terça-feira, 18 de agosto de 2009

A "QUEBRADEIRA" ESPIRITUAL E MORAL EM ALGUMAS INSTITUIÇÕES CRISTÃS

"Isso é um vexame para a nossa INSTITUIÇÃO!", exclamou certo líder evangélico, assombrado com os últimos e escandalosos acontecimentos de repercussão nacional.

Penso que o grande problema conosco é esse sentimento patológico pela instituição, essa CNPJolatria insensata, esse denominacionalismo obstinado, essa fidelidade convencional e institucional inescrupulosa, esse corporativismo incondicional que dá arrepios em fariseus hipócritas e em senadores corruptos.

Quando o nosso compromisso com o Evangelho, e com o Senhor do Evangelho está em segundo ou terceiro plano, o que nos resta é chorar e amargurar nossas misérias, mazelas e escândalos.

Palavras, gestos e atos que expressam vergonha e constrangimento, mas que não geram arrependimento, tristeza, mudança de atitude e transformação, não passam de meras representações teatrais e hollywoodianas.

Estamos cheios de verdadeiros artistas, pregando, profetizando, presidindo, cantando, tocando, vivendo mediocrimente e institucionalmente, não experienciando a verdadeira vida, dirigida, sustentada e alimentada pela Palavra, manifesta numa consciência tranquila, num coração em paz com Deus.

As instituições estão falindo (ou falidas), quebrando (ou quebradas), rachando (ou rachadas), desmoronando (ou desmoronadas) e naufragando (ou naufragadas).
Justificar
Essa atual roupagem institucional secular e mundana não pode vestir a noiva do cordeiro, pois não são vestes de santidade, de justiça, brancas, limpas, puras. A roupagem institucional está maculada, suja e impura. Está cheia dos ácaros da ganância, da maldade, do engano, da fome incontrolável por controle, do desejo desesperado de poder, do pensamento obstinado de "ser" sem "fazer", só para dizer que "é", quando não verdade não "é", e sim "está", pois breve passará como um vapor, breve secará com uma folha caída, e aí, não haverá mais tempo nem forças para empreender naquilo que é bom, perfeito e agradável, que se perpetua para o louvor e a glória de Deus.

O que está podre e fétido em breve será amputado. O que está infrutífero será cortado. A palha será queimada. As instituições humanas identificadas por placas, credos e confissões desaparecerão. Não escrevo aqui ou prego sobre o fim das instituições, convenções ou denominações, mas, apenas relato fatos sobre a autodestruição das mesmas.

Se alguém, por eloquente, profundo e hábil na escrita que seja, deseja refutar-me, que o faça. Se não, junte-se a mim neste lamento, nesta leitura nua e crua da realidade, mas, acima de tudo, neste enfrentamento, nesta luta passiva de perseguições, exclusões e perdas, sabendo, contudo, que o Fiel amigo estará ao nosso lado, atravessando conosco águas profundas e chamas ardentes.

Oro para que as nossas prioridades e ordem de valores sejam revistas, ou seja, para que o Senhor Jesus volte a ocupar o devido lugar (o primeiro) em nossas vidas e organizações, para que o Evangelho seja vivido em toda sua intensidade e plenitude.

14 comentários:

Esequiel Santos disse...

A Paz do Senhor Pastor Altair!

São por estas e outras preciosidades que o Senhor tem lhe concedido que sou leitor assíduo de seu blog. Deus te levantou com Voz Profética para denunciar as aberrações que são praticadas debaixo de uma roupagem "santa". Não te cales, Deixe que as pedras assim o façam!

Deus Te Sustente!

Anônimo disse...

pr altair é LAMENTAVEL, mas é verdade, porém, não deve generalizar, existem instituições serias, mas também existem os PICARETAS do evangelho; mas o amigo escritor do artigo publicado no seu blog pr altair, parece um certo EXAGERADO, talvez por querer dar muita enfase a tema; mas, e verdade em uma visão preliminar vejo que as instituições eclesiasticas precisam REVER certos pontos; mas não concordo que todas as instituições eclesiasticas estão FALIDA; é um pecado afirmar isso.
abraços a todos:
Pr Mauricio Brito

Adriano Wink Fernandes disse...

