segunda-feira, 29 de junho de 2009

ESTÁ COM O SENHOR O PR. AURÉLIO AZEVEDO

Tive o privilégio ontem a noite de pregar na abertura da 29º aniversário da União de Mocidade da AD em Abreu e Lima-PE. Entre os visitantes presentes estava o pastor Aurélio Azevedo, da Assembléia de Deus em Maceió-AL (Feitosa).

Ao final do culto, o pastor Aurélio foi convidado para fazer a oração . Após o término, o mesmo me procurou, perguntando-me se eu poderia atender um convite para ministrar para casais na AD em Feitosa (Maceió-AL). Respondi-lhe que sim, passei meu telefone e nos despedimos.

Hoje pela manhã, na BR 101, no trecho que liga Recife-PE a Maceió-AL, o pastor Aurélio Azevedo, juntamente com o presbítero Fernando Barroso Rodrigues e o diácono Edvan de Sales Santos, que lhe acompanhavam, foram vitimados por um acidente automobilístico, partindo assim para o encontro com o Senhor.

Nossas condolências à familia e ao ministério da igreja.

Leia mais em AD ALAGOAS

PERFUME POLÍTICO


Parece-me que já existe uma fragância na versão gospel!

CONGRESSO DE JOVENS NA AD EM J. PAULISTA BAIXO


Em razão de compromissos já agendados (reunião com a diretoria do CEC-CGDAB no Rio de Janeiro), minha participação no congresso se dará na segunda, 06/07.

Até lá, se Deus nos permitir!

domingo, 28 de junho de 2009

CONFRATERNIZAÇÃO DA JUVENTUDE CANAÃ


"A partir de então, Deus mostrou a todos aqueles que não acreditavam no Ministério, que a Assembléia de Deus Canaã não era apenas um projeto divino, mas uma realidade de que Deus continua sendo o mesmo de ontem.


O local ficou pequeno para o grande número de filhos de Deus que se congregam no prédio, e logo portas foram abertas e compramos uma área de 40.000 (quarenta mil metros quadrados) onde foi construído o maior auditório evangélico do nordeste, o Santuário Canaã com capacidade para 15.000 pessoas assentadas. Hoje localizado na Avenida Paranjana, 5454 no bairro do Passaré em Fortaleza-Ceará"


Leia em ASSEMBLEIA DE DEUS MINISTÉRIO CANAÃ

AD EM CAMARAGIBE (COMADALPE) REALIZA 8ª EBO

DA ESQUERDA PARA A DIREITA (EM BAIXO): PR. DIÓGENES BARBOSA(J. PAULISTA-BAIXO), PR. UBIRATAN ALVES (RIO DOCE-OLINDA), PR. FRANCISCO TÉRCIO (JABOTÃO DOS GUARARAPES), PR. ROBERTO JOSÉ (PRESIDENTE DA AD ABREU E LIMA E COMADALPE), PR. ELIS CLEMENTINO (ITAPISSUMA), PR. FRANCISCO SILVA (CAMARAGIBE), PR. JOSÉ BEZERRA (ESCADA), PR. ALTAIR GERMANO (ABREU E LIMA)

A Assembleia de Deus, campo de Camaragibe-PE, presidida pelo Pr. Francisco Silva, realizou ontem a sua 8ª Escola Bíblica de Obreiros.

Estiveram presentes ao evento os pastores Roberto José do Santos (presidente da AD em Abreu e Lima-PE e da COMADALPE), José Flor (presidente do campo em Goiana-PE), Francisco Tércio (presidente do campo em Jaboatão dos Guararapes-PR), Elis Clementino (presidente do campo em Itapissuma-PE), José Bezerra (Escada-PE), Diógenes Barbosa (J. Paulista-baixo), Ubiratan Alves (Rio Doce-Olinda), Altair Germano (Abreu e Lima-PE), dentre outros.

Ao final da Escola Bíblica, o pastor Francisco Silva louvou a Deus pelo crescimento da obra naquela cidade.

29º ANIVERSÁRIO DA UMADAL DA AD EM ABREU E LIMA-PE

O MAIS DESEJÁVEL E ELEVADO NÍVEL DE CONHECIMENTO DE DEUS

TEXTO: 1 Jo 2.3-8

INTRODUÇÃO:

A Bíblia nos ensina que não carecemos de novos mandamentos e doutrinas, para vivenciarmos o tipo de atitude que agrada a Deus. Precisamos sim, dos velhos mandamentos com novas e mais abrangentes abordagens (conf. V. 7 e 8).

O texto de 1 Jo 2.3-8 nos remete para a seguinte questão: o que realmente significa conhecer a Deus? O que evidentemente prova que conhecemos ao Senhor?

1. A NECESSIDADE DE CONHECERMOS A DEUS SEGUNDO AS SANTAS ESCRITURAS

1.1 EXPRESSA NO ANTIGO TESTAMENTO: “Conheçamos e prossigamos em conhecer ao SENHOR;” (Os 6.3a)

1.2 EXPRESSA NO NOVO TESTAMENTO: “antes, crescei na graça no conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. A ele seja a glória, tanto agora como no dia eterno.” (2 Pe 3.18a)

2. OS CONCEITOS SOBRE CONHECIMENTO

2.1 OS CONCEITOS MODERNOS DE “CONHECIMENTO”

2.1.2 O CONHECIMENTO EMPÍRICO: Adquirido em nossas interações com o meio ambiente e social (vivência cotidiana, senso comum)

2.1.3 O CONHECIMENTO CIENTÍFICO: Adquirido através da investigação metódica e mais profunda das coisas, dos fatos e dos fenônemos (estrutura, organização, natureza, composição, causas, leis. Etc.)

2.1.4 O CONHECIMENTO FILOSÓFICO: Adquirido através do contínuo questionamento de si mesmo, da realidade, da razão última, da existência e dos propósitos das coisas (aspectos supramateriais, abstratos e metafísicos)

2.1.5 O CONHECIMENTO TEOLÓGICO: Adquirido através do estudo sistemático e metódico (formal ou informal)da Bíblia Sagrada.

2.2 OS CONCEITOS BÍBLICOS DE “CONHECIMENTO”

O termo hebraico geralmente utilizado no A.T. para “conhecimento” é yada. Já no N.T., temos a palavra grega ginosko. Tanto uma, como a outra, podem ser traduzidas, dependendo do contexto, por: notar, perceber, entender, compreender, distinguir, saber, conhecer.

Mas não são nos sentidos acima descritos, que “conhecer” ganha aqui importância. “Conhecer”, em termos bíblicos, pode ser algo mais do que um simples conhecimento sensitivo ou intelectual, pode significar ainda:

- Conhecer de modo pessoal

- Um relacionamento de confiança entre pessoas

- Um relacionamento de amizade

- Um relacionamento de intimidade

É neste sentido que devemos entender as seguintes passagens:

Foi também congregada a seus pais toda aquela geração; e outra geração após eles se levantou, que não conhecia o SENHOR, nem tampouco as obras que fizera a Israel.” (Jz 2.10)

Gerações inteiras podem, através do conhecimento de Deus, desfrutar da fidelidade, do companheirismo e da proteção do Senhor, como também, podem se privar destas benesses, caso negligenciem tal conhecimento.

Eu te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos te vêem.” (Jó 42.5)

Jó evoluiu do conhecimento teórico, para o conhecimento pessoal.

Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. Muitos, naquele dia, hão de dizer-me: Senhor, Senhor! Porventura, não temos nós profetizado em teu nome, e em teu nome não expelimos demônios, e em teu nome não fizemos muitos milagres? Então, lhes direi explicitamente: nunca vos conheci. Apartai-vos de mim, os que praticais a iniqüidade.” (Mt 7.21-23)

O Senhor sabe quem são aqueles que aparentemente estão debaixo do seu senhorio e falsamente declaram isto. Estes, não gozam do privilégio de terem Deus como amigo, não desfrutam de suas confiança e amizade.

Eu sou o bom pastor; conheço as minhas ovelhas, e elas me conhecem a mim,” (Jo 10.14)

Os homens por vezes, apenas sabem coisas ao teu, e ao nosso respeito, mas somente Deus nos conhece plenamente e integralmente.

