quarta-feira, 5 de agosto de 2009

A PARÁBOLA DO BOM SAMARITANO CONTEXTUALIZADA


"Precisei de uma cadeira de rodas porque não tinha como locomovê-lo; ele não se levantava mais para nada; onde eu poderia buscar socorro? Na Igreja; e para minha surpresa as respostas foram..." (Leia em CAIO FÁBIO)

Certa vez, ouvi de certo pastor evangélico, diante de algumas críticas e afirmações do Caio Fábio, que não dava ouvidos a "cachorro morto". O fato é que, independente das discussões em torno de sua pessoa e vida, há muita coisa por ele dita e escrita que retrata a triste realidade daquilo que chamo: "a caricatura do verdadeiro Evangelho".

Continuemos a aprender com o "bom samaritano".

9 comentários:

Anônimo disse...

Caro Pr. Altair, suas palavras são verdade. Embora o Pr. Caio Fábio tenha passado pelo que passou, ele ainda tem muito a nos ensinar, pena que no meio evangelico, o que vale é que se parece ser, pois, se assumimos o que somos, isso pode custar muito caro. Lembro-me da entrevista com a Pra. Lana Holder,onde a mesma contou os tristes momentos vividos durante sua crise conjugal, onde muitos Pastores, segundo a mesma, a aconselharam a afirmar que tudo o que diziam a respeito dela não passava de boato, e o seu esposo, infelizmente, a deixou com varias dividas, pois o mesmo era empresario da Pastora, logo, para que ela pudesse pagar as suas dividas era preferivel aos "conselheiros" que a "infeliz" mentisse, e continiasse a pregar, Lana Holder não aguentou a situação, desabafou, gritou: pequei!, a sua "disciplina", tornou-se um processo de exclusão, ela havia se tornado leprosa,se depender dos "crentes" para toda a vida, e para pagar as suas dividas entregava pizzas nos EUA, quando questionada se voltaria a pregar ela disse que tinha vontade, mas não sabia se voltaria, volotar voltou, pois, ano passado esteve em Olinda pregando. Aproveito a oportunidade para relatar também que certa vez fui procurado por um jovem, o mesmo queria desabafar, pois, acabara de voltar da casa da namorada, que era dirigente do DEJEADAL,com quem praticou sexo, e o mancebo disse que não contaria ao Pr. porque se não toda a igreja saberia, e ficar em disciplina era algo vergonhoso...em fim, esse é um de tantos casos que acontece na igreja, e minha perghunta é: Como o senhor percebe a disciplina na igreja? e no caso do ministro, com toda certeza, sabemos que ele não deixará de ser homem de Deus,passará pelo processo de disciplina, mas após erro será que o proprio ministerio, após o mesmo provar que se arrependeu do ato, confiará ao disciplinado a responsabilidade devida? o senhor concorda com o modelo de disciplina em nossas igrejas? o que acha dela?....Graça, Paz e Luz!

Atalaia disse...

Eu também conheço uma história,tão triste quanto esta.Pois bem,eu congreguei em uma AD,durante uns anos, e lá havia um menino que foi ganho para Jesus em um culto ao ar livre,em uma favela vizinha à igreja.
Este menino tinha uns nove anos quando aceitou Jesus. Ele era parcialmente sindrômico, ele se expressava normalmente,contudo era fisicamente um pouco diferente,devido à sua doença congênita. Também nunca aprendeu a ler,embora conversasse normalmente.Sempre carregava sua pequena bíblia embora não soubesse ler.Ele era o primeiro a chegar na escola dominical,chegava antes mesmo do porteiro,e ficava do lado de fora da igreja até o mesmo chegar para abrí-la.Não faltava aos cultos,e para ir até a igreja tinha que atravessar a favela,e para seu sofrimento haviam meninos perversos que sombavam dele,ameaçavam-no e por vezes batiam nele,quando o viam indo com sua bíblia para a igreja.
Contudo aprouve a Deus permitir que sua doença se agravasse,e ele foi se encurvando,encurvando, atrofiando,atrofiando,até que não podia mais andar,e por fim seus membros superiores(braços),também atrofiaram ao ponto de se tornar tetraplégico.
Adivinhem o que aconteceu ??? Ao se tornar tetraplégico ele foi literalmente abandonado e esquecido pela igreja que ele tanto amava e que por anos em que teve relativa saúde congregou.Irmãos que passavam na porta da casa dele para irem congregar também dele não fizeram caso.
Todavia o Deus que o amava providenciou crentes da igreja Adventista do sétimo dia para lhe prestarem auxílio.Os adventistas lhe deram uma cama hospitalar de ferro,daquelas que possuem manivela para subir a cabeceira,e também uma cadeira de rodas,não somente isto,batizaram-no nas águas;levávam-no aos cultos e porfim,também o deixaram.Talvés porque enfim sua família não se interessou se tornar adventista,e ele também não assimilou bem as doutrinas deles.Contudo fizeram infinitamente mais que os assembleianos que ele tanto amava,ainda que unilateralmente.
Agora eu pergunto: se ele tivesse um dízimo mensal de mil reais, ele seria abandonado pela AD ??? Claro que não !!!
Não é somente por isto,envouve outras questões teológicas e outras injustiças,mas certo é que eu já estou cumprindo aviso prévio de trinta dias,pois comuniquei ao meu pastor que quero me desligar da AD,e ele me pediu trinta dias para orarmos.Tudo bem, trinta dias passam rápido.
A conclusão é que infelizmente é possível ser evangélico sem ser cristão.
Maranata!!!