Pr. Altair,
É uma grande realidade.
As intituições estão realmente desmoronando. As para-eclesiásticas, a anos vem sendo colocadas acima da Igreja, infelizmente. Até me questiono o porquê de muitas atitudes podem ser tomadas, ditas, escancaradas nestas intiuições e dentro das igrejas são consideradas pecado, levante, rebeldia, etc... Creio que Deus está com nojo disso, já que isto refelte uma mornidão, e mornidão Deus vomita. Pois quando quer se unir o sagrado com os interesses pessoais, institucionais, políticos, Deus já não está presente. Aí as coisas são largada ao bel prazer do homem - e esse iludido acha que está 'abafando', no entanto, Deus há de julgar segundo reta justiça.
Poderia citar muita coisa que entra em confronto frontal com a Palavra de Deus. mas paro por aqui.

Que Deus nos dê Sua graça para vivermos em tempos tão conturbados!

Paz em Cristo!

Anônimo disse...

Pastor Altair, Graça e paz!

Não que as instituições em si sejam más, até porque não podemos viver como sociedade sem que haja uma constituição, entretanto quando as mesmas saem do seu rumo para qual foi designada, passa a ser um estorvo para o Reino de Deus.
Existem alguns sinais para detectarmos quando uma instituição é um estorvo: quando os seus membros ou lideranças a estimam mais do que o seu objetivo, à medida que não se reconhece outras denominações ou convenções, quando a liderança objetiva mais as vantagens pessoais, quando se olha para uma congregação com uma visão empresarial focalizando lucro financeiro, quando os seus membros e lideranças demonstram um zelo extremado pelos usos e costumes em detrimento a ética e a sã Doutrina. Estes sinais seguirão sempre os “CNPJolatra”
Enfim Pr. Altair, temos mesmo é de concordar com o seu lamento.


Elias Charamba

Edson disse...

O texto é grave mas é realístico. Que o Senhor tenha misericórdia de nós!

Acredito que em breve veremos, ouviremos, sentiremos , ... o vento do Espírito, que sem dúvida espalhará e levará para longe toda palha (e palhaçada também).

Em relação ao texto, dou a seguinte e modesta contribuição, onde se lê:
"... do pensamento obstinado de "ser" sem "fazer", só para dizer que "é", quando não verdade não "é", e sim "está", ..."
Diria: do pensamento obstinado de "parecer ser" ...

Tu és uma bênção!!!

Paulo Mororó disse...

Caro pastor Altair, a Paz do Senhor.

Instituições ou vida?
Quando esta questão arde na própria pele, o ser humano pensa e repensa em seus valores e conflitos existenciais. A maioria das instituições foram estabelecidas com o propósito de melhorar,otimizar e sistematizar iniciativas benéficas e justas(do ponto de vista de quem as instituiu). Porém,quando estas causam impedimento à vida, (e vida espiritual no nosso caso), faz-se necessário refletir e agir (atitude), enquanto ainda há tempo. Um exemplo clássico na Bíblia é o caso que envolveu a filha de Jairo. O homem Jairo era príncipe da sinagoga que frequentara.O seu cargo e sua função era algo fruto de muito esforço e reconhecimento no seu meio social. Porém,um fato real e cruel, o assolava: sua filha estava doente à beira da morte. Seu cargo e função socio-religiosos entronavam o seu ego, mas... a menima está quase morrendo! Clamava a consciência: E aí? E a tradição? O que fazer? O que irão falar? Jairo sabia o quanto pesaria em sua REPUTAÇÃO ir buscar ajuda com o simples Nazareno.
Jairo fez o que muitos pais e pastores não fizeram. Largou a tradição, os falatórios, a religiosidade e o orgulho. Foi buscar ajuda para sua filha e sua família. Buscou a Jesus. Aquilo que muitos fariseus e saduceus não fizeram, Jairo o fez. Teve atitude espiritual sobre a instituição, sobre a "carteirinha", sobre os títulos,estatutos humanos e cargos institucionais.
Muitos dos nossos filhos e filhas estão saindo de nossas igrejas ou morrendo espiritualmente dabaixo do pesado fardo do legalismo institucional, com pretextos de "Bons costumes".
Um abraço
PAULO MORORÓ

oassembleiano disse...

