sábado, 28 de março de 2009

O MINISTÉRIO PROFÉTICO DE ISAÍAS


Visão de Isaías, filho de Amoz, que ele teve a respeito de Judá e Jerusalém, nos dias de Uzias, Jotão, Acaz e Ezequias, reis de Judá.” (Is 1.1)

A possibilidade de pessoas, comunidades ou sociedades, desfrutarem de um futuro glorioso, próspero e abençoado, está em ter uma clara visão e percepção de algumas condições no presente.

Quando esta visão ou percepção de sua própria condição, por algum motivo não acontece, surge então a necessidade de profetas.

Profetas são representantes de Deus.

São por Ele escolhidos de forma soberana, para serem receptores de revelações sobre- naturais, para ver como Deus vê, para perceber como Deus percebe, para entender como Deus entende, para falar o que Deus manda.

Profetas são indivíduos que vivem desconfortavelmente, pois causam desconforto.

Profetas são indivíduos que vivem sob pressão, pois causam tensão.

Profetas são indivíduos que vivem sob ameaças, pois confrontam os pecadores.

Profetas são indivíduos indesejáveis, pois denunciam o pecado.

Isaías ocupou o cargo mais ingrato do Antigo Testamento, o de Profeta.

Este cargo não se compra nem se vende.

Não é alcançado por troca de favores.

Não se passa de pai para filho.

Não se consegue com votos, numa eleição.

Não se obtém por bajulação, paternalismo, ou coisa parecida.

Ser profeta é vocação vinda de Deus, fundamentada em:

- Sua soberania e determinação

“Os teus olhos me viram a substância ainda informe, e no teu livro foram escritos todos os meus dias, cada um deles escrito e determinado, quando nem um deles havia ainda.”
(Sl 139.16)

- Seu conhecimento

“Antes que eu te formasse no ventre materno, eu te conheci, e, antes que saísses da madre, te consagrei, e te constituí profeta às nações.” (Jr 1.5)

- Sua graça

Sou grato para com aquele que me fortaleceu, Cristo Jesus, nosso Senhor, que me considerou fiel, designando-me para o ministério, a mim, que, noutro tempo, era blasfemo, e perseguidor, e insolente. Mas obtive misericórdia, pois o fiz na ignorância, na incredulidade. Transbordou, porém, a graça de nosso Senhor com a fé e o amor que há em Cristo Jesus.” (1 Tm 1.12-14).

Se você não se percebe como profeta do ponto de vista pessoal:

E ele mesmo concedeu uns para apóstolos, outros para profetas, outros para evangelistas e outros para pastores e mestres,” (Ef 4.11), saiba que como igreja, você tem responsabilidade profética:

Então, se levantou Pedro, com os onze; e, erguendo a voz, advertiu-os nestes termos: Varões judeus e todos os habitantes de Jerusalém, tomai conhecimento disto e atentai nas minhas palavras. Estes homens não estão embriagados, como vindes pensando, sendo esta a terceira hora do dia. Mas o que ocorre é o que foi dito por intermédio do profeta Joel: E acontecerá nos últimos dias, diz o Senhor, que derramarei do meu Espírito sobre toda a carne; vossos filhos e vossas filhas profetizarão, vossos jovens terão visões, e sonharão vossos velhos; até sobre os meus servos e sobre as minhas servas derramarei do meu Espírito naqueles dias, e profetizarão.” (Atos 2.14-18)

Isaías viveu num momento histórico e num contexto cultural diferente do nosso, mas enfrentou algumas situações e questões bem presentes em nosso tempo.

Continua...

Viçosa-AL, 28/03/2009

Nenhum comentário: