quinta-feira, 20 de agosto de 2009

TEOLOGIA DA PROSPERIDADE: CLIENTES & CLIENTES


2 comentários:

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro Altair Germano,
Que miséria é essa meu rmão?
O pior é que é verdade!
Que Deus tenha misericordia de nós!
Um grande abraço!
Pr. Carlos

Alexandre Matias disse...

A Paz de Cristo, pastor Germano.
Isto na realidade não é um caso isolado, mas é o câncer deste século em nossas igrejas.Vou usar uma grande frase de um um alarmista, assim considerado pelos seus contemporâneos, Charles H. Spurgeeon por volta de 1850:
"O fato é que muitos gostariam de unir igreja e palco, baralho e oração, danças e ordenanças. Se nos encontramos incapazes de frear essa enxurrada, podemos, ao menos, prevenir os homens quanto à sua existência e suplicar que fujam dela. Quando a antiga fé desaparece e o entusiasmo pelo evangelho é extinto, não é surpresa que as pessoas busquem outras coisas que lhes tragam satisfação. Na falta de pão, se alimentam com cinzas; rejeitando o caminho do Senhor, seguem avidamente pelo caminho da tolice.”
Sejamos profetas de Deus com integridade: seja no calabouço, ou no palácio; seja na tenda, ou no templo luxuoso.
O que nossa geração precisa não é sonhar os "sonhos de Deus"(consumismo).Precisamos profetizar:ESTE É O TEMPO DE HUMILHAÇÃO, SANTIFICAÇÃO...VIDA PIEDOSA JÁ NÃO FAZ MAIS PARTE DE NOSSOS SERMÕES, POR CONTA DA MERCANTILIZAÇÃO DA PALAVRA,adaptamo-nos e o evangelho também às exigências do mercado, cultura...Ou seja, a igreja é encurralada na parede e com isto líderes,crentes denominações, ministérios adaptam-se aos padrões impostos pelo pragmatismo.