sábado, 25 de julho de 2009

O ATUAL PROCESSO DE MEDIEVALIZAÇÃO DA IGREJA NA PÓS-MODERNIDADE

IMAGEM: O BATISMO DE CONSTANTINO

Assim como a paganização do cristianismo, no período da Idade Média, promoveu ao longo dos anos o seu descrédito e a decadência da igreja, chegando ao ponto máximo na Idade Moderna, a atual "politicagem" na igreja cristã, em termos de sua relação com o Estado e de seus conflitos políticos internos (alguns deles expostos neste blog), assume na pós-modernidade o mesmo papel.

Instituições cristãs (igrejas, convenções, associações etc) e líderes cristãos, começam a ser vistos pela sociedade com certa ou total desconfiança, ou como meros meios de se tirar algumas vantagens (principalmente pelos políticos).

A politicagem interna é fonte geradora dos seguintes comportamentos:

- Pastores apenas se toleram, não mais se amam ou se consideram;
- Nos casos mais extremos, tornam-se verdadeiros inimigos;
- As lideranças são divididas em "O Grupo de Fulano" x "O Grupo de Beltrano";
- Pastores são proibidos pelos seus presidentes de visitarem ou frequentarem a igreja do seu inimigo político;
- Quando esta proibição não é claramente verbalizada, acaba sendo comprovada com algumas retaliações, do tipo subtração de cargos eclesiásticos, exclusão de mesas diretoras, boicotes de convites para ministrações em eventos dos mais diversos (escolas bíblicas, congressos, seminários etc);
- O simples discordar da postura política de alguém, já torna o discordante "opositor ou inimigo" político;

No que diz respeito às relações da igreja com a política externa, percebe-se as seguintes ações:

- Lideranças fazem acordos e alianças políticas, impondo à igreja sua decisão;
- A maior parte destas alianças são efetivadas em nome de um benefício para a igreja, que na prática, na grande maioria dos casos, é benéfica apenas ao próprio líder, familiares, parentes e amigos;
- Cada vez mais, pastores abrem mão de sua vocação eclesial, para se candidatarem aos cargos eletivos seculares (acredito, em alguns casos, na possibilidade de um ministério pastoral exercido no meio político secular);
- Políticos mundanos fazem belos discursos nas tribunas das igrejas, enquanto que nos bastidores, afirmam que o pastor está "em suas mãos";
- Conheço casos onde o prefeito da cidade verbalizou a sua intenção, ou desejo, de tentar interferir na indicação de pastores para certa área eclesial;

Os fatos que cito acima, num mundo planificado como o nosso, são notórios, evidentes e conhecidos de um número cada vez maior de pessoas. Estão na internet, nos sites, nos blogs, no youtube, nos sites de relacionamento, nas comunidades virtuais, de forma que não há como tentar esconder esta realidade. Desta forma, a realidade, não mais possível de ser "omitida" ou "ocultada", precisa ser confrontada e tratada.

Perceba que na Idade Média, a politicagem externa desencadeou uma ingerência por parte do imperador nas questões internas, e esta ingerência acabou gerando a exacerbação da politicagem interna, desencadeando posteriormente, devido ao seu enfraquecimento espiritual e moral, a "paganização" do cristianismo.

Estamos, infelizmente, vivenciando um processo de medievalização, avançando em passos largos, talvez, não mais para uma "paganização", mas para uma "secularização", "banalização", "vulgarização" e "exploração" da fé cristã.

Aqueles que não forem tragados, corrompidos, nem se renderem ao sistema, ou, os que conseguirem se libertar (ou serem libertos) de suas fortes garras, tomando consciência desta realidade, serão poderosamente usados por Deus, denunciando o erro, e conclamando os envolvidos para o arrependimento, para se voltarem à palavra de Deus, para trabalharem na reconstrução e restauração da credibilidade da verdadeira fé cristã, comprovada não apenas com discursos evangélicos, mas com atitudes genuinamente cristãs, com atos concretos, com posturas dignas, com integridade, com testemunho.

