quarta-feira, 30 de setembro de 2009

LIDANDO COM OS ERROS



Longe de nos conduzir ao pleno desânimo e à estagnação ministerial, os erros devem nos impulsionar na busca pela excelência no exercício do ministério cristão.

Aprenda com os erros, aprenda como superá-los!

ANDRÉ VALADÃO E O SHOW "CATOGOSPEL" EM NOME DO AMOR

IMAGEM: BLOG DO ANDRÉ VALADÃO

"Nossa geração sem dúvida alguma esta sendo marcada por um tempo novo, diferente de tudo que já se viu. São milhares de pessoas que estão se unindo por um mundo melhor, por vidas salvas, perdoadas e que podem reviver, renascer, desfrutar da benção de Deus.

Tanto eu quanto o Grupo Rosa de Saron nos unimos esta noite em Goiânia para proclamarmos isso: O que nos une é muito maior do que aquilo que nos separa, nossa fé pode gerar em nós amizade, maturidade e comunhão.

Nós evangélicos não somos perfeitos, os católicos também não. Somente Cristo é perfeito e nEle reside toda a plenitude, o próprio Apóstolo Paulo escreveu dizendo: DEle, por Ele e para Ele são todas as coisas.

O que houve neste encontro foi mais uma marca da Igreja do Senhor envergonhando o inimigo e declarando que somos mais do que vencedores em Deus. Obrigado a todo o povo de Goiânia, Brasília, Anápolis que vieram nos prestigiar nesta noite inesquecível para todos nós.

Com amor, AV." (Fonte: Blog do André Valadão)

Com este texto, o cantor André Valadão expressou a sua alegria de poder promover jutamente com a banda Rosa de Saron um show "CATOGOSPEL", ou seja, realizado por uma banda católica e por um astro da fé gospel evangélica.

Que lindo, que maravilhoso, que demonstração de amor! Pelo menos é a mensagem que o nobre irmão e pastor Valadão desejou transmistir.

Com o velho chavão "O que nos une é maior do que aquilo que nos separara", o pastor e cantor André Valadão pisoteia princípios e doutrinas bíblicas, relativiza a verdade explicita do Evangelho em termos de fundamentos da fé, zomba da história, ridiculariza os mártires vitimados por uma instituição que não expressa nenhum remorso ou desejo de mudança.

Será que ele cantou lá algum hino de adoração para Maria? Será que ele prestou uma homenagem aos santos intercessores? Será que não fez uma oração de sétimo dia pelos mortos? Será que não rezou um terço? Será que não fez uma prece para livrar alguém do purgatório? Se não fez estas coisas deveria tê-las feito, "pois o que nos une é maior que aquilo que nos separa".

Se eu pregaria num show ou culto católico? É claro que sim, já tenho até o texto para a mensagem. Quer saber qual? É só convidar!

Fico imaginando um show do Valadão com o padre Marcelo Rossi, ou com um destes outros padres artistas da fé católica, que lindo, que maravilhoso, que demonstração de amor, que grande hipocrisia!

Se essa "nova onda" pegar, mas não conseguir promover a "unidade" da cristandade, pelo menos os astros gospels e católicos consquistarão uma nova "fatia" no "mercado musical da fé".

Que lindo, que maravilhoso, que demonstração de amor, que grande hipocrisia!

Na realidade, se não houver uma "reforma" radical em alguns setores evangélicos do Brasil, em breve estarão de braços dados com o Catolicismo Romano. Os motivos? Leia em O ATUAL PROCESSO DE MEDIEVALIZAÇÃO DA IGREJA NA PÓS-MODERNIDADE.

Além dos motivos tratados no link acima, dentro da igreja evangélica brasileira, na maioria dos casos, a tradição religiosa tem mais força que a doutrina bíblica e os princípios imutáveis da palavra de Deus (Mt 15.1-9). Alguém duvida disto?

Amo e respeito os católicos, mas repudio o "Catolicismo Romano" e o atual relativismo evangélico.

O genuíno amor cristão não relativiza a verdade!

Leia mais no BLOG HOLOFOTE

ATEÍSMO CLÁSSICO

Charge publicada no jornal Mensageiro da Paz, fevereiro de 2008 - CPAD

BLOG DO FLAMIR: MAIS UM PRESENTE PARA A BLOGOSFERA


O pastor Flamir Ambrósio, hábil e inteligente chargista, resolveu presentear a blogosfera publicando suas charges e divulgando o seu trabalho.

Estaremos aqui, como já fazemos com as charges do Duke e do Jasiel Botelho, em parceria com o nobre amigo.

Desejamos-lhe sucesso para a glória de Deus!

Click AQUI para acessar o Blog do Flamir.

terça-feira, 29 de setembro de 2009

O MENINO DO PIJAMA LISTRADO



"O filme "O Menino do Pijama Listrado" (Companhia das Letras) trata sobre a amizade em tempos de guerra, e sobre o que acontece quando a inocência é colocada diante de um monstro terrível e inimaginável. O filme conta a história de Bruno, menino alemão de nove anos que não sabe nada sobre o Holocausto nem sobre a "solução final" contra os judeus. Também não faz idéia que seu país está em guerra com boa parte da Europa, e muito menos que sua família está envolvida no conflito. Bruno sabe apenas que foi obrigado a abandonar sua casa em Berlim e mudar-se para uma região desolada, onde não tem nenhum amigo para brincar. Bruno então conhece Shmuel, um garoto judeu que mora "do outro lado da cerca". Aos poucos, conforme a amizade se intensifica, os garotos vão descobrindo o motivo que os separa em mundos tão diferentes". (Fonte: Publifolha)

Refletir através de obras como esta acerca da realidade da vida, pode ajurdar-nos a confrontar as injustiças e desigualdades sociais.

VII CONGRESSO INTERNACIONAL DE TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO (CENTRO DE CONVENÇÕES DE PERNAMBUCO)


Estarei lá, se Deus me permitir!

Saiba mais no link abaixo:

VII CONGRESSO INTERNACIONAL DE TECNOLOGIA NA EDUCAÇÃO

sábado, 26 de setembro de 2009

A VERDADE DE DEUS E A INSTABILIDADE HUMANA


Quer aceitos ou rejeitados,

Quer sinceros ou falsos,

Quer heróis ou bandidos,

Quer absolvidos ou condenados,

Quer convencionais ou atípicos,

Quer aplaudidos ou apulpados,

Quer honrados ou pisados,

Quer beijados ou cuspidos,

Quer abraçados ou deixados,

Quer procurados ou esquecidos,

Quer santificados ou demonizados,

Quer levantados ou caídos,

Quer incluídos ou excluídos,

a verdade de Deus será sempre verdade em nós e por nós, apesar de nossa instável e plena humanidade, apesar do que pensam sobre nós e de quem somos de fato, apesar de nossa reputação entre os homens e da nossa integridade diante de Deus.

A verdade de Deus será sempre absoluta!

