sábado, 6 de junho de 2009

OS DONS ESPIRITUAIS (02). Subsídio para Lição Bíblica


Quero tecer mais comentários sobre alguns pontos da Lição Bíblica em estudo.

a) Do pré-requisto do batismo com o Espírito Santo para a operação e manifestações dos dons espirituais

No ponto II, sub-ponto 2, lemos:

"De conformidade com a profecia de Joel, o derramamento do Espírito Santo e a distribuição dos dons espirituais, seriam mais intensos nos últimos tempos (Jl 2.28-29)."

Entendo que a declaração "mais intensos" nos fala de algo que já se manifestava, mas não com a intensidade que agora se manifestaria. Dessa forma, o poder do Espírito e os dons do Espírito já operavam desde o Antigo Testamento, mas não da maneira como passariam a operar.

No final do mesmo ponto lemos a seguinte declaração:

"Os dons espirituais seguem-se ao batismo com o Espírito Santo: "e falavam línguas e profetizavam (At 19.6). Não o contrário."

Temos aqui uma dificuldade no comentário, salvo melhor interpretação:

Se os dons espirituais "seguem-se ao batismo com o Espírito Santo", eles não se tornariam mais intensos, nem teriam sido manifestos em nenhum outro momento antes do referido batismo. Seria um fato histórico e um fenômeno espiritual totalmente novos.

Para complementar a idéia da primeira citação, no ponto V, sub-ponto 1, lemos "O profeta Daniel tinha deste dom, segundo relata o escritor sagrado (Dn 1.17; 5.11, 12; 10.1)", em se tratando do dom da palavra da sabedoria.

No sub-ponto 2, que trata do dom da palavra da ciência lemos que "Ele certamente operava nos profetas Eliseu (2 Rs 5.25, 26) e Aías (1 Rs 14.1-8)."

No ponto VI, sub-ponto 1, que fala do dom da fé, o comentário da lição descreve que "O profeta Elias tinha o dom da fé segundo o relato de 1 Reis 1.10-12".

Ainda no ponto VI, sub-ponto 3, tratando do dom de operação de maravilhas, lemos "Moisés, Elias, Eliseu, Paulo, e inúmeros outros servos de Deus tinha esse dom."

A questão é a seguinte: se "Os dons espirituais seguem-se ao batismo com o Espírito Santo", como poderiam os dons descritos acima terem operados na vida de Moisés, Daniel, Elias e Eliseu, sendo eles personagens do Antigo Testamento, que viveram antes do derramar e do batismo com o Espírito Santo?

Minhas considerações:

Como já escrevei no subsídio anterior para a lição publicado neste blog, entendo (embora aberto para as devidas refutações) que os dons espirituais (salvo o dom de variedade de línguas) podem sim, manifestarem-se antes do batismo com o Espírito Santo, pelo Espírito Santo, na vida do cristão, como no caso dos personagens do Antigo Testamento aqui citados. Caso contrário, como teriam sido vivenciados pelos mesmos?

Desta forma, salvo melhor interpretação, entendo que a frase mais adequada seria: Os dons espirituais (salvo o de variedade de línguas), após o batismo com o Espírito Santo, são vivenciados pelo crente salvo com uma maior intensidade e poder.

Ou entendemos assim, ou Moisés, Daniel, Elias e Eliseu não experienciaram os dons, conforme a objetividade do texto da lição.


b) Do derramar do Espírito Santo como evento histórico e profético

Alguns interpretam o derramar do Espírito descrito em Atos 2.16-18 como um evento único na história.

Lemos no ponto II, sub-ponto 2, diz o texto da lição:

"Em Jerusalém, no Dia de Pentecostes, esta profecia (referindo-se a Jl 2.28-29) cumpriu-se parcialmente (At 2.16-18). Desde então continua a cumprir-se onde quer que o evangelho seja ouvido e crido."

O texto da lição bíblica deixa claro que o "derramar do Espírito" não foi um evento único. Diz inclusive que "Em nossos dias, o derramamento do Espírito recomeçou em 1906, na Rua Azusa, em Los Angeles, Califórnia ...".

A Bíblia de Estudo Pentecostal, em seu comentário de Atos 2.17 diz:

"(2) O NT revela que os 'últimos dias' começaram com a primeira vinda de Cristo e o derramamento inicial do Espírito sobre o povo de Deus, e que terminarão com a segunda vinda do Senhor (Mc 1.15; Lc 4.18-21); Hb 1.1, 2)."