Quando conhecemos realmente a Deus, e por ele somos conhecidos, uma relação pessoal, de amizade, íntima, aberta e estável, deve estar em evidência nas nossas vidas.

3. AS EVIDÊNCIAS CONCRETAS DO MAIS DESEJÁVEL E ELEVADO NÍVEL DE CONHECIMENTO DE DEUS

As evidências claras e concretas do verdadeiro conhecimento de Deus são manifestas:

3.1 Através da observância, da guarda e da obediência aos seus mandamentos, à sua palavra (v. 3-5)

Ora, sabemos que o temos conhecido por isto: se guardamos os seus mandamentos. 4 Aquele que diz: Eu o conheço e não guarda os seus mandamentos é mentiroso, e nele não está a verdade. Aquele, entretanto, que guarda a sua palavra, nele, verdadeiramente, tem sido aperfeiçoado o amor de Deus. Nisto sabemos que estamos nele:”

O mais desejável e elevado nível de conhecimento de Deus exige coerência entre o discurso e a prática, entre a confissão de fé e a ação misericordiosa (Tg 2.12-26)

Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica será comparado a um homem prudente que edificou a sua casa sobre a rocha; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, que não caiu, porque fora edificada sobre a rocha. E todo aquele que ouve estas minhas palavras e não as pratica será comparado a um homem insensato que edificou a sua casa sobre a areia; e caiu a chuva, transbordaram os rios, sopraram os ventos e deram com ímpeto contra aquela casa, e ela desabou, sendo grande a sua ruína.” (Mt 7.24-27)

Conhecer e ser por Deus conhecido, não nos isenta de lutas, adversidades, injúrias, calúnias, difamações, perseguições e tribulações, mas, com certeza nos oferece as condições necessárias para nos mantermos firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor (1 Co 15.58), apesar das intempéries.

3.2 Pela forma como andamos, como nos comportamos, como vivemos

aquele que diz que permanece nele, esse deve também andar assim como ele andou.” (1 Jo 2.6)

A maneira como Jesus andou, é o parâmetro para identificar quem o conhece, como o conhece e quanto o conhece.

Jesus andou em mansidão, em humildade, em verdade, em submissão, em gratidão, em simplicidade, em prudência, em santidade, em renúncia, em sofrimento, em oração...

Jesus andou com o Pai!

assim como o Pai me conhece a mim, eu conheço o Pai” (Jo 10.15a)

Andou com o Pai porque o conhecia, e porque o conhecia fez, realizou, ensinou, trabalhou, atendeu, socorreu, confortou, curou, libertou e salvou.

Viveu abundantemente e altruistamente para a glória do Pai!


Conhecemos a Ele, quando andamos como Ele andou.

*Postado originalmente no PRAZER DA PALAVRA

NOVA PARCERIA: O TEMPORA, O MORES!


De forma mui gentil, os administradores do blog O TEMPORA, O MORES! (Profº Solano Portela, Dr. Agustus Nicodemus e Dr. Mauro Meister) aceitaram o meu convite para uma troca de links, que penso cooperar com o sublime propósito do engrandecimento do nome do Senhor, mediante o respeito mútuo entre os nobres e respeitáveis pastores presbiterianos e este pentecostal assembleiano que vos escreve.

Desde o ano de 2005 o blog O TEMPORA, O MORES! está no ar, abordando os mais diversos temas e tratando de assuntos pertinentes a realidade da igreja evangélica brasileira, através de uma perspectiva calvinista. O blog é um dos mais acessados da blogosfera evangélica.

Soli Deo Gloria!

sexta-feira, 26 de junho de 2009

CGADB: NOTA DE ESCLARECIMENTO DO PRESIDENTE DA CONVENÇÃO GERAL DAS ASSEMBLÉIAS DE DEUS NO BRASIL

O Presidente da CONVENÇÃO GERAL DAS ASSEMBLEIAS DE DEUS NO BRASIL – CGADB, no exercício de suas atribuições estatutárias;

Considerando o ofensivo pronunciamento do membro SAMUEL CÂMARA, levado ao ar em programa televisivo no dia 13 de junho de 2009, oportunidade em que suscitou inverídicas suspeitas sobre a lisura das assembleias gerais da CGADB e respectivos procedimentos eleitorais, que ensejaram a reforma dos Estatutos e a reeleição de Membros da Mesa Diretora, estendendo seus ataques à atual e às anteriores administrações da entidade;

Considerando que o pronunciamento do membro SAMUEL CÂMARA denigre, direta ou indiretamente, a imagem, a honra e a dignidade da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil - CGADB, assim como de seus Dirigentes e todos os Membros Convencionais;

Considerando que, de acordo com as normas estatutárias, cabe ao Presidente da Mesa Diretora o direito de defesa, em Juízo e fora dele, da Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil – CGADB;

O BEM DA VERDADE e por meio do Mensageiro da Paz, vem prestar os seguintes esclarecimentos, a todos quantos possam interessar:


REFORMA DOS ESTATUTOS

1) As reformas do Estatuto Social da CGADB, algumas delas por proposta do próprio convencional SAMUEL CÂMARA, se deram por imperiosa necessidade de sua adequação aos ditames do Novo Código Civil (Lei nº 10406/2002) assim como à realidade da própria CGADB, sendo a penúltima realizada na cidade Maceió-Al. A última reforma (AGE de Porto Alegre-RS), foi efetivada principalmente para permitir a eleição eletrônica, que foi inaugurada com sucesso na AGO de Vitória, Estado do Espírito Santo, mediante a utilização de urnas eletrônicas cedidas pelo Egrégio Tribunal Regional Eleitoral daquele acolhedor Estado, sendo, inegavelmente, uma grande vitória e profundo avanço, dado o expressivo número de eleitores que participam das AGOs.


DO PROCEDIMENTO ELEITORAL

2) Todos os procedimentos eleitorais da CGADB, sem qualquer exceção, sempre foram realizados às claras e de forma democrática, e sem manipulação, com inteira observância das disposições legais e estatutárias. Todos os convencionais tiveram plena liberdade para se inscrever como candidatos aos cargos eletivos. Prova disto que o próprio denunciante SAMUEL CÂMARA vem participando de sucessivas eleições, como candidato, tendo sido eleito, inclusive, como 1º vice Presidente da Convenção Geral, biênio de 2005/2007, afora outras funções eletivas que exerceu junto à Mesa Diretora, fatos que jamais poderá negar mesmo porque estão registrados nos anais da Convenção Geral. A reeleição do Pr José Wellington Bezerra da Costa, como Presidente, e a eleição dos demais Membros da Convenção Geral, a par da estrita observância das disposições estatutárias, devem ser tributados ao livre e consciente exercício do direito de voto dos convencionais que compareceram às sessões da Assembléia Geral, a exemplo dos respeitáveis votos atribuídos ao denunciante SAMUEL CÂMARA, restando-lhe apenas a lamúria de sua mal conduzida campanha. Duvidar da lisura, da condução e do resultado das eleições, como o fez deliberadamente o denunciante, equivale a subestimar a própria inteligência dos convencionais que participaram do certame.


