sexta-feira, 3 de julho de 2009

FESTEJAR E REPENSAR A PRÁTICA, EIS A QUESTÃO!



Bela festa! Parabéns, de coração!

Depois de 98 anos anos de existência, com todas as bençãos dispensadas por Deus, pela salvação de milhares de vidas, pelo poder do Espírito Santo, pelo crescimento, sim, pode-se festejar.

O atual momento das Assembleias de Deus no Brasil nos remete para o fato de que festejar sem repensar algumas práticas, poderá mais cedo ou mais tarde fazer cessar a voz de júbilo e o cântico. E aí, só restarão prédios, catedrais, saudades, dores, remorsos, coisas.

A igreja não se sustenta apenas com aquilo que se mostra nos cultos, nas ruas, no rádio, na tv, na internet, nos estádios.

A igreja se sustenta é com a prática da palavra de Deus em seus bastidores, nas reuniões internas, nas decisões da liderança, na maneira de se conduzir de seus líderes distantes dos holofotes e das câmeras, na forma como seus membros vivem o Evangelho em suas casas, no seu trabalho, em suas relações sociais...

A Igreja não vive de marketing, vive do Espírito que a alimenta, dirige, guia, sustenta, advoga, santifica, fortalece, reveste, edifica, exorta, consola...

A igreja não vive de aparência, vive da essência de Deus, vive do verdadeiro amor. Do amor que faz despretensiosamente, que faz para a glória de Deus.

Se não repensarmos a nossa prática cristã, o Espírito se entristecerá e se retirará, cessando assim as mensagens ungidas, as salvações em massa, os batismos com o Espírito Santo, as curas divinas, os milagres, as visões, as profecias, as grandes festas.

Se não repensarmos urgentemente a nossa prática (não me refiro a uma igreja ou Convenção especificamente) só haverá lembranças. Só restará um silêncio morbido e um vazio (interior e exterior) angustiante.

Chegar aos 98, 99 ou 100 anos não é tudo. Há fatores mais importantes do que os cronológicos. Há uma questão presente de vida ou morte espiritual.

Senhor, salva-nos!

Ilha de Fernando de Noronha-PE, 03/07/2009.

8 comentários:

Fernanda disse...

Prezado Pr. Altair Germano,
Tenho tido a honra e a graça da parte de Deus de exercer o ministério pastoral na Assembleia de Deus em Belém, e gostaria de estar errado com a impressão que suas palavras me causaram: de que o irmão pretendeu dar umas "agulhadas" exortativas, chamando a atenção para que se evites práticas que possivelmente estão acontecendo, ou que acontecerão em breve. Não desmereço as verdades exaradas no texto, no seu sentido de possibilidade filosófica, apenas me preocuparam o fato de as contraposições traírem uma intenção exortativa, como se a Igreja em Belém (ou sua liderança) devesse tomar cuidado, como se a prática de vida cristã por ela vivida não seja lá essas coisas. Pelo menos foi essa a impressão que me causou. Se estou errado, desculpe-me, pois a letra é fria e permite esses descalabros literários.
No entanto, como tenho por certo que o irmão serve a Deus com consciência pura e tem se esforçado no caminho da santidade, gostaria de lhe fazer um convite, como assessor do Pr. Samuel Câmara, e em nome deste, para que o irmão faça uma visita à Igreja-mãe, que também é sua, e tire as suas próprias conclusões. Aí então eu gostaria de ler as suas impressões no seu Blog a respeito.
Sinta-se convidado. Vou fazer saber ao Pr. Samuel que lhe estendi esse convite, eu que sou testemunha de que ele mesmo tem convidado abertamente a quantos desejem conhecer melhor a Igreja onde o pentecostes começou e onde ainda acontece.
No Senhor,
Pr. Benjamin Ângelo de Souza
Assessor de Comunicação da AD Belém

ALTAIR GERMANO, disse...

Prezado pastor Benjamin Ângelo,

quero em primeiro lugar reiterar os meus parabéns pela bela festa realizada.

Como claramente escrevi:

"Se não repensarmos urgentemente a nossa prática (não me refiro a uma igreja ou Convenção especificamente) só haverá lembranças. Só restará um silêncio morbido e um vazio (interior e exterior) angustiante."