Natal-RN, 26/09/2009

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

BÍBLIA DAKE: A MAIOR FONTE DE CONSULTA EM TERMOS DE BÍBLIA DE ESTUDO



Chegou em minhas mãos a Bíblia de Estudo Dake, lançada este mês no Brasil pelas editoras CPAD e Atos.

Antes mesmo de seu lançamento, várias informações sobre a Bíblia foram publicadas na internet, principalmente através dos blogs, conforme os links abaixo:

- UNIÃO DE BLOGUEIROS EVANGÉLICOS
- PR. SILAS DANIEL
- PR. ROBSON AGUIAR
- PR. CARLOS ROBERTO

As principais discussões em torno do lançamento giraram em torno de algumas questões que envolviam conteúdos doutrinário e teológicos que não eram compatíveis com a ortodoxia pentecostal assembleiana brasileira. Sobre isto escreveu o pastor Silas Daniel em se blog, respondendo aos questionamentos do irmão Sidnei Moura:

Caro Sidnei, a Paz do Senhor!


Obrigado pelas palavras de apreço e motivação. Quanto à sua preocupação, ela procede, mas pode ficar tranquilo: os erros doutrinários já eram conhecidos e foram devidamente retirados. Devido ao seu compromisso com a ortodoxia bíblica, a CPAD não publicaria a Bíblia Dake no Brasil se tivesse de publicá-la com seus equívocos. Os detentores do direito de publicação da obra de Dake autorizaram a CPAD retirar da Bíblia Dake os erros doutrinários.

Ademais, apesar dos pequenos trechos equivocados da obra (e já retirados), a Bíblia Dake é uma relevante obra com conteúdo enriquecedor, por isso a importância de sua publicação no Brasil. A título de comparação, tomemos o caso da Bíblia Scofield (que está para ser relançada no Brasil por outra editora): ela era uma boa Bíblia (apesar de não ter tantas notas explicativas como outras Bíblias de estudo que vieram após ela), mas continha erros também - como é o caso da nota que explica o episódio entre Saul e a pitonisa de En-Dor. Nem por isso a Bíblia de Scofield deixa de ser reconhecida como uma boa Bíblia de estudo, principalmente para a época em que foi lançada, quando era pioneira entre as Bíblias de estudo. Agora, imagine uma Bíblia de estudo rica, muitíssimo rica, e com o adendo de que as únicas "viagens" de seu autor foram devidamente retiradas. Pensou? É a Bíblia Dake.

Abraço!


Em relação à questão, concordo com a resposta do pastor Silas Daniel.

Minha grande preocupação em torno de publicações feitas por uma editora oficial, como já expressei em outros posts são:

- Em caso de manter as idéias originais do autor, quando estas não se conformam com a ortodoxia da denominação, a editora deve deixar isto claro na obra, como fez a CPAD ao publicar em parceria com a HAGNOS o "Antigo Testamento Interpretado Versículo por Versículo" de R. N. Champlin;

- Uma outra opção plausível foi a acordada e tomada pelas editoras CPAD e Atos, no caso da Bíblia de Estudos Dake, em omitir as idéias não ortodoxas do autor.

Se a editora não fosse "oficial" da denominação, nada disso seria preciso, restando ao leitor uma análise crítica da obra, o que, aliás, deve ser feita em qualquer leitura e estudo bíblico, aplicando o princípio de 1 Ts 5.21 "Examinai tudo. Retende o bem;".

Com as suas 500.000 referências cruzadas, 35.000 notas de comentários, 9.000 subtítulos informativos, 8.000 esboços para sermões, definições de palavras do grego e hebraico, estudos temáticos de cada livro, concordância bíblica e dicionário enciclopédico, mapas e outros recursos, a Bíblia de Estudo Dake é a maior fonte de pesquisa e consulta em termos de Bíblia de Estudo já lançada no Brasil.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

"VALE TUDO" EM ALGUMAS IGREJAS EVANGÉLICAS

IMAGEM: CRÔNICA NET

"Quando li a notícia fiquei pensando nos dias em que eu era seminarista, evangelizando na cidade de Olinda, Pernambuco, em bairros famosos pelo alto índice de jovens e drogas. Eu costumava promover encontros com música "gospel" para reunir os jovens, realizar acampamentos e eventos onde sempre havia a pregação da Palavra e evangelização." (Leia em O TEMPORA, O MORES!)

Leia mais no ESTADÃO e no FÓRUM PORTAL DO VALE TUDO

Essa é de "doer" (literalmente).

terça-feira, 22 de setembro de 2009

DICAS DE SAÚDE: O INFARTO DO MIOCÁRDIO


"O infarto do miocárdio se dá quando o suprimento de sangue a uma parte do músculo cardíaco é reduzido ou cortado totalmente. Isso acontece quando uma artéria coronária está contraída ou obstruída, parcial ou totalmente. Com a supressão total ou parcial da oferta de sangue ao músculo cardíaco, ele sofre uma injúria irreversível e, parando de funcionar, o que pode levar à morte súbita, morte tardia ou insuficiência cardíaca com conseqüências desde severas limitações da atividade física até a completa recuperação."

Em tempos tão difíceis, o que não falta são obreiros e irmãos com problemas cardíacos, prestes a infartarem.

Leia todo artigo em ABC DA SÁUDE

domingo, 20 de setembro de 2009

ELEIÇÕES 2010: A CONVENIÊNCIA DO PODER TEMPORAL E A INGENUIDADE (OU CONIVÊNCIA) DE IGREJAS E LÍDERES CRISTÃOS


A história está aí para nos ensinar grandes lições, mas muitos insistem cegamente e loucamente em repetir o erro.

A igreja cristã em seus primórdios foi vitimada por duras perseguições do poder temporal, representado na ocasião pelo imperadores romanos, que a considerava uma religio illicita. Dessa forma, a igreja cristã era vista como uma ameaça à segurança do estado romano devido ao seu crescimento.

Calúnias, difamações, agressões, confisco de bens, obrigação de sacrificar aos ídolos e mortes foram o resultado da grande hostilidade do poder temporal. Nero, Domiciano, Trajano, Décio, Diocleciano foram alguns dos algozes da fé cristã.

As investidas do poder temporal não alcançaram seus objetivos. A fé cristã crescia e se fortalecia cada vez mais. A perseguição só viria acabar em 313, quando o imperador Constantino promulgou o Édito de Milão, garantindo assim liberdade de culto a todas as religiões representadas no império. Durante o governo de Teodósio (379-395) o cristianismo ganhou o status de religião oficial do Imperio.

Os acontecimentos acima citados seriam ao longo da história reproduzidos, sempre nesta ordem: perseguição, tolerância e institucionalização da igreja cristã.

Aqui no Brasil, a igreja evangélica/protestante nos seus primórdios foi também vitimada com perseguições pelo poder temporal, sob as bençãos e "pressão" do catolicismo romano. Desde a chegada dos primeiros colonizadores protestantes (1555), passando pela chegada dos holandeses, pelo protestantismo de imigração e missionário, até a consolidação da fé protestante, a perseguição fez parte da rotina dos prostestantes/evangélicos.

