segunda-feira, 2 de março de 2009

I CORÍNTIOS - OS PROBLEMAS DA IGREJA E SUAS SOLUÇÕES

A Lição Bíblica de jovens e adultos (CPAD) do próximo trimestre terá como tema geral "I Coríntios - Os problemas da Igreja e suas soluções." O comentarista será o Pastor Antônio Gilberto.

Os temas semanais prometem bons debates e abordagens. São eles:

1- Corinto - Uma Igreja Fervorosa, mas não Espiritual
2- A Superioridade da Mensagem da Cruz
3- Partidarismo na Igreja
4- Despenseiros dos Ministérios de Deus
5- A Imoralidade em Corinto
6- Demandas Judiciais Entre os Irmãos
7- Considerações Acerca do Casamento
8- Coisas Sacrificadas aos ìdolos
9- A Importância da Santa Ceia
10- Os Dons Espirituais
11- A Ressurreição de Cristo
12- Ajuda aos Necessitados
13- Amor, a Virtude Suprema

Saiba mais em cpad.com.br

5 comentários:

Elisomar disse...

Pastor, é muito bom quando uma lição traz assuntos diversificados.
Porque passar aula com praticamente o mesmo assunto todo domingo, é tarefa nada fácil.
O comentarista está de parabéns!

PROFETIZANDO A PALAVRA disse...

Pastor eu creio que está lição será uma benção, com temas muito bons.
Ainda mais com comentário do mestre Pr. Antonio Gilberto.

Um abraço a ti.
Obs. Vou divulgar em meu blog também está nova.

Robson Silva de Sousa disse...

Oh, Glória!!!

Essa vai esquentar!!!

As mentes e corações dos que verdadeiramente amam a Palavra e prezam pela boa governança dos dons espirituais para o crescimento quantitativo e qualitativo da Igreja de Cristo...

Já estou ansioso...

Abraços,

Em Cristo

Robson Silva

Eliseu Antonio Gomes disse...

Pr Altair

Eu gosto muito dos comentários bíblicos do Pr Antonio Gilberto, na minha concepção, é o comentarista top da CPAD.

Até hoje sinto os reflexos da Lições Bíblicas abordando O fruto do Espírito. Deveria ser relançada!

Abraço.

Eliseu Antonio Gomes
http://belverede.blogspot.com/

Enfoque Gospel disse...

Tenho por certo que o tema da nova revista do trimestre oferecerá boas discussões e a oportunidade de o professorado fazer uma ponte com o momento atual da igreja cristã no Brasil. A CPAD é uma grande editora e realmente tem prestado bons serviços ao povo de Deus embora venha pecando em vários aspectos. O primeiro é o cuidado com a escrita das lições, erros ortográficos estão ficando comuns e alguns grosseiros. O segundo é a falta de cuidado com as referencias, referencias erradas vez ou outra aparecem chegando ao absurdo de citar versículos que não existem. Os comentários realizados são na maioria das vezes demasiado superficiais e baseados no senso comum quando não trazem heresias ou seguem linhas teológicas pouco ortodoxas. Penso que as editoras gospels de nosso pais devem repensar todo o seu projeto pedagógico, se é que elas têm algum. Em minha opinião as revistas de escola dominical que esta editora oferece estão longe de serem consideradas aceitáveis, o que vemos são temas trabalhos de forma repetitiva e desinteressante, argumentos fracos quando não beirando a heresias, manipulação de textos bíblicos ou opiniões pessoais baseadas em senso comum, como erros ortográficos crassos e de referencia bíblica. As editoras denominacionais ou interdenominacionais necessitam repensar suas propostas pedagógicas (se é que elas têm alguma) analisar o contexto social atual e fornecer um material educativo que trabalhe a capacidade critica de seus clientes, um material interessante visualmente, estruturalmente e tematicamente. Nossas crianças são expostas a um material tão superficial que algumas lições chegam a ser idiotizantes e alienadoras. Todo o ensino religioso de nosso país deve ser repensado. Devemos ensinar a bíblia pela bíblia, com argumentos lógicos e claros, (a fé não pode ser explicada, mas os fatos que ela produz são), nosso ensino deve abrir espaço, para ampla discussão e questionamento. As doutrinas denominacionais devem ser questionadas de maneira organizada e embasada por alunos e professores. Nosso material didático deve ser questionado como a editora que o produz. É um crime intelectual uma igreja submeter e obrigar seus membros a comprar e seguir um material educativo pelo simples fato da editora se dizer seguidora dos princípios doutrinários da denominação a qual a igreja pertence. Devemos educar e não deseducar nossos membros.