sábado, 1 de agosto de 2009

BOKODE, UMA NOVA FERRAMENTA TECNOLÓGICA DE ARQUIVO E LEITURA DE INFORMAÇÃO



"Um Bokode tem 3 milímetros de diâmetro, o suficiente para conter uma quantidade de informações muito superior à que pode ser codificada em um código de barras bidimensional comum.

O protótipo precisa de uma fonte e de um LED para funcionar, o que mostra que ainda há desenvolvimento a se fazer se o objetivo é de fato concorrer com os códigos de barra.

Segundo os pesquisadores, eles já estão trabalhando em uma versão reflexiva, similar às imagens holográficas existentes em cartões de crédito, que poderão ser menores e mais baratos. "Nós estamos tentando torná-los praticamente invisíveis mas, ao mesmo tempo, fáceis de ler com uma câmera digital comum, mesmo com a câmera de um celular," disse Ankit Mohan, principal responsável pela criação do Bokode."

Leia em INOVAÇÃO TECNOLÓGICA

O Bokode é uma proposta de acumular mais informações sobre um produto (ou pessoa???), numa ferramenta quase que imperceptível, que possa ser lida por instrumentos mais comuns (tipo câmera de celular) à vários metros de distância.

Essa ferramenta de informação (etiqueta óptica), pode se transformar num poderoso instrumento de controle. Por exemplo, se bem desenvolvido, o Bokode poderia identificar um funcionário de uma empresa, um cliente de banco ou um aluno de universidade, através de uma câmera instalada, que faria a leitura de identificação do indivíduo, numa distância considerável.

Quem viver, verá!

3 comentários:

Elisomar disse...

A tecnologia está cada vez mais tirando a privacidade das pessoas.
Não haverá poderosos ou humildes que escape dela. Espero que pelo menos tenhamos o direito de nos esconder em casa. rsrs

Gustavo Fabricio disse...

Não sei se notaram, mas no vídeo, enquanto a personagem aponta a câmera para o "Bokode", ao lado do "mini-chip" estão duas esculturas: uma mão e uma cabeça (testa).

Muito apocalíptico não?

Gustavo

Elisomar disse...

Realmente, eu não tinha percebido o que o irmão Gustavo notou. Eu não quero viver para fazer uso dessa ferramenta, não da forma que a bíblia fala. rsrs