Assim como no império romano e ao longo dos séculos, tais perseguições não alcançaram seus objetivos, e a igreja católica com o poder temporal (governantes e políticos brasileiros) tiveram que "engolir" os protestantes.

Diante desta realidade, a máxima "se não pode com eles, junte-se a eles" foi vivenciada pelo poder temporal, que buscou aproximação da igreja e da liderança evangélica, que de perseguida se tornou assediada. Os índices de crescimento dos evangélicos que circula na mídia nacional enchem os olhos (e os bolsos) de muitos.

A Igreja Evangélica no Brasil é na atualidade, sinônimo de votos e da possibilidade de se manter no poder para muitos políticos. As estratégias destes políticos oportunistas vão desde a criação de datas especiais, até a "compra" de líderes evangélicos através de: cargos comissionados, ajudas financeiras extra-oficiais, beneficiamento de filhos e parentes como assessores, eventuais benefícios e doações feitas à igreja local (terrenos, imóveis, concessões de rádio e tv etc.).

Infelizmente, os exemplos da história não foram suficientes para libertar muitos líderes e igrejas da "sedução constantiniana" de conquistar o poder temporal, ou de se deixar ser por ele conquistado numa relação de vergonhosa promiscuidade.

Muitos líderes já estão "amarrados" politicamente para as próximas eleições, através de acordos de bastidores, que em breve serão enfiados "guela" (ou garganta) abaixo em muitas igrejas (a não ser que já sejam coniventes com a prática).

Insisto que precisamos rever nossa relação com o poder temporal, pois somente desta maneira, líderes e igrejas poderão manter sua autoridade espiritual e profética para testemunhar do Evangelho de Jesus, que não negocia sua essência. É possível ser politizado sem se vender. É possível ser íntegro. É possível ser cristão.

Em muitos países na atualidade, cristãos continuam sendo perseguidos e mortos, em outros são apenas tolerados, enquanto aqui no Brasil são (ou permitem-se ser) usados, abusados, explorados e comprados.

Leia mais sobre "a igreja e a política" em:

PROJETO E CANDIDATO DA IGREJA?
O CRISTÃO E A POLÍTICA: O MEU CANDIDATO
O CRISTÃO E A POLÍTICA: QUANTO VALE?
NEGOCIADORES DO VOTO ALHEIO
EDUCAÇÃO POLÍTICA: O SENTIDO DO VOTO
O CRISTÃO E A POLÍTICA: JOSÉ, UM POLÍTICO CONSCIENTE DE SUAS RESPONSABILIDADES
O ATUAL PROCESSO DE MEDIEVALIZAÇÃO DA IGREJA NA PÓS-MODERNIDADE
A CONDIÇÃO DE ALGUNS POLÍTICOS EVANGÉLICOS
A CONDIÇÃO ATUAL DO BRASIL E A FALÊNCIA PROFETICA DE ALGUNS LÍDERES E IGREJAS EVANGÉLICAS

quinta-feira, 17 de setembro de 2009

LIÇÃO BÍBLICA: COMENTÁRIO AO VIVO


Hoje, das 22 às 23h00, na Rádio Chama Viva FM 93,4 (Pernambuco), ou através da internet, estarei comentando a Lição Bíblica da Escola Dominical.

Até lá, se Deus quiser.

LINK: RÁDIO CHAMA VIVA FM

CEGUEIRA ESPIRITUAL


DIVISÃO NA IGREJA: REBELDIA DOS CRENTES, VONTADE OU PERMISSÃO DE DEUS? (TEXTO ATUALIZADO)

Muitos pastores assembleianos batem no peito e orgulhosamente afirmam: "Esta igreja não é fruto de divisão nem de invasão!"

Parece-me que eles desconhecem a história da própria igreja que presidem ou cooperam (ou querem apagar alguma mácula ou memória do passado). Pior, parece-me que eles desconhecem a própria história das Assembléias de Deus no Brasil. Podem inclusive estar entorpecidos pelo desejo de ser diferente, de estar acima da média, de ser melhor do que os seus pares, de ser-mais.

As Assembléias de Deus no Brasil, nasceram de uma divisão. A história é clara. Não há nenhum demérito nisto. Em nada este fato diminui o trabalho dos pioneiros, nem de todos aqueles que contribuíram e contribuem para o crescimento da igreja.

O problema do surgimento ou criação de uma igreja não é ter sido resultado de uma "divisão", mas, da causa da divisão.

"Deus, não é Deus de divisão!" bradam alguns. A questão é: de qual divisão Deus não é Deus ? Será que estes tais já leram o texto bíblico abaixo:

"Tendo Roboão chegado a Jerusalém, convocou toda a casa de Judá e a tribo de Benjamim, cento e oitenta mil homens escolhidos, destros para a guerra, para pelejarem contra a casa de Israel a fim de restituírem o reino a Roboão, filho de Salomão. Veio, porém, a palavra de Deus a Semaías, homem de Deus, dizendo: Fala a Roboão, filho de Salomão, rei de Judá, e a toda a casa de Judá e de Benjamim, e ao resto do povo, dizendo: Assim diz o Senhor: Não subireis, nem pelejareis contra vossos irmãos, os filhos de Israel; volte cada um para a sua casa, porque de mim proveio isto. E ouviram a palavra do Senhor, e voltaram segundo o seu mandado." (1 Rs 12.21-24)

Deus declara em sua palavra que a divisão das tribos foi provida por ele. A versão Revista e Corrigida de Almeida diz "eu é que fiz esta obra". A tradução NTLH relata "foi porque eu quis".

Não é a divisão em si mesma, mas são as causas que promovem uma divisão que importam, que sinalizarão se é necessária ou não, se é aprovada (ou tolerada) ou não por Deus . No caso do texto citado acima, a divisão foi resultado da arrogância, loucura, prepotência e orgulho de Roboão, que o levou a oprimir o povo de Israel (1 Rs 12.1-20).

A postura de Roboão é imitada atualmente por muitos líderes de igrejas no Brasil e no mundo. São agentes opressores que acabam promovendo divisões. No fim, para livrar a cara, chamam os que não suportam ou se indignam com a opressão de rebeldes e facciosos.

No Novo Testamento encontramos um caso clássico de divisão:

"Decorridos alguns dias, disse Paulo a Barnabé: Tornemos a visitar os irmãos por todas as cidades em que temos anunciado a palavra do Senhor, para ver como vão. Ora, Barnabé queria que levassem também a João, chamado Marcos. Mas a Paulo não parecia razoável que tomassem consigo aquele que desde a Panfília se tinha apartado deles e não os tinha acompanhado no trabalho. E houve entre eles tal desavença que se separaram um do outro, e Barnabé, levando consigo a Marcos, navegou para Chipre. Mas Paulo, tendo escolhido a Silas, partiu encomendado pelos irmãos à graça do Senhor. E passou pela Síria e Cilícia, fortalecendo as igrejas." (Atos 15. 36-41)

Isso mesmo, Paulo e Barnabé se desentenderam e se separaram. Até homens de Deus se desentendem e se separam. Cada um seguiu o seu caminho. Qual dos dois foi o rebelde? Qual dos dois deixou de ser abençoado por Deus em razão da "divisão"?