Membro e obreiro assembleiano h á 15 anos, vejo nestes últimos dias o excesso da vangloria e da soberba em nossos altares ao proclamarem sobre os telhados que somos a denominação “mais correta”, a descendente direta da Igreja primitiva (será que somos?). Somos a igreja clássica, a mais respeitada e ovacionada pela sociedade, políticos, empresários e etc.
Nossos bons costumes ocupam mais espaço nos cultos de doutrina do que o nome de Jesus. Obras, e não vida. Aparência e não comunhão.
Fala-se em tom ameaçador: “eu não mudo, aprendi assim…” Observo a noiva em silêncio, intimidada, pois quem quiser gozar do bom relacionamento interno na instituição não poder levantar a voz, não pode contrariar os ungidos. Quem for do contra, torna-se rebelde, correndo o risco de perder até sua consagração ministerial (é possível? Nos dias atuais parece que sim!).
Deus tenha misericórdia da amada Assembléia de Deus.

Antonio disse...

Amado Pastor - esse apego ao denominacionalismo torna o crente como "participante de uma seita". As outras igrejas (co-irmãs???) de nada valem. Só são assim chamadas no púlpito por mero farisaísmo. Nem convidá-las para terem um momento de comunhão conosco não é permitido. Alegação: os crentes dessas denominações vão "profanar os nossos jovens, as nossas irmãs etc... com costumes que não adotamos..." Como vai ser o céu dessa gentalha? Será, porventura, divido em cantões, em setores, com placas indicativas... Altair, só nos resta engordar o coro do lamento e orar pela misericórdia de Deus. DEUS TEM PODER DE MUDAR!!!

Newton Carpintero, pr. disse...

Prezamado pr. Altair Germano,

A Paz do Senhor!

Não é necessário trazer a Arca, subir em uma alta árvore, como fez Zaqueu, ou buscar encontrar vitórias com Sabor de Mel.

O que é necessário, está diante dos nossos olhos: O Senhor é Santo, e a sua justiça dura para sempre, e não se pode continuar aceitando o erro, através de uma liderança subjugada à sua própria vontade em vários círculos.

Denunciar é necessário para que pelo menos a vergonha, os deixem menos ensoberbecidos pelo poder e deem vasão ao Espírito de Deus, em suas decisões que devem ser concernentes ao espiritual e não a carnalidade em profulsão, como a Falácia da Prosperidade.

Por favor, pr. Altair, continue em suas denúncias, e que o Senhor seja contigo!

pr. Newton Carpintero
www.pastornewton.com
Contra a Falácia da Prosperidade!

claudio pimenta disse...

Cargos na igreja cdo senhor comissionados, nepotismo, simonia e todos os outros pecados relacionados a adminstraçao dentro da igreja intitucional enquanto a igreja for tratada como uma empresa vai acontecer

Por esse motivo todos os dsias saem crentes dessas intituiçoes e reunsem-se em casas em pequenos grupos de oraçao e estudo da palavra

Pr. Steven W. Ribeiro disse...

Paz do Senhor.

Com esta postagem esmagadora, que veio do coração de Deus para o coração do profeta (Pr. Altair), e por fim ao conhecimento de todos, quero agradecer a Deus e incentiva-lo a continuar sendo boca de Deus aqui na terra. Que o senhor te conceda ainda mais ousadia, e autoridade pra profetizar nesta geração de covardes, barganhadores da fé. Geração de igrejas e obreiros desfarçados, sem carater e conmpromisso com a palavra de Deus, homens sem temor, verdadeiros bobos da corte, contadores de piadas, infâmios, escutem o que Deus esta falando e honrem o privilegio que Deus lhe concedeu.

Medito constantemente! será que os Apostolos, Pais da Igreja, os pioneiros Suecos, se comportavam assim?