3) Quanto às inscrições de convencionais, principalmente daqueles que participaram da última eleição, são infundadas as denúncias propaladas pelo membro SAMUEL CÂMARA, a exemplos dos demais fatos que ele veiculou em programa de televisão. Inicialmente, convém esclarecer que as inscrições foram acompanhadas pelo próprio convencional SAMUEL CÂMARA e seus assessores, tendo resultado na confecção de um relatório subscrito por ele (Samuel Câmara) e pelos membros da Comissão Eleitoral. E é oportuno informar que as impugnações do denunciante foram examinadas e rejeitadas pela Comissão Eleitoral, por ausência de qualquer irregularidade. Não era verdadeira a alegação de falta ou intempestividade de pagamento das taxas de inscrições ou de anuidades envolvendo 1626 inscrições. Todas foram pagas a tempo e modo, cumprindo ressaltar que alguns convencionais, residentes na cidade do Rio de Janeiro, efetuaram os respectivos pagamentos no dia 21 de janeiro de 2009, porque o dia 20 de janeiro de 2009, último dia de prazo, foi FERIADO na cidade do Rio de Janeiro e, de acordo com o artigo 132, § 1º, do Código Civil, “Se o dia do vencimento cair em feriado, considerar-se-á prorrogado o prazo até o seguinte dia útil”. E nada melhor do que cumprir a Lei, como sempre foi do feitio dos Membros da Convenção Geral, cuidado que o denunciante demonstrou não possuir. Por outro lado, o denunciante insinua que 1300 convencionais compareceram somente no dia da votação, mas não estariam inscritos no prazo do edital. Mais uma inverdade pronunciada pelo membro SAMUEL CÂMARA. Todos os 1300 convencionais estavam inscritos. Por sua vez, não se pode censurar os convencionais que optaram por comparecer ao local de votação somente no dia da eleição, visto que a participação dos atos correlatos ao pleito é de livre iniciativa de cada convencional. Curioso que o denunciante SAMUEL CÂMARA, deliberadamente, deixou de mencionar os convencionais que ele apresentou às vésperas da eleição, e, portanto, fora do prazo regimental, os quais foram inscritos em cumprimento de decisões judiciais provisórias proferidas em ações que eles ajuizaram contra a CGADB perante a Comarca de SERRA, Estado do Espírito Santo.

DO CADASTRO E DO REGISTRO DE CONVENÇÃO

4) Sob o enfoque deste tópico, também carece de veracidade a denúncia do membro SAMUEL CÂMARA. Nenhum convencional pode ignorar que o cadastramento e o registro de convenções são atos de competência da Mesa Diretora, a teor do artigo 39, III, do Estatuto Social, submisso a homologação da Assembléia Geral. A inscrição da entidade convencional que o denunciante mencionou em programa de televisão preencheu todos os requisitos do Estatuto da CGADB, especialmente quanto ao prazo de seis meses anteriores a data da AGO. Bem por isso que seus membros concretizaram suas inscrições no prazo do edital da última eleição, mediante o pagamento dos respectivos valores, tudo a demonstrar a inveracidade das afirmações do denunciante.

DA ÚLTIMA ELEIÇÃO

5) A eleição levada a efeito durante a AGO em Vitória-ES, como dito acima, foi a primeira mediante processo eletrônico, com urnas eletrônicas cedidas pelo Egrégio Tribunal Regional Eleitoral do Estado do Espírito Santo. Todos os atos que a precederam, regulados no Estatuto Social e Regimento Interno da CGADB, foram rigorosamente cumpridos e fiscalizados, inclusive acompanhados pelo denunciante, ora pessoalmente, ora por seus representantes. Como se isso não bastasse, convém salientar que o próprio Tribunal cedente das urnas designou seus técnicos, que, diligentemente, acompanharam todos os procedimentos, culminando com a apuração e proclamação dos resultados. Como prova inequívoca da transparência, da oportunidade e lisura do pleito, mesários, escrutinadores, secretários, presidentes de mesas e fiscais foram indicados e recrutados pelos candidatos a presidente, até mesmo para a lacração das urnas, o que concorreu para o equilíbrio, a igualdade e a verdade dos resultados. Portanto, quando o denunciante se refere a suspeição e manipulação das eleições e seu resultado, em verdade o faz como ato de desespero, sem medir as consequências de suas inverídicas afirmações, sem a preocupação de atingir a honra, a imagem e a dignidade de consagrados servos de Deus, que, com dedicação e desvelo, cuidam de imensos rebanhos do Senhor da Seara.

DAS DELIBERAÇÕES DO PLENÁRIO

6) A respeito das deliberações do Plenário, o denunciante SAMUEL CÂMARA demonstra estar desinformado quanto ao que dispõe o artigo 21 do Regimento Interno, que regulamenta a forma de aferir a votação de matérias submetidas a debate em plenário. Conferindo o Regimento da CGADB, é inegável que a conduta do presidente do conclave se ateve rigorosamente ao que determina o mandamento estatutário e regimental, não sendo verdadeira, portanto, a afirmação do denunciante sobre suposta conduta diversa do presidente da Mesa.


DO RELATÓRIO DA COMISSÃO ESPECIAL

7) As inverídicas afirmações do membro SAMUEL CÂMARA a respeito de gastos, encargos e compromissos financeiros da CGADB, principalmente no que se refere ao período de 2007 a 2008, comportam os seguintes esclarecimentos:

a) Como é do conhecimento de todos os Membros Convencionais, a CGADB tem vários órgãos que exercem atividades em sua estrutura administrativa, tais como: Mesa Diretora, Conselho Fiscal, Conselho de Ética, Comissão Jurídica, dentre outros. Todos os convencionais que integram esses órgãos, exercem suas atividades sem remuneração de qualquer espécie, cabendo à CGADB os custos de deslocamentos, hospedagem e alimentação dos de seus Membros, quando no desempenho de suas atribuições estatutárias. Aliás, o próprio denunciante SAMUEL CÂMARA, enquanto integrante de órgãos da CGADB, também recebeu o mesmo tratamento, sem que desembolsasse, de si próprio, ou da igreja que preside, qualquer valor para cobrir suas despesas no desempenho de atividades estatutárias. Ao contrário do que insinuou o denunciante, todos os valores indicados no relatório da Comissão Especial nomeada são decorrentes de intensas e exaustivas atividades dos Membros que integram os diferentes Órgãos da CGADB, realizadas em diferentes regiões do País, sempre no interesse da entidade, como os convencionais tiveram a oportunidade de verificar e comprovar na última AGO. Não merecem credibilidade, portanto, as gratuitas afirmações do denunciante, mesmo porque desprovidas de qualquer prova em sentido contrário.

b) Quanto às dividas fiscais apontadas (INSS e FGTS), convém ressaltar que é absolutamente inverídica a informação da existência de “apropriação indébita” de valores descontados dos empregados da CGADB. O relatório da Comissão Especial nomeada dá conta de que os valores descontados de salários foram quitados. Logo não procedem as afirmações do denunciante. Quanto ao saldo apontado como objeto de parcelamento junto ao órgão governamental competente, aguarda-se deferimento de requerimento formulado em estrita observância das normas legais.


c) Com relação aos compromissos assumidos, é oportuno esclarecer que as finanças da CGADB são alimentadas pelas anuidades e taxas de inscrições dos Membros Convencionais de sorte que, em razão da ausência de provisão de fundos de vários cheques recebidos de convencionais, a entidade teve momentânea dificuldade para saldar seus compromissos, mas, conforme consta do relatório da Comissão Especial, os títulos de créditos mencionados pelo denunciante foram resgatados. Por não ser de seu interesse, o denunciante omitiu, propositadamente, o parecer final da aludida comissão, que não foi por ele contestado em plenário, onde está expresso que: “Diante dos fatos analisados e dos comentários citados, somos de parecer de que os relatórios financeiros de 2007 e 2008, apresentados pela CGADB, sejam aprovados, com a incorporação deste relatório e documentos, com atendimento as recomendações aqui constantes, em especial com o preparado das demonstrações financeiras em conformidade com os princípios contábeis geralmente aceitos. De igual modo, esta comissão considerando os aspectos envolvidos e a documentação apresentada, conclui que, tendo em vista a matéria discutida, não se identifica nenhum elemento evidenciador de improbidade administrativa.” Deve ser destacado que a Comissão Especial em referência foi composta por convencionais dotados de formação técnica adequada, e com a participação de representante do denunciante SAMUEL CÂMARA. O parecer acima parcialmente transcrito foi submetido à discussão e apreciação do plenário, tendo sido APROVADO POR UNANIMIDADE pelos Convencionais, dentre eles o próprio denunciante SAMUEL CÂMARA.