Estou aqui fazendo apologia a qualquer tipo de divisão? Deus me guarde disso! Sei que há milhares de divisões promovidas e mantidas por Satanás e seus demônios. Há ainda outras divisões, resultado do desejo cego de alguns homens pelo poder ou para tirar alguma vantagem pessoal da situação. Há também divisões causadas e mantidas por uma vida de baixa moral e testemunho cristão duvidoso daqueles que fazem o "ministérios" ou "liderança". O que afirmo, é que usar o termo "divisão" de forma imprópria, para justificar um sentimento de orgulho pessoal e o desejo de parecer melhor que os outros, é uma falácia e um auto-engano.

E o que falar da Reforma Protestante? O racha no catolicismo romano, promovido pela coragem de Lutero, em face a opressão e aos absurdos doutrinários da liderança católica, do qual todos nós protestantes, de alguma forma somos fruto.

Mas como falava, as Assembléias de Deus no Brasil nasceram de uma divisão ocorrida na Igreja Batista de Belém, no dia 13 de junho de 1911. Uma divisão causada pelo fato de um grupo de dezoito irmãos afirmarem publicamente que criam no Batismo com o Espírito Santo, evidenciado pelo falar em outras línguas. Este fato causou a expulsão do grupo, juntamente com os missionários Daniel Berg e Gunnar Vingren.

Alguém pode afirmar "mas eles não dividiram a igreja, foram expulsos da mesma". Esta afirmação é uma tentativa de atenuar os fatos. Mas por qual razão foram expulsos? Foram expulsos em razão de não negociarem a verdade de Deus. Foram expulsos por não se renderem a pressão sofrida. Foram expulsos por suas convicções inabaláveis.

Para muitos, os nossos pioneiros são os responsáveis diretos pela cisão naquela igreja. São tidos por rebeldes, juntamente com os dezoito irmãos que de lá saíram. O grupo de "rebeldes" cresceu e tornou-se a maior denominação evangélica do país.

Nenhum líder assembleiano, cuja história da chegada e fundação da igreja no Estado ou região está ligada aos acontecimentos em Belém, pode bater no peito e dizer que sua igreja não surgiu de divisão. Se escapar de Belém, acaba não escapando da Reforma Protestante.

Na América do Norte, a Assembleia de Deus tem origem em movimentos separatistas raciais, que se originaram na Igreja de Deus devido às pressões de movimentos sociais que apoiavam a separação entre negros e brancos. Alguns pastores brancos, por volta de 1913, saíram da Igreja de Deus para criarem dessa forma a Assembleia de Deus. Este lamentável episódio foi reparado numa reunião por ocasião do centenário do Movimento Pentecostal, onde os pastores da Assembleia de Deus nos Estados Unidos, simbolicamente, numa cerimônia de lava pés, pediram perdão dos atos passados.

Sobre a Igreja Filadélfia de Estocolmo, responsável pelo envio de muitos missionários para o Brasil, inclusive Joel Carlson (um dos pioneiros da AD em Pernambuco), num recente artigo do Jornal Mensageiro da Paz (Órgão Oficial das Assembleias de Deus no Brasil), número 1.492, setembro de 2009, p. 27, assinado pelo pastor Isael Araújo, nos é informado que:

"Em 1907 o despertamento pentecostal alcançou crentes metodistas e batistas em Estocolmo, a capital sueca. em 1909, mediante a situação em que muitos crentes batistas estavam se afastando de suas igrejas por aceitarem o batismo com o Espírito Santo, o comerciante batista Albert Engzell mobiliou um salão em sua residência, na Rua Uppsala 11, em Estocolmo, para servir como local de pregação. O grupo de crentes que começou a se reunir nesse local, chamado salão filadéfia, organizou-se, em 1910, como Sétima Igreja Batista de Estocolmo, tendo como pregador E. W. Olsson, da Escola Missionária de Örebro, que era totalmente a favor do despertamento pentecostal. E. W. Olsson, pouco tempo depois, desejou regressar a Örebro, a fim de dar prosseguimento a seus estudos. Assim, a igreja, que contava com 70 membros, considerou a necessidade de um pregador cheio do poder de Deus e com seriedade para continuar o trabalho. A escolha recaiu sobre Lewi Pethrus, que ainda servia como pregador na Igreja Batista de Lidköping. ele recebeu o convite em 14 de setembro de 1910, e assumiu o trabalho da igreja no ano seguinte, em 8 de janeiro de 1911, aos 26 anos de idade. No fim de 1913, a Convenção Batista Sueca expulsou ostensivamente Pethrus e toda a sua congregação, porque eles praticavam a ceia aberta. As reais causas de sua expulsão, porém, foram a teologia e a liturgia pentecostal. Surge então, a Filadefiakirkan (Igreja Filadelfia)."

Lendo o texto acima, percebemos que assim como aconteceu no Brasil com as Assembleias de Deus, a Igreja Filadélfia (que enviou vários missionários em apoio as Assembleias de Deus no Brasil) nasceu dos problemas surgidos pela aceitação da mensagem pentecostal por parte de crentes da igreja estatal Luterana e de igrejas batistas, que culminaram com a sua expulsão.

Milhares de irmãos, das mais diversas denominações ou Convenções no Brasil, são chamados de rebeldes, tratados com indiferença, vistos como "leprosos e impuros", "crentes de segunda , terceira, quarta... categoria", por congregarem em igrejas que surgiram da ganância, da opressão e da arrogância de líderes inchados, sectários, pretenciosos, vaidosos e pedantes, que não respeitam o próximo, não sabem conviver com diferenças de opiniões, que não conversam e discutem, que tentam impor a força os seus caprichos ou pontos de vistas. A postura desses líderes, não apenas gera divisão, mas fomenta, alimenta e perpetua as já existentes.

Da próxima vez que falarmos de "divisão", em vez de acusações irônicas e iradas, sejamos mais prudentes e cuidadosos. Deus pode estar diretamente envolvido neste negócio! Em vez de perder tempo e energia com isto, continue pregando o evangelho e cuidando com temor e respeito de suas ovelhas.

Quem sabe, fazendo assim, não evitamos uma nova "divisão"?

SUGESTÕES DE LEITURA

- Dicionário do Movimento Pentecostal. Isael de Araújo. CPAD.
- História das Assembléias de Deus no Brasil. Emílio Conde. CPAD.
- Mensageiro da Paz, ano 79, número 1.492, setembro de 2009. Isael de
Araújo.
- Síntese Histórica da Assembléia de Deus em Abreu e Lima. Roberto José dos Santos, Altair Germano da Silva, Dário José de Souza e Esdras Cabral de Melo. FLAMAR.

quarta-feira, 16 de setembro de 2009

MOBILIZAÇÃO PELA EDUCAÇÃO NA AD EM ABREU E LIMA-PE

FOTO: CALADO

Os professores da Escola Bíblica da igreja Assembléia de Deus, em Abreu e Lima, Pernambuco, estão elaborando suas estratégias de ação para mobilizar as famílias de suas comunidades e sensibilizar este público para a importância do acompanhamento, por parte dos pais, na vida escolar dos filhos, para a melhoria da qualidade da educação oferecida nas unidades de ensino da rede pública.

