terça-feira, 26 de maio de 2009

PENSAR, UM MANDAMENTO BÍBLICO.

"Quem compreende quais são as melhores maneiras de pensar e porque são melhores mudará, se quiser, as suas próprias maneiras até que se tornem mais eficientes, isto é, até que executem melhor o trabalho de que é mais capaz o pensamento do que outra operação mental. A melhor maneira de pensar, a ser considerada [...] é chamada pensamento reflexivo: a espécie de pensamento que consiste em examinar mentalmente o assunto e dar-lhe consideração séria e consecutiva." (John Dewey)

Todos nós pensamos. Não é se pensamos ou o quanto pensamos, mas como pensamos que fará um grande diferencial em nosso ser, saber, falar, fazer e relacionar-se.

Os tolos e os néscios também pensam. Pensamos acordados ou dormindo (sonhos).

Pensamos involuntariamente e desordenadamente. As coisas passam pela nossa cabeça de maneira fortuita.

Diferente do simples e aleatório pensar, o pensamento reflexivo é intencional, organizado, sequenciado, ordenado, proposital, examinador e conclusivo.

"Parar para pensar" é uma expressão que fala da necessidade de se refletir sobre a realidade, sobre os fatos, sobre a vida, sobre Deus, sobre a sua Palavra, sobre si mesmo, sobre o que lemos, sobre o que ouvimos e vemos etc.

"Agir e falar sem pensar" fala-nos da dura realidade de ações e palavras motivadas meramente pela emoção imediata e passageira.

É sobre o pensamento reflexivo que a Bíblia trata nos textos abaixo:

"Enquanto ponderava (gr. enthumethéntos, ou seja, refletia sobre) nestas coisas, eis que lhe apareceu, em sonho, um anjo do Senhor, dizendo: José, filho de Davi, não temas receber Maria, tua mulher, porque o que nela foi gerado é do Espírito Santo." (Mt 1.20)

"Enquanto meditava (gr. dienthumouménou, ou seja, considerava profundamente) Pedro acerca da visão, disse-lhe o Espírito: Estão aí dois homens que te procuram;" (At 10.19)

"Porque, pela graça que me foi dada, digo a cada um dentre vós que não pense de si mesmo (gr. huperphronein) além do que convém; antes, pense (gr. phronein, ou seja, pense sobriamente) com moderação, segundo a medida da fé que Deus repartiu a cada um." (Rm 12.3)

"Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento (gr. logízesthe, ou seja, ocupe vossas considerações pensativas, ou reflita cuidadosamente nelas)." (Fl 4.8)

"Pense" nisto!

2 comentários:

O PENSADOR disse...

Taí, rs, gostei do artigo, rs. Qualquer prévia empatia com o artigo é somente mera coincidência, rs...

Paz...

Laudicéia Mendes disse...

Um texto consistente, relevante e incisivo,que tenha o efeito de uma vacina contra a cultura do "sentir" em detrimento do "saber",convivo com muitos que agem como se pensar fosse pecado, e como se a cabeça servisse só para ornamentar.Deus lhe abençoe pastor, este bolg é uma benção,é o primeiro que li, e se por acaso me ocorrer uma indigestão mental, intoxicação virtual,ou alergia a blogs...pode ter certeza que seria o último que deixaria de ler.