As Escrituras Sagradas nos ensinam que a igreja Primitiva cresceu apoiada sobre quatro sustentáculo que foi fundamental para o crescimento da igreja.

Atos 2.42: "E perseveravam na doutrina dos Apóstolos, e na comunhão, e no partir do pão, e nas orações".

foi assim que a igreja cresceu e se estabeleceu:

1. Doutrina

2. Comunhão

3. Ação Social

4. Oração.

porém, como a inversão de valores está afetando tudo, inclusive algumas Igrejas e obreiros, esses sustentáculos hoje estão assim:

1. Teologia da prosperidade, alto ajuda, Louvorzão, show de hipocresia através de exortações, sem fundamentação bíblica.

2. Dissenção, contenda, partidarismo, apadrinhamento, politicagem.

3. Ambição, avaraza, egoismo, falta de amor para com os bons,

4. falatórios profanos, Palavras que roerá como gangrena, comodismo,

2 Timóteo 3.1-5: Sabe porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos; porque haverá homens amantes de si mesmos, avarentos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a pais e mães, ingratos, profanos, sem afeto natural, irreconciliáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, sem amor para com os bons, traidores, obstinados, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando a eficácia dela. DESTE AFASTA-TE...

Meu pastor, oremos pra que o Senhor nos ajude a enfrentar esses desafios e crises avassaladoras...

Zildete Oliveira -Am disse...

A Paz do Senhor Pr. Altair
Sou missionaria da assembleia de Deus no interior do Amazonas e posso realmente testificar que é verdade tudo que o pastor relatou.Mas o que devemos tomar muito cuidado é para não deixarmos um rancor mesmo que com fundamento nos faça odiar nossas autoridades eclesiasticas.Fazendo assim que não cumpramos a palavra de Deus que diz: Sujeitai-vos a toda ordenança humana por amor do Senhor (1 pedro 2:13a).
Não devemos nos esquecer que isto que esta ocorrendo é biblico e tem que se cumprir.Nos sabemos do fardo da injustiça que estamos carregando.Mas isso não é só na ssembleia de Deus.Por favor meus irmão e pastores devemos levar no corpo as marcas de Cristo e orarmos por cada autoridade que nos foi imposta, sabendo que no tempo oportuno Deus lhes dara sua devida recompensa.
Deus não dorme e vê nossas angustias e nosso sofrimento na mão de muitos homens que deveriam apascentar a igreja.Apenas orem em nome de Jesus.
Zildete Oliveira -AM
Muitas vezes eu e minha família fomos espulsos e humilhados por grandes pastores mas como Davi,cremos que Deus há de nos da a vitória no dia que lhe aprover o coração.

Leonardo Gonçalves disse...

Tristemente verdadeiro. Concordo com cada linha expressa pelo autor... E me alegro apenas no fato de que a igreja transcende a toda nomeclatura humana!

Fraternalmente,

Leonardo.

Cicero disse...

Amados, Paz e Graça de Jesus!

Quero lançar meu lamento primeiro diante do Senhor Deus depois diante dos homens, diante de Deus tenho buscado explicação um escape, e ele tem me dito que estragamos e temos que concertar, mãos a obra, e na obra, estou tendo que orientar alguns pastores e líderes, em elementos básico da doutrina de Deus e Jesus, nisso não me glorio, e sim me lamento.
Como restaurar:
1-Reestruturação dos ministérios.
2-Formação de Lideres competentes e comprometidos.
3-Temor do Senhor pelo conhecimento da Palavra.
4-Comprometimento.
5-Ousadia.
6-Busca da verdadeira intimidade com Deus, por meio da demonstração de interesse pelo Reino e a verdadeira pratica de Amar ao próximo como a si mesmo.

E, gostaria de solicitar ajuda sugestões de casos de sucesso para que possamos ter como testemunho, pois creio que o mover é de Deus até para restauração de algo.


Amados oremos uns pelos outros, pois sinto que muito falamos com base em muitas teologias, mas pouco falamos na oração e no amor!

Deus abençoe a Todos.

Cicero Neto
Lençóis Paulista