DA DOCUMENTAÇÃO PARA A INSCRIÇÃO

8) No que se refere aos documentos de inscrição dos candidatos, o pronunciamento do membro SAMUEL CÂMARA, igualmente, está permeado de inverdades. De todos os que se candidataram aos mais diversos cargos eletivos da CGADB, foi exigida a documentação regimentalmente determinada, conforme dispõe o artigo 41 e seguintes do Regimento Interno, com prazos de impugnações. Por outro lado, é absolutamente inverídica a afirmação de que o subscritor da presente teria presidido sessão da Comissão Eleitoral, até porque os membros daquele órgão, que atuaram com total independência, jamais permitiriam a ingerência de terceiros em seu funcionamento. É lamentável observar, mas o denunciante, propositadamente, confunde a pessoa física dos candidatos com a pessoa jurídica da CGADB.

9) Finalmente, destaca o subscritor desta nota, em nome da Mesa Diretora e todos os demais órgãos da CGADB, que não é cabível, por impertinente, a ressuscitação de questões exaustivamente debatidas e já decididas, soberanamente, pelos Membros Convencionais, não sendo demais acrescentar que as denúncias do membro SAMUEL CÂMARA configuram comportamentos espiritualmente reprováveis, cabendo ao Senhor da Seara avaliá-las segundo seus santos propósitos e juízos. Bom seria que o precioso espaço do programa de televisão fosse utilizado pelo membro SAMUEL CÂMARA para a propagação do Santo Evangelho, porque é com esse magno propósito que ele foi consagrado ao Ministério da Palavra.

Fraternalmente, em Cristo Jesus, Senhor Nosso
Rio de Janeiro, 18 de Junho de 2009



JOSÉ WELLINGTON BEZERRA DA COSTA
Pastor Presidente
FONTE: Jornal "Mensageiro da Paz"
ANO 79 - Nº1490 - Julho de 2009
Orgão Oficial das Assembléias de Deus no Brasil



Fonte: Blog do Pastor Wellington Júnior

Meus agradecimentos ao irmão Clayton Góis pela informação sobre a publicação da nota acima reproduzida.

Por fim,

"em razão da ausência de provisão de fundos de vários cheques recebidos de convencionais..."

Amados, se a relação nominal destes convencionais que passaram cheques sem fundos fosse publicada, certamente haveriam muitas surpresas e desencantos. Mas, certamente, quero acreditar que não houve má fé dos mesmos, apenas dificuldades financeiras, tais quais a nossa CGADB enfrentou!

*Grifo nosso.

O EVANGELHO (GRUPO LOGOS)


O Evangelho

Grupo Logos

Composição: Paulo Cezar

Eu sinto verdadeiro espanto no meu coração
Em constatar que o evangelho já mudou.
Quem ontem era servo agora acha-se Senhor
E diz a Deus como Ele tem que ser ...

Mas o verdadeiro evangelho exalta a Deus
Ele é tão claro como a água que eu bebi
E não se negocia sua essência e poder
Se camuflado a excelência perderá!

Refrão
O evangelho é que desvenda os nossos olhos
E desamarra todo nó que já se fez
Porém, ninguém será liberto, sem que clame
Arrependido aos pés de Cristo, o Rei dos reis.

O evangelho mostra o homem morto em seu pecar
Sem condições de levantar-se por si só ...
A menos que, Jesus que é justo, o arranque de onde está
E o justifique, e o apresente ao Pai.

Mostra ainda a justiça de um Deus
Que é bem maior que qualquer força ou ficção
Que não seria injusto se me deixasse perecer
Mas soberano em graça me escolheu

É por isso que não posso me esquecer
Sendo seu servo, não Lhe digo o que fazer
Determinando ou marcando hora para acontecer
O que Sua vontade mostrará.

Refrão

O evangelho é que desvenda os nossos olhos
E desamarra todo nó que já se fez
Porém, ninguém será liberto, sem que clame
Arrependido aos pés de Cristo, o Rei dos reis.

Porém, ninguém será liberto, sem que clame
Arrependido aos pés de Cristo, o Rei dos reis.

"Senhor Jesus, ajuda-nos a sermos fiéis ao teu Evangelho"

ASSEMBLÉIA DE DEUS EM FERNANDO DE NORONHA-PE REALIZARÁ PALESTRAS SOBRE A PRÁTICA PEDAGÓGICA NA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL



Estarei, se o Senhor me permitir, de 02 à 05/07, na Assembléia de Deus em Fernando de Noronha-PE, ministrando sobre a Prática Pedagógica na Escola Bíblica Dominical. Os seguintes temas serão abordados:

- A FORMAÇÃO DO PROFESSOR DE ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL
- HOMILÉTICA APLICADA AO ENSINO NA ESCOLA BÍBLICA DOMINICAL

PROGRAMAÇÃO

- 02/07 (quinta), às 19h00: Primeira Palestra
- 03/07 (sexta), às 19h00: Aula Especial de Abertura do 3º Trimestre
- 05/07 (domingo), às 9h30 : Segunda Palestra
- 05/07(domingo), às 19h00: Culto Especial

A Igreja Evangélica Assembléia de Deus em Fernando de Noronha é dirigida pelo Pr. Israel Xavier, e a Escola Dominical pelo Diácono Amâncio José.

CABEDAL NA AD EM ABREU E LIMA-PE


Estaremos realizando mais um Curso de Formação Continuada para dirigentes, secretárias, coordenadores pedagógicos e professores de Escola Bíblica Dominical, conforme informações abaixo:

DATA: 07 DE SETEMBRO DE 2009

HORÁRIO: 13 ÀS 18:00 H

LOCAL: TEMPLO CENTRAL DA AD EM ABREU E LIMA-PE

INSCRIÇÕES: DE 01/07 À 31/08/09 NA SECRETARIA DAS ESCOLAS DOMINICAIS E NA SUPERINTENDÊNCIA DA EBD

VALOR: R$ 5,00 (INCLUSO APOSTILA E CERTIFICADO)

TEMA: INCLUSÃO E EDUCAÇÃO ESPECIAL NA ESCOLA DOMINICAL

SUB-TEMAS: OS DESAFIOS DA INCLUSÃO, O CONCEITO DE INCLUSÃO, INCLUSÃO E ESCOLA DOMINICAL, EDUCAÇÃO ESPECIAL, PORTADORES DE NECESSIDADES EDUCACIONAIS ESPECIAIS, COMO IMPLANTAR UM PROJETO DE INCLUSÃO EM SUA ESCOLA DOMINICAL

PÚBLICO ALVO:PASTORES, OBREIROS, LÍDERES EM GERAL, DIRIGENTES, COORDENADORES, SECRETÁRIAS, PROFESSORES E ALUNOS DA ESCOLA DOMINICAL.

INFORMAÇÕES: (81) 88416976 e (81) 9232 0617

OBS: NA OCASIÃO SERÁ LANÇADO OFICIALMENTE O PROJETO "ESCOLA DOMINICAL INCLUSIVA" PELA SUPERINTENDÊNCIA DA EBD.

Pr. Altair Germano
Superintendente Geral da EBD

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Michael Jackson - "We've Had Enough"



We've had enough (Já tivemos o suficiente)
Michael Jackson

O amor foi tomado de uma jovem
e ninguém disse a ela o porquê disso
Seu caminho tinha um rastro para mais um crime violento
ela inocentemente perguntou “porque”
porque seu pai teve que morrer
Ela perguntou ao homem de azul
como é isto,você tem que escolher
quem vai viver e quem vai morrer
Deus te disse que você podia decidir?
Você viu,que ele não havia corrido
e que meu pai não carregava uma arma
No meio do vilarejo,no interior de uma distante ilha
vive um garoto frio com seu brinquedo
muito jovem para entender
Ele esta acordado,crescido esta vibrando
seu pai,agarra sua mão
gritando,chorando,sua esposa esta morrendo
agora ele,foi deixado a explicar.
Ele inocentemente perguntou “porque”
porque sua mãe teve que morrer
porque esses soldados tiveram que vir aqui?
se eles querem paz,porque então há Guerra?
Por a caso Deus disse que eles podiam decidir
quem vai viver e quem vai morrer?
tudo o que minha mãe sempre fez
foi tentar cuidar de seus filhos
Nós inocentemente ,parados de frente
assistindo,pessoas perdendo vidas
e como se não tivéssemos voz
é hora de fazermos uma escolha
Somente Deus pode decidir
quem vai viver e quem vai morrer
não há nada a ser feito
se nos tornarmos nossa voz uma só

2x Deus ouve isso de mim?
Deus ouve isso de você?
Deus ouve isso de nós
Não aguentamos
já tivemos o suficiente

Obrigado senhor,eu me cuido
Obrigado senhor,eu cuido de você
obrigado senhor,isso veio de você babe
Não aguentamos
já tivemos o suficiente
do fundo da minha alma
do fundo da sua alma e a seu lado
no fundo da minha alma
é grandioso e eu continuo vivo
Deus ouve isso de nós?
Não aguentamos
já tivemos o suficiente
Isso vai acaber
só deixe Deus decidir,
Vai acontecer baby
só deixe Deus decidir,
No fundo da minha alma
já tivemos o suficiente

"Tão importante quanto ter Deus na canção, é tê-lo no coração, na vida."

