quinta-feira, 30 de abril de 2009

ESPAÇO DO LEITOR: PR. MARCELLO DE OLIVEIRA

SALMO 1 - UMA EXEGESE

Introdução

Os hebreus conheciam bem os cânticos contidos no livro de Salmos, no hebraico é "Tehilim" (louvores). Na versão dos setenta passaram a ser chamados "Salmos", por serem cantados ao som de um instrumento que os gregos chamavam de "saltério".

Os salmos eram cânticos especiais para os dias ou ocasiões festivos, de vitórias, e muitos também deles tratam de situações adversas, como a "prosperidade dos ímpios".

O salmo 1º enfoca uma benção que é dada a um servo por seu comportamento adequado e seu amor a "torá" [lei] do Senhor.

1. O Bem Aventurado

No hebraico temos אַשְֽׁרֵי= 'Ashrey - que significa: Bem aventurado, feliz, ditoso. Aqui temos algo importante, este homem será bem aventurado, se cumprir as seguintes três coisas que o salmista enumera.

2. Os Três Não

2.1 - Não andar

O verbo usado aqui no hebraico é הָלַךְ = halakh - que significa - "ir, caminhar, andar/passar. Este verbo, bem como os outros dois que o seguem estão no passado, logo a tradução ficaria:

"Bem aventurado aquele que não andou...."

2.2 - Não deter-se

O verbo usado aqui é עָמָד= 'amad = que signifca = "parar, estacionar-se/deter-se/

O tempo conforme mostramos acima está no pretérito, levando para uma ação já concluída.

2.3 - Não assentar-se

Temos o verbo hebraico יָשָֽׁב = Yashav = que significa " sentar-se, permanecer, habitar"

O tempo do verbo é o mesmo mencionado acima [pretérito].

A tradução ficaria assim: " Bem aventurado aquele homem que não assentou-se"

3. Os Três Perigos

3.1 - O conselho dos ímpios

Aqui temos o vocábulo hebraico עֲצַת = ats'at = que significa = "conselho, parecer".

A palavra usada no hebraico para expressar ímpios é רְשָׁעִים = reshaym = que vem do radical "rashe'a" - que dá a idéia de "condenar-se, ser mal". Portanto, podemos afirmar que o ímpio para o hebreu era aquele que se condenava em algo, mesmo sabendo que aquilo que ele fazia era errado.

O conselho dos ímpios fala da comunhão com o mundo, com as "trevas", com aqueles que conscientemente caminham para a perdição.

3.2 - O caminho dos pecadores

No hebraico temos o vocábulo חַטָּאִ = hatâ = que vem do verbo da mesma grafia que significa "pecar, errar".

Quando o salmista refere-se ao "caminho dos pecadores" cremos que ele tem em mente o caminho daqueles que estão em erro ou errados, ou seja, estão em pecado. Eles estão desviados do alvo, que é o termo teológico para a definição de pecado. Devemos tomar o cuidado para não parar ou estacionar neste caminho.

3.3 - A roda dos escarnecedores

No original temos os seguintes vocábulos :

a) מֹושַׁב = moshav = que significa "assento, vila"

b) לֵצִים = letsym = que significa "frívolos, "palhaços", perversos.

No orginal dá a seguinte idéia: "estão escarnecendo, estão sendo frívolos".

Frívolo quer dizer "sem importância, sem valor". São estes que zombam do evangelho, da igreja, da Palavra de Deus.

4. Duas características do servo

4.1 - O seu prazer


A palavra hebraica usada aqui é חֶפְצֹ = heféts = que significa "desejo, anelo".

O verso diz: "O seu desejo está na lei do Senhor".

O maior prazer que o judeu fiel tinha era estar junto de sua "Toráh". Uma das primeiras coisas que uma criança judia aprendia a falar era o "Shemá" : "Shemá Ysrael, Adonay Elocheinu, Adonay echad" (Dt 6.3). Os pais quando estavam ensinando a "torá" para seus filhos, e eles aprendiam, os pais davam mel para eles. Desse modo, eles associavam que a Palavra do Eterno era doce como o mel (Sl 119.103). Assim eles tinham prazer em aprenderem a lei do Senhor.

4.2 - O meditar

O verbo hebraico aqui é הְגֶּה = hagah = que significa "falar, expressar, pensar, meditar"

O texto diz: "... E na lei do Senhor medita dia e noite". É notável percebermos o sentido amplo deste verbo que nos auxilia nesta exegese.

O salmista está afirmando que Deus prova e abençoa o servo que medita (exame interior), fala, pensa, estuda a sua Palavra de dia e noite. A expressão dia e noite além de especificar um tempo, pode também caracterizar tipologicamente, luta e vitória. Todavia, só será abençoado o servo que meditar nas lutas quanto na vitória, na Palavra do Senhor.

5. Os Dois Exemplos

5.1 O exemplo do servo justo

I) Uma árvore

a) plantada - O verbo no original está no particípio e entendemos que o Eterno é quem a plantou.

b) junto as correntes de água

A palavra hebraica para corrente é פַּלְגֵ = peleg = que também pode significar " facção, parte".