E ainda, comentando Atos 2.18, afirma:


"Pedro, citando Joel, diz que Deus derramará seu Espírito "naqueles dias". O derramamento do Espírito Santo e os sinais sobrenaturais que o acompanham, não podem ser limitados unicamente ao 'dia' de Pentecoste. O poder e a bênção do Espírito Santo são para todo cristão receber e experimentar, no decurso de toda a era da igreja, que é a totalidade do período de tempo entre a primeira e segunda vinda de Cristo (Ap 19-20; ver At 2.39 nota)."


Busquei no texto grego, precisamente no tempo verbal (futuro) de εκχεω (ekcheo, derramarei), algo que identificasse o fenômeno com um fato único, e não encontrei nenhuma fundamentação para tal interpretação.


Desta forma, não há nenhuma incoerência em entender o derramar do Espírito como uma série de eventos que se iniciaram no "dia" de Pentecostes, ou seja, o Espírito foi derramado em pentecostes e continua sendo derramado em nossos dias, sobre as vidas dos crentes salvos em Jesus Cristo.


5 comentários:

Graça Souza disse...

Paz do senhor!
Sabia que ía encontar resposta para as minhas dúvidas.
Deus ao abençoe muitíssimo.
Daqui fico tentando por algumas algumas idéias em prática, e confesso que a inclusão para EBD foi realmente um alerta para nós professores.\precisamos acordar para essa tarefa árdua porém com resultados de fazer os olhos marejarem, por ver a alegria dos crentes em aprender o que é bom: A Palavra de Deus.Muito obrigada.
Graça Souza

Leonardo Pereira disse...

Paz do senhor. Pastor concordo com o senhor em parte em relação ao estudo apresentado, se não vejamos: Quando o Sr. coloca que " não há necessidade de ser batizado com o Espírito Santo para o exercício dos dons, a não ser o falar em linguas" temos um problema então na profecia de Joel. A profecia em joel 2;28 falando em dispensações fala "exclusivamente" (em relação aos dons) do périodo da graça que se iniciou na "primeira vinda de Cristo e terminará na segunda volta de cristo". Portanto não seria para a dispensação da lei como citado no caso de (Moisés, Elias, Eliseu e Daniel) ou se eu quiser acrescentar a essa lista os profetas com o dom ou (ministério) da profecia que também é citado em 1 cor 12. Na verdade creio que os frutos do Espírito sim todo cristão convertido a Jesus tem como exemplo (misericordia, repartir, socorros e etc...) Mas que no antigo testamento mesmo sendo manifesto alguns dons, não se pode crer que hoje na dispensação da graça seja assim, Deus usou os seus servos dessa forma como manifestação da trindade no antigo testamento assim como no caso da teofania e também no que foi util no momento manifestando assim como em outras passagens, a presença do Espírito Santo no antigo testamento na vida de homens escolhidos e chamados para tal...

ALTAIR GERMANO, disse...

Prezada profª Graça Souza,

ore pelo projeto de inclusão e por um livro de minha autoria sobre o assunto, que deverá em breve ser publicado.

Paz do Senhor!

ALTAIR GERMANO, disse...

Nobre Leonardo,

em seu texto lemos "Portanto não seria para a dispensação da lei como citado no caso de (Moisés, Elias, Eliseu e Daniel) ou se eu quiser acrescentar a essa lista os profetas com o dom ou (ministério) da profecia que também é citado em 1 cor 12".

Como coloquei no post, se seguirmos esta linha de interpretação, até maiores esclarecimentos, temos uma contradição no texto da lição bíblica, que afirma "claramente" que os personagens acima tiveram em suas vidas a manifestação de alguns dos dons espirituais.

Jl 2.28 não deixa claro que os dons espiritual só operam na vida de quem é batizado com o Espírito Santo, embora eu respeite a vossa interpretação.

Conheço pessoas que em suas vidas manifestam alguns dos dons (palavra do conhecimento, palavra da sabedoria, curas etc), mas não são "batizadas com o Espírito Santo".

Obrigado pela colaboração.

suely disse...

Querido pastor altair,gostaria que o senhor me descrevesse o que Paulo quis nos instruir em I cor:14/34 em relação as mulheres no culto. Desde já agradeço! Deus o Abençoe.