Ainda há esperança, pois muitos há que não se renderam, não negociaram, nem seus joelhos se dobraram diante das ofertas generosas e tentadoras de Constantino, identificado nos símbolos e representações de poder (eclesiástico e secular) dos tempos pós-modernos.

9 comentários:

Elisomar disse...

Engraçado é que este é um império que não deveria ruir, pois é o alicerce da sociedade. Ainda bem que o Senhor levanta reformadores, que inconformados lutam por um evangelho puro. Até o dia em que o reino será do Senhor!

Anônimo disse...

Parabenizo a iniciativa em publicar a informação tal qual ela é, sem intervenção dos poderes externos, que ultimamente tem causado confusão e prejuízo ao rebanho do Senhor.
Clamo a Deus para nos conduzir de volta ao caminho, quando os irmãos viviam em união, nos tempos que orávamos: “... perdoa as nossas dívidas, assim como nós perdoamos aos nossos devedores…”.
Deus te preserve Pr. Altair, continue sendo instrumentalizado pelo Senhor como porta-voz celestial, sarando (por meio deste blog) as feridas abertas.

Dc. Richelieu Luciani

claudio pimenta disse...

Viche! nao vou nem comentar! pois dá muita raiva ! imagino o ceu com departamentos !
AJÁ departamentos pra tanta ass de Deus ! so a graxa mesmo ! o ceu com departamentos ou ministerios os salvos da madureira nao podem ter contato com os da missao! os da missao nao podem ter cxontato com os do belem !

www.exejegues.blogspot.com

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro Pr. Alair Germano,

Graça e Paz!

Triste, porém realista seu texto.

Que o Senhor nos dê graça e força espiritual para nem nos envolvermos, ou rompermos com esse sistem, pois ele perverso e o irmão disse com muita prriedade, nos tira a alegria!

Prefiro não dizer mais nada, pois o artigo já diz tudo.

"Os que confiam no Senhor, são como o Monte de Sião, que não se abala mas permanece para sempre!"

Um grande abraço!

Seu conservo,
Pr. Carlos Roberto

Parabéns pelo texto!
Parabéns pelo texto!

Robson Silva de Sousa disse...

A Paz do Senhor, prezado Pr. Altair Germano.

Por um instante achei que ias comentar algo sobre o LIXO britânico em terras tupiniquins - tema tomado para reflexão em meu último artigo.

É lamentável que toda essa sujidade tenha chegado a nossos púlpitos.

Parabéns pela abordagem do tema.

Recomendo a leitura de: DEVOLVENDO O LIXO ALHEIO...

Em Cristo,

Pb. Robson Silva

Ricardo disse...

