quinta-feira, 14 de maio de 2009

CONSIDERAÇÕES ACERCA DO CASAMENTO (3)


Deus estabeleceu princípios em sua palavra, que seguidos resultarão em bênçãos para a vida sexual do casal. Alguns fatores, porém, tem contribuído para que alguns problemas privem o casal cristão de usufruir, da melhor forma possível da sua vida sexual. O sexo mal usado ou abusado promoverá dificuldades mais cedo ou mais tarde no casamento.


AS CAUSAS DOS PROBLEMAS SEXUAIS NO CASAMENTO

São diversas as causas dos constantes problemas que os casais vivenciam em sua vida sexual;

1. Má Informação: É grande ainda a falta de conhecimento, desinformação e conceitos errados da fisiologia sexual (como funciona os impulsos sexuais no homem e na mulher). Tal ignorância pode ter origem na falta de educação sexual correta, falta de conversa franca entre pais e filhos, informações ou expectativas falsas, obtidas em filmes, livros ou pessoas.


2. Fadiga e Falta de Oportunidade: A fadiga tem sido descrita como a causa mais comum do sexo insatisfatório. As crescentes responsabilidades no lar, no trabalho e na igreja criam fadigas físicas e mentais. Tal quadro leva alguns cônjuges a se absterem da procura pelo sexo, ou de rejeitá-lo quando procurados. É preciso saber dividir o tempo ( I Co 7.32-34 ), e a abstenção só é permitida com consentimento mútuo e tempo predeterminado ( I Co 7.3-5).


3. Tédio ou Rotina: Depois de estarem casados por algum tempo, o casal se acostuma um ao outro e correm o risco de cair na monotonia, fazendo sexo não por prazer, mas sim, por obrigação ou necessidade. A esta altura é comuns o desaparecimento do romantismo, do cuidado estético pessoal, de passeios, surpresas, etc.


4. Enfermidades e Disfunções: Distúrbios endócrinos, obesidade, diabetes, baixo nível de energia, frigidez, impotência, ejaculação precoce, etc., podem trazer problemas para a vida sexual do casal. É necessário consultar um especialista e tratar-se imediatamente.


5. Bloqueios Psicológicos: Os bloqueios psicológicos podem resultar das seguintes causas;


- Medo: Os temores sexuais são de vários tipos. Medo de dor, medo de ser rejeitado, medo de não satisfazer, etc. Esses e outros medos podem levar à inibição sexual.


- Traumas: Os traumas ou feridas psicológicas não cicatrizadas, podem ter conotação com casos de estupros, molestação, abuso sexual, experiências negativas, etc.


- Culpa: Este é um dos bloqueios psicológicos mais comuns. A culpa pode resultar de erros no passado, atividades extraconjugais presentes, fantasias, etc. Aqueles que já se arrependeram e confessaram suas falhas, não precisam mais carregar suas culpas ( I João 1.8-9 ).


- Ressentimentos: A amargura e a ira neutralizam toa sorte de desejo e prazer sexual. Tais sentimentos devem ser tratados mediante o perdão e o abando no de conduta que promovam os mesmos (confusões, contendas, maus tratos, desrespeito, etc.)


- Diferenças nas Preferências Sexuais: A freqüência com que se deseja o sexo, o lugar, o horário, as posições, etc. nem sempre são as mesmas nas preferências de um casal. O que é bom para um, nem sempre é para o outro. É de muitíssima importância a comunicação para equacionar tais diferenças.


A postura cristã na vida sexual, não deve conformar-se com os padrões espúrios do mundo, influenciados pela luxúria, depravação e imoralidade. A santidade na vida sexual é também uma exigência de Deus para o seu povo. Ser santo é estar separado dos padrões mundanos e usufruir de modo correto das bênçãos de Deus para nossa vida. O sexo é uma destas bênçãos.

BIBLIOGRAFIA


Lima, Elinaldo Renovato de. Ética Cristã, CPAD, 2002.

Geisler, Normam L. Ética Cristã, Vida Nova, 1984.

Collins, Gary R. Aconselhamento Cristão, Vida Nova, 1984.

Um comentário:

Elisomar disse...

Nossa escola hoje foi uma benção! Este assunto quando tratado com responsabilidade, torna-se muito proveitoso e atraente. rsrs