terça-feira, 15 de setembro de 2009

ACONSELHAMENTO PASTORAL: QUANDO FALTA A ÉTICA


Infelizmente, não são poucos os casos de irmãos que buscam o aconselhamento pastoral, para logo após ter a sua vida ou problema exposto publicamente.

De duas maneira isto geralmente acontece:

- O conselheiro leva o problema tratado em segredo para a tribuna da igreja, promovendo dessa forma, além do constrangimento, sérias dificuldades para o aconselhado;

- O conselheiro comenta o problema (tratado em segredo) com terceiros (outros líderes ou esposa), e de alguma forma o assunto torna-se conhecido de toda a comunidade;

Por estas e outras razões, cada vez menos os gabinetes pastorais são frequentados. Muitos obreiros estão perdendo a confiança dos membros da igreja, que acabam por vezes buscando o aconselhamento com outros, em quem confiam.

Quando a confiança entre obreiro e congregação acaba, não resta muita coisa (ou nada) que mantenha a dignidade e a autoridade de uma liderança cristã.

Primemos pela ética no aconselhamento pastoral.

6 comentários:

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro Pr. Altair Germano,
Graça e Paz!

O exercício da confissão, ainda que genuinamente bíblica, já é um assunto controverso por sí só, pelo menos quanto a maneira correta,ou seja, a quem e como confessar.

Considerando as anomalias ocorrentes no ministério pastoral, conforme o prezado redferendou, a coisa só piora.

Aproveito o ensejo para lembrar que o silêncio do confessionário, é respeitado até mesmo pela justiça comum.

Na realidade que viola isso, é um verdadeiro despreparado para o exercício do aconselhamento pastoral.

Que o Eterno tenha misericórdia de nós.

Um grande abraço!
Pr. Carlos Roberto

MARCOS MACIEL disse...

paz do senhor jesus...

infelizmente o ministério pastoral está em descrédito.

É TEMPO DE BUSCAR AO SENHOR.

Elisomar disse...

Isso é pura verdade. Às vzes a gente sente até a necessidade de alguém pra conversar, e dizer algo a respeito do que estamos sentindo.
Mas a desconfiança é maior que o problema. O medo de ser mal interpretada e também de ver a vida particular exposta, faz-nos recuar. Com raras exceções, eu que não conto minha vida. Já vi gente ficar totalmente desprezada, além de ridicularizda, pelo simples fato de a pessoa que a ouviu contar para a esposa e a esposa espalhar.
O caso que era de duas pessoas, passou a ser público.
E isso não é um caso isolado.

Paulo Silvano disse...

caro pr Altair,

Celebremos enquanto houver "outros, em quem confiam".

Um abraço
Paulo Silvano

saraiva 5.0 disse...

shalon ste filme já vi é antigo ja aconteceu .... deveria ser feito um congresso sobre este tema,tem "Pastores" que fala com a esposa e filhos e em seguida o bosque já pegou fogo.( att. senhores escute mas e fale pouco )

Falkon Hurameshy disse...

SOU PRESBITERO NO MINISTÉRIO, E TODAS AS VEZES QUE PROCURO O MEU PASTOR, QUE É O PRESIDENTE, ELE FINGE QUE NÃO ME OUVE, ME AÇOITA EM PALAVRAS COM PROBLEMAS CAUSADOS POR OUTRAS PESSOAS, PEGA TUDO O QUE FALEI E CRIA UM SERMÃO EM CIMA.
SÓ PARA CRIAR UM EXEMPLO, UMA IRMÃ DISSE QUE TEVE UMA REVELAÇÃO DE QUE EU TOMARIA O MINISTÉRIO DELE, E SEM EU SABER O PORQUE NA ÉPOCA, ELE FICOU UNS DOIS MESES PREGANDO SOBRE TRAIDORES, E TODA A VEZ QUE USAVA O TERMO TRAIDOR ELE APONTAVA PARA MIM. EU JÁ PENSEI EM SAIR VÁRIAS VEZES, MAS NÃO TIVE FORÇAS PARA ISSO.