sexta-feira, 3 de julho de 2009

A PRIMEIRA CARTA DE JOÃO. Subsídio para Lição Bíblica

Devido a uma série de atividades durante esta semana, me limitarei neste post a expor algumas lições práticas extraídas da primeira Lição do 3º trimestre/2009. São elas:

1. Deus, movido por sua graça, misericórdia, soberania, conhecimento e poder, transforma um simples e anônimo pescador (Mt 4.21-22)), num grande escritor e apóstolo, dando-lhe notoriedade e honras. Assim fez ele com João, que escreveu um evangelho, três cartas e o Livro de Apocalipse;
2. Mas do que saber sobre Jesus, é preciso conhecê-lo, ter comunhão com ele, ter experiência real com o Cristo ressurreto e vivo (1 Jo 1.1-4);

3. A verdade não pode ser negociada, relativizada ou deturpada, mas precisa ser anunciada e defendida com amor (Ef 4.15);

4. O verdadeiro Cristão, aquele que já nasceu de novo e tornou-se membro do Corpo de Cristo, precisa viver e interagir com a uma comunidade cristã (igreja), para que possa servir e ser servido, alimentar e ser alimentado, fortalecer e ser fortalecido, edificar e ser edificado, consolar e ser consolado, crescer e fazer crescer (Ef 4.11-16);

5. Jesus, como o Verbo encarnado, manifesta toda a plenitude do amor, da graça, da bondade, da justiça, da verdade, da santidade de Deus (Cl 2.9)

6. O auto-engano moral tem sido a causa do fracasso de muitos. A Bíblia é clara sobre a necessidade de se viver em santidade no Espírito, na alma e no corpo (1 Ts 5.23);

7. A doutrina da impecabilidade do crente é falsa, resultante de uma má interpretação da tradução da Bíblia Almeida Revista e Corrigida de 1 Jo 3.6, que diz: "Qualquer que permanece nele não peca; qualquer que peca não o viu nem o conheceu.". A versão Revista e Atualizado melhorou a tradução e ficou: "Todo aquele que permanece nele não vive pecando; todo aquele que vive pecando não o viu, nem o conheceu.". O contexto da Bíblia é claro quanto ao equívoco da doutrina triunfalista da impecabilidade (1 Jo 1.8-10);

8. Por espiritual, poderoso, eloquente e convincente que pareça ser o profeta e a profecia, é preciso estar atendo em relação a operação do espírito do erro (1 Jo 4.6). É necessário provar a procedência dos espíritos (1 Jo 4.1). É necessário discernimento espiritual (1 Co 12.10). As aparentes novas verdades e revelações que alguns afirmam ter, são na realidade velhas heresias com uma nova roupagem. Há uma clara diferença de uma nova doutrina, para uma perspectiva nova sobre uma mesma doutrina (1 Jo 2.7-8).

Que o Senhor nos enriqueça abundantemente neste novo trimestre que se inicia.

Se o Senhor me permitir, como já publiquei, a partir do dia 06/08, estarei ao vivo, online, das 22 às 23h00, através do site www.radiochamavivafm.com.br, trazendo o comentário e subsídios para a Lição Bíblica.

Abraços e paz do Senhor!

Ilha de Fernando de Noronha-PE, 03/07/2009.

Um comentário:

Elisomar disse...

Eu não sabia que tanta gente tinha dúvida sobre quem escreveu as cartas de João. Alguns pensam que foi João Batista.