O meu texto fala de uma preocupação com as Assembleias de Deus em Geral, e os fatos e escândalos públicos fundamentam minha exortação. Definitivamente não estamos bem.

Não há igreja nem liderança perfeita, e neste caso, nem a "mãe" nem as filhas escapam.

O que devemos saber é o quanto estamos caminhando em direção a perfeição, ou, o quanto nossa prática se afastou da Palavra. Este é um exame que cada um de nós deve fazer individualmente e coletivamente.

Quanto a possibilidade de minha ida à Belém, estarei nos dias 5 e 6 de setembro em Cordeiro Farias, ministrando num evento sobre Escola Dominical. Certamente, havendo a possibilidade, será uma honra poder conhecer a igreja Central e o amado companheiro.

No amor de Cristo,

Pr. Altair Germano

Fernanda disse...

Goataria de fazer uma ressalva e ressaltar o convite. Eu escrevi utilizando-me do e-mail de minha esposa, Fernanda, pois não tenho conta no Google e não queria escrever-lhe como "anônimo". Por isso apareceu o nome dela no cabeçalho.
Quanto ao convite, por favor, reserve na sua agenda a data de 6 ou 7 de setembro próximo para nos visitar na AD Belém. Você é bem-vindo!
Quanto ao mais, o irmão tem o meu respeito e admiração.
Pr. Benjamin Ângelo de Souza

Paulo Mororó disse...

Caro pastor Altair, a Paz do Senhor.

Achei muito respeitosa e fraternal a forma como o senhor e o pastor Benjamim (AD Belém, A Igreja-Mãe) se corresponderam neste Blog. Espero que também nos bastidores esse mesmo clima amistoso seja constante. Necessitamos sempre de boas referências de ética e respeito, como se observa aqui.
Levo comigo,os tesouros morais dos bons exemplos de minha honrada mamãe (Irmã Francisca). A mamãe ( Eunice) de jovem Timóteo transmitiu aquele obreiro, tesouros maravilhosos. Espera-se que as mães cristãs possam ser sempre referenciais de ética, verdade, amor e do bom perfume de Cristo.
Desejo que o irmão e pastor Altair, possa chegar até Belém e nos fazer saber a sua impressão "in loco", desta tão amável e fraterna relacão cristã.
Salmo 133

Um abraço.
PAULO MORORÓ

ALTAIR GERMANO, disse...

Prezado companheiro e pastor Benjamim Ângelo,

se houver um acerto com o irmão Bruno, da congregação de Cordeiro Farias, poderia estar com os irmãos no Domingo a noite (ou outro dia), pois no dia 7 de setembro preciso está em Abreu e Lima às 12h00, para um evento local.

Em termos de respeito e admiração, a reciprocidade é a mesma.

Deus continue abençoando vossa família e ministério.

Cordialmente,

ALTAIR GERMANO, disse...

Prezado irmão Paulo Mororó,

divergências de idéias, preferências, pontos de vistas, e outras, não devem separar aquilo e aqueles que Jesus uniu com o seu precioso sangue.

Saber conviver com as diferenças é essencial para a nossa saúde espiritual, bom testemunho e autoridade moral.

Abraços!

Esequiel Santos disse...

Estou deveras satisfeito com os ânimos acalmados nessas postagens, dignas de verdadeiros assembleianos.

A Paz do Senhor!

Luiz Ricardo disse...

Como seria bom se as nossas maiores lideranças se respeitasse como tem acontecido neste post. Sabem qual é a diferença? Aqui a divergência é apenas de idéias, e aí fica fácil o respeito, pois ninguém é o dono da verdade. Mas quando a questão envolve poder, posição, prestígio e dinheiro, fica bem mais difícil.

Também não me refiro a José Wellington, Samuel Câmara, Silas Malafaia e outros, até porque não os conheço. Uma coisa é certa, não estamos tão bem quanto parece. Tem muito marketing e pouca atitude cristã.

Faço minhas as palavras do pastor Altair: "Chegar aos 98, 99 ou 100 anos não é tudo. Há fatores mais importantes do que os cronológicos. Há uma questão presente de vida ou morte espiritual."

Um abraço!