Caro leitor [a], você já parou para pensar o que significa esta expressão: "plantada junto a ribeiros de águas"? Muitos pensam que o termo "águas" é uma alusão as Escrituras. Mas não é! Aqui se refere ao mundo [ sistema], e esta árvore [homem, mulher] foi plantada numa facção [à parte, separada] das águas [alusão ao mundo], ou seja, a Obra do Senhor [igreja] constitui-se uma facção, uma parte de homens e mulheres que tomaram outro rumo - seguir a Cristo! Aleluia! Estamos no mundo, mas não pertencemos a ele. Somos cidadãos de outro país!

c) dá o seu fruto, na estação própria

O verbo hebraico é נָתָן = natân = que significa "dar colocar"

Aqui vemos um retrato "perfeito" do servo do Senhor. O homem dirigido pelo Espírito Santo não dá fruto fora de hora, mas no tempo determinado, na estação própria.

d) cuja folha não cai

O verbo usado aqui é "navel" = que significa "murchar, fenecer,secar". Além de ser uma árvore que só dá fruto na ocasião própria, o servo é também tipo de uma árvore duja folha não murcha ou seca. Isto implica em dizer que esta árvore não sente a mudança de tempo,uma vez que nesta época as árvores perdem as folhas e na Palestina, isto ocorria no início do inverno, sendo que a figueira ficava totalmente "nua de folhas".

5.2 - O exemplo dos ímpios

I) A moinha

Esta palavra no hebraico é מֹּץ = Mots = que significa "palha cortada em pedaços, escória de cereais, pragana".

Se o ímpio é como a moinha, deduzimos que o ímpio é um ser leve, sem consciência espiritual, vazio, verdadeiro dejeto humano largado as suas próprias sortes.

A moinha segundo o dicionário é: Fragmentos miúdos de palha que ficam depois da debulha dos cereais.

b) o vento que espalha

O verbo hebraico aqui é "nadaf" = que significa "dispersar, espalhar". O verbo está no futuro, indicando uma ação que ainda ocorrerá. A palavra vento no hebraico é a mesma usada para o Espírito = רֽוּחַ׃ = Ruach = vento, sopro, Espírito.

6. Os Três Futuros

6.1 - O futuro do justo - "E tudo quando fizer prosperará"

O verbo hebraico usado aqui é "Tsalakh" = que significa "prosperar, triunfar, atravessar"

6.2 - O futuro do ímpio - "Não subsistirão no juízo"

No original traz o verbo קֻמ = kum = que quer dizer: "levantar-se, rebelar-se, resistir"

O ímpio não poderá ao menos se levantar no dia do juízo.

6.3 - O futuro do pecador - "Não subsistirão na congregação dos justos"

A palavra para congregação no hebraico é עֲדַת = odat > e é oriunda do verbo que significa "adornar".

O salmista está afirmando que os pecadores não comporão o adorno, jóia dos justos [ figura da salvação, promessas, dons etc]. Sendo assim, não serão reconhecidos pelo Senhor, e serão espalhados pelo horizonte afora.

7. Os Dois Caminhos

7.1 - O caminho do justo - "É conhecido pelo Senhor"

7.2 - O caminho do ímpio - "conduz à ruína"

O verbo usado no original é אבֵֽד = 'avad = que equivale a "perder-se, errar, perecer, sumir". Deste verbo deriva-se a palavra "Abadom" = destruição. Entendemos que o caminho do ímpio conduz a perdição e a destruição. Enquanto que o caminho dos justos é conhecido pelo Todo Poderoso.


Bibliografia : Centro de Cultura Bíblica Bereshit. Coleção: Salmos. Ano 2006. Prof. Pr. Hilmar S.E. Kaiser - Th.D, Ph.D

FONTE: A SUPREMACIA DAS ESCRITURAS

Um comentário:

Newton Carpintero, pr. disse...

Prezamado pr. Altair Germano,

A Paz do Senhor!

Grato, pela escolha, desta matéria em especial harmonia, com o belíssimo Livro de Salmos e seu especial capítulo primeiro.

É fonte de inspiração e refrigério, quando se verifica o quão maravilhoso é, encontrar quem descansa na Palavra de Deus, como o nobre e querido irmão em Cristo pr Marcello de Oliveira, sempre em busca de uma especial exegese.

O pr. Marcello, consegue extrair da Palavra, o seu sumo, e produzir em seu relato a necessidade de investigarmos, mais e mais, as profundezas e alturas de Deus.

Graças a Deus por inspirar, através do seu Espírito Santo, aos que vivem por um sentido de vida, e este significa respirar a Sabedoria e o Conhecimento de Deus.

O Senhor seja contigo e com o amado pr. Marcello de Oliveira,

Obs.: Aguardo seus comentários em meu blog sobre o Divórcio, por favor é muito importante!

pr. Newton Carpintero
www.pastornewton.com