quarta-feira, 28 de outubro de 2009

UMA POSTURA DISCRIMINATÓRIA E EXCLUDENTE

Estou trabalhando numa pesquisa bibliográfica sobre o ministério pastoral, e me deparei com o seguinte texto:

"Naturalmente, o homem para exercer o ministério do evangelho precisa de certos dons naturais. Pessoas com certos defeitos físicos, como gagos, cegos mudos e outros são normalmente rejeitadas, o que não significa que não tenham valor ou não possam ter atividades na igreja. Estamos falando de função ministerial. Não se poderia admitir um pregador mudo ou cego."

O texto acima está publicado na obra "O Pastor e o seu ministério: manual do obreiro", páginas 44-45, cujo autor é o pastor Anísio Batista Dantas, lançado pela CPAD em 2005.

Afirmar que deficientes físicos (ou portadores de necessidades especiais) não podem se tornar ministros e pregadores do evangelho, e chamar isto de "normal" é uma idéia discriminatória e excludente.

Aqui em Pernambuco, na Assembleia de Deus em Abreu e Lima, temos um presbítero cego, o irmão Luerderson e outros oficiais, que além de bons pregadores, são também bons ensinadores. e cooperadores. Tenho certeza que em outras regiões do país o mesmo acontece, com a presença no ministério de grandes homens de Deus com deficiência física.

Não estamos no tempo da lei, onde haviam restrições simbólicas para o exercício da função sacerdotal (Lv 21.17-21).

Os mudos ou surdos (portadores de deficiência auditiva), podem ministrar auxiliados por intérpretes, assim como se faz com os pregadores de outros países. Para os cegos, a Bíblia em braille já está disponível, como, também, a Bíblia em áudio.

A idéia de que o deficiente físico é "incapaz", além de ultrapassada é também preconceituosa.

Lancei, faz pouco tempo, o Projeto Escola Dominical Inclusiva, e espero em Deus poder trabalhar também por uma "igreja inclusiva", partindo de uma tomada de consciência e mudança de mentalidade no máximo de pessoas possíveis.

No prefácio à 2ª edição o autor declara: "tivemos o cuidado de aprimorar certos conceitos que eu chamaria de preconceitos sobre cargos eclesiásticos". Sugiro então, de maneira respeitosa, ao autor e à publicadora, a correção e a revisão do texto nas próximas edições. No demais, até onde li, a obra é uma excelente fonte de pesquisa e leitura para os que almejam ou exercem o santo ministério. Se houver edições mais recentes e atualizadas do livro, favor nos informar.

Trago o assunto à público, uma vez que a obra se encontra nas mãos das mais diversas pessoas, não sabendo que impressões ou ações o referido texto poderá promover.

"Meus irmãos, não tenhais a fé em nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor da glória, em acepção de pessoas." (Tg 2.1)

6 comentários:

Jean Patrik disse...

Paz do Senhor pastor!!!

Muito bom!!!

Robson Aguiar disse...

Paz do Senhor, Pr. Altair!

O Pernambucano Mário Souza sofreu um acidente em Paulista, cerca de 50 anos atrás. Ele ficou cego após um cilindro de oxigênio explodir. Com ele, outras pessoas também foram vitimadas.

Hoje, ele é pastor presidente da Assembleia de Deus em Coqueiral de Itaparica, Vila Velha - ES, é conhecido na região como cabeça de bíblia. Dá estudo para professores de Escola dominical de todo Estado,tem três programas na rádio Vitória, é Presidente da CECAM, é conferencista e tem 8 CDs "Comentando o Apocalipse".

Detalhe, Pastor Mário, não lê em braille.

Ele émuito querido por todos por sua simpatia e capacidade de liderança.

Especialista em Escatologia e Estudo para casais.

http://files.nireblog.com/blogs1/pastorrobsonaguiar/files/29.jpg


Quem quiser saber mais entre no site:

http://www.adcoqueiral.com.br

Júnior Rubira disse...

Este pensamento é perigoso e pode prejudicar muitas pessoas dentro da igreja, absolutamente inaceitável este comentário.

Que Deus te abençoe Pastor Altair.

Júnior Rubira
www.blogespadadoespirito.blogspot.com

francisco disse...

Nesse caso o apsotolo PAULO seria reprovado pois segundo a tradiçao ele tinha apenas 1.37 de altura , era um quase anao!


Quanto ao gago claro que e comico ouvir um gago mas meu proprio cunhado e gago mas quando louva nao gagueja!

a verdade do evangelho disse...

Melhor é um pregador cego do que um que vê além das escrituras.

Melhor é um pregador mudo do um que fala só heresias.

Melhor é um pregador surdo do que um que tem ouvido mas não ouve e se julga acima da crítica.

Pb. Edinei, Th.B

Eduardo Sousa disse...

Pr. Altair,
Já havia deparado-me com este trecho do livro, e na ocasião estava cursando a disciplina de Teologia Pastoral. Fiz uma observação na sala de aula e todos ficaram muito revoltados com esta colocação do autor.
Creio que este pensamento reflete a imagem de muitas igrejas, que pensam apenas nas "coisas lá do alto" e esquecem de ser o Sal da Terra e mudar a sociedade em que vivem.
Atitudes como a sua, de trazer inclusão à estas pessoas é extremamente importante.
Que Deus lhe abençoe!

http://ensinadorcristao.blogspot.com