Michael Jackson - Will You Be There (GOSPEL)



Will You Be There (Você estará lá)
Michael Jackson

Me abraçe
Como o Rio Jordão
E então eu lhe direi
Você é meu amigo
Leve-me
Como se você fosse meu irmão
Me ame como uma mãe
Você estará lá?
Quando cansado
Me diga se você vai me segurar
Quando errado você vai me dirigir
Quando perdido você vai em achar?
Mas eles me dizem
Um homem deve ter fé
E seguir mesmo quando não dá
Mas eu só um humano!
Todo mundo quer me controlar
Parece que o mundo
Tem um papel para mim
Estou tão confuso!
Você estará lá para mim
E se importar o suficiente para me suportar?
(Me abraçe)
(Encoste sua cabeça devagar)
(Suave e corajosamente)
(Me leve até lá)
(Me guie)
(Me ame e me alimente)
(Me beije e me liberte)
(Me sentirei abençoado)
(Me leve)
(Me leve com coragem)
(Me levante devagar)
(Me leve até lá)
(Me salve)
(Me cure e me lave)
(Suavemente me diga)
(Eu estarei lá)
(Me levante)
(Me levante devagar)
(Me leve corajosamente)
(Me mostre que você se importa)
“No nosso momento mais sombrio
No meu pior desespero
Você ainda vai se importar?
Você estará lá?
Nas minhas provações
E minhas tribulações
Pelas minhas dúvidas
E frustrações
Na minha violência
Na minha turbulência
Pelo meu medo
E minhas confissões
Na minha angústia e minha dor
Pela minha alegria e minha culpa
Na promessa de um
Outro amanhã
Nunca deixarei você partir
Pois você está no meu coração para sempre.”

MORRE MICHAEL JACKSON!


Por Bob Tourtellote LOS ANGELES (Reuters)

Michael Jackson, astro mirim que virou rei do pop e pôs o mundo para dançar com ritmos exuberantes durante décadas, morreu na quinta-feira aos 50 anos.

Leia em ÚLTIMO SEGUNDO

A morte é o destino inevitável de todos os homens, ricos ou pobres, pretos ou brancos, cultos ou incultos.

"E, assim como aos homens está ordenado morrerem uma só vez, vindo, depois disto, o juízo, " (Hb 9.27)

Leia mais em FOLHA ONLINE

NOS ENCONTRAREMOS SEMANALMENTE NO "PRAZER DA PALAVRA"


Iniciamos hoje nossas publicações semanais no site Prazer da Palavra, do ilustre pastor e doutor Israel Belo de Azevedo.

Me senti bastante honrado e privilegiado pelo convite.

Que em todas as coisas o nome do Senhor seja exaltado!

Conheça o PRAZER DA PALAVRA.

ISSO ME DÁ UM TIC TIC NERVOSO


Não sei se você já observou, mais alguns pregadores possuem uns tic tics estranhos. O pior, é que alguns associam os tic tics a unção do Espírito.

- O que é aquilo? Peguntam uns.
- É poder de Deus irmão! Respondem outros.

Conheço gente que quando prega fica abotoando e desabotoando o palitó, puxando a perna da calça, levantando os ombros, balançando o pescoço, se tremendo todo, coçando a orelha, gemendo, urrando e etc.

Precisamos discernir entre o que é a verdadeira manifestação do poder de Deus da reação humana a este poder.

Tic tics, uma vez percebidos e discernidos, acabam sendo pouco a pouco tratados e abandonados por tais pregadores.

Se você se percebe nas condições aqui descritas, receba esse texto como uma contribuição para o aperfeiçoamento e crescimento de vosso ministério.

Abraços!

CONFIANÇA: UM ELEMENTO ESSENCIAL NA VIDA DE UM OBREIRO


TEXTO: Mt 25.14-21; 1 Tm 6.20

A Confiança é uma prerrogativa para a chamada e o exercício do ministério cristão. Toda atividade ministerial fundamenta-se nesta qualidade moral. Não existe a mínima possibilidade de uma ascensão ministerial legítima, sem que o elemento “confiança” esteja presente.


1. DEFININDO “CONFIANÇA”


Stephen M. R. Covey, em sua obra “O Poder da Confiança: o elemento que faz a diferença”, definiu confiança como:


“Confiança significa ter certeza de que a pessoa não esconde nada e é sincera.”

“Quando você confia nas pessoas, confia em sua integridade e competências.”


2. A CONFIANÇA DE DEUS EM NÓS OBREIROS


A confiança de Deus em nós, que o levou a nos escolher para servirmos em sua obra, está fundamentada:

2.1 Em sua graça (2 Tm 1.8-9)

2.2 Em sua escolha soberana (Is 44.1-2)

2.3 Em sua determinação (Sl 139.16)

2.3 Em seu conhecimento acerca de nós (Jr 1.5)


3. DEUS REVELA A CONFIANÇA QUE POSSUI EM NÓS


Para o exercício legítimo do ministério cristão, se faz necessário que Deus comunique, ou torne pública a confiança que depositou em nós. Para isso ele comunica:


3.1 Às autoridades por ele delegadas (Dt 31.7-8; 1 Rs 19.15-16; 2 Tm 2.1-2)

Para o exercício do ministério cristão é necessário que as autoridades delegadas por Deus, e com autoridade sobre nossa vida, confiem em nós, ou no mínimo, confiem na indicação de Deus.

3.2 À congregação (1 Sm 16.13; 2 Rs 2.9-15; Atos 1.15-26; 6.1-6)

Um homem a quem Deus confia uma chamada possui o reconhecimento desta confiança por parte da igreja. A unção do Espírito, a sabedoria, os dons e outras qualidades, testificam publicamente da confiança que gozamos do Senhor.


4. CRESCENDO EM CONFIANÇA


A confiança uma vez estabelecida, precisa ser ampliada. Para tal precisamos atentar para:


4.1 Nossas Intenções (1 Tm 4.12b)

4.2 Nossa Segurança Doutrinária (1 Tm 4.16a ; 2 Tm 3.14-17)

4.3 Nossa Integridade Moral (1 Tm 3.1-7)

4.4 Nossa Capacitação (2 Tm 2.15)

4.5 Nosso Resultado (Jo 15.16a ; Rm 12.6-9)


5. CONFIANÇA E PROGRESSO MINISTERIAL


O progresso ministerial (1 Tm 4.15) está proporcionalmente relacionado ao nível de confiança que alcançamos. Faz-se necessário observar a relação abaixo:

5.1 Alto nível de confiança = Maior progresso ministerial

5.2 Baixo nível de confiança = Menor progresso ou estagnação ministerial

5.3 Nenhuma confiança = Fracasso ministerial


6. PERDA E RESTAURAÇÃO DA CONFIANÇA


Confiança, em termos de relações humanas, é algo construído ao longo de muitos anos, mas que pode ser perdida em segundos.


6.1 A Confiança Perdida. Os danos da perda da confiança são muitos, e quase que irreparáveis. Precisamos zelar pela confiança adquirida.

6.2 A Confiança Restaurada. O processo de restauração da confiança é geralmente lento, e nem sempre, falando ainda em termos humanos, volta a aos níveis alcançados.


CONCLUSÃO


Apesar de nossas limitações, fragilidades, imperfeições e inconstâncias, inclusive da possibilidade da fraqueza e do pecado, Deus resolveu confiar em nós.