Marcos Wandré disse...

Graça e Paz!

É um caso lamentável e não raro no meio "evangélico".

Os discípulos de Cristo seriam conhecidos pelo amor a Deus e ao próximo. Paulo afirma que devemos fazer o bem, principalmente aos da família da fé.

Quanto ao Pr. Caio Fábio, quem prega o Evangelho como ele prega, não é um "cachorro morto" e sim, um instrumento valoroso nas mãos de Deus.

Booth disse...

Pr. Altair, sempre com sua pertinete ou impertinente, depende do ponto de vista ou se a carapuça serve, catucada.
Já aconteceu de um mendigo pedir um cobertor e eu mandar para um centro espirita visto que eu sabia q igreja evangelica não tem nenhum para dar, vou postar um link da pregação de caio fabio "Bem aventurado os samaritanos"

http://www.4shared.com/file/66050110/247c6ace/Caio_Fabio_-_Bem_aventurados_os_samaritanos_-_Jo_8__by_Jerry_.html?s=1

F:.T:.A:. Pr. Prof. Altair Germano

saraiva disse...

Esta Parábola é o teste drive do obreiro de alto,medio,baixo escalão.[ contra fato não á argumento]

Elisomar disse...

Pastor, todo extremo é perigoso. Sei que a realidade da caridade está muito ausente "nas igrejas", ou seja: na liderança de algumas igrejas. Mas fatos isolados também não devem ser referencias de toda igreja. Sei também que muitas coisas que podem esperar são tidas por prioridade. Até o fato de atrás do templo ter um balde com àgua, para o povo lavar as mãos, é falta de caridade. Todo mundo sabe que tem aquelas pessoas que não pensam nos outros e metem a mão suja dentro do balde, ficando assim a àgua suja para o próximo. Até para as crianças lavarem o copo que bebem àgua_ quando deveria ter uma caixa d'àgua.
Não podemos fugir da realidade, este caso da irmã é lamentável! Mas desconhecer a falta de caridade nas nossas igrejas não é só lamentar um caso desse.
Dizer que a demanda de irmãos justifica a falta de copos descartáveis é mais que uma mentira. O templo era a alegria do salmista Davi. Se eu fosse relacionar a necessidade de bens materiais em nossos templos, sinceramente! Também não deixo de falar da falta de doutrina, porque tem irmãos sem caridade e sem educação, que torna essa fato pior ainda. Bom, sei que o pastor presidente e até o pastor local ficam sem saber de muitas coisas, porque o povo só sabe falar a quem não dá jeito.
Banheiros sujos, copos coletivos, bancos empoeirados e zeladores mal pagos são sim, falta de caridade para com aqueles que obedecem a palavrade Deus, quando diz: Trazei os dízimos para que haja o mantimento da minha casa.
Se Jesus aparecesse" em nossa igreja, onde ofereceríamos àgua?
Quanto a ajuda aos irmãos, deve está também defasada, mas há muito o que se cobrar em prestação de serviços simples e básicos, que também deve ter um olhar de caridade, já que sabemos que é obrigação.
Sinto muito pela nossa irmã, e creio que Deus irá cobrar daqueles que se negam de cooperar com os menos favorecidos, Mas fazer comparações... não vou entrar em detalhes.
Que o Senhor abra os nossos olhos
Pois tudo isso será atribuido como justiça diante do Justo Juiz.
Parabéns pastor Altair Germano, pela postagem!

Elisomar disse...

Ah, esqueci... não pdemos ser injustos, a igreja també tem auxiliado muita gente, ela só não faz propaganda. Se ninguém for testemunha disso eu sou.

ALTAIR GERMANO, disse...

Embora as omissões sejam realidades (em todos os segmentos cristãos), há muito de positivo sendo realizado.

Um sem número de pessoas são beneficiadas por samaritanos cristãos evangélicos.

Abraços!

Antonio disse...

Pr. Altair - Infelizmente conhecemos muitas dessas histórias nas Ass Deus e, apesar dos anos, ninguém se interessa em mudar isso. Tem dinheiro para campanhas políticas, convenções, hotéis, viagens etc... mas para demonstrar o AMOR AO PRÓXIMO deixam que "algum mais próximo" se apresente para fazê-lo. Antonio Corobim