Durante o lançamento do Projeto Escola Dominical Inclusiva, realizado no Templo Central da igreja, no feriado de 07 de setembro, 1.120 professores das escolas bíblicas receberam informações sobre a realidade da Educação local e nacional, além de exemplares da Cartilha Acompanhem a vida escolar de seus filhos.

A publicação deverá subsidiar o trabalho dos professores junto aos pais e/ou responsáveis por alunos de suas comunidades. Pedagogos, psicólogos, psicopedagos, professores e mestres em educação, também participaram do evento.

Fonte: BLOG DA MOBILIZAÇÃO

Conheça a Campanha de Mobilização no site do MEC

terça-feira, 15 de setembro de 2009

2º SEMINÁRIO DE JOVENS E ADOLESCENTES NA AD EM PARQUE DOS EUCALIPTOS (NATAL-RN)


Saiba mais no link abaixo:

2º SEMINÁRIO DE JOVENS E ADOLESCENTES NA AD EM PARQUE DOS EUCALIPTOS

1º CONGRESSO DE EVANGELIZAÇÃO NA AD EM CONJUNTO BANCÁRIOS (NATAL-RN)

ACONSELHAMENTO PASTORAL: QUANDO FALTA A ÉTICA


Infelizmente, não são poucos os casos de irmãos que buscam o aconselhamento pastoral, para logo após ter a sua vida ou problema exposto publicamente.

De duas maneira isto geralmente acontece:

- O conselheiro leva o problema tratado em segredo para a tribuna da igreja, promovendo dessa forma, além do constrangimento, sérias dificuldades para o aconselhado;

- O conselheiro comenta o problema (tratado em segredo) com terceiros (outros líderes ou esposa), e de alguma forma o assunto torna-se conhecido de toda a comunidade;

Por estas e outras razões, cada vez menos os gabinetes pastorais são frequentados. Muitos obreiros estão perdendo a confiança dos membros da igreja, que acabam por vezes buscando o aconselhamento com outros, em quem confiam.

Quando a confiança entre obreiro e congregação acaba, não resta muita coisa (ou nada) que mantenha a dignidade e a autoridade de uma liderança cristã.

Primemos pela ética no aconselhamento pastoral.

domingo, 13 de setembro de 2009

WYCLIF E ALGUNS SETORES DA IGREJA EVANGÉLICA BRASILEIRA

John Wyclif (1320-1384) foi um dos grandes precursores da Reforma Protestante. Nasceu em Hipswell, Inglaterra. Estudou em Oxford onde tornou-se professor de teologia. Ordenou-se padre, recebendo dos papas diversos benefícios em igreja paroquias.

Ele foi um grande escritor, abordando temas como metafísica, teologia e lógica. Uma mente fertíl e brilhante, um pensador, um crítico de sua época. Suas idéias soaram como verdadeira bombas. Dentre as suas obras destacam-se: A tradução da Bíblia para o inglês, De civilis dominio, On the Pope, Of Prelates.

Sua sinceridade e integridade, sua inteligência, seu olhar crítico, dentre outras qualidades, não lhe calavam os lábios, nem lhe cessavam a escrita diante da crise moral e espiritual que assolava a igreja. Wyclif combateu corajosamente:

- As atitudes desregrada dos monges glutões e mulherengos;
- A sedução feita por padres, que corrompiam esposas, donzelas, viúvas e freira por todos os meios laacivos
- A exploração papal das riquezas da Igreja da Inglaterra;
- O acúmulo de propriedades por parte da igreja e do clero;
- A mensagem contraditória dos frades que pregavam pobreza e acumulavam riquezas;
- O luxo desfrutado pelo clero, fruto dos recebimentos pelos serviços religiosos, manifesto na forma como se exibiam montados em gordos cavalos com arreios de prata e ouro;
- A prática da simonia;
- O poder dos padres de ministrar sacramentos e de ouvir as confissões auricular;
- A venda de indulgências ou perdões falsos;
- A escandalosa rivalidade dos papas, numa luta desavergonhada pelo poder;

Para Wyclif, a única maneira de acabar com toda esta vergonha, era separar a Igreja de todas as posses materiais e de todo poder. Uma ação radical.

Lendo sobre Wyclif e a igreja de seu tempo, pude perceber as grandes similaridades com a igreja cristã de nossos dias.

A história nos prova de forma definitiva, que todas as vezes que a igreja conquistou algum nível de poder temporal, riquezas e outros benefícios, seus líderes se perderam em seus devaneios, ganância, avareza e concupiscências.

A igreja evangélica brasileira se enquadra perfeitamente neste perfil. Alguns de seus líderes na atualidade, assim como o clero da época de Wyclif (papas, arcebispos, bispos, padres e frades) :

- São glutões (vivem se deleitando em banquetes caríssimos);
- São mulherengos (vivem se metendo em escândalos sexuais);
- Estão acumulando um grande patrimônio pessoal através do pagamento dos serviços religiosos (em forma de dízimos e ofertas);
- Praticam a simonia (comércio das coisas sagradas) vendendo "indulgências modernas" (em vez de perdão de pecados, vendem a prosperidade e a vitória financeira por alguns reais), além de negociarem com cargos e funções na igreja e outras organizações cristãs;
- Abusam do luxo com seus carrões, mansões e outras posses;
- Brigam abertamente pelo poder, manifestando de forma pública suas rivalidades;

Assim como no passado, alguns tentam de todas as formas calar os reformadores, mas, como é raro reformadores silenciarem...

OBS: PUBLICADO SIMULTANEAMENTE NO PRAZER DA PALAVRA

CRITICAR OU NÃO CRITICAR, EIS A QUESTÃO!



Falar sem refletir no que falamos, ou falar movido puramente pelo calor da emoção, sem dúvida alguma só nos trará problemas, dentre os quais, a contradição.

sexta-feira, 11 de setembro de 2009

1º CURSO DE CAPACITAÇÃO DO DISCIPULADO NA AD EM ABREU E LIMA-PE


Durante este Curso de Capacitação serão ministrados os seguintes temas:

9h30 às 10h30: Introdução ao Discipulado Bíblico (Pr. Ubiratan Alves)
10h30 às 11h30: Síntese Histórica das Assembleias de Deus (Pr. Dário José)
14h00 às 15h00: Aconselhamento Cristão e Discipulado (Pr. Edy Moraes)
15h15 às 16h15: A Formação Integral do Discipulador (Pr. Altair Germano)
16h30 às 17h30: A Fidelidade Doutrinária e Denominacional do Discipulador (Pr. Roberto José)

As inscrições estão sendo relaizadas na Secretaria da Superintendêcia do Discipulado, no Templo Central da AD em Abreu e Lima-PE.