Somente Ele é capaz de restaurar plenamente uma confiança perdida, e de manifestar abundantemente a sua graça e glória sobre a vida daqueles em quem confiou.


OBS: Estudo ministrado por ocasião da 50ª Escola Bíblica de Obreiros da Assembléia de Deus em Abreu e Lima-PE, no período de 17 a 24 de maio/2009.

quarta-feira, 24 de junho de 2009

MINISTRO EVANGÉLICO BEM SUCEDIDO (UMA PERSPECTIVA PÓS-MODERNA)

Um ministério apostólico ou pastoral bem sucedido, implica, segundo algumas concepções pós-modernas (criadas por quem?), no enriquecimento do obreiro!

SÉRIE INVESTIMENTOS MINISTERIAIS (2)


Um simples e discreto carro!

SÉRIE INVESTIMENTOS MINISTERIAIS (1)


Uma modesta e aconchegante casa!

SÉRIE MENINO TRAQUINO: MAMÃE, EU TAMBÉM QUERO SER APÓSTOLO! (2)

- Mamãe, eu também quero ser apóstolo!
- Pra que, meu filho?
- Pra mandar no pastor!

SÉRIE MENINO TRAQUINO: MAMÃE, EU TAMBÉM QUERO SER APÓSTOLO! (1)

- Mamãe, eu também quero ser apóstolo!
- Por que, meu filho?
- Ora mamãe, num tá na moda!

BLOG DO PR. JOSÉ WELLINGTON


Para quem não sabia, o pastor José Wellington (Presidente da CGADB), está também presente na blogosfera evangélica, inclusive já filiado a UBE (União de Blogueiros Evangélicos).

Confira no link abaixo:

BLOG DO PR. JOSÉ WELLINGTON

TRAIÇÃO NO MINISTÉRIO


"Até o meu amigo íntimo, em quem eu confiava, que comia do meu pão, levantou contra mim o calcanhar." (Salmo 41.9)

É TEMPO DE OUVIR A PALAVRA DE DEUS

A Sociedade Bíblica do Brasil lança campanha voltada para a difusão do ouvir a Palavra de Deus.

A Campanha

Imagine se o Brasil inteiro pudesse ouvir a Palavra de Deus!

Pesquisas apontam que 74% dos brasileiros entre 16 e 64 anos não serão alcançados pela Bíblia no formato impresso porque não sabem ler ou porque entendem muito pouco do que leem. Outro dado impressionante, divulgado em 2008 pelo Instituto Pró-Livro, revela que a Bíblia, embora seja o livro preferido dos leitores brasileiros, é lida com frequência por menos de 2,5% da população do país.

Como, então, alcançar essa grande massa de brasileiros que se somam ainda com aqueles que não leem porque não têm tempo? Essa é a pergunta que a Sociedade Bíblica do Brasil se faz constantemente enquanto organização cuja missão é distribuir a Bíblia a todas as pessoas, em uma linguagem que elas entendam e a um preço que possam pagar. Mais do que isso: a SBB quer tornar a Palavra de Deus relevante aos brasileiros.

Obviamente diversas ações se fazem necessárias para impactar com a Bíblia esse número significativo de pessoas. Mas sabemos que nenhuma ação se empreende de forma solitária. É preciso que igrejas e organizações cristãs abracem também a missão de difundir o Livro Sagrado e a sua mensagem.

E por isso, em nome da SBB, convido você a se engajar na campanha É Tempo de Ouvir a Palavra de Deus, que pretende fazer com que, durante os anos de 2009 e 2010, mais de 10 milhões de pessoas ouçam o Novo Testamento e sejam tocados por sua mensagem.

Se a fé vem pelo ouvir, imagine se o Brasil inteiro pudesse ouvir a Palavra de Deus...
Agora, imagine você ajudando a tornar este sonho uma realidade.

A Causa da Bíblia conta com você!
Dr. Rudi Zimmer

Rev. Dr. Rudi Zimmer
Diretor Executivo
Sociedade Bíblica do Brasil

Fonte: www.sbb.org.br/tempodeouvir

Manifestamos nosso apoio a tão nobre e belo projeto.

Que o Senhor Jesus continue abençoando aqueles que fazem a Sociedade Bíblica do Brasil.

terça-feira, 23 de junho de 2009

SÉRIE BLOGS BÍBLICOS: O BLOG DE ADÃO


Como fui tolo. Tudo era perfeito.

O mais belo céu, as mais límpidas águas, o mais fresco ar, o mais fulgente sol, a mais clara lua, as mais brilhantes estrelas, o verde esplendoroso das florestas, o cheiro indescritível do perfume das flores, o coloridos dos campos, o sabor inigualável das frutas, o canto suave dos pássaros, os mais diversos animais, a mais bela e perfeita mulher, a comunhão mais íntima com o Pai.

Como fui tolo. Tudo era perfeito.

Como me deixei seduzir pelo querer ser mais?

Como me deixei levar por sentimentos tão egoístas?

Como fui tão estúpido?

Como pude me embriagar com promessas tão infundadas?

Como não pude dominar a minha insensatez?

Como não contive ação tão louca?

Como pude desobedecer ao meu Deus?

Como fui tolo. Tudo era tão perfeito.

Ah, triste pecado!

Pecado que acinzenta o céu, polui as águas e o ar, escurece o sol, eclipsa a lua, empalidece as estrelas, devasta as florestas, enfraquece o aroma das flores, descolora os campos, tira o sabor das frutas, desentoa o canto dos pássaros, extermina os animais, discrimina e coisifica a mulher, separa-nos do Pai.

Ah, que terrível vergonha!

Vergonha da nudez, vergonha das folhas, vergonha de ser, vergonha de transgredir, vergonha de magoar, vergonha de entristecer, vergonha de decepcionar, vergonha de morrer, vergonha de pecar, vergonha de tentar justificar o injustificável.

Oh, grande misericórdia!

Misericórdia que surpreende.

Misericórdia que vem ao encontro.

Misericórdia que chama.

Misericórdia que escuta.

Misericórdia que dialoga.

Misericórdia que promete.

Misericórdia que veste.

Misericórdia que disciplina.

Misericórdia que restaura.

Misericórdia que salva.

Te adoro, Deus e Pai das misericórdias!

"A" IGREJA QUE ENTENDE VOCÊ!

IMAGEM: www.marcofeliciano.com.br

"A Igreja que entende você".

Este é o slogam estampado na marca da Catedral do Avivamento.

Uma coisa me chamou a atenção. Foi a utilização do artigo definido "a".

Não cairia melhor, ou soaria menos arrogante o artigo indefinido "uma" igreja, em vez de "a" igreja?

Certa vez, li numa apostila de certa instituição de ensino teológico (não lembro o nome da instituição agora) a seguinte frase: "aqui você aprende de verdade". Fiquei a pensar: nas outras escolas teológicas não se aprende de "verdade" também?

No caso aqui tratado, não fica subentendido que as outras igrejas não "estendem" as pessoas?

Há uma outra questão. Até que ponto "uma" igreja, sendo ela composta por líderes e membros falhos, humanos e limitados, entende realmente todas as pessoas, com todos os seus problemas e complexidades? Somente Jesus, o cabeça da Igreja, entende plenamente as pessoas.

No desejo de colaborar com este nobre ministério e igreja, deixo como sugestão o seguinte slogam:

"
uma igreja que procura lhe entender "

Shalom.

PR. MARCO FELICIANO NA CGADB: A DÚVIDA CONTINUA?

O pastor Marco Feliciano, em seu site oficial, insiste em afirmar que continua filiado a CGADB. Nada contra tal desejo ou fato, só gostaria que me fosse enviado, para que os leitores deste blog tivessem todas as dúvidas tiradas, o número atual de registro do amado companheiro.