Paz do Senhor irmãos, nos tempo medieval, quando a igreja romana dominou o mundo e o Papa era Senhor da Europa, ele instalou uma falsa paz entre as nações, cada um com o seu território definido, mas se alguém se levantava contra o império Papal, era excomungada, os outros reis podiam entrar em seu território, não foi isto que aconteceu em Belém, mais cuidado, nos achamos fortes, e estamos em um grande império e desvalorizamos os pequenos Ministérios Pentecostais e os chamamos de rebeliados, como Martin Lutero e outros reformadores foram chamados e dizemos que não dará em nada, estude a Historia dos grandes império, hoje só ficou as ruínas da gloria do passado e o que os destruí, não foi a divisão, a sede de poder dos reis, sua ganância por poder, quem acabou com a igreja Apostólica, não foi quando se uniu ao governo, enquanto era um povo desprezado pela mídia e o governo eram cheios do poder de Deus mas quando virou moda ser crente e a igreja ficou igual ao mundo, porque precisamos de alcançar atletas, político, juizes, eles não aceitarão esta baboseira de santificação, costumes etc. então desassociamos a teoria da pratica e dizemos que doutrina é uma coisa e costumes é outra, que queremos nos santificar mas nossas vestes, maneira de agir não condiz com a teoria, e vemos uma igreja que era uma coisa agora é outra, o certo virou errado e o que era errado virou certo, o lobo virou amigo da ovelha o mundo da igreja, vocês não acham que têm algo errado, talvez que se converteu a 6-7 anos não conhece o Jesus da AD. quem já esta na Igreja a 10-20 anos fica como o povo de Israel em Babilônia sonhando com Jerusalém, sonhando como era bom a manifestação da gloria de Deus, o povo honrando 2-3 horas, o barulho da oração, vigílias de oração e não de louvor, povo desprezado pela sociedade mas respeitado por ela, passamos a ditadura militar onde o governo podia fechar a igreja, mas não tivemos problemas porque a igreja, pregava o evangelho e não fazia política, fico pensado na irresponsabilidade da AD. em tomar partido, se um governo que a AD. não apoiou vir à persegui-la, quem que buscou a Luta. Irmãos deixem o mundo Jesus esta voltando lembre-se, ouve um momento que todas as virgens dormiram, as prudentes e as néscias, mas o Espírito Santo esta Dizendo ai vem o noivo, saia desta falsa paz, você sabe que as coisas não são assim, lute contra a apostasia pessoal, cuide para que o amor em seu coração não se esfrie, não ame o mundo nem o que o mundo há para que o amor do Pai esteja em você, as coisas deste mundo, fama sucesso, riqueza, sede de poder, são todas passageiras, e a busca destas coisas nos tiram da presença do Senhor, inimigo esta minando nossa mente, estamos insípido sem sabor e os homens a mídia já estão começando a nos pisar, a carnalidade, as obras da carne, nos afastando do Evangelho pura e verdadeiro de santidade e separação, precisamos de poder de Deus, unção, e não de psicologia e emoções em nossos cultos, o mundo sempre odiara a o verdadeiro cristão, assim como Caim matou Abel, assim O crente carnal mata o Espiritual, Paulo nos escreve acerca destes Homens que se dizem Pastores em Atos 20:29-38.
ricardo_pereira@pop.com.br

Laudicéia Mendes disse...

A realidade, sem retoques, sem meias palavras,sem superlativos, sem simplismo e sem exageros... "A VERDADE"... não diluída nem adtivada...PURA...como Deus tem te capacitado para declará-la sempre.

José Carlos disse...

Ao ler este assunto estava associando a política à igreja e pensando que estamos exatamente como o senado da república, ficamos com náuseas ao virmos tantos escândalos envolvendo o presidente do senado e seus asseclas, mas será que não estamos da mesma forma, será que não particularizamos a igreja, não a privatizamos para meia dúzia de pessoas, que beneficiam alguns privilegiados, filhos, sobrinhos, parentes etc, como anda a convenção e os campos que ainda restam agonizantes em suas administrações, aliás que administrações? Não sei! Os conselhos não funcionam, não há quem averigue absolutamente nada, o conselho fiscal é colegiado que deveria funcionar para fiscalizar em sua competência, mas o fato é que é um braço morto, quantas nomeações secretas, quantos atos sigilosos, quanto apadrinhamento, quanto corporativismo, é triste e lamentável, que não consigamos ser exemplos, e como as pessoas têm história, as colocam acima de qualquer fiscalizações, e são bem maiores e mais altas que as instituições.

Keven Junior disse...

O QUE ACHO MAIS PERIGOSO DE TUDO ISSO, É O FATO DE FERIREM AS PESSOAS, SE ESCANDALIZOU ALGUÉM É UM PROBLEMA, MAS SE VCS QUE ESTÃO FAZENDO OS COMENTÁRIOS SERVIR DE PEDRA DE TROPEÇO PRA ALGUÉM, PIOR AINDA. MELHOR É ORARMOS SE NÃO CONCORDAMOS, O NOSSO DEUS SIM PODE JULGAR, ELE É O JUSTO JUÍZ...