Ore, divulgue e participe.

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

PRIORIDADES DOS CRISTÃOS NO INICÍO DO SÉCULO XXI

SOBRE A UNIDADE ORGÂNICA DA IGREJA


O texto de 1 Co 12.12-27, que trata da unidade orgânica da Igreja, nos possibilita a compreensão de verdades essenciais para a transformação da nossa maneira de ser, pensar, falar e agir sobre este organismo vivo e espiritual no qual estamos inseridos, do qual fazemos parte.

1. Fomos todos batizados em um corpo (v. 13a)

Em termos orgânicos e espirituais, a Igreja não é formada de “corpos”, antes, é um corpo formado de “membros”. Os verdadeiros cristãos, independente de onde estejam, separados por barreiras denominacionais, doutrinárias, ideológicas, conceituais, geográficas, sociais ou qualquer outra, são membros “colocados” para dentro de um único corpo.

2. Bebemos todos de um só Espírito (v. 13b)

O Espírito é a fonte de onde emana vida espiritual. Pelo Espírito somos saciados e nutridos com a vida de Deus. Todo o corpo com os seus membros podem funcionar perfeitamente, pois não haverá escassez desta água renovadora. Todos podem beber, pois não há acepção de órgãos. Não há privilégios apenas para alguns. A fonte é abundante e inesgotável.

3. Temos o sentido de ser e fazer apenas na relação com o outro (v. 14-23)

A interdependência é a tônica que rege os órgãos do corpo. Um órgão não tem sentido sem o outro, pois só existe para servir, não é um mero adereço no corpo. Nenhum órgão subsiste naturalmente fora do corpo. Só no corpo ele “é”, e apenas no corpo ele “faz”, se realizando numa relação de reciprocidade de serviço e de utilidade. Ser órgão é ser “parte de”, e não “ser em si”.

4. Precisamos ter cuidado com o que pensamos e dizemos (v. 15, 16 e 21)

O pensamento precede a fala. A boca fala daquilo que o coração está cheio. A fala manifesta os segredos da alma. O fato de achar e dizer que não somos do corpo não nos tiram do corpo. Afirmar que não precisamos um outro, além de manifestar arrogância, revela também o nosso auto-engano. Precisamos sim um dos outros. Não podemos negar isto com ações ou palavras. Sozinhos não iremos longe. Sozinhos morreremos.

5. Contentemo-nos com a posição que ocupamos no corpo (v. 18 e 24)

É necessário saber que é Deus quem dispõem, coloca, coordena e concede lugares, funções e honras no corpo. Não é simplesmente uma escolha pessoal, antes, se trata de uma determinação soberana e graciosa. Soberana, pois tudo é de Deus, e graciosa, pois não é meritória, não é fruto de nossas obras ou méritos pessoais ocupar este ou aquele lugar, esta ou aquela função, receber esta ou aquela honra. Tudo é dele e para Ele.

6. Cuidemos uns dos outros com igual cuidado (v. 25)

É preciso entender que somos como membros do mesmo corpo, cuidadores. Cuidar implica em nutrir, suster, socorrer, ajudar, ouvir, apoiar e outras ações. Mas, não devemos apenas ser cuidadores. Precisamos cuidar de todos sem acepção, sem preferencialismo. É fazer o bem sem ver a quem. Trata-se de ação misericordiosa e desinteressada. Cuidar é amar. Cuidar é fazer o que deve ser feito, norteado pelos mais nobres sentimentos e objetivos.

7. Soframos com o sofrimento alheio (v. 26a)

A indiferença para com o sofrimento dos outros órgãos do corpo, por suas disfunções, enfermidades, carências ou doenças, não é uma atitude esperada ou desejada de quem está comprometido com o todo. Chorai com os que choram. Se coloque no lugar do outro. Tente perceber suas dores, medos, temores, ansiedades, angústias e frustrações.

8. Alegremo-nos com a alegria alheia (v. 26b)

A inveja, conceituada como “profunda tristeza com o sucesso, conquistas, vitórias, bênçãos e felicidade dos outros” pode impedir, de alegrarmo-nos com a alegria do no nosso irmão, do outro membro. Celebremos, festejemos, regozijemo-nos, alegremo-nos quantas vezes for necessário com a forma de Deus honrar o nosso próximo.

9. Tenhamos uma visão geral do corpo (v. 27a)

Uma visão geral nos possibilita uma compreensão macro da unidade, da comunhão, da interdependência, da grandeza, da beleza, da magnitude, da força, da vitalidade, do crescimento, da força, da inteireza de ser corpo de Cristo. Trata-se de uma visão onde o “eu” se funde com o “tu” formando um “nós”.

10. Tenhamos uma visão sistêmica do corpo (v. 27b)

Tal visão nos proporciona uma percepção mais apurada e individualizada da multiplicidade de funções (multifuncionalidade) dos órgãos e membros, das suas particularidades, atribuições e interligações. Das nossas possibilidades de agregar valor ao corpo, e do valor que os demais membros agregam a este corpo.

Uma compreensão da unidade orgânica do corpo é vital para o seu próprio crescimento, para a manutenção de sua saúde e funcionalidade, tanto numa perspectiva do todo, como na perspectiva de cada membro deste corpo.

Cresçamos cada vez mais em unidade para a glória de Deus!

OBS: POSTAGEM SIMULTÂNEA COM O PRAZER DA PALAVRA

terça-feira, 8 de setembro de 2009

ESCOLA DOMINICAL INCLUSIVA: 1.120 PROFESSORES PARTICIPAM DO LANÇAMENTO DO PROJETO NA AD EM ABREU E LIMA-PE

VISÃO PANORÂMICA DOS PARTICIPANTES
PRELETORES (DA ESQUERDA PARA A DIREITA): Professsores Basília, Marilúcia, Nadja e Altair Germano
PROFESSORES DA ESCOLA DOMINICAL DO CABO (1º LUGAR EM PARTICIPAÇÃO)PROFESSORES DA ESCOLA DOMINICAL DE GE 1 (2º LUGAR EM PARTICIPAÇÃO)
PROFESSORES DA ESCOLA DOMINICAL EM PARATIBE IV (3º LUGAR EM PARTICIPAÇÃO)
PEDAGOGOS, PSICÓLOGOS, PSICOPEDAGOS, PROFESSORES, MESTRES EM EDUCAÇÃO PARTICIPANTES DO EVENTO

Atavés do CABEDALPE (Curso de Aperfeiçoamento Básico da Escola Dominical em Abreu e Lima-PE), foi lançado neste 07/09/2009, no Templo Central da AD em Abreu e Lima-PE, o projeto Escola Dominical Inclusiva, com a presença de 1.120 professores, que contempla a inclusão daqueles que pelas mais diversas razões estão excluídos da Escola Bíblica Dominical. Pedagogos, psicólogos, psicopedagos, professores e mestres em educação, também participaram do evento.

O CABEDALPE é um curso de formação continuada para líderes e professores da EBD, que já completou 10 anos, sendo criado em 1999 pelo pastor Roberto José (Atual presidente da igreja, na época como superintendente geral das Escolas Dominicais).

A atual Superintendência Geral da EBD da AD em Abreu e Lima-PE é composta por:

Pr. Altair Germano (Superintendente Geral)
Ev. Robson Manoel (Vice-superintendente)
Pb. Diones Alves (Secretário)
Pr. Stevem Wilsom (Secretaria)
Ir. Miriam Lopes (Secretaria)

O Projeto Escola Dominical Inclusiva já foi lançado na Assembleia de Deus em Parque dos Eucaliptos (Natal-RN) e na Assembleia de Deus em Cordeiro Farias (Belém-PA).

O Evento teve o apoio da SOCIEDADE BÍBLICA DO BRASIL e da CPAD.

Saiba mais sobre o Projeto Escola Dominical Inclusiva nos links abaixo:

ESCOLA DOMINICAL INCLUSIVA
INCLUSÃO: OPORTUNIDADE PARA TODOS NA ESCOLA DOMINICAL

Para maiores informações:

Pr. Altair Germano
Fone: (81) 9232 0617
e-mail: altair.germano@gmail.com

domingo, 6 de setembro de 2009

UM BREVE COMENTÁRIO SOBRE AS DECLARAÇÕES DO PASTOR MARCO FELICIANO



"Quando, porém, Cefas veio a Antioquia, resiste-lhe face-a-face, porque se tornara repreensível." (Galátas 2.11)

Segue uma breve análise sobre a fala do pastor Marco Feliciano:

"Eu, o pastor Marco Feliciano, sou talvez o pastor improvável"

Todos os pastores verdadeiramente chamados por Deus são improváveis. Somo improváveis porque nossa chamada é exclusivamente dependente da graça e da soberania divina.

"Eu não tenho nada daquilo que os grandes pastores precisam ter pra ser pastor"

Não ha grandes pastores. Só há servos. Quem se percebe "grande" perdeu o foco da chamada, ou então nunca foi chamado.

"Pastor Marco Feliciano é um achado. É alguém que Deus olhou do céu, no fundo de uma palheiro, viu como uma agulha e disse: e esse que eu vou usar"

Deus nos escolheu (achou) desde o ventre de nossa mãe. (Jr 1.5; Sl 139.Gl 1.15-16) As palavras do pastor Marco Feliciano, mais uma vez, expressa a realidade de todo pastor escolhido (achado) por Deus.

As demais qualificações para o pastor verdadeiramente chamado por Deus, ditas pelo pastor Marco Feliciano são óbvias.

"As pessoas que falam mal de mim, na verdade sentem uma pontinha de inveja"

Com todo respeito. Ninguém está isento de errar e de ser corrigido por seu erro. É provável que algumas manifestações de repúdio quanto algumas posturas do pastor Marco Feliciano possam ser mortivadas por inveja. Mas, generalizar, é no mínimo uma atitude defensiva ingênua.

"Talvez o que falte a mim é experiência pastoral"

É possível. O que ouvimos de bobagens da parte de pregadores itinerantes, pelo simples fato de nunca terem tido uma experiência pastoral concreta (inclusive falando contra pastores atuantes) é um absurdo. Espero em Deus que o pastor Marco Feliciano adquira esta experiência, e com ela, de fato, alcance esse amadurecimento que expressa precisar. Todo nós sempre temos no que amadurecer.

"Neste país corre-se que o ministério passa de pai para filho..ou a pessoa tem que vir de uma família sacerdotal"

Em muitos lugares isto acontece, e tem como objetivo a manutenção dos privilégios e do poder oriundos do cargo (muitos não querem perder a "boquinha"). Já em outro lugares, a sucessão ministerial entre pai e filho é legítima, por corresponder a vontade e chamada de Deus na vida do filho.

A "nossa" (me incluo) história ministerial pregressa de integridade (alguns nem um bom passado possuem como obreiros) não justifica nossos erros doutrinários ou equívocos de conduta no presente, por "grande" que pareçamos ser, pois no Reino de Deus não há "grandes", o maior é o menor, o primeiro será o último e servo de todos (Mt 18.1-5; Mc 9.33-35; Lc 9.46-48).

É preciso fazer uma clara distinção entre "perseguição" e "repreensão". Quem erra publicamente está passivo de repreensão pública. Quem continua errando, deverá continuar sendo repreendido, pois, se não houver uma clara posição contrária, o seu erro poderá contaminar os "pequeninos".

Foi perseguição ou inveja a atitude de Paulo em relação a Pedro em Gl 2.11? É claro que não, antes, foi uma intervenção da parte de quem é zeloso, comprometido com a verdade da Palavra de Deus e com o cuidado da igreja.

O vídeo, com direito a música "triste" ao fundo, com tom de mansidão e quebrantamento, com cenas e imagens "tocantes", por si só não resolve o problema da vergonha, da confusão, do mercantilismo da fé, das heresias financeiras, das manias de "grandeza", das brigas pelo poder que assolam igrejas, convenções e ministérios em nossa nação.

É preciso mudança radical, e mudança radical só acontece com arrependimento, confissão de pecados e uma nova atitude em relaçã a Deus e a sua palavra.

Por fim, não é o "ser" diferente que nos reprova, mas, o ensinar "doutrinas diferentes", o pregar um "evangelho diferente" (Galátas 1.6-9). Resultados numéricos ou sobrenaturais, por si só, não "nos" (me incluo de novo) recomenda ou aprova (Mt 7.21-23)

Que o Senhor ajude ao pastor Marco Feliciano, a todos os demais pastores por ele citados direta e indiretamente, e a mim, para que perdendo o rumo de um ministério genuinamente bíblico e relevante, possamos reencontrá-lo.

Na graça e no amor de Cristo,

Altair Germano.

Belém-PA, 06/09/2009

sábado, 5 de setembro de 2009

CABEDAL NA AD EM ABREU E LIMA-PE



Estaremos realizando mais um Curso de Formação Continuada para dirigentes, secretárias, coordenadores pedagógicos e professores de Escola Bíblica Dominical, conforme informações abaixo:

DATA: 07 DE SETEMBRO DE 2009

HORÁRIO: 13 ÀS 18:00 H

LOCAL: TEMPLO CENTRAL DA AD EM ABREU E LIMA-PE

INSCRIÇÕES: DE 01/07 À 05/09/09 NA SECRETARIA DAS ESCOLAS DOMINICAIS OU NA SUPERINTENDÊNCIA DA EBD

VALOR: R$ 5,00 (INCLUSO APOSTILA E CERTIFICADO)

TEMA: INCLUSÃO E EDUCAÇÃO ESPECIAL NA ESCOLA DOMINICAL

SUB-TEMAS: OS DESAFIOS DA INCLUSÃO, O CONCEITO DE INCLUSÃO, INCLUSÃO E ESCOLA DOMINICAL, EDUCAÇÃO ESPECIAL, PORTADORES DE NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS, COMO IMPLANTAR UM PROJETO DE INCLUSÃO EM SUA ESCOLA DOMINICAL

PÚBLICO ALVO:PASTORES, OBREIROS, LÍDERES EM GERAL, DIRIGENTES, COORDENADORES, SECRETÁRIAS, PROFESSORES E ALUNOS DA ESCOLA DOMINICAL.