A informação atual no site do pastor Marco Feliciano é a seguinte:

"A Catedral do Avivamento esclarece que nunca se filiou à Comadespe (Convenção dos Ministros no Estado de São Paulo e Outros), e sim à Catedral da Assembléia de Deus do Jardim Primavera e Unimaderj, a qual à (sic) filiada à Comadesp e, portanto, à CGADB (Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil)." Leia AQUI

A informação acima por si só, não confirma a filiação do nobre pastor. A CGADB é uma convenção de pastores, e não de igrejas. O fato de um pastor ser ligado a uma igreja, e essa igreja fazer parte de uma convenção estadual registrada na CGADB, não implica na filiação do pastor (que não é automática junto a CGADB).

"São membros da CGADB, os ministros (pastores e evangelistas), devidamente ordenados, integrados e registrados na CGADB, como também os ministros jubilados, todos credenciados pela respectiva Convenção Estadual ou Regional." (Art. 5º do Estatuto da CGADB)

É necessário que a convenção estadual solicite da CGADB o registro do obreiro, que somente após protocolado, analisado, aprovado e publicado, pode declarar-se filiado.

Leia mais sobre o referido fato no blog POINT RHEMA (nos comentários), do pastor Carlos Roberto, vice-presidente da COMADESPE.

Caso o pastor Marco Feliciano publique em seu site o número do seu atual registro na CGADB, toda as dúvidas se dissipam.

Nosso propósito não é outro, além do desejo de esclarecer os fatos.

Que o Senhor Jesus abençoe o pastor Marco Feliciano, seus companheiros de ministério e a sua igreja.

PÃO E CIRCO GOSPEL

IMAGEM: BANCA DIRECTA

PÃO E CIRCO

Por Augusto Bueno

Ademais de todo o avanço da tecnologia e da ciência, a sociedade ainda vive da realidade primitiva que acometeu o Império Romano. Com o crescimento urbano das cidades do Império, vieram também os problemas sociais para Roma. A escravidão gerou muito desemprego na zona rural, pois muitos camponeses perdiam seus empregos.

Esta massa de desempregados migrava para as cidades romanas em busca de empregos e melhores condições de vida. Receoso de que pudesse acontecer alguma revolta de desempregados, o imperador então criou a política do "Pão e Circo". Esta consistia em oferecer aos romanos alimentação e diversão. Quase todos os dias ocorriam lutas de gladiadores nos estádios (o mais famoso foi o Coliseu de Roma), onde eram distribuídos alimentos. Desta forma, a população carente acabava esquecendo os problemas da vida, diminuindo as chances de revolta.

Ainda esta política não somente ocorre no meio político como também no meio religioso. O utilitarismo e o consumismo tem levado muitos líderes evangélicos a desenvolver a política do "pão e circo". São os shows-gospel, quadrilhas juninas-gospel, eventos gospel. As pessoas buscam a Deus pelo que Ele "deve" dar (é a política do pão) e os líderes evangélicos fazem questão de oferecer as teologias "de-fundo-de-quintal" para saciar a necessidade das pessoas para entretê-las com o fim de satisfazer a carne que é a concupiscência dos olhos.

Esta é a política do circo. É impressionante e demoníaco. É lamentável e indigno que o nome de Cristo, sua obra como formas mais sublimes do amor e da justiça divinas estejam hoje levinamente sendo expostos, tal qual se expõe uma mercadoria, um produto de mídia. Realmente o evangelho se tornou um acontecimento que une pessoas para evindenciarem o sistema do "pão e circo".

Hoje a igreja evangélica necessita de mega-templos, (grandes coliseus), mega-pastores (gladiadores, ou melhor, concorrentes). Mega-cristãos ou super-crentes, pois não basta mais viver a simplicidade de Jesus. É o famoso slogan: "Grandes Igrejas-Grandes Negócios)".

Bem dizia um de meus célebres professores de teologia: "O Cristianismo nasceu como um fato na Palestina, foi para a Grécia e se tornou uma idéia, depois foi levado à Europa e à América do Norte e se tornou um empreendimento, chegou à América Latina e ao Brasil e se tornou um Evento". E há quem chame isso de "AVIVAMENTO".

Icabode....

"Senhor, onde estás?"

Fonte: kyrie eleíson

ESCOLA DOMINICAL INCLUSIVA: COMO INICIAR UM PROJETO?


A partir de hoje, começarei uma série de postagens com sugestões de como iniciar um projeto de inclusão na Escola Bíblica Dominical, levando em consideração as diversas dificuldades e barreiras existentes...

Leia no blog ESCOLA DOMINICAL INCLUSIVA

segunda-feira, 22 de junho de 2009

CONSELHO CONSULTIVO DA SOCIEDADE BÍBLICA DO BRASIL SE REUNE EM BARUERI-SP


Em reunião realizada hoje na sede da Sociedade Bíblica do Brasil, na cidade de Barueri-SP, foram apresentados os relatórios das ações do último triênio, como também, foram discutidas algumas propostas para realizações futuras.

Dentre os destaques da reunião, em termos de ações já realizadas, pode-se citar:

- A inauguração do Museu da Bíblia, ocorrida em 17/10/06, na cidade de Barueri-SP. O Museu da Bíblia, junto com a Biblioteca Central da Universidade de Cambridge (Inglaterra), é responsável pelo registro e guarda de todas as novas traduções da Bíblia realizada no mundo;

- A distribuição nacional de 5.685.255 Bíblias, no ano de 2008, batendo desta forma o recorde anterior. A SBB (Sociedade Bíblica do Brasil), é atualmente a maior distribuidora de Bíblias no mundo;

- Lançamentos, dentre outros, das seguintes obras: Bíblia das Descobertas (NTLH); Bíblia Plenitude para Jovens (NTLH), Bíblia de Estudo Despertar (NTLH), tam. 50, Bíblia de Estudo NTLH, tam. 50, Biblioteca Digital Esperança (SBB/Esperança) - plataforma Libronix, Manual do Seminário de Ciências Bíblicas, Bíblia Hebraica Stuttgartensia (BHS) com prefácio em Português (impressa na Gráfica da Bíblia), Novo Testamento Grego (UBS 4ª ed.) com prefácio e termos do Aparato Crítico em Português e Dicionário Grego-Português (impresso na GB) e o Manual Bíblico da SBB;

Em andamento, dentre outros, encontram-se os seguintes projetos:

- Dicionário Semântico do Hebraico Bíblico (DSHB), com término previsto para 2012, com conteúdo disponível no site www.sdbn.org;

- Antigo Testamento Interlinear Hebraico-Português, em parceria com a Universidade Metodista de Rudge Ramos, São Bernardo do Campo, SP, com términado para Dez/2011;

- Comentário Textual do NT Grego, Roger Omanson, já concluído, aguardando publicação ainda este ano;

- Revisão da Edição Revista e Atualizada da Tradução de Almeida (RA 3ª edição), com estimativas para ser iniciado no segundo semestre deste ano;

- Série "Aventuras da Bíblia" em Línguas de Sinais do Brasil (LIBRAS), em preparação sob a coordenação da Profª Lois Broughton (SIL/Wycliffe), especialista em Língua de Sinais, Curitiba, PR;

Os membros do Conselho Consultivo da Sociedade Bíblica do Brasil (2006/2009), são:

PRESIDENTE:

Rev. Dr. Gulhermino Cunha

VOGAIS:

Dr. Aldo da Silva Fagundes (DF)
Rev. Abival Pires da Silveira (SP)
Pr. Samuel Câmara (PA)
Bispo Manuel Ferreira (RJ)
Profª Irma Flor (SP)
Pr. Guilherme Jorge Costa (PA)
Pr. Joel Holder (RO)
Pr. Christian Santiago Lo Iacono (RS)
Rev. Davis Roberto Daniel (SP)
Pr. Nairo José de Carvalho (AL)
Pr. Altair Germano (PE)
Pr. Antonio Gilberto (RJ)
Pr. Paulo Lutero de Mello (SP)
Pb. Lacy Camargo (RJ)
Pr. Euler Alves de Oliveira (DF)
Pr. Oton Miranda de Alencar (AP)
Profª Rosecler Queiroz (PE)
Dra. Daise Bezerra dos Reis (SP)
Bispo Marcel Crivella (RJ)

SUPLENTES:

Sr. Samuel Sobottka (SC)
Pr. Arno Hübner (BA)
Rev. Jonas Moreira Valente Filho (RR)
Dr. Walter Pereira da Silva (GO)
Pr. Heli Lucas Messias Santos (SE)

Estiveram reunidos com o Conselho Consultivo: o Presidente da SBB, Pr. Enéas Tognini, o Diretor Executivo, Rev. Dr. Rudi Zimmer, e o Secretário de Comunicação e Ação Social Rev. Erní Seibert.

domingo, 21 de junho de 2009

A ARTE E O OFÍCIO DA PREGAÇÃO BÍBLICA (DICA LITERÁRIA)

Sinopse

Você tem em mãos uma arca do tesouro de insights para o pregador da atualidade. A Arte e o Ofício da Pregação Bíblica é abrangente em escopo, cobrindo todos os aspectos da homilética de inúmeros ângulos, e proporciona não somente uma fonte de informações, mas também um fórum para diferentes perspectivas. Este livro está repleto de sabedoria prática dos mais renomados pregadores da igreja evangélica contemporânea.

