sobre o post PUBLICAR OU NÃO PUBLICAR? EIS A QUESTÃO (2), citou um fato interessante, que se enquadra perfeitamente no teor de nossas discussões.

No livro História Eclesiástica, de Eusébio de Cesaréia, publicado pela CPAD em 1999, lemos no prefácio à edição brasileira o seguinte:

"PRECAUÇÕES:
Que o leitor tenha em mente, ao repassar estas páginas, que a História Eclesiástica não é uma obra doutrinária. Embora renomado teólogo e homem de igreja, Eusébio procurou justificar teológica e historicamente as intervenções de Constantino na cristandade visível e nominal. Por isso, mostra o bispado de Roma como procedente de Pedro. E este como sendo aquela pedra eterna a que se referia o Senhor na Declaração de Cesaréia. Sempre que ocorrem tais desvãos doutrinais, procuramos esclarecer o assunto através de uma nota ou advertência. Ao ler esta obra, faça-o com espírito crítico; indague, problematize, discirna. Mas não deixe de colher as preciosas lições advindas da história. Deleite-se em ver o que fazia Deus naqueles idos tão difíceis e atribulados. Aja como John Wesley. O admirável evangelista inglês lia o jornal todos os dias para ver o que andava fazendo o mundo."

Sem comentários.

6 comentários:

Creuza Moura disse...

não entendi. pode desenhar?

ALTAIR GERMANO, disse...

Irmã Creuza,

a publicação de uma nota de advertência resolve todo o problema, quando uma editora denominacional resolve publicar uma obra com conteúdos que não se alinham com a sua teologia e doutrina.

O demais fica por conta da capacidade crítica do leitor.

Abraços.

SERGIANO disse...

Execelente resumo de toda essa discussão em torno de "publicações duvidosas".
A Paz do Senhor Jesus.

francisco disse...

Pastor Altair bela explicaçao! quanto a capacidade critica do leitor fico com um pé atras
Explico por que fico com um pé atrás: a maioria de nós pobres comuns assembleianos leigos nunca passamos por um discipulado minimo por isso a maioria de nós ate alguns que chegaram a ser diaconos ate mesmo pastores obreiros nao sabe discernir entre a mao direita da esquerda
Por esse motivo creio que uma nota como faz a Biblia apologetica seria a soluçao mais viavel

Hubner Braz disse...

Olá Altair,
Estes comentarios são otimos, tem livros que quando deparamos na leitura nos leva a outro caminho doutrinario que não estamos acostumados seguir.
Apoio sempre estes comentarios esclarecedores, estou tentando fazer o mesmo no meu Blog dos livros que ando lendo.
Abraços servo de Deus.

Lucas Marin disse...

A Paz do Senhor.

Eu ainda tenho receio em "comer" comida com veneno.

Venho filtrando, com a ajuda do Senhor as minhas leituras. Mas vezes ou outras me deparo com o espírito do anti-cristo agindo livremente, pregando uma "vida boa" nessa terra, fazendo nos esquecer que maior é a nossa esperança em Jesus Cristo, no céu!

Então, sim, preciso do Senhor para discernir todo o mal que me cerca, sim, a Espada discerne, corta, divide o bom do ruim, assim, combatemos o mal com o bem!

Eu realmente me preocupo com as pessoas simples que podem receber "alimento estragado", mas por outro lado confio no Senhor que os pode livrar!

Que o Senhor continue abençoando!