INFORMAÇÕES: (81) 88416976 e (81) 9232 0617

OBS: NA OCASIÃO SERÁ LANÇADO OFICIALMENTE O PROJETO "ESCOLA DOMINICAL INCLUSIVA" PELA SUPERINTENDÊNCIA DA EBD.

Pr. Altair Germano
Superintendente Geral da EBD

sexta-feira, 4 de setembro de 2009

SEMINÁRIO SOBRE EBD: AD EM CORDEIRO FARIAS (BELÉM-PA)


A Assembleia de Deus em Cordeiro Farias (Belém-PA) estará realizando durante o período de sua VII Conferência sobre Missões, um seminário para líderes e professores de Escola Bíblica Dominical.

A programação é a seguinte:

05/09 das 7h30 às 11h30 - Palestra sobre "Escola Dominical Inclusiva"
05/09 das 14h30 às 17h30 - Palestras sobre "Conquistando o Padrão de Excelência na EBD"
06/09 das 6h00 às 8h00 - Grande Santa Ceia
06/09 das 8h00 às 10h00 - Desfile
06/09 das 10h00 às 12h00 - Concentração Evangelística
06/09 às 18h00 - Culto de Celebração

Desde já quero parabenizar o pastor Ocival Lopes e os irmãos Bruno, Iran e Tiago, pela coordenação e realização de evento tão significativo e relevante para o crescimento integral da igreja.

Ore, divulgue e participe.

PR. ALDERY NELSON: "SE A VOSSA JUSTIÇA NÃO EXCEDER..." (Mt 5.20)









NINGUÉM ME MOLESTE!


"Quanto ao mais, ninguém me moleste; porque eu trago no corpo as marcas de Jesus" (Gl 6.17, ARA)

Não tenho tantas marcas (gr. stigma) como o nobre apóstolo Paulo, mas tenho somatizado em meu corpo o fruto do desgaste de 10 anos de ministério pastoral. O trato com coisas e com gente produz essas somatizações.

O que escrevo, faço com responsabilidade e com consciência cristã. Não escrevo para atingir pessoas ou instituições, mas, para refutar o que compreendo como falsas doutrinas e posturas reprováveis, apelando para uma tomada de consciência, arrependimento e mudança por parte dos seus promotores.

Não terei nenhuma dificuldade em me retratar, quando necessário for, diante de algum equívoco escrito ou falado. Não tenho inimigos. Combato apenas idéias e posturas.

Como prova disto, estou em Belém do Pará, ministrando num Seminário de Escola Bíblica Dominical, na AD em Cordeiro Farias, que está sob a administração do pastor Samuel Câmara. Estou aqui para servir a igreja e cooperar com aquilo que é justo, verdadeiro e louvável. Minha presença não retira minhas posições em relação às questões políticas, litúrgicas, éticas e doutrinárias. Não mudo de mensagem para ser conveniente.

Hoje no Brasil, infelizmente, por razões meramente e vergonhosamente "políticas", em muitas igrejas, denominações e convenções, quem prega na igreja do pastor do partido "A", não prega, ou não é convidado para pregar na igreja do pastor do partido "B".

Se numa igreja a Teologia da Prosperidade ou qualquer outra heresia é ensinada, e lá for pregar, não terei dificuldades em combatê-las.

Se numa igreja houver pastores divorciados por banalidades ou adúlteros, mercenários ou qualquer outro tipo de pecado, falarei sobre estas perversidades.

Se numa igreja houver o partidarismo político e doentio, falarei sobre os seus males se necessário for.

Quem me convida conhece meus posicionamentos. Pelo menos, deveria conhecê-los.

Desta forma, pregarei numa igreja neo-pentecostal, reformada, tradicional ou católica, sem negociar meus valores, princípios morais, espirituais e doutrinários. Pregarei em ruas, praças e lugares públicos. Pregarei onde Jesus e Paulo pregaria, inclusive em sinagogas e casas de fariseus. Pregarei o Evangelho da graça e o que convém a sã doutrina.

A ditadura cultural e denominacional cegou o entendimento de muitos para o verdadeiro Evangelho. Ou mudamos agora, ou teremos como igreja estabelecida no tempo e no espaço o mesmo fim que teve as igreja da Ásia,(Ap 1.11-20; 2-3) da Europa e de outros lugares, que depois de um grande avivamento, faliram, naufragaram e morreram fechadas em seus desvios, mazelas, arrogância institucional e eclesial.

Eu, Altair Germano, irmão vosso e companheiro na tribulação, no reino e na perseverança, em Jesus.

Belém do Pará, 04/09/2009.

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

PRÉ-SAL (2)

PRÉ-SAL (1)

O FINAL DE SEMANA PROMETE SER BASTANTE TUMULTUADO!




Este final de semana promote ser bastante tumultuado.

Primeiro, muitos aguardam ansiosamente as "grandes revelações" do pastor Marco Feliciano, que cansou de ser "bonzinho" e " saco de pancada".

Depois, teremos novamente a presença do Pastor Morris Cerullo no programa Vitória em Cristo do pastor Silas Malafaia. Será que vai ter promoção e a oferta da benção vai diminuir de R$ 900, 00 (Novecentos Reais) para R$ 90,00 (Noventa Reais) ou R$ 9,00 (Nove Reais)?

É bem provável que eu não tenha condições de assistir aos programas, pois estarei, se Deus quiser, em Belém-PA "construindo o nada", num Seminário de Escola Bíblica Dominical.

Vamos aguardar os acontecimentos (não esquecendo de orar pelos protagonistas)!

terça-feira, 1 de setembro de 2009

ABREU E LIMA: A CAPITAL DOS EVANGÉLICOS EM PERNAMBUCO

"...em Abreu e Lima, 31,09% da população segue alguma das denominações evangélicas existentes. Na "Capital dos evangélicos" em Pernambuco, os nomes bíblicos tomam conta dos pontos comerciais, assim como as roupas compostas e sociais vestem seus moradores."

A matéria foi publicada no Diário de Pernambuco. Leia-a na íntegra nos links abaixo:

A CIDADE DOS EVANGÉLICOS

NO COMÉRCIO, NOMES BÍBLICOS


Minha oração é que Abreu e Lima seja cada vez mais uma cidade de verdadeiros discípulos de Jesus, e não de uma mera multidão de seguidores (Lc 7.11).

Glória a Deus pelas vidas salvas e resgatadas do poder do pecado e da morte eterna.