Organizado por Haddon Robinson e Brian Larson, este compêndio das melhores entre as melhores seleções do site PreachingToday.com é ampliado com novos artigos escritos especificamente para este livro. De leitura agradável e fácil, breves e atraentes.

Sobre os Autores

Haddon Robinson é Professor Ilustre de Pregação da Cadeira Harold John Ockenga no Seminário Teológico Gordon-Conwell em South Hamilton, Massachusetts; editor geral de PreachingToday.com; professor do programa de rádio Discover the Word e autor do livro Pregação Bíblica também da Shedd Publicações. É considerado um dos pregadores mais expressivos do mundo de fala inglesa.

Craig Brian Larson é editor de PreachingToday.com, uma revista e serviço de ilustrações online. Ele também pastoreia uma igreja em Chicago. Entre seus livros estão Movie-Based Illustrations for Preaching and Teaching; Contemporary Illustrations for Preachers, Teachers, and Writers; e Preaching that Connects. Ele e sua família moram nas cercanias de Chicago.

Detalhes

Autor: Haddon Robinson e Craig Larson
Pg. 888
16 x 23 cm
Categoria: Homilética
ISBN: 978-85-88315-82-2
Acabamento: Brochura
Peso: 1,184 Kg

Fonte: Shedd Publicações

Mais um grande lançamento que certamente irá enriquecer os nosso pregadores na arte de comunicar a palavra de Deus.

VENDAS:

sábado, 20 de junho de 2009

O SÃO JOÃO DO CRISTÃO!

Acredita-se que as festas juninas têm origens no século XII, na região da França, com a celebração dos solstícios de verão (dia mais longo do ano, 22 ou 23 de junho), vésperas do início das colheitas. As festas juninas foram trazidas pelos portugueses da Europa. Era no início, denominada de festa “joanina” como referência a João Batista. Trata-se, também de uma versão moderna dos rituais de fertilidade, onde povos antigos buscavam o favorecimento dos deuses para a fartura da colheita e da reprodução animal.

Três eventos são comemorados e lembrados neste período:

- A morte de Santo Antonio de Pádua (13 de junho de 1231)
- O nascimento de São João Batista (24 de junho do ano 7, cf. tradição católica romana)
- A morte de São Pedro (29 de junho de 67 a D)

Alguns elementos foram introduzidos ao longo dos anos, dentre os quais:

- A fogueira: Que conforme a tradição romana lembra o fato de Isabel ter acendido uma fogueira para avisar a Maria, sua prima do nascimento de João Batista (de onde se tirou tal idéias!!??)

- Os fogos: Segundo a tradição, servem para acorda os santos durante as festividades. Compare com I Reis 18.27. Ainda bem que o nosso Deus não dorme nem cochila (Salmo 121.4).

- As quadrilhas: Estas são baseadas no modelo francês surgido na Europa do século XIX, que comemorava as conquistas napoleônicas. Daí a razão de alguns termos em francês como avant tous que virou “alevantu” e balanceio que se diz “balancê”.

- As comidas típicas: Tal prática foi incorporada devido a rica culinária dos negros e dos índios.

O CRISTÃO E AS FESTAS JUNINAS

Questões e dúvidas sempre surgem da parte de cristãos sinceros, com relação a sua participação nas festas juninas. Citaremos e comentaremos algumas:

1. É lícito para um cristão comemorar as festas juninas?

O cristão protestante tendo a Bíblia como regra de fé e conduta não comemora as festividades, entendendo que somente o Senhor é digno de ser adorado e servido (Êx 20.4-6; Mt 4.8-10). As supostas homenagens aos santos são na realidade adorações aos mesmos, fato este que a Bíblia reprova.

2. Filhos de crentes devem participar das festas juninas de sua escola?

Tal participação, é preciso deixar muito claro, não pode ser imposta pela escola. A escola ou professora que ameaçar punir de alguma forma o aluno, poderá ser processada por estar ferindo a liberdade de fé, consciência e religião do mesmo. As festas juninas, visto serem manifestações de homenagens e cultos aos “santos”, resultado de “tradição” religiosa, não convém serem observadas pelos que de maneira consciente e crítica servem a Deus, nem são convenientes também aos seus filhos. É preciso ensinar a criança no caminho em que deve andar, para que na velhice não se desvie dele (Pv 22.6). O Apóstolo Paulo escrevendo sua primeira carta à igreja de Corinto, no capítulo 10 e versículo 23, afirma que “Todas as coisas são lícitas, mas nem todas convém; todas são lícitas, mas nem todas edificam”.

3. Durante o mês de junho o crente poder comer comidas típicas do tipo canjica, pamonha, milho verde, etc.?

Há dois textos no Novo Testamento que trata bem esta questão acerca do que o cristão deve comer. O primeiro encontra-se em 1 Coríntios 8.1-13. Neste texto enfatizarei o versículo 8 e 9 que diz “Não é a comida que nos recomendará a Deus, pois nada (grifo nosso) perderemos, se não comermos, e nada (grifo nosso) ganharemos, se comermos. Vede, porém, que esta vossa liberdade não venha, de algum modo, a ser tropeço para os fracos”. Em Romanos 14.1-4 temos o segundo texto. Aqui cito o versículo 3 que diz “quem come não despreze o que não come; e o que não come não julgue o que come, porque Deus o acolheu”.

Quando analisamos estes textos, o que percebemos é que o que vale em se tratando de comer ou não comer é o bom senso. No caso do mês de junho ou de qualquer outro mês do ano, as comidas típicas e regionais não são em si mesmas nenhum problema para o cristão. Agora o que não é conveniente para o que vive segundo a palavra de Deus, é por essa época acender uma fogueira em frente de casa, soltar fogos, ouvir forró (inclusive evangélico) e convidar os vizinhos, familiares e irmãos em cristo para desfrutar de uma mesa repleta de guloseimas peculiares da festa. Se o teu vizinho ou familiar não crente te oferecer um prato de comida típica, espero que você seja maduro para aceitar com educação, e depois, se tiver fé o suficiente, dê graças a Deus pela comida, repreenda todo mal e coma.

Aproveite a oportunidade para evangelizar seu vizinho e familiar, e de maneira sábia lhe mostrar que tudo pertence a Deus e somente Ele é digno de receber toda honra, toda glória e todo louvor (Ap 4.11). O mesmo princípio serve para o ambiente de trabalho. Afinal de contas “... o reino de Deus não é comida nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo. Aquele que deste modo serve a Cristo é agradável a Deus e aprovado pelos homens” (Rm 14.17-18).

4. E como ficam os "arraiás" evangélicos?

Minha resposta é a mesma para os carnavais evangélicos, os pagodes evangélicos, os bailes funk evangélicos, os pés-de-serra evangélicos, e por ai se vai ,não se sabe bem para onde. Usar o texto de 1 Co 9.19-23 para justificar tais práticas é uma pobreza exegética e hermenêutica sem tamanho. A Bíblia recomenda não fazermos uso da liberdade cristã para darmos ocasião à carne (Gl 5.13).

Os textos bíblicos aqui citados podem ser encontrados em Bíblias protestantes